Revista GGN

Assine

Fora de Pauta

Nesta seção entrarão comentários pessoais levantando questões para discussão que ainda não foram abordadas pelo GGN.

A diferença do Clipping é que, aqui, contemplam-se as observações pessoais dos leitores, ainda que possam vir acompanhadas dos textos de terceiros que inspiraram a nota.

Clique no botão "adição rápida" para incluir seu post.

O que temos que saber sobre a grande guerra iminente

                       

O aumento estrondoso do orçamento das forças armadas americana que será divulgado amanhã, dia 27, indicará a existência de um plano de guerra.

A modernização do arsenal nuclear proposta nesse plano revelará o propósito de usar armas nucleares nessa guerra. Haverá revide.

O plano será de uma guerra do dia para a noite, em 72 h, talvez. O mundo terá esse tempo para se conscientizar, mobilizar e impedir a grande guerra.

Durante esses dias, haverá propaganda de guerra, censura e desinformação dificultando a contraofensiva.

As provocações FONOPS no Mar da China resultarão em um incidente cinematográfico.

  Leia mais »

Sem votos

A menina alemã, por Sergio da Motta e Albuquerque

 

A menina alemã

por Sergio da Motta e Albuquerque

No início dos anos 60 eu e minhas irmãs vivíamos, com nossos pais, em um condomínio fechado na Zona Norte do Rio de Janeiro. Lá vivia também uma família alemã. Uma casal idoso que trazia sua neta para brincar conosco. Não sei muito bem por quê: era gente fechada que não mantinha contato com nossos vizinhos. A casa deles era diferente, quase toda fechada, e parecia dizer à nós todos que eles queriam ficar ali sem ser incomodados.

Mas eu lembro que nós, eu e minha irmã mais velha, costumávamos frequentar a casa e brincar com a garota. Seu nome era Martine, e ela era neta do Sr. Franz e da Dona Katharina. Ela nunca conseguiu entender muito bem o Brasil. Fazia confusão, e acreditava que nós (eu e minha irmã) éramos uma gente meio árabe, meio espanhola. Eu ficava entretido com os devaneios e as interpretações teatrais de Martine sobre o que ela imaginava ser a minha família. Ela dançava, fingia tocar castanholas e representava um mundo que estava tão distante dela quanto o meu. Era divertido. E ela era bonita. Alta, loura e inteligente.

Leia mais »
Média: 4.3 (3 votos)

Brasileriros no exterior: Austrália

Visando fugir das sucessivas crises econômicas que de tempos em tempos assolam o Brasil, muitos brasileiros tem buscado no exterior oportunidades de trabalho, tem se dado bem no exterior, e revelam em seus vídeos como é a vida lá fora. Hoje em dia tem brasileiros vivendo em quase todos os pontos do planeta.

Média: 5 (1 voto)

A campanha infeliz da prefeitura de São Paulo

Seria uma campanha da Prefietura de São Paulo contra a violência no carnaval, mas o que se viu foi um festival de equívocos sobre como usar as redes sociais. Resultado, despertou a justificada ira das mulheres. O post já conta com mais de 1.100 comentários indignados, alguns deles: 

https://www.buzzfeed.com/clarissapassos/esta-postagem-da-prefeitura-de-sp-para-o-carnaval-foi-uma-se?utm_term=.moa8QdE5d&bffbbrazil#.mrewrAlWA Leia mais »

Sem votos

Contratempos de um profeta, por Gustavo Gollo

terminator.jpg

Por Gustavo Gollo

O ofício de profeta, com reiterada frequência, impõe a seus praticantes um tipo de embaraço que poderia ser apropriadamente chamado “o paradoxo do anti-sucesso” e que consiste no fato de necessariamente perder ao ganhar. O dilema pode ser ilustrado por Sarah Connor, personagem do filme “O exterminador do futuro”, aquele em que um robô vem do futuro com o propósito de matar a mãe do líder da resistência inimiga, ainda não nascido.

Tendo conseguido eliminar o poderosíssimo adversário, Sarah acaba encarcerada em um manicômio judiciário, onde alega ter lutado contra robôs futuristas. Sua derrota teria significado o fim da humanidade, sua vitória faz dela uma louca. "No fate but what we make", “nenhum destino exceto o que nós mesmos construímos” é o que será lavrado em sua lápide. Leia mais »

Média: 4.3 (12 votos)

O mito do 'investidor estrangeiro', por André Araújo

 
O mito do 'investidor estrangeiro'
 
por André Araújo
 
Alan Greenspan, o "maestro" do Federal Reserve System por 18 anos, passava horas na banheira lendo estatísticas da economia real: geladeiras, yougurt, pneus, caminhões, pão de hamburguer, todos dados da vida das pessoas lhe interessam. Tinha especial fixação por telhados, quantos telhados  foram vendidos na semana (nos EUA a construção se faz por conjuntos e não por peças). Era por estes indicadores que Greenspan tirava o pulso da economia que importava. Greenspan, que está com 90 anos, proporcionou o maior período contínuo de prosperidade dos EUA no pós-guerra, embora lhe atribuam culpa da crise de 2008, decorrência exatamente do excesso de confiança nessa prosperidade longa demais.
 
No Brasil, no oceano de ignorância sobre economia que domina a grande mídia, os únicos indicadores valorizados são os de câmbio e bolsa. Os comentaristas da Globonews são os mais rasos, para eles a economia se resume em câmbio e bolsa e, nesta última, o que interessa é o mítico "investidor estrangeiro". O padrão se repete em outras mídias, como a Jovem Pan, onde sua comentarista só conhece câmbio e bolsa, a economia se resume nisso. Na Globonews o comentarista  Donny di Nuccio, a qualquer observação sobre economia, replica "Ah, mas a bolsa subiu". Pronto, esta é para eles TODA a economia.  Na FOLHA de 19 de fevereiro de 2017, pag.A 23, um artigo "Mercado especula melhor nota do Brasil" mostra  esse viés de considerar o mercado financeiro como único indicador da economia brasileira.

Leia mais »

Média: 4.6 (30 votos)

Diferentes diferenças

A nomeação de Lula à Casa Civil, em março passado, tinha potencial para impedir o golpe parlamentar contra Dilma Rousseff. Tanto que foi sabotada, numa artimanha duplamente ilegal, e a conspiração teve êxito. Leia mais »

Sem votos

Enquanto espero a guerra

Há muitos anos venho divulgando meus temores de uma guerra contra a China em 2017. Percebi esse pesadelo em 2009 e venho escrevendo sobre o assunto desde 2011.

Sempre fixei a data de meus temores em 2017, frisando-a em todos os meus escritos sobre o tema. No início, os que me ouviam costumavam condescender com minha excentricidade e escutar com curiosidade as fantasias de um ficcionista. São já 8 anos durante os quais vejo o cerco se fechando, delineando o evento apocalíptico, com a polarização crescendo no mundo inteiro, o ressurgimento do fascismo e a demolição das fantasias democráticas onde vinham sendo úteis. Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Lula terá de lutar por sua candidatura, por Paulo Moreira Leite

Foto Ricardo Stuckert/Instituto LulaFoto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Sugestão de Fernando J.

no Brasil 247

Lula terá de lutar por sua candidatura

por Paulo Moreira Leite

A espetacular aprovação de Lula nas pesquisas eleitorais expressa o reconhecimento da população pelo seu desempenho como presidente -- mas não só.

Também mostra que, para uma grande parcela de brasileiros, Lula é o personagem decisivo para o país retornar ao Estado Democrático de Direito, o que pode ocorrer pelo respeito ao calendário eleitoral, que prevê eleições livres e diretas para presidente em 2018.

Este é o básico e, como é frequente em tempos turbulentos, também é o incerto.

Leia mais »

Média: 4.5 (16 votos)

Petrobras, a privatização branca, por André Araújo

 
Petrobras, a privatização branca
 
por André Araújo
 
A Petrobras foi criada em 1953 como um projeto de País, após  grande batalha política que mobilizou a população e o Congresso.
 
O objetivo era conseguir autonomia em petróleo, setor que até então era dominado pelas importadoras e distribuidoras estrangeiras Esso, Shell, Texaco, Gulf e Atlantic, antes havia também a Anglo Mexican, que foi grande fornecedora de gasolina ao Brasil nos anos 30.
 
O projeto foi portanto desde seu início estratégico e não financeiro, não havia ainda ideia da existência de grandes reservas de petróleo no País, a visão geral é a de que não havia jazidas importantes mas uma empresa estatal poderia ao menos fazer importação, a tancagem e o refino no País, que até então importava o combustível refinado, era o maior gasto em divisas de nossa balança de importação, sob controle exclusivo das "majors".

Leia mais »

Média: 5 (22 votos)

Return to forever, Chick Corea

Sem votos

Sobre a guerra iminente: resumo dos fatos

A única grande promessa (ou ameaça) de campanha ainda não cumprida pelo presidente americano é a mais bombástica de todas elas: as sanções contra a China.

Alguns dos principais assessores do presidente americano clamaram publicamente por ações enérgicas contra a China, defendendo o impedimento de acesso dos chineses a suas ilhas, e a inexorabilidade de uma guerra iminente contra a China.

O próprio presidente alardeou, sem explicitar o alvo, a defesa de uma guerra surgindo do dia para a noite.

Os americanos anunciam o propósito de executar FONOPS em águas chinesas. FONOPS consistem na liberdade de esfregar porta-aviões e destroyers no nariz de quem eles bem entendam.

  Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Pré-sal já responde por 46% da produção de óleo e gás

Enviado por Aracy Balbani

do Laboratório de Química do Estado Sólido da UNICAMP:

Pré sal já responde por 46% da produção de óleo e gás

A produção de petróleo aumentou em quase 8% no ano passado, com um novo recorde no mês de dezembro: 2,73 milhões de barris/dia. Já o volume de gás natural extraído teve um incremento de 11,3%, com uma média de 111,8 milhões de metros cúbicos diários no último mês do ano passado. Já a produção de petróleo equivalente (petróleo e gás natural) nos campos nacionais fechou dezembro de 2016 em aproximadamente 3,43 milhões de barris de óleo equivalente por dia.

Mais uma vez, o Campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, com extração média de 710 mil barris/dia de petróleo e 30,8 milhões de barris diários de gás natural. Aliás, os 68 poços produtores na região do pré sal da Bacia de Santos já respondem atualmente por quase a metade da produção nacional de petróleo e gás natural: 46%.

Leia mais »

Sem votos

Conspiração

É inútil esperar grandes revelações sobre o episódio que vitimou Teori Zavascki. Jamais saberemos toda a verdade, seja pelas dificuldades técnicas e materiais de qualquer apuração do tipo, seja porque a improvável descoberta de indícios criminosos dificilmente chegaria aos seus eventuais autores, menos ainda aos mandantes. Leia mais »

Sem votos

Nada de tão novo sob o sol, apenas mais um sintoma de nosso fracasso civilizacional...

Artigo do grande Lênio Streck lista as razões pelas quais a indicação do Alexandre Moraes para o supremo (minúsculas mesmo, por favor) não deveria nos surpreender tanto assim; muito pelo contrário.

 

http://www.conjur.com.br/2017-fev-09/senso-incomum-21-razoes-pelas-quais-temer-acertou-alexandre-moraes-stf

Sem votos

Número de usuários dos planos de saúde continua caindo em 2017

Atualização dos números da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), divulgada hoje, revela que o número de beneficiários de planos de assistência médica privada continua encolhendo no país. Houve redução de 192,2 mil beneficiários dos planos no mês de janeiro de 2017 em comparação a dezembro de 2016. Mesmo grandes operadoras, como Amil, Bradesco Saúde e Central Nacional Unimed, têm sido atingidas.

Em poucos Estados (Acre, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pernambuco, Piauí, Roraima e Sergipe) não se verificou tendência de queda na clientela dos planos médicos.

Falta a imprensa esmiuçar como andam a remuneração e as condições de trabalho dos prestadores de serviços médicos, e se os beneficiários estão satisfeitos com a qualidade do atendimento que recebem.

 

http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/numeros-do-setor/3745-beneficiar... Leia mais »

Imagens

Sem votos

A armadilha da Bolsa de Nova York, por André Araújo

A armadilha da Bolsa de Nova York

por André Araújo

O Brasil é o 2º pais estrangeiro em número de companhias listadas na Bolsa de Nova York, com 33 empresas, sendo o Canada o 1º com 80 empresas. É um numero surpreendente, o Brasil tem mais companhias que o Reino Unido e a França, grandes economias desenvolvidas. Não tem muita lógica e tem imensos riscos que poucos perceberam na hora da alegria de bater o martelo em Wall Street.

Parte das companhias brasileiras listaram suas ações por uma questão de prestígio mas com isso entram numa zona de altíssimo risco de se submeterem à jurisdição do Governo americano, risco que provavelmente não foi avaliado nos festejos de sua listagem, toda a diretoria em Nova York, a batida do martelo televisionada, é a gloria. Depois vem a conta.

A direção da Bolsa de Nova York fez campanhas no Brasil para conseguir empresas daqui para se listarem nessa Bolsa, ícone do capitalismo,  a Bolsa onde começou a Grande Depressão de 1929, hoje uma sociedade anônima com fins lucrativos e que precisa de clientes. Dois presidentes da Bolsa vieram ao Brasil para aliciar empresas daqui e pelo visto tiveram sucesso. Trinta e três companhias brasileiras listaram suas ações em Nova York, um número desproporcional ao tamanho da economia do Pais.

Leia mais »

Média: 4.6 (18 votos)

Uma moeda estável em um país instável, por André Araújo

 
Por André Araújo
 
A implantação do Plano Real foi realizada por economistas ideológicos fundamentalistas neoliberais, mas com sólida formação e bom nível profissional. Escrevi dois livros A ESCOLA DO RIO e MOEDA E PROSPERIDADE de crítica a essa  ideologia então aplicada ao Brasil, raiz de nosso males de hoje pelas distorções que instalou ao trocar de moeda sem corrigir os desequilíbrios que causavam a inflação.
 
A inflação é a febre e não a doença, trocou-se de moeda sem curar a infecção. Mas devo respeitar o gabarito intelectual de Gustavo Franco, Edmar Bacha, André Lara Resende, Pérsio Arida e outros da equipe do Real, tinham uma política e a puseram de pé. 
 
Hoje, o mesmo fundamentalismo neoliberal, fora de moda em todo mundo civilizado, está sendo aplicado a frio no Brasil por cérebros de muito menor calibre e que levarão o País a uma crise social e política no limiar de uma guerra civil.

Leia mais »

Média: 4.5 (25 votos)

Século XXI, tecnomisticismos, outros delírios e a guerra, por Gustavo Gollo

 

Século XXI, tecnomisticismos, outros delírios e a guerra

por Gustavo Gollo

Singularidade

Estamos prestes a presenciar a singularidade, um fenômeno tecnomístico extraordinário, o maior evento que veremos em nossas vidas. A designação “singularidade”, de fato, é bastante inapropriada ao fenômeno; singularidades matemáticas são “infinitos pontuais”, pontos estreitos com valores desmesurados, mais apropriada ao evento seria a designação “divergência”.

Paul Dirac inventou uma maneira de lidar com as singularidades, mas não há como lidar com divergências, de modo que as divergências abandonam a área da matemática derramando-se para territórios místicos. Enquanto as singularidades são infinitos controláveis, divergências são infinitos brutais, turbilhonados e incontroláveis. O turbilhão prestes a nos engolir é desse tipo, como um furacão brutal arrastando tudo para dentro de seu olho. A intensidade desse fenômeno parece depender da distância que nos situamos dele, os que permanecem distantes ainda nem o percebem, mas ele logo arrastará tudo.

Leia mais »

Média: 5 (7 votos)

Os 15 dias de luto que Moro não deu a Lula são um favor ao ex-presidente

Tijolaço

Os 15 dias de luto que Moro não deu a Lula são um favor ao ex-presidente

 

savonamoro

Sérgio Moro, com todos os seus títulos, é um homem de sérias limitações intelectuais – talvez porque o vício de usar, toda hora, a tal “cognição sumária” para mandar prender –  o impeça de pensar com mais profundidade.

O seu pensar e o seu agir são mecânicos, movidos pela ideia fixa da vaidade e dominados pelo papel que, a seu ver, é o que o torna querido.

E o torna, mesmo, mas pelos homens e mulheres de coração mau, que por sorte da humanidade, ainda são e serão minoria. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Caso Siemens, o caso Odebrecht alemão

Sem votos

Trump em duzentos anos de história, por André Araújo

 
Trump em duzentos anos de história
 
por André Araújo
 
 Em 1817, duzentos anos atrás, o General argentino San Martin atravessou os Andes (em 19 de janeiro) para libertar o Chile do jugo espanhol. Parece que foi há milênios, mas duzentos anos é pouquíssimo tempo. Eu mesmo ja vivi mais de um terço desse período, quem passou dos cem anos atravessou metade dessa era histórica que revolucionou a humanidade, duzentos anos é pouco tempo na História.
 
Nesses duzentos anos o mundo mudou completamente. Há duzentos anos não existiam os países hoje conhecidos como Itália e Alemanha, o Japão estava trancado em uma letargia feudal, a África Negra era conhecida apenas como fornecedora de escravos, no Brasil Colônia o tráfico negreiro era o principal negócio da economia, os EUA eram um país inexpressivo e sem importância, a França ressurgia da Revolução apagada pela Restauração Bourbon com Luis XVIII reinando em Versailles ainda como monarca absolutista.

Leia mais »

Média: 3.9 (43 votos)

O que está acontecendo no Mar da China?, por Gustavo Gollo

O que está acontecendo no Mar da China?

por Gustavo Gollo

Os Estados Unidos possuem uma gigantesca rede de bases militares espalhadas pelo mundo inteiro, especialmente em torno da Rússia e da China. Em vista disso, a China decidiu erigir um anel de defesa em torno de seu território, tendo construído, nos últimos anos, um conjunto de bases navais no Mar da China. Essas bases chinesas foram feitas em ilhotas recém ocupadas, em área marítima reivindicada também por outros países.

Tendo a China ocupado as ilhotas, os americanos trataram de insuflar os vizinhos contra as ocupações, conseguindo inicialmente um posicionamento enfático das Filipinas e a condenação chinesa, pelas ocupações, por parte de um tribunal europeu, em um julgamento desconsiderado pela China. Logo em seguida, a diplomacia chinesa resolveu magistralmente o conflito, de maneira absolutamente pacífica, levando os filipinos a abdicar de suas pretensões e demonstrando a inconveniência do intrometimento do tal tribunal (que tinha baseado sua decisão em um acordo internacional repudiado pelos EUA, aliás).

Leia mais »

Média: 5 (18 votos)

Que reputação mais ilibada e que grande saber jurídico (!!!) :

Aqui:

https://jornalistaslivres.org/2017/02/professor-da-ufmg-acusa-alexandre-...

Na Alemanha vários ministros foram afastados porque usaram os senhores Ctrl-C e Ctrl-V como assistentes em seus trabalhos de formação e pós-graduação....

Pode isso aqui, Nassifão ?!

Acho que em algum ano futuro, o time formado por Ctrl-C, Ctrl-V, Ctrl-N, Ctrl-X vai levar o prêmio Nobel em todas as categorias !!

Aliás, existem diversos softwares detectores de plágio por aí.

Média: 5 (1 voto)

O espírito de Jim Jones. A escolha (as motivações de Temer - hipóteses), por Sérgio Medeiros

O espírito de Jim Jones... A escolha - as motivações de Temer

por Sérgio Medeiros

(advirto esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, factos ou situações da vida real terá sido mera coincidência)

A cúpula do PMDB,  instalada no Senado da República é o principal alvo da Lava Jato seletiva de Moro/Deltan, e,  porque não, de outro de seus mentores e condutores, o atual Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes (tendo este, inclusive, em determinada oportunidade antecipado a prisão de um dos investigados, no caso, a de Palocci).

Deste modo, face a máxima que dispõe que “o diabo sabe mais por ser velho que por diabo”, tal situação mostra-se inexplicável, frente a constelação de raposas que hoje tomaram conta do poder.

Leia mais »

Média: 5 (9 votos)

A Cerimônia do Adeus e o luto de Lula, por Sérgio Medeiros

A Cerimônia do Adeus e o luto de Lula

por Sérgio Medeiros

Simone de Beauvoir  “Isso se vive, e é tudo

A Cerimônia do Adeus não se resume a um ato que se dá em meio a um silêncio entrecortado por rezas, ela serve para engrandecer a imagem e a trajetória dos indivíduos em sua despedida do convívio dos homens. Quem tem algo a dizer e sabe a melhor forma de fazê-lo, perpetua a figura pranteada não somente na memória dos presentes, mas na história, esta imensa memória coletiva.

Simone de Beauvoir, se dedicou, após a morte de Jean Paul Sartre, não somente a prestar uma breve homenagem, mas a escrever um livro, onde descrevia os últimos anos de vida dele. A este livro foi dado o nome de “A Cerimônia do Adeus”.

Leia mais »

Média: 4.6 (10 votos)

Doria faz o que Haddad nunca fez

Embora tenha feito do transporte público uma das bandeiras de sua gestão, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) nunca foi de ônibus de casa para o trabalho, mesmo tendo sido aconselhado por amigos; nesta segunda-feira 6, seu sucessor, João Doria (PSDB), tido como marqueteiro, tomou um ônibus da periferia - do Terminal Capelinha, na Zona Sul, por volta das 6h - em direção ao Terminal Bandeira, no centro; Haddad nunca se arriscou a ir do Paraíso, onde mora, à Prefeitura, por considerar demagogia; com seu estilo midiático, Doria vai se tornando um dos políticos mais populares nas redes sociais Leia mais »

Sem votos

Marisa (una ninna nanna)

MARISA

É Marisa que amanhece

Quando a noite vai findar

É Marisa que as correntes

Nunca vão poder parar

E Marisa está tão triste

Quem dera eu pudesse achar

Sonhos sobre a quente areia

Pétalas do negro mar

Os caminhos se encontram

Noite de lua tão rara

As correntes se arrebentam

E Marisa se prepara

Moça dos cabelos louros

Fonte, poço, sumidouro

É Marisa que adormece

Sob a espuma de Yemanjá

https://www.youtube.com/watch?v=zB0IRl326gY

 

 

Sem votos

Parem a guerra!

A estratégia do presidente americano será bombástica e sem precedentes, uma guerra estourando essa noite, de imediato, tentando pegar a todos de surpresa (a surpresa se refere à opinião pública americana e à mundial, já que chineses e russos estão a postos). O ataque fulminante deve varrer a superfície da China e a da Rússia com um grande sopro nuclear.

Por essa razão, o mundo inteiro deve se colocar atento, na expectativa do plano de reformulação das forças armadas dos EUA; um aumento significativo na dotação orçamentária do país significará o desejo de guerra; a modernização das armas nucleares sinalizará o desejo de usá-las em breve. (Qual pode ser o propósito de dobrar o orçamento das forças armadas?)

Virá também a grande ameaça à paz, na forma de um bloqueio às ilhas chinesas, uma ação inaceitável para a China; este será o pretexto para o ataque. Leia mais »

Média: 5 (2 votos)