Presidente do STF dá recado à Bolsonaro: ‘o poder que não é plural é violência’

Embora não tenha citado presidente de forma nominal, Dias Toffoli abordou os ataques recentes sofridos após suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem na PF

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Em recado claro ao presidente Jair Bolsonaro, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, citou Hannah Adendt ao afirmar que a discordância com as decisões da Corte devem ser expressadas por recursos legais, e não por agressões à corte.

“O poder que não é plural é violência. Na democracia, divergências são equacionadas nas vias institucionais adequadas, preestabelecidas na Constituição, a qual dita as regras do jogo democrático”, disse, na abertura da sessão do STF nesta quarta-feira (6), segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

O ministro ressaltou ainda que as “irresignações” contra decisões do STF devem ocorrer por meio previstos na legislação, “jamais por meio agressões ou de ameaça a esta instituição centenária ou a qualquer de seus ministros”.

Dias Toffoli também cobrou coordenação entre os entes das federações e os três poderes. “É momento de harmonia, de equilíbrio e de ação coordenada entre as instituições e os Poderes da República”, disse.

O relacionamento entre o Planalto e o STF foi afetado pela suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal, feita pelo ministro Alexandre de Moraes. Bolsonaro considerou a decisão “política” e questionou se Moraes chegou ao Supremo por ser amigo do ex-presidente Michel Temer.

 

Leia Também
Bolsonaro ao dizer “eu sou a Constituição”, assume um erro filosófico e psicológico, por Marcelo V. Miranda Barros
À espera do reencontro  com o Estado de Direito, por Acelino Rodrigues Carvalho
O cheiro do fascismo, por Tania Maria de Oliveira

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora