Coronavírus: Governo tem cinco dias para estabelecer grupos prioritários para vacina

Ordem partiu do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, uma vez que ordem de preferência não está clara no Plano Nacional de Imunização

Ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). Foto: Reprodução

Jornal GGN – O governo federal deve estabelecer uma ordem de preferência, entre os grupos prioritários, para orientar a vacinação contra a covid-19. A ordem partiu do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com Lewandowski, a ordem deve seguir critérios-científicos, e a divulgação tem de ser feita em até cinco dias após a notificação do governo, uma vez que não está claro quais dos grupos prioritários deveriam ser atendidos inicialmente, dentro de um quadro onde as vacinas seguem escassas.

Segundo informações do portal G1, a atualização do Plano Nacional de Vacinação (PNI) de janeiro coloca 77,2 milhões de pessoas nos grupos prioritários, entre eles idosos e os profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a pandemia.

A ideia é que essas populações sejam organizadas em ordem de preferência, usando como referência o grau de risco da covid-19 a cada grupo. Segundo o ministro do STF, o esclarecimento dos critérios empregados atende a princípios da administração pública previstos na Constituição.

 

Leia Também
Ministério da Saúde já recebeu 45 pedidos para furar a fila da vacinação
África do Sul suspende vacina de Oxford, por proteção limitada contra variante
“Auschwitz é para a guerra o que Manaus é para crise sanitária”, analisa Pedro Serrano

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora