Coronavírus: Governo decide barrar a entrada de estrangeiros pelos aeroportos internacionais

Continua autorizada a entrada de brasileiros, nascidos ou naturalizados, e imigrantes com prévia autorização de residência brasileira

Foto: AP Foto/Andre Penner

Jornal GGN – Após 23 dias de ter sido confirmado o primeiro caso de coronavírus no Brasil, o governo decidiu restringir a entrada de estrangeiros de diversos país pelos aeroportos internacionais. A medida tem prazo inicial de 30 dias, que pode ser prorrogado, e passa a valer a partir de segunda-feira, 23 de março. 

A portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), nesta quinta-feira, 19 de março, bloqueia o acesso de estrangeiros da China, Coréia do Sul, Malásia, Austrália, países da União Europeia, Islândia, Noruega, Suíça, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte. 

Apesar da decisão, está liberada a entrada de brasileiros, nascidos ou naturalizados; imigrantes com prévia autorização de residência brasileira; profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional; funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo brasileiro; estrangeiro que se enquadre na hipótese de reunião familiar com cidadão brasileiro nato ou naturalizado que se encontre em território nacional; além de transporte de cargas.

Segundo o documento​ “a restrição de que trata esta portaria decorre de recomendação técnica e fundamentada da Anvisa por motivos sanitários relacionados aos riscos de contaminação e disseminação do coronavírus Sars-CoV-2”.

A medida acontece após de ser decretado o fechamento de fronteiras do Brasil com países da América do Sul, como medida de contenção contra a pandemia.

Passagem livre nos aeroportos internacionais 

Desde o começo da propagação do coronavírus, os passageiros que chegam do exterior ainda passam pelos saguões sem triagem. O protocolo de controle de temperatura é adotado por diversos países para conter o avanço da doença, mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou que “não há indicação de fazer qualquer tipo de controle de temperatura nos viajantes”. 

Além disso, a primeira vítima fatal de coronavírus no Rio de Janeiro, uma idosa de 63 anos, foi infectada por sua empregadora, que voltou de viagem do exterior e testou positivo para coronavírus. Se a empregadora tivesse sido devidamente colocada em quarentena desde que voltou ao Brasil, talvez a empregada não tivesse sido contaminada.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carlos Elisio

- 2020-03-20 17:23:49

Tambem vale destaque: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2020/03/20/sergio-trindade-cientista-brasileiro-do-ipcc-e-ganhador-do-nobel-da-paz-morre-aos-79-anos-vitima-de-covid-19-diz-agencia.ghtml Informando que: "..estado de Nova York concentra a maior parte dos registros de novo coronavírus nos Estados Unidos: eram 5.715 casos nesta sexta-feira (20), segundo a Universidade Johns Hopkins. O total de mortos chegou a 38", o artigo é finalizado com a decisão de Andrew Cuomo, governador do estado de Nova York, que "todos os funcionários de setores não-fundamentais da economia devem ficar em casa e proibiu aglomerações." E dentro de sua vassalagem humilhante, nosso D. João VI tupiniquim resolve abrir os aeroPORTOS do Brasil (país que apresenta evolução inicial da epidemia semelhante à italiana) apenas para os eua. Este sujeito ora no governo ignora seu compromisso constitucional e coloca seus interesses pessoais (incluso dos seus filhos) acima de sua responsabilidade com a saude de nossa população.

Lúcio Vieira

- 2020-03-20 17:10:56

Pelo que está acontecendo na Noruega, é bem possível que uma suposição que vinha sendo levantada, de que o vírus afeta bem mais aos idosos, pode ser que algumas medidas sejam tomadas. Na Noruega, jovens já são 32% dos internados em UTI com coronavírus e isto pode ter ligação com a boa infraestrutura de saúde do país, onde até agora, diferente da Itália, onde criou-se está suposição sobre os mais idosos. Na Itália faltavam leitos e no início priorizaram cuidados aos idosos. Como na Noruega ainda não há problema de leitos e estão internando todos que precisam, mostrou-se este grupo de 1/3 de jovens internados. O que farão por exemplo Brasil com tantos jovens e poucos leitos, quando for se alastrando mais o vírus? https://diogoschelp.blogosfera.uol.com.br/2020/03/20/na-noruega-jovens-ja-sao-32-dos-internados-em-uti-com-coronavirus/

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador