Eleições: Bolsonarista e petista polarizam em Fortaleza, reduto do PDT de Ciro Gomes

A petista Luizianne Lins já foi prefeita duas vezes, mas não tem apoio do governador Camilo Santana. Os irmãos Gomes apostam na virada quando o candidato do PDT se tornar mais conhecido

Jornal GGN – Paraná Pesquisa divulgada nesta segunda (12) mostra que a eleição em Fortaleza, capital do Ceará, estado reduto dos irmãos Cid e Ciro Gomes, é marcada pela polarização inicial entre o bolsonarista capitão Wagner (PROS) e a petista Luizianne Lins.

Segundo a sondagem, o capitão tem 35% das intenções de voto e a ex-prefeita petista, 14,9%. O candidato do PDT, José Sarto, aparece com 10,1% das intenções de voto.

O PDT formou a segunda maior coligação (com PSDB, DEM, PSD, PSB, PP, PTB, PL, Cidadania e Rede) para disputar Fortaleza, que servirá de ensaio para a corrida presidencial de 2022. Em 2018, Ciro Gomes foi o campeão de votos no Ceará, embora tenha terminado a eleição em terceiro lugar, atrás de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.

Já o capitão Wagner tem apoio do Podemos, Republicanos, PMN, PMB, PTC, DC, PSC e Avante na segunda tentativa de disputar a prefeitura de Fortaleza. Ele foi derrotado no segundo turno em 2016 pelo atual prefeito, Roberto Cláudio (PDT). Em 2018, Wagner foi o deputado federal mais votado do Ceará.

De acordo com o jornal O Globo, a petista Luizianne Lins já foi prefeita duas vezes, mas não tem apoio do atual governador Camilo Santana (PT). Apesar de correligionários, Camilo apoia informalmente os irmãos Gomes – que apostam na vitória de Sarto quando o candidato do PDT se tornar mais conhecido.

OUTROS CANDIDATOS

Ainda de acordo com Paraná Pesquisas, Heitor Férrer (Solidariedade) tem 7,3% das intenções de voto. Renato Roseno (PSOL) e Célio Studart (PV) estão com 4,7% e 4,5%, respectivamente; Heitor Freire (PSL) tem 2,2%; e Professor Anízio (PCdoB), José Loureto (PCO), Paula Colares (UP) e Samuel Braga (Patriota) têm menos de 1% das intenções de voto.

A pesquisa ouviu 740 eleitores de Fortaleza, através de entrevistas pessoais telefônicas entre os dias 9 e 11 de outubro de 2020. A margem de erro é de 3,5%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora