STF acha que não é hora de ser “iluminista” e recua de julgamento sobre aborto

Estava previsto para o dia 22 de maio o julgamento de uma ação que pede a despenalização do aborto em caso de anomalia fetal decorrente de zika vírus

Charge: Aroeira

Jornal GGN – Estava previsto para o dia 22 de maio o julgamento de uma ação que pede a despenalização do aborto em caso de anomalia fetal decorrente de zika vírus, entre outros providências. Mas o Supremo Tribunal Federal decidiu retirar o processo de pauta e não há precisão de quando a discussão será retomada.

De acordo com o jornal O Globo, a maioria dos ministros apoiou a decisão de adiar indefinidamente o julgamento. O motivo? Eles entenderam que não é hora do Supremo ser “iluminista” diante do avanço das pautas conservadoras.

“A avaliação é que com o avanço de pautas conversadoras na opinião pública esse não seria o melhor momento para o Supremo exercer seu papel Iluminista. Tal postura se refere a decisões que, apesar de serem contra o que grande parte da população quer, são consideradas importantes para o avanço da sociedade.”

Enquanto o STF recua, no Congresso, a bancada religiosa, agora dona da chamada Frente Pró-Vida, avança com uma PEC (59/2015) que insere na Constituição o direito à vida desde o momento da concepção. Se aprovada na sua forma original, a PEC terá consequências sobre toda uma cadeia ligada aos direitos reprodutivos das mulheres, abrindo margem, ainda, para questionamentos sobre o uso científico de células troncos.

A proposta de emenda à Constituição já tem relatório pronto, que preserva o acesso ao aborto apenas em caso de estupro e riscos à vida da gestante. Há senadores da Rede tentando aprovar uma emenda para garantir o direito também em caso de anencefalia, seguindo jurisprudência do Supremo.

Leia também:  "Quem coloca governo em risco é Bolsonaro", diz Janaína em mensagem contra manifestações

Leia mais: PEC da Vida: O que diz o relatório da senadora Juíza Selma

No Twitter, a pesquisadora e antropóloga Debora Diniz, que participa no STF sobre os debates envolvendo a descriminalização do aborto, afirmou que o recuso da Corte deixa à revelia mulheres e crianças afetadas por Zika que precisa de assistência social.

O Supremo “ignorou que famílias não têm dinheiro, transporte, prótese ou estimulação precoce para muitas das crianças. STF ignora desamparo da vida das mulheres.”

 

5 comentários

  1. Odeiam o Lula, entre outras coisas, por falar portugues claro: estão todos “acovardados”.

    Prefiro as dançarinas…

  2. Nao se trata de iluminismo, mas sim de possuir capacidade para exercer o seu papel constitucional.
    Estes senhores e senhoras, que compõem a mais alta corte do Brasil, precisam ter em mente que ao fugir dos deveres estão fortalecendo a serpente mais traiçoeira parida no Brasil.

  3. Não é hora de ser iluminista? Seria hora de compactuar com o obscurantismo? Covardia simplesmente vergonhosa.

  4. O judiciário é o poder contra majoritário, ou seja, o poder que vai contra a maioria para proteger o indivíduo ou a minoria.
    Nesse caso, o supremo está dizendo que só protege o direito da minoria quando a maioria deixa.
    É preciso encontrar outros conceitos para definir o que acontece no Brasil. Isso aqui não é República, não é democracia, não é ditadura, não é Estado moderno, não Executivo/legislativo/judiciário. O Brasil é o país que não é.

  5. Mais uma demonstração de covardia

    Hoje foi descoberto que aquele que assassinou o delegado que investigava o assassinato do Teori, frequentava a mesma escola de tiro que o Adelio frequentou no mesmo momento que um dos lixofilhos frentava a escola

    stf se não prenderem a quadrilha de curitiba imeditamente, incluindo seu chefe, o Marreco de Maringá, ou serão impichados ou aviões vão cair ou vão meter balas na cabecinha de alguns juizes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome