Telefônica oferece mais de R$ 20 bilhões pela GVT

Jornal GGN – O conselho de administração da Telefônica Brasil enviou proposta à francesa Vivendi, em conjunto com a controladora espanhola Telefónica, para a compra da Global Village Telecom (GVT). A oferta totaliza R$ 20,1 bilhões: R$ 11,962 bilhões à vista e o restante em ações representativas de 12% do capital social da empresa brasileira após a aquisição da GVT. 

Os recursos necessários ao financiamento, de acordo com o fato relevante, seriam obtidos mediante aumento de capital, com a subscrição pela Telefónica e demais companhias do grupo, na proporção das participações no capital da Telefônica Brasil.
 
Ainda como parte do processo, a Vivendi, que controla a GVT, terá o direito de adquirir 8,1% de participação na Telecom Italia. Atualmente, considerando a dissolução da Telco, holding majoritária no capital do gr upo italiano, a Telefónica possui cerca de 14,8% da Telecom Italia.
A oferta, válida até 3 de setembro de 2014,  está sujeita a obtenção das autorizações regulatórias aplicáveis, incluindo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Agência Nacional de T elecomunicações (Anatel).
 
A Vivendi confirmou à reportagem do jornal Valor Econômico ter recebido oferta pela GVT, mas enfatizou que nenhuma de suas subsidiárias está à venda. No entanto, a empresa informou que o conselho de administração vai analisar a proposta da Telefónica e tomar decisão em sua próxima reunião. A data do encontro, no entanto, não foi revelada.
 
Após o anúncio da oferta, as ações da Vivendi registravam alta de 3,46% na bolsa de Paris e eram cotadas a 19,56 euros. Já os papéis da Telefónica caíam 1,42% em Madri, negociados a 11,82 euros.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

    • Traduzindo:

      transformação de oligopólio festejado pela mídia corporativa, já que fruto da genialidade dos “gestores” tucanos, em monopólio que vai aos poucos tomar o lugar da mídia.

    • Pois é Assis, em pensar que

      Pois é Assis, em pensar que para empurrar a privatização goela abaixo da população a midia e a tucanagem promoveram a apologia à competição, os males de nossa telefonia eram frutos do monopólio estatal, com a privatização e o modelo Sergiano de competição chegariamos ao nirvana dos bons serviços a preços módicos, obtivemos exatamente o contrário, péssimos serviços a preços extorsivos, agora a roda da história gira e os último resquicio de um arremedo de competição vai sendo destruido e caminhamos céleremente de um oligopólio para um monopólio privado, tudo sob o olhar beneplácito e cumplice da agência reguladora, do ministério das comunicações e da mídia que foi a principal incentivadora e avalista da privataria.

      • Eu acho, só acho, que o PSDB

        Eu acho, só acho, que o PSDB saiu do poder já faz quase uns 12 anos. Quem manda na ANATEL e CADE é o PT, nenhum monopólio se formaria sem o consentimento do PT que autorizou a venda da Brasil Telecom para a OI…

  1. Sempre leio o blog e quase

    Sempre leio o blog e quase nunca posto nada!

     

    Mas não! Dessa vez não deu para segurar! Tudo menos isso! 

     

    A GVT é a única empresa decente de telefonia no Brasil. A única.

     

    Ir para as mãos da pior (ou uma das piores) será com certeza um atraso para o consumidor de telefonia no Brasil.

    • Concordo

      Concordo em gênero, número e grau.

      Já imagino a primeira coisa que a TeleAFÔNICA fará: desligar um mês as linhas para ‘remodernização’, como fizeram comigo em SP em 2002 (e ainda cobraram a conta normalmente!).

      Vou pular fora da GVT assim que isso for anunciado.

  2. Nao é monopolio

    É oligopolio. A GVT opera em áreas que a Telefonica nao opera, notadamente fora do estado de Sao Paulo.

    Como a Claro (celular, tv por assinatura, net) ultrapassou o faturamento da Telefonica aqui no Brasil, justamente por esta ter se mantido restrita a Sao Paulo, pode ser uma resposta – ainda mais que a Telefonica nao pode usar a rede da TIM para crescer fora do estado por causa da Vivo.

  3. Parecia que finalmente íamos

    Parecia que finalmente íamos ter uma boa concorrente no mercado de banda larga com a GVT, mas aí aparece esse abutre chamado Telefônica para estragar tudo.

    Quando eu tinha Ajato e a TVA ainda não era Telefônica, o serviço era muito bom. Quando a dita entrou no mercado e comprou o serviço, a coisa foi de mal a pior. Hoje, na mão da quase-morta Vivo, o que se desenha é um inferno.

    Eu esperava que a GVT chegasse ao meu bairro para migrar para o serviço de fibra ótica deles, mas se eles caírem nas garras da Telefônica, vou pensar umas dez vezes antes de fazer isso.

  4. Vende não GVT eles estão

    Vende não GVT eles estão ficando desesperando, pois estão perdendo mercado e vocês em breve vão crescer muito! Quanto mais concorrência, melhor para o povo! 

  5. E o Santander, tem alguma

    E o Santander, tem alguma coisa a dizer sobre? País naufragando, mercado podre, todo mundo fugindo daqui. São sugestões para os clientes “classe A”. Que tal?

  6. Reféns da Teleafônica

    Acho que não fariam a proposta se já não tivessem “mexido” os pauzinhos…..

    Se depender da Anatel, já está aprovado de antemão…..

    Dane-se o consumidor!

    O jeito vai ser a reabilitação do telégrafo ou do sinal por fumaça….

    É brincadeira?

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome