Bolsonaro disse que ‘jamais’ entregaria telefone para perícia

Pronunciamento foi feito após despacho de Celso de Mello; para presidente, decisão favorável pela perícia seria uma afronta

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não pretende entregar seu aparelho celular para perícia, mesmo que exista determinação judicial para tal.

“Eu não sou diferente de ninguém. A lei me atinge, mas eu sou o presidente da República. Jamais eu entregaria um telefone meu”, afirmou, segundo informações do jornal Folha de São Paulo. “Só se fosse um rato para entregar o telefone”.

O presidente disse ainda que uma decisão judicial nesse sentido seria “uma afronta”.

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), encaminhou à PGR (Procuradoria-Geral da República) pedidos de partidos e parlamentares de oposição para que o telefone do presidente seja apreendido e periciado.

De acordo com o ministro, é de responsabilidade da PGR analisar as acusações que constam nas representações. O encaminhamento ao Ministério Público Federal é praxe em casos de casos do tipo.

 

Leia Também
Guedes defende economia para evitar impeachment de Bolsonaro
Moro x Bolsonaro: Leia a transcrição do vídeo da reunião ministerial divulgada pelo STF
Bolsonaro quer “todo mundo armado” para reagir a quem pensa diferente dele
A vida pregressa de Moro: GGN investiga a trajetória do ex-juiz com ajuda de leitores

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Estados Unidos compram mais 100 milhões de doses da vacina de Covid da J&J

3 comentários

  1. O Oficial de Justiça irá cumprir a determinação judicial. Em caso de recusa do réu, o mesmo receberá voz de prisão, será detido e levado à presença da autoridade. Não pode chorar quando o homem da capa preta mandar algemar e conduzir à prisão…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome