Novo banco dos Brics para infraestrutura de emergentes

Jornal GGN – A Câmara dos Deputados aprovou ontem, quinta-feira (21), a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), uma iniciativa dos Brics para financiar projetos de infraestrutura públicos e privados, dos próprios membros do bloco e de outras economias emergentes.

O NBD será aberto a qualquer membro das Nações Unidas, mas os sócios fundadores terão poder de voto de pelo menos 55%. Além disso, individualmente, nenhum país terá o mesmo poder de voto de um país membro dos Brics.

O secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), Claudio Puty, comentou a decisão dos parlamentares brasileiros, dizendo que se trata de uma nova fonte para financiar projetos estratégicos do bloco. “O investimento em infraestrutura é essencial ao desenvolvimento e à retomada do crescimento econômico brasileiro”, disse. “É ainda mais relevante em um momento que o Brasil está prestes a lançar um plano de investimentos em infraestrutura”, complementou.

Os recursos da instituição poderão ajudar no financiamento público e privado de empreendimentos. Puty demonstrou particular otimismo com o interesse privado, ao reconhecer as limitações orçamentárias do investimento público. “Uma condição necessária ao planejamento de investimento de longo prazo é reconhecer os limites orçamentários que os países em desenvolvimento enfrentam. Assim é preciso buscar formas distintas e inovadoras de financiamento que combinem recursos públicos e privados”.

O acordo firmado entre os países do bloco autoriza o novo banco a operar com um capital de US$ 100 bilhões. O valor poderá ser alterado a cada cinco anos pelo Conselho de Governadores, órgão máximo da administração do NBD.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome