Bolsonaro: Governo só reconhece como família união entre homem e mulher

"Vamos ler lá [na Constituição] o que é família. Quando alguém mudar a Constituição, eu falo das outras famílias", disse o presidente, menosprezando a união homoafetiva

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Passou à margem da cobertura da grande mídia, mas Jair Bolsonaro voltou a disparar absurdos contra minorias na quinta-feira (1/8). Desta vez, menosprezando a união homoafetiva – que já foi reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal, em 2011 – e usando a Constituição Federal como escudo.

Durante lançamento do programa Médicos Pelo Brasil, Bolsonaro disse: “Estamos com um governo que respeita a família. E para quem tem qualquer dúvida: parágrafo 3º do artigo 226 da Constituição. Vamos ler lá o que é família. Quando alguém mudar a Constituição, eu falo das outras famílias.”

O trecho da Constituição de 1988 ao qual se refere Bolsonaro diz o seguinte: “É reconhecida como entidade familiar a convivência duradoura, pública e continua de um homem e uma mulher, estabelecida com objetivo de constituição de família.”

Apesar do ataque homofóbico, Bolsonaro foi aplaudido pelo público que acompanhava a cerimônia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora