Sistema imunológico de contaminados e vacinados neutraliza as variantes perigosas do coronavírus

Segundo a pesquisa, ainda preliminar, o sistema imunológico destas pessoas gera diferentes tipos de glóbulos brancos que são capazes de minar as diferentes mutações do vírus, que estão se mostrando mais contagiosas e letais

Reprodução

Jornal GGN – Um estudo do Instituto La Jolla, nos Estados Unidos, mostra que o sistema imunológico de pessoas que já foram contaminadas pelo novo coronavírus ou as que receberam a vacina de RNA mensageiro contra a Covid-19, como as dos laboratórios Pfizer e Moderna, pode neutralizar todas as variantes perigosas do vírus: a britânica, a brasileira, a sul-africana e a nova versão detectada na Califórnia. As informações são do El País. 

Segundo a pesquisa, ainda preliminar, o sistema imunológico destas pessoas gera diferentes tipos de glóbulos brancos que são capazes de minar as diferentes mutações do vírus, que estão se mostrando mais contagiosas e letais. 

Para chegar aos resultados, o La Jolla focou em trunfos do sistema imunológico, “que são cruciais para orquestrar uma defesa completa”, destacou a reportagem. São dois tipos de glóbulos brancos, chamados CD4+ e CD8+. 

“O primeiro não serve tanto para combater o vírus diretamente, e sim para dar ordens a outras unidades do sistema imunológico para que produzam anticorpos. Eles também recrutam linfócitos citotóxicos capazes de identificar e eliminar as células já infectadas. O segundo tipo de glóbulo branco analisado produz moléculas antivirais que neutralizam o agente patogênico e também podem matar células contagiadas’, diz o texto.

O estudo analisou os níveis desses dois tipos de glóbulos brancos no sangue de 11 pessoas que se infectaram com o coronavírus entre julho e outubro de 2020, antes do surgimento das novas variantes, e de 19 pessoas que receberam vacinas de RNA. 

Em suma, foi constato que estes glóbulos brancos conseguem neutralizar com grande eficácia tanto o vírus “clássico” como as quatro novas variantes. “Estes dados significam ótimas notícias”, disse Alba Grifoni, coautora do estudo. “Os linfócitos reconhecem tanto as variantes anteriores como as novas. Isto quer dizer que, embora não evitem que você se infecte com o SARS-CoV-2, é plausível que salvem a pessoa de sofrer covid grave”, completou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora