Pesquisadores da UFRJ constroem protótipo de ventilador mecânico

Uma rede de empresas está sendo montada para iniciar a produção imediata, após a aprovação dos testes com pacientes e adequação às normas de segurança. Muitas empresas se apresentaram e algumas já vêm colaborando.

Por Ascom Coppe/UFRJ

Protótipo já está pronto, aguardando aprovação para testes;
produção pode ter início nas próximas semanas 
(Foto: Divulgação)

Pesquisadores do Programa de Engenharia Biomédica do Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ) estão desenvolvendo um protótipo de ventilador pulmonar mecânico para ser reproduzido em massa, de forma simples, rápida e barata, com recursos disponíveis no mercado nacional. Desenvolvido no Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular da Coppe, o equipamento poderá contribuir para suprir emergencialmente a crescente demanda dos hospitais por esses aparelhos, em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus.

A estimativa é que o Brasil necessitará, nas próximas semanas, de mais de 20 mil ventiladores pulmonares mecânicos para atender as pessoas que chegarão aos hospitais, principalmente os casos mais graves, de falta de ar e dificuldade de respirar por falta de força. A produção atual de ventiladores por empresas brasileiras é da ordem de dois mil por mês, e mesmo com a produção acelerada ao máximo, tais empresas não conseguirão atender à demanda.

No intuito de reduzir essa lacuna, pesquisadores do laboratório da Coppe iniciaram uma campanha para obter financiamento e parcerias com empresas, instituições privadas e públicas que possam viabilizar a produção desse protótipo, com rapidez e em larga escala. A iniciativa conta agora com a colaboração de pesquisadores de cinco programas de pós-graduação da Coppe, além de outras unidades da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e outras instituições de pesquisa do país. Várias empresas de grande porte têm se prontificado a ajudar no desenvolvimento, na distribuição e no financiamento dessa iniciativa.

Segundo o professor Jurandir Nadal, chefe do Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular da Coppe, uma versão preliminar do ventilador foi construída com recursos disponíveis no laboratório, envolvendo o emprego de válvulas solenoides e outras, e apresentaram um bom resultado em um modelo físico de pulmão, configurado em condições semelhantes aos pacientes acometidos de insuficiência respiratória.

Leia também:  SP não recebeu um único respirador do Ministério da Saúde, diz Doria

No momento, adaptações vêm sendo feitas para a construção de um protótipo mais adequado para a produção em escala industrial, o qual deverá ser testado em pacientes até a próxima semana, de acordo com a aprovação prévia de um comitê de ética em pesquisa com seres humanos.

“O ventilador pulmonar em desenvolvimento não pretende ser mais completo e versátil que os ventiladores de última geração disponíveis nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). Pelo contrário, é um recurso simples e seguro, porém emergencial, que deve ser utilizado somente quando não houver um equipamento padrão disponível, como pode acontecer em alguns locais durante a pandemia global”, explica o professor Nadal.

Parcerias fechadas e em negociação: próximos passos
Uma rede de empresas está sendo montada para iniciar a produção imediata, após a aprovação dos testes com pacientes e adequação às normas de segurança. Muitas empresas se apresentaram e algumas já vêm colaborando.

Postagem do coordenador do Laboratório de Engenharia Pulmonar
e C
ardiovascular, Jurandir Nadal, viralizou em rede social e a
formação de uma rede de apoio se multiplicou
 (Foto: Arquivo pessoal)

“Recebemos muitas ofertas e já estamos em negociação com várias empresas e instituições. Algumas estão entre as maiores do país. A Petrobras vem ajudando no desenvolvimento do modelo experimental, com a participação presencial de engenheiros de seu Centro de Pesquisas, o Cenpes. A Whirlpool (Brastemp/Consul) tem acompanhado dia a dia o desenvolvimento e teste de peças e prestado uma preciosa ajuda no contato e seleção de potenciais fornecedores. Vale e Firjan [Federação das Indústrias do Rio de Janeiro] se dispuseram a apoiar financeiramente o projeto, assim como o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], o Ministério da Saúde, o Ministério de Ciência e Tecnologia e o CNPq [Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico]. A Faperj já aprovou e liberou recursos para o projeto”, relata o professor.

Leia também:  Celso de Mello deve atender Moro e divulgar íntegra de reunião com Bolsonaro

Como acompanhar e contribuir
Uma apresentação mais detalhada do projeto está disponível em um site especificamente desenvolvido para o projeto (http://sites.google.com/peb.ufrj.br/ventiladorcoppe), no qual é possível saber detalhes do projeto, necessidades futuras, colaboradores atuais e outras informações. O site disponibiliza também uma ficha de cadastro para potenciais colaboradores.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome