Governo projeta déficit primário de R$ 232 bilhões em 2021

Cálculo inclui prorrogação da desoneração salarial de 17 setores intensivos em mão-de-obra; valor será encaminhado ao Congresso nesta sexta-feira

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O governo federal deve encaminhar nesta sexta-feira (11/12) uma meta de déficit primário de R$ 232,1 bilhões para o próximo ano.

Segundo informações do jornal O Globo, o valor considera o impacto da prorrogação da desoneração da folha salarial de 17 setores econômicos intensivos em mão-de-obra, além de novos parâmetros para o crescimento econômico e a inflação.

O prognóstico de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2021 é de 3,2%, o mesmo previsto para o Orçamento, enquanto a estimativa para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) também é de 3,2%.

Ontem, o governo federal decidiu abandonar a ideia de uma meta flexível nas contas públicas. A proposta com os novos parâmetros irá mudar o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano que vem, que deve ser votado na próxima quarta-feira pelo Congresso.

Quando o Executivo encaminhou a proposta de LDO no mês de abril, foi proposta uma meta flexível (que depende apenas do resultado da arrecadação, respeitado o limite de despesas do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas à inflação) em detrimento de uma meta fixa, usando como justificativa as incertezas quanto a pandemia do novo coronavírus.

 

Leia Também
Taxa de juros é mantida em 2% na última reunião do ano
Com atraso, novo Fundeb só terá início em abril de 2021
Corte em incentivos fiscais deve ser apresentado ainda neste ano
Bolsonaro ainda aposta em crescimento econômico para garantir reeleição

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora