Mutirão e reportagem: a tela exibida por Carluxo é de que sistema de portaria eletrônica?

Peço a ajuda de vocês para identificar qual o sistema utilizado no Condominio Vivendas da Barra. A única dica, por enquanto, é a tela exibida pelo Carlos Bolsonaro.

Pessoal
no início do Blog, fizemos algumas reportagens colaborativas de primeira, especialmente nos casos Satiagraha e grampos no Supremo.

Peço a ajuda de vocês para identificar qual o sistema utilizado no Condominio Vivendas da Barra. A única dica, por enquanto, é a tela exibida pelo Carlos Bolsonaro.

Se souberem, mandem pelos comentários ou pelo contato do GGN

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Xadrez das suspeitas sobre os filhos de Januário, por Luis Nassif

53 comentários

  1. o óleo pode ser queimado numa caldeira e transformado em energia elétrica com motor a vapor como um todo que queima como na floresta amazonas trazendo transtorno pode fazer a diferença politiqueira do Brasil vergonha nacional/.
    Jose Francisco Rodrigues

    3
    7
        • Se o que está escrito na apresentação da empresa no seu site, quanto à qualidade dos funcionários, é verdadeira, então não se pode classificar o porteiro como um qualquer, um ignorante. Se não, a empresa aplica 171 nos clientes:

          Quanto aos colaboradores:
          Garantir o aprendizado e o crescimento contínuo dos colaboradores através do fornecimento de conhecimento e pelo desenvolvimento conjunto das suas competências, habilidades e atitudes necessárias, para que contribuam na busca pela qualidade dos produtos e serviços.
          Garantir a infraestrutura (equipamentos, materiais, informação) necessária para que os colaboradores realizem suas atividades.

  2. Já saiu em uma reportagem que o sistema da portaria do condomínio é da marca Intelbras.
    Esse pode ser um ponto de partida pra investigação.

    8
    1
  3. Nassif, pela imagem da tela, aparentemente é o explorador de arquivos do Windows. Não se trata de nenhum programa específico para a abertura de tais arquivos. Digo isto pois ele traz informações do “nome”, “data de modificação”, “tipo”, “tamanho”, que são características típicas do sistema Windows.
    Pode ser que no vídeo tenha algum outro detalhe que na imagem não esteja aparecendo. Mas pelo o apresentado no corpo da matéria, é apenas o explorador do sistema Windows.

    • Tenderia a concordar: nao sei se foi erro de copy/paste, mas parece haver uma outra janela identica aa primeira e do mesmo SO, atraz a ao alto da tela. Alem disso, os nomes desses arquivos sao caoticos, outra marca registrada do Windows.

    • Tenderia a concordar: nao sei se foi erro de copy/paste, mas parece haver uma outra janela identica aa primeira e do mesmo SO, atraz a ao alto da tela. Alem disso, os nomes desses arquivos sao caoticos, outra marca registrada do Windows.

      1
      1
  4. Não resolve mas pode ajudar:
    A tela exibida, do Windows Explorer comum indica que os arquivos estão num dispositivo externo: pendrive, cartão SD, HD externo ou arquivo de REDE: (\\USER-PC) (Z:)
    Portanto estes arquivos podem ser uma cópia qualquer em qualquer dispositivo num computador Windows.
    Notar que o gravador de chamadas (áudio) pode ser integrado ou acessório (placa adicional), da mesma marca da central ou genérico.
    O padrão de nomenclatura (configurável?) poderá ser a pista para descobrir qual seja (central ou placa)
    ###1_AAAAMMDD_HHMMSS_**_CCCC_DDDDDD_528550_0001_O0

    ###1 = Constante, desconheço, pode ser (por ex.) um serial id da central atendida.
    AAAAMMDD_HHMMSS = Data / Hora, evidentemente.
    ** = TX portaria chama morador, RX morador chama a portaria
    BBBB = identificação da casa / morador (nulo=portaria)
    DDDDDD = duração da ligação em segundos
    528550_0001_O0 = Constante, pode estar relacionada a modo, modelo, tarifação, parâmetros de cada ramal (todos iguais), etc.
    Os PABX mais comuns para um porte de 150 casa com GSM (sem fio) costumam ser:
    Intelbrás, HDL, Amelco, Siemens…
    Achei um manual pdf de central Intelbrás mas não parece ser a buscada, porém enriquece a busca.
    http://suporte-tecnico.intelbras.com.br/sites/default/files/downloads/manual_gravador_de_chamada_impacta_02-18_site_0.pdf

    • Então, essa imagem é do arquivo que foi “roubado” pela faMILICIA do condominio e que está sendo adulterado pela faMILICIA

  5. Complementando:
    Sendo uma cópia de arquivos em dispositivo comum (arquivos Windows), pode-se copiar apenas o que se quiser, renomear, alterar datas, eliminar o que não desejar, etc.
    A menos que eventuais arquivos apagados o tenham sido por especialistas (que podem zerá-los) ou tenham sido fisicamente sobrepostos, eles pode ser recuperados, desde que o sejam na mídia ORIGINAL, jamais numa cópia. A perícia teria que ser feita no computador ou HD/mídia da placa da central original. O que foi apresentado pela procuradora bolsonarista não serve PARA NADA, como prova conclusiva.
    Quanto à gravação do porteiro com o Ronnie (que pode ser real) há as seguintes questões:
    1) Foi feita a perícia da voz do porteiro? Ou foi outro porteiro?
    2) Pode-se pegar qualquer eventual gravação (real) entre o porteiro e o Ronnie em QUALQUER OUTRO DIA, renomeá-la, re-datá-la e inserir na lista a ser copiada para a mídia entregue à polícia e repassada depois ao MP da bolsonarista, eliminando-se as eventuais 2 gravações que estariam em acordo com o depoimento do porteiro (e seu Jair), que convenhamos, ou foi muito bem instruído ou é bem verossímil, pelo atendimento, acompanhamento do carro e re-confirmação do destino. Depoimento feito e confirmado, DUAS vezes iguais.
    Portanto, sem querer afirmar o envolvimento do então deputado (ainda que possível à distância), pode-se afirmar o seguinte:
    1) A (im)perícia feita na mídia NÃO pode comprovar mentira ou engano do porteiro, pois PODE ter havido manipulação real, e houve tempo de sobra para isso, ~9 meses após os comparsas tomarem conhecimento do explosivo registro, seja por ligar o encontro, seja por envolver o então deputado.
    2) Esta possibilidade real, por ser séria obstrução de Justiça, não pode deixar de ser investigada, principalmente pela possibilidade de Marielle poder de alguma forma afetar a candidatura a presidente de um possível envolvido. O que pode condizer com mais de ano e meio sem respostas e enormes confusões, incompetências, enganos, obstruções, envolvimentos e ocultações no processo.
    3) Inaceitável que confisquem um tablet infantil do neto de Lula e não confisquem a central ou sua mídia original num caso de indiciados por assassinato com relações suspeitamente próximas ao presidente.
    E assim continua…

    • Então, essa imagem é do arquivo que foi “roubado” pela faMILICIA do condominio e que está sendo adulterado pela faMILICIA

  6. Mais um complemento relevante:
    Este caso tem envolvidos: policia de Witzel, MPE bolsonarista, MPF de Aras, PF de Moro, PM com milicias, milicianos, condomínio com Bolsonaros, um político e outro presidente…Caramba!
    Resgatar este porteiro e protegê-lo é essencial, pois ele (e familiares) pode(m) ser ameaçado(s) ou comprado(s)e.
    A última coisa que precisamos para esclarecer estas questões é que ele esteja sumido ou inacessível.
    Cadê as mídias que não o acham para uma eventual entrevista?

    • Outro complemento:
      Conforme demonstrado e ao contrário do que afirmou açodada e publicamente a procuradora bolsonarista, não há ainda prova técnica efetiva que desminta o porteiro.
      Há várias investigações faltando ou a periciar de verdade, como sobre o cadastro, configurações e o registro de ligações (não os áudios) da central.
      As centrais modernas programáveis permitem que os moradores/condôminos utilizem a(s) linha(s) da central (“troncos”) para fazer (dicar “0” antes) e receber (“disque o ramal desejado”) ligações externas de fixos e celulares. Para tanto gravam um registro (“planilha”) de tais ligações (não áudio) permitindo por ex. a tarifação de ligações dos moradores pelo condomínio e outras informações. Tal registro contém informações como data, hora e duração e ns. envolvidos (ex. ramal e n. externo, com ddd e ddi).
      O cadastro e configurações gerais e por ramal da central definem as características de funcionamento (ex. tempos de espera, troncos utilizáveis pelos moradores, etc.) e específicas de ramal (ex. siga-me, conferência, transferências automáticas, etc.).
      Com mais de 9 (NOVE) meses desde o conhecimento do explosivo registro pelos comparsas, tudo isso pode ter ser eliminado (“deletado”), alterado ou recriado.
      O fato é que para se ter uma investigação probatória séria e conclusiva, é necessário que tudo precisa ser periciado nas mídias ORIGINAIS, nunca em cópias, incluindo:
      1) Os registros em papel, cobrindo MESES, para verificar a eventual frequência e direcionamento de entradas anteriores e posteriores.
      2) Os registros de LIGAÇÔES (não áudio) da central (internas e externas) e todas as informações contidas.
      3) Os CADASTROS e CONFIGURAÇÔES da CENTRAL, permitindo verificar as condições gerais e de cada ramal, eminentemente os envolvidos, em termos de transferências, capacidades, etc.
      4) Os registros de ÁUDIO originais (NUNCA cópias).
      5) A perícia de VOZ do porteiro no áudio da ligação divulgada da casa 65, RESSALVANDO que a ligação pode ser real (porteiro e Ronnie), mas feita em QUALQUER outra data/hora e inserida na cópia, portanto não é prova consistente.
      6) Se legalmente possível, a quebra de sigilo da (então) LINHA do então deputado, que pode mostrar o registro das ligações entre o condomínio e o seu então APARELHO (hoje pode ser outro), que da mesma forma, deveria ser periciado, pois também pode ainda (difícil pelo tempo) conter os registros, ainda que backups em cartão.
      7) Seria interessante também saber exatamente ONDE estava (gabinete, plenário, corredor, rua, restaurante, etc.) o deputado seu Jair, seja em Brasília, Rio, Riad ou qq. outro lugar do planeta.

      Passados mais de 9 (NOVE) meses entre o conhecimento pelos comparsas do comprometedor registro (foto enviada pela esposa de Ronnie), tudo pode ter sido apagado, alterado, inserido e recriado, exceto (espera-se) o registro telefônico das OPERADORAS dos troncos da central e dos telefones fixos e celulares envolvidos.
      É possível também que Carluxo, o filho “0n”, também morador do condomínio, pelo que se divulga em seu envolvimento em centrais de fake-news, etc., tenha bons conhecimentos para já ter alterado há muitos meses estas provas, que não seriam divulgadas por não haver suspeitas levantadas (“dar bandeira”), mas a sua tranquilidade e imediatismo em mostrar “provas” (que não desmentem nada de fato!) é “intrigante”.
      O fato é que quanto mais este país estiver aparelhado em suas instituições (ministérios, lideranças e comissões no Congresso, PF, MPE’s, MPF, PGR, Judiciário, institutos, estatais, universidades, FFAA, míRdias, etc.)…
      Mais difícil será conhecermos a verdade!

    • Mais complemento:
      1) A verificação e eventual perícia em VÍDEOS do dia, anteriores e posteriores, para verificar a entrada e saída (ex. Ronnie e Élcio) e a exist~encia e frequência de outras eventuais visitas de Élcio, quando e para onde. Depois de 9 meses, apagar estes vídeos do(s) DVR(s) é evidentemente uma possibilidade.
      2) A busca de testemunho de vizinhos sobre qualquer coisa que possa contribuir para o caso (se viram ou ouviram , quando, onde, com que frequência, fatos e características relevantes do ambiente, regras, e funcionamento do condomínio, etc.).

      • Mais complemento (importante):
        Não vi antes, pois a imagem aqui do post está meio desfocada, mas peguei um video na internet e deu pra ver bem a tela:
        A data gerada pelo hardware/software da central ou sua placa de gravação de áudio é conectada ao relógio da mesma e portanto fiel à central.
        Já a data/hora à direita do nome longo montado originalmente pela central é a data do Windows (PC), quando o arquivo é gravado OU modificado (existem ambas as opções) e no caso o título da exibição dos arquivos no Windows Explorer está claro: data/hora da última modificação.
        A central e o PC onde são gravados os áudios podem eventualmente ter uma diferença de horário, o que hoje não é muito comum, pois ambas podem ser ajustadas pela rede. Mas num curto período de tempo, a diferença, se houver, será estável.
        OCORRE que os HORÁRIOS entre a Central (origem) e o Windows (mídia de gravação) são DIFERENTES e VARIÁVEIS! Exs:
        A fatídica ligação entre a portaria e a casa 65 foi originada conforme a central as 17:07:22 e a gravação (modificação) no Windows as 17:13 (~5 minutos de diferença, com margem de 0 até 59s no minuto, para uma ligação com duração de 23 segundos).
        Se em todas as ligações, esta diferença fosse constante ou muito semelhante (atraso/”delay” de gravação), indicaria uma diferença de relógios (“clock-calendar”).
        Mas NÃO, as diferenças são VARIÁVEIS! Vejamos outros exemplos:
        (CENTRAL…..DURAÇÃO…WINDOWS):
        16:29:48……106s……….16:43
        16:31:40……59s…………16:43
        16:33:09……48s…………16:43
        16:33:59……46s…………16:43
        16:35:10……20s…………16:43
        15:36:06……20s…………16:43
        16:39:03……93s…………16:43
        16:44:51……30s…………16:58
        16:52:12……29s…………16:58
        17:07:42……23s…………17:13
        17:23:50……32s…………17:28
        As diferenças para o mesmo minuto do Windows (16:43, “última modificação”), variam entre 13m12s a 2m48s, independentemente da duração e com uma margem de 59s (13:43:00 e 13:43:59).
        No caso da casa 65, a diferença fica entre 5m18s e 4m49s.
        Pode haver um acumulador temporizado de gravações (“buffer”). Não parece, pois tudo é variável e nada bate (diferenças, n. de ligações durações, etc.).
        Como esclarecer? Pegar o equipamento e mídias originais e simular a operação.
        Portanto, é evidente que a polícia / MP precisam investigar e esclarecer tudo que já foi levantado aqui. Come pericias nos ORIGINAIS.
        E não ficar dando entrevistas coletivas furadas e vergonhosas.

  7. Parece o Windows Explorer. Entretanto, o que se pode observar da tela, é que todos são arquivos de áudio. Será a gravação dos contatos?

  8. Nassif,

    Algo que seria interessante saber é o que significa a sequencia de números, no nome do arquivo, logo após a data. É uma sequencia em ordem crescente, e que identifica unicamente cada arquivo.
    A sequencia segue em pequenos intervalos, o que indica que tem correlação com a quantidade de chamadas da portaria num intervalo de 15min. (da pra notar que os logs com as chamadas são gerados a cada 15min – data da alteração)
    Grandes Intervalos na sequência (>5000) indicam que, ou não houve contato com a portaria por mais de 15min, ou podem indicar que arquivos foram apagados. Curiosamente, isso acontece próximo ao contato com a casa do Lessa (65) e também do Carlos (36).
    Para ter certeza que esse é o entendimento correto, precisa-se saber o que significa essa sequencia.

    Abraços, e Boa Sorte!

  9. Se o “interfone” na verdade era um celular, a questão é: Que aplicativo de gravação de chamadas gera esse padrão de nome, que me parece ser: 4 dígitos + _ + data (AAAAMMDD) + _ + horário (HHMMSS) + _TX_ ou _RX_ + 6 dígitos + _ + 6 dígitos + 5 dígitos + _ + algo que não soube dizer o que é. Inicialmente seria interessante baixar vários aplicativos desse tipo, e verificar se algum gera arquivos de áudio nesse padrão. Se sim, é indício que a ligação foi feita de celular, que era usado como interfone.

  10. Se o “interfone” na verdade era um celular, a questão é: Que aplicativo de gravação de chamadas gera esse padrão de nome. Inicialmente seria interessante baixar vários aplicativos desse tipo, e verificar se algum gera arquivos de áudio nesse padrão. Se sim, é indício que a ligação foi feita de celular, que era usado como interfone.

  11. O pessoal não entendeu a pergunta. O que o Nassif quer saber é que tipo de sistema de interfonia gera arquivos como esses, ou seja, um sistema que funciona gravando arquivos de áudio padrão, em uma pasta padrão do windows e com esse tipo de sintaxe no nome do arquivo.
    Possivelmente ele quer saber isso pra entender mais sobre o sistema e investigar coisas do tipo “O sistema permite ligações externas? Ele as grava também? O acesso aos arquivos é aberto a qualquer um? Precisa de senha? Tem algum tipo de criptografia? Tem algum tipo de proteção contra adulteração? Tem algum tipo de log de ações (apagamento de arquivo, por exemplo)? Tem entrada pra câmera de vídeo? Se sim as imagens são armazenadas? Etc…

  12. Caro Nassif, no Viomundo, o leitor Zé Maria deixou este comentário: “O UOL apurou que o sistema de interfones oficial usado
    pelo condomínio Vivendas da Barra foi fornecido pela Intelbras,
    uma das principais empresas no setor.
    Há pelo menos dois aparelhos no portfólio da empresa
    que podem acionar os celulares de moradores quando o interfone
    de suas casas é acionado.

    O IV 7010 HF permite conversar com quem estiver na porta de casa
    ou liberar a entrada de visitantes.
    O mais simples deles, o IV 4010 HS, também permite que as solicitações
    sejam transferidas para o celular.

    Os interfones conseguem ser configurados para redirecionar ligações
    para números de telefone previamente cadastrados.
    Uma vez que um chamado [por interfone] é direcionado para uma residência,
    a solicitação é automaticamente enviada para o telefone do seu respectivo morador.”

    Aproveito para externar uma dúvida minha: afinal, Ronnie Lessa morava na casa 65 ou na casa 66? Se for na 65, então a Globo errou na matéria do JN. Mas, se for a 66, então o 03 mostrou em seu vídeo o arquivo de áudio errado (ou, em hipótese que eu preferia não cogitar, equivocadamente adulterado?).

    • Prezada Maria do Carmo Zanini. Grato pela leitura e menção.

      Só pra esclarecer:
      O Número da Casa do PM Ronie Lessa, vizinho de Jair Bolsonaro, Assassino da Marielle,
      pode ser tanto o 65 como o 66, pois a construção foi feita sobre 2 lotes conjugados.

      Muito Agradecido pela atenção.

  13. O sistema permite que se utilIze a função siga-.me ? Assim, qualquer pessoa poderia atender a portaria mesmo não estando presente na casa. Nesse caso o registro estaria no celular.

  14. NASSIF:

    SEM DÚVIDA, O VÍDEO DIVULGADO PELO CARLOS B. É UMA PASTA COM ARQUIVOS DE ÁUDIO QUE PODEM SER VISUALIZADOS PELO WINDOWS EXPLORER.

    SUPONDO QUE O DEPOIMENTO DO PORTEIRO É VERÍDICO, INICIALMENTE É POSSÍVEL:

    1. SELECIONAR E EXCLUIR, NA PASTA CONSTANTE NO WINDOWS EXPLORER, OS ARQUIVOS QUE REGISTRAM AS DUAS LIGAÇÕES DO PORTEIRO PARA A CASA 58 (DO BOLSONARO).

    POIS, CONFORME TRECHOS DO DEPOIMENTO DIVULGADOS PELA TV GLOBO, O PRIMEIRO ARQUIVO/LIGAÇÃO, AUTORIZA A ENTRADA DE ELIEL.

    O SEGUNDO ARQUIVO/LIGAÇÃO, REITERA A AUTORIZAÇÃO:
    “O PORTEIRO DISSE EM DEPOIMENTO QUE LIGOU DE NOVO PARA A CASA 58 E QUE O HOMEM, IDENTIFICADO POR ELE COMO SEU JAIR, TERIA DITO QUE SABIA PARA ONDE ÉLCIO IA”

    COM A EXCLUSÃO DOS DOIS ARQUIVOS, FAZ-SE NECESSÁRIO INSERIR NA REFERIDA PASTA DO WINDOWS EXPLORER, UM NOVO ARQUIVO, COM OS SEGUINTES OBJETIVOS:

    CONTRADIZER AS LIGAÇÕES CONSTANTES NO DEPOIMENTO DO PORTEIRO E COMPROVAR QUE HOUVE SOMENTE UMA LIGAÇÃO: DA PORTARIA PARA A CASA 62, DE RONI LESSA

    PARA TANTO, NO NOVO ARQUIVO DE ÁUDIO DESTA PASTA, VÃO CONSTAR 3 TIPOS DE DADOS. NOME, DATA E TAMANHO.

    OS QUE MERECEM ATENÇÃO, SÃO :

    A)NOME DO ARQUIVO – (O NÚMERO/CÓDIGO QUE DISCADO DA PORTARIA, PERMITE ACESSO A CADA UMA DAS CASAS DO CONDOMÍNIO)

    B)A DATA DE MODIFICAÇÃO DO ARQUIVO (A HORA E A DATA DE CADA LIGAÇÃO).

    AO CLICARMOS COM A TECLA DIREITA DO MOUSE EM QUALQUER DOS ITENS ANTERIORES (NOME E DATA DE MODIFICAÇÃO) SE ABRE UMA INTERFACE COM VÁRIAS OPÇÕES, DENTRE ELAS RESSALTAMOS A EXCLUIR E A RENOMEAR.

    ASSIM, COM ESTES RECURSOS DO WINDOWS EXPLORER E UM SOFTWARE DE EDIÇÃO DE ÁUDIO É POSSÍVEL FAZER UM “ÁUDIO FAKE”, CONFORME AS SEGUINTES ETAPAS:

    1. CRIAR UM NOVO ARQUIVO DE ÁUDIO, EDITADO NUM SOFTWARE DE ÁUDIO.

    2. O ÁUDIO INICIA COM O TRECHO COM A VOZ DO PORTEIRO, COPIADO PREVIAMENTE DO PRIMEIRO ARQUIVO DELETADO, NO QUAL O PORTEIRO INDAGA SE HÁ AUTORIZAÇÃO PARA A ENTRADA DE ELIEL (GRAVADO NA MESMA DATA DO CRIME).

    3. EM SEGUIDA AO TRECHO COM A VOZ DO PORTEIRO, INSERE-SE UMA GRAVAÇÃO COM A VOZ DE RONI LESSA, ESCOLHIDA DENTRE ARQUIVOS DE ÁUDIO REGISTRADOS EM DATAS ANTERIORES AO ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO.

    4.PARA DAR AUTENTICIDADE AO SEGUNDO TRECHO DO “ÁUDIO FAKE”, NA FALA DE RONI LESSA AUTORIZA A ENTRADA DE UM VISITANTE QUALQUER (NÃO NECESSARIAMENTE DO ÉLCIO), REGISTRADA EM DATA(S) ANTERIOR(ES) AO CRIME.

    5.FEITA A MONTAGEM DO “ÁUDIO FAKE”, ELE DEVE SER SALVO NO DESKTOP (TELA INICIAL), SEM NENHUMA IDENTIFICAÇÃO.
    CONFORME O SOFTWARE DE EDIÇÃO UTILIZADO, O “ÁUDIO FAKE” É BATIZADO COM UM NOME GENÉRICO (EX: ÁUDIO 01).

    6. SELECIONAR NO “ÁUDIO FAKE” SALVO NO NO DESKTOP (TELA INICIAL), O DADO REFERENTE A “NOME DO ARQUIVO”.

    7.FEITO ISSO, CLICA-SE EM “NOME DO ARQUIVO” COM A TECLA DIREITA DO MOUSE.
    ABRE-SE A JÁ REFERIDA INTERFACE COM VÁRIAS OPÇÕES.
    DENTRE ELAS, CLICA-SE EM RENOMEAR O ARQUIVO DO “ÁUDIO FAKE”.

    8.MANTENDO ABERTA A OPÇÃO RENOMEAR, BATIZA-SE O ARQUIVO DE ÁUDIO EDITADO COM O CÓDIGO/NÚMERO QUE DÁ ACESSO, PELO INTERFONE, À CASA DO RONI LESSA (62).

    9.EM SEGUIDA, CLICA-SE COM A TECLA DIREITA DO MOUSE NO DADO “DATA DE MODIFICAÇÃO” RELACIONADO AO ARQUIVO DO “ÁUDIO FAKE”.

    10.USANDO A OPÇÃO RENOMEAR. PODE-SE ENTÃO MUDAR OS DADOS DA “DATA DE MODIFICAÇÃO” DO ARQUIVO DO “ÁUDIO FAKE”, INSERINDO AS INFORMAÇÕES SOBRE O DIA, MÊS, ANO E O HORÁRIO EM QUE ÉLCIO INGRESSOU NO CONDOMÍNIO.

    11. COPIAR, EM SEGUIDA, O ARQUIVO DO “ÁUDIO FAKE”, DO DESKTOP PARA A PASTA DO WINDOWS EXPLORER QUE CONTÉM OS ARQUIVOS DE ÁUDIO DO CONDOMÍNIO .

    12. ASSIM, COM O NOME E A DATA DE MODIFICAÇÃO ALTERADOS, O ARQUIVO DO “ÁUDIO FAKE” VAI SER INSERIDO DENTRE OS DEMAIS, NA ORDEM CRONOLÓGICA PRETENDIDA: A HORA E O DIA DA ENTRADA DE ÉLCIO, REGISTRADA MANUALMENTE PELO PORTEIRO.

    ESTRANHAMENTE, VEM SENDO IGNORADA A PASTA DO WINDOWS EXPLORER COM OS ARQUIVOS DE VÍDEO, COM IMAGENS CAPTADAS PELAS CÂMERAS DO CIRCUITO INTERNO DO CONDOMÍNIO.

    AFINAL, ESSES ARQUIVOS EXISTEM, JÁ QUE EM OUTRO TRECHO DO DEPOIMENTO, DIVULGADO PELA TV GLOBO, CONSTA QUE APÓS REGISTRAR MANUALMENTE A ENTRADA DE ÉLCIO:
    “O PORTEIRO … ACOMPANHOU A MOVIMENTAÇÃO DO CARRO (DE ÉLCIO) PELAS CÂMERAS DE SEGURANÇA E VIU QUE O CARRO (DE ÉLCIO) TINHA IDO PARA A CASA 66 DO CONDOMÍNIO” – DE RONI LESSA.(TRANSCRIÇÃO/TV GLOBO)

    ASSIM, DEVE EXISTIR A PASTA COM AS IMAGENS DO CIRCUITO INTERNO DO CONDOMÍNIO, NA DATA EM OCORREU O CRIME, BEM COMO AS GRAVAÇÕES EM VÍDEO DOS DIAS ANTERIORES A OCORRENCIA DO ASSASSINATO DE MARIELLE.

    SUPONDO QUE O DEPOIMENTO DO PORTEIRO É VERÍDICO, COM AS IMAGENS ARMAZENADAS NA REFERIDA PASTA, PODE-SE LEVANTAR ALGUNS QUESTIONAMENTOS, QUAIS SEJAM:

    1.A PASTA CONTENDO AS IMAGENS DO CIRCUITO INTERNO DE VÍDEO DO CONDOMÍNIO – COM OS ARQUIVOS ORIGINAIS DA DATA DO ASSASSINATO – AINDA ESTÃO EM POSSE DA ADMINISTRAÇÃO DO CONDOMÍNIO?

    2.CONSTA NA CITADA PASTA, O MONITORAMENTO DE IMAGENS CITADO PELO PORTEIRO EM SEU DEPOIMENTO? OU SEJA, O TRECHO NO QUAL ELE AFIRMA QUE:
    (” … ACOMPANHOU A MOVIMENTAÇÃO DO CARRO (DE ÉLCIO) PELAS CÂMERAS DE SEGURANÇA E VIU QUE O CARRO (DE ÉLCIO) TINHA IDO PARA A CASA 66 DO CONDOMÍNIO” – DE RONI LESSA)

    3.A PASTA DO CIRCUITO INTERNO CONTENDO AS IMAGENS TEVE OS REGISTROS ALTERADOS OU AINDA MANTÉM OS VÍDEOS ORIGINAIS? TALVEZ UMA PERÍCIA POSSA ESCLARECER?

    4.A CÓPIA DA PASTA COM ESTES ARQUIVOS DE VÍDEO FOI REQUISITADA/COPIADA PELO MP DO RIO DE JANEIRO?

    5.A CÓPIA DA PASTA COM ESTES ARQUIVOS DE VÍDEO FOI PERICIADA, NO ÂMBITO DO INQUÉRITO INVESTIGATIVO INSTAURADO PELA POLÍCIA CIVIL DO RIO DE JANEIRO?

    NO DEPOIMENTO DO PORTEIRO, ELE AFIRMA QUE:

    A) NO DIA DO CRIME, FEZ DOIS INTERFONEMAS PARA CASA 58 (DE JAIR BOLSONARO) E AS DUAS LIGAÇÕES FORAM ATENDIDAS POR UM HOMEM (O SEU JAIR, AFIRMOU).

    INFERE-SE, PORTANTO, QUE A VOZ OUVIDA PELO PORTEIRO É SEMELHANTE, PARECIDA, COM A DE JAIR BOLSONARO; POIS, NA OCASIÃO, O ENTÃO DEPUTADO FEDERAL SE ENCONTRAVA EM BRASÍLIA.

    DIANTE DESSES FATOS, PODE-SE FAZER AS SEGUINTES INDAGAÇÕES

    NO DIA DO ASSASSINATO DE MARIELE, HAVIA(M) PESSOA(S) NO INTERIOR DA CASA 58?

    CASO POSITIVO, QUAIS ERAM ESTAS PESSOAS?

    OU, AINDA EM CASO POSITIVO, QUEM ERA A ÚNICA PESSOA (HOMEM) QUE PODERIA TER LIVRE ACESSO E ESTAVA NA CASA 58, SOZINHO, MESMO NA AUSÊNCIA DO PROPRIETÁRIO

    B) O CARLOS B. ESTAVA NO CONDOMÍNIO, NO DIA DO CRIME?

    CASO POSITIVO, CARLOS B. SE ENCONTRAVA NA CASA 36, OCUPADA POR ELE, CONFORME O REGISTRO DE OCUPAÇÃO DOS IMÓVEIS DO CONDOMÍNIO?

    OU, AINDA EM CASO POSITIVO, CARLOS B. TINHA LIVRE ACESSO À CASA 58, DE PROPRIEDADE DO PAI, JAIR?

    A PASTA DE ARQUIVOS DE VÍDEO, COM AS IMAGENS DO CIRCUITO INTERNO, NO MESMO DIA E EM DATAS ANTERIORES AO CRIME, PODE-SE RESPONDER A ESSAS QUESTÕES.

    COM A PASTA DE ARQUIVOS DE VÍDEO TAMBÉM É POSSÍVEL CONFIRMAR OU NÃO SE CARLOS BOLSONARO MANTEVE ALGUM TIPO DE RELAÇÃO COM RONI LESSA E/OU A FAMÍLIA DELE.

    A PARTIR DA VERIFICAÇÃO DESTA HIPÓTESE, PODE-SE QUESTIONAR:

    UMA FILHA DE RONI LESSA CHEGOU A NAMORAR UM DOS IRMÃOS BOLSONARO?

    CASO POSITIVO, QUAL DELES?

    CASO POSITIVO, QUANDO?

    HÁ O REGISTRO DE CARLOS BOLSONARO CAMINHANDO PELAS RUAS DO CONDOMÍNIO E ENTRANDO NA CASA DE RONI LESSA (62)?

    A PARTIR DAS IMAGENS DO CIRCUITO INTERNO, DO DIA DO CRIME E EM DATAS ANTERIORES AO ASSASSINATO, HÁ O REGISTRO DE IMAGENS DE RONY LESSA CAMINHANDO PELAS RUAS DO CONDOMÍNIO E ENTRANDO NA CASA (36) DE CARLOS BOLSONARO?

    AINDA COM BASE NAS CITADAS IMAGENS DO CIRCUITO INTERNO, NO DIA DO CRIME E EM DATAS ANTERIORES AO HOMICÍDIO, HÁ O REGISTRO DE IMAGENS DE RONY LESSA VISITANDO A CASA 58, DE BOLSONARO PAI?

    • Olá Eloy. Creio que você faz muitas perguntas. Na sua maior parte corretas. Se respondidas, haveria responsáveis. A polícia civil do RJ não tem interesse em resolver o caso. Se a PF “investigar”, o culpado será o porteiro, o neto dele, a Marielle e/ou o Anderson. Existem empresas que resolvem a charada em 4 dias. Mas elas precisam ter acesso a todo o sistema de segurança do condomínio. E uma perícia no(s) celular(es) do degenerado que ora ocupa o cargo de “presidente” seria decisiva. Nesta altura do campeonato tudo é difícil porque registros podem ter sido apagados ou manipulados. Mesmo assim eles podem ser recuperados. Entretanto, a portaria do condomínio está agora sob vigilância. Seus dados podem ser enquadrados na lei da segurança nacional. Algo parecido a “tudo o que nos dá grana, precisa ser protegido”. Enfim, num país governado por bandidos respaldados por idiotas, saídas criativas podem ter efeitos importantes. A empresa que fornece o sistema de vigilância e monitoramento pode ser consultada para responder a várias de tuas perguntas e de outros leitores do blog. Normalmente, essas empresas vendem hardware fabricado por outras na China e estas têm todas as informações sobre o software embutido. Um crowdfunding dirigido por técnicos pode resolver a tramoia do assassinato de Marielle e Anderson. É muito provável que a resposta esteja no condomínio onde o depravado que ora ocupa a presidência é condômino.

  15. Nassif,

    sem conhecimento do modelo do aparelho usado, bem como o software de gravação, fica difícil afirmar qualquer coisa. Fala-se em equipamento da Intebras. Se assim for, a empresa tem um software de gravação de conversas entre portaria e moradores. Manual do site da empresa:
    https://backend.intelbras.com/sites/default/files/2019-09/Manual_do_usuario_ICR_gravador_chamada_Impacta_03-19.pdf

    Não tem detalhes no manual, mas é possível conjecturar algumas coisas que aparecem no nome de cada arquivo de áudio conforme figura postada neste post. A primeira coluna* (da esquerda para a direita, separadas por “_”) talvez seja um identificador de arquivo (caso se tenha mais de um arquivo com mesmo nome) ou um identificador da unidade de gravação. A segunda coluna é a data, no formato ano/mês/dia. A terceira coluna é o horário de conversa (parece usar mais do que hora-min, deve ter subdivisões).

    Os indicadores Tx e Rx significam, respectivamente, transmissão e recepção. Acredito que Tx seja a transmissão da portaria para o condômino e Rx o contato iniciado por um condômino para a portaria. A coluna seguinte, após Tx ou Rx, é o número do ramal. Pela figura postada, o “número do ramal” está indicado pelo número da residência (o software permite configurar da maneira que quiser estes indicadores).

    Depois do ramal (número da residência) aparece a duração da conversa. Por fim, restam três grupos ou colunas. Pela interface do software (pdf do link acima) estas poderiam ser, respectivamente, Grupo, Contato e Identificador. Pela figura, o grupo parece ser sempre o mesmo; talvez algo indicando o condomínio. O software pode ser configurado para permitir mais de um contato, de modo que cada um recebe uma numeração. Por exemplo, 00001, acredito ser o contato principal associado a um dado ramal/residência. Pelo manual, um número no formato anterior está associado a um número de telefone do condômino, ou seja, a uma dada pessoa. Porém, pela figura postada, fica difícil especular sobre o identificador (última coluna), pois em todos arquivos aparece apenas 00, sugerindo que o restante está “cortado” (ou seja, não dá para ver, pois a coluna do Windows Explorer encobre o restante).

    (*) Coluna, usada neste texto, é um exagero, está equivocada, pois nomes de arquivos não estão em colunas, mas sim com subitens separados por _; falta-me uma expressão melhor. Por fim, do que entendi de sua pergunta, é o máximo que consegui.

  16. Nassif, algumas observações à partir da observação do camarada que viu que as datas são de modificação e não criação dos arquivos. 1. Na última linha me parece (não da pra ter certeza pela imagem) que tá marcando 17h. Acontece que na quarta linha de baixo pra cima o horário já tinha mudado para às 18h.
    2. Às 16h43 tem 7 chamadas diferentes. A portaria fez 7 chamadas para as casas no intervalo de 1 minuto? Não é estranho isso?
    Esses arquivos podem ter sido modificados, é preciso olhar com atenção todos os detalhes.

  17. Algumas observações à partir da observação do camarada que viu que as datas são de modificação e não criação dos arquivos. 1. Na última linha me parece (não da pra ter certeza pela imagem) que tá marcando 17h. Acontece que na quarta linha de baixo pra cima o horário já tinha mudado para às 18h.
    2. Às 16h43 tem 7 chamadas diferentes. A portaria fez 7 chamadas para as casas no intervalo de 1 minuto? Não é estranho isso?
    Esses arquivos podem ter sido modificados, é preciso olhar com atenção todos os detalhes.

  18. Nassif, algumas observações à partir da observação do camarada que viu que as datas são de modificação e não criação dos arquivos. 1. Na última linha me parece (não da pra ter certeza pela imagem) que tá marcando 17h. Acontece que na quarta linha de baixo pra cima o horário já tinha mudado para às 18h.
    2. Às 16h43 tem 7 chamadas diferentes. A portaria fez 7 chamadas para as casas no intervalo de 1 minuto? Não é estranho isso?
    Esses arquivos podem ter sido modificados, é preciso olhar com atenção todos os detalhes.

  19. Outra observação. Os horários (fora os da casa do Bozo e do Lessa) estão sempre nos 28, 43 e 58 minutos (16h28 / 16h43 / 16h58 / 17h28 / 17h43 / 17h58). Ninguém chega nesse condomínio às 16h40, 17h35, etc? Parece que alguém andou dando “control c control v” aí. Talvez pq precisavam fazer isso rápido e assim só precisavam modificar um dígito apenas.

  20. Nassif,
    vi numa live daquele rapaz uma foto do interfone, tirada por um parente dele, para provar que existe o sistema de interfonia. A foto é bem próxima e da para ver a marca, quiça o modelo. Me pareceu bem antigo.

  21. Se o bozo estava realmente em Brasília. Pode verificar em que vôos ele foi e voltou. E o uso do cartão de crédito. E verificar se a central disca para ramal ou telefone. Se telefone ele pode ter atendido em qualquer lugar.
    E se ramal, verificar quem tem a voz parecida com dele. Como normalmente o sistema de câmera de vídeo, grava em HD ele em alguns dias grava por cima. Mas pode ser que a pessoa que atendeu sabia onde era a reunião. E foi para lá.

  22. Façam o teste: Acabei de modificar a data do meu computador, coloquei na data de 14/03/2018 17:10, abri um arquivo que havia criado em agosto de 2019, modifiquei e salvei! A data que apareceu na coluna de “data de modificação” foi, adivinhem, 14/03/2018 17:10, coloquei a data do meu computdor em automático e a data do computdor voltou para a data atual! Mas o arquivo permaneceu como modificado em 14/03/2018. Interessante, não é?

  23. Olá Nassif se não me engano na época do assassinato de Marielle o senhor fez uma matéria sobre uma possível ligação deste com a intervenção militar; Agora o próprio Bolsonaro disse que pegou os arquivos de registros da portaria do condomínio e já se sabe que isso ocorreu a mais de um ano.
    Bolsonaro sabe que isso é totalmente ilegal, a alteração e ocultação de provas é crime; O seu desprezo pela elucidação, pelas manifestações do caso Marielle, pela sua figura, no vídeo que postou na Arábia, a jocosamente chamava de: Mariela !
    Aí está o porque de sua irascibilidade e de seus seguidos estratagemas de auto blindagem e também explica a agora proposta causuistica de se federalisar a investigação.
    Nassif sabendo que o mundo de Bolsonaro se limita somente a isso e as propostas de liberação do submundo miliciano, conseguiria você fazer uma releitura da conjuntura desde a intervenção demagogica e mal conduzida até agora nestes intreveros entre Witzel e Bolsonaro ?
    Obrigado

  24. A mim parecem apenas arquivo de som (Windows Media Audio – WMA) empilhados o que torna difícil saber o sistema utilizado apenas com base nisso.

  25. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome