Derrotar Bolsonaro requer que “a verdade seja restabelecida”, diz Ana Estela Haddad

"A gente tem que conversar em bases reais, não dá para mudar a história, não dá para mudar as posições que cada um adotou e deixou de adotar, as omissões que cada um teve e que contribuíram para a gente chegar aqui"

Jornal GGN – Para sair da distopia pós-eleição de Jair Bolsonaro e superar os fatores que permitiram a ascensão do líder de extrema-direita, a ex-primeira-dama de São Paulo Ana Estela Haddad aposta em “se nutrir de abertura, serenidade, capacidade de diálogo e de conversar com o diferente.” Mas também avalia que uma frente única contra o bolsonarismo (ou “união de forças”, como ela preferiu chamar), demanda que “a verdade seja restabelecida como ponto de partida.”

“É importante que no espaço político possa haver união de forças. Mas por que não acontece? Porque sempre há um equilíbrio das pessoas que estão pensando no coletivo e aqueles que têm projetos individuais. Tem no meio de tudo isso aqueles que contribuíram para que o caos acontecesse e a gente chegasse nessa situação. E, de repente, esses vêm a campo agora como se não tivessem participado de nada disso. É muito difícil”, disse em entrevista exclusiva à redação do GGN.

“A gente tem que conversar em bases reais, não dá para mudar a história, não dá para mudar as posições que cada um adotou e deixou de adotar, as omissões que cada um teve e que contribuíram para a gente chegar aqui”, apontou.

“Do ponto de vista do fortalecimento da democracia, da história do nosso País, a verdade precisa ser restabelecida como ponto de partida. Não dá para por uma pedra em cima e seguir como se as coisas não tivessem acontecido. Não é possível dessa forma. As pessoas foram agredidas. A campanha de 2018, as agressões que aconteceram, as mentiras… Se a gente não trouxer a verdade, esses processos tendem a se repetir.”

Leia também:  68% querem extensão do auxílio emergencial para 2021, mostra pesquisa

Confira a íntegra da entrevista aqui:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. É o contrário. A verdade só poderá ser restabelecida após a derrota de Bolsonaro e da burguesia que o possibilitou e ainda o sustenta.
    Em rigor, a verdade todo mundo sabe qual é.

  2. “A campanha de 2018, as agressões que aconteceram, as mentiras… Se a gente não trouxer a verdade, esses processos tendem a se repetir.

    OPA, OPA, OPA!!!! E a prisão de Lula? Não se trata de verdade versus mentira, se trata da luta política.

    Essa família Haddad, hiper-direitista, não me engana. No fim, escondem o problema político real e usurpam o lugar do Lula no processo político. Acho que ficariam bem no “MDB” do Flávio Dino.

    Restituição dos direitos políticos do Lula já!!! Contra as tendências direitistas no PT!

  3. Na loucura que chegamos, quando ouvimos uma voz lúcida sentimos que é exceção. Sonho com o dia em que a exceção de hoje seja a regra de novo. parabéns Ana Estela.

  4. Não vou bater palmas e dizer parabéns, você é maravilhosa (como eu li no YouTube), é o tipo de comentário submisso e acrítico. Para manter esse nível, o trabalho não tem dado certo.
    Seria melhor que ela se distanciasse o quanto antes das atividades da Pró-Reitoria de Extensão lá da USP. Em termos de honestidade, lá não é diferente do governo Bolsonaro. Não é o que contam pra ela como professora e pesquisadora, pois o esgoto é mais profundo.

  5. Sobre obstaculos para uma união de forças, escreve a senhora Ana: “…Porque sempre há um equilíbrio das pessoas que estão pensando no coletivo e aqueles que têm projetos individuais”.
    Sim, existe. Mas sempre há alternativas!
    Vale até lembrar aquela famosa charge onde dois asnos, amarrados um ao outro, após verificarem a impossibilidade de se alimentarem em pastos opostos, que os levaria a morrer de fome, percebem que a única opção é seguirem juntos para cada pasto.
    Por favor, não comparo ninguem a asnos. Apenas reflito sobre a falta de um mediador, como Lula, faz. Mas percebo que ele, Lula, condiciona esta mediação a anulação das fraudes processuais a que foi submetido por moro e sua turma de curitiba, o que é muito justo.
    Contudo, o Brasil não tem muito tempo.
    A turma aboletada em Brasília segue tranquila na retirada de direitos trabalhistas e sociais, na precarização dos empregos, na privatização da educação da saúde e da segurança, bem como na entrega de nossos ativos e recursos naturais para os EUA e seus paises vassalos.
    Urge que as forças progressistas iniciem imediatamente o movimento de união, onde projetos pessoais se submetam ao coletivo.
    Tirem a tranquilidade destes lesas-pátrias. Eles precisam temer os seus futuros e seus julgamentos, pois estão praticando crimes gravíssimos contra o povo.

  6. ” A verdade precisa ser restabelecida como ponto de partida” é um dos comentários mais importantes, POIS NINGUÉM ESTABELECE A VERDADE COMO PONTO DE PARTIDA NA POLÍTICA. Todos concordamos que campanhas inflamadas de mentiras e fakes, como a de Bolsonaro só podem trazer a desgraça. QUANDO FAREMOS A AUTO-CRÍTICA DAS NOSSAS PRÓPRIAS MENTIRAS? Acreditar que “A NOSSA MENTIRA” não é mentira, chama-se SOLIPSISMO (acreditar que a verdade é subjetiva e o que importa são nossas percepções e opiniões), solipsismo é uma forma de doença mental. Exemplo simples pra reflexão, siga a lógica: É possível criar ordem com a verdade? SIM. É possível criar ordem com Roubo? Não? Coagir é ROUBO? SIM!!! É possível a qualquer governo no mundo baseado em AÇÕES COERCITIVAS GERAR ORDEM (por exemplo, impostos, proibição e licenças)? IMPOSSÍVEL, por que COAÇÃO é uma forma de ROUBO. A primeira verdade que temos que nos atar é que A ÙNICA FORMA DE ORGANIZAÇÃO VERDADEIRAMENTE JUSTA TEM BASE NO VOLUNTARIADO. o conceito de AUTORIDADE de poucos sobre muitos, são base para os sistemas de conivência sejam capitalistas ou socialistas, SEMPRE SERÀ TIRANIA E BASEADO NA MENTIRA.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome