Após massacre, leis de armas serão revistas na Nova Zelândia

Após os ataques às mesquitas da Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern defendeu o endurecimento das leis sobre a venda de armas no país

Foto RFI

Jornal GGN – Após os ataques às mesquitas da Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern defendeu o endurecimento das leis sobre a venda de armas no país. Duas mesquitas foram sofreram ataques em Christchurch, terceira maior cidade da Nova Zelândia, e 49 pessoas perderam a vida. A matéria é da BBC Brasil.

Em coletiva de imprensa, a primeira-ministra garantiu que as leis de armas vão mudar, ‘a hora é esta’, disse ela. O principal suspeito pelo ataque, o australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, possuía cinco armas compradas legalmente.

Ardern classificou o massacre como ‘um ato de terror’. Disse ainda que só o fato de que o indivíduo obteve licença para armas e as adquiriu ‘me faz achar que as pessoas vão buscar mudanças, e eu estou comprometida com isso’, concluiu.

Aparentemente, as armas usadas no ataque foram alteradas e o carro usado pelo suspeito estava cheio de armamentos, o que pode indicar intenção de continuar o ataque.

A Nova Zelândia tem perto de 1,2 milhão de armas legais em posse de civis, o que equivale a uma arma para cada quatro pessoas no país. A idade mínima para possuir arma é de 16 anos, ou 18 no caso de armas semiautomáticas de estilo militar. Qualquer um acima dessas idades e considerado capaz pela polícia pode possuir uma arma de fogo. E, com a licença, pode-se comprar um número ilimitado de armas.

Leia a matéria na íntegra aqui.

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome