Revista GGN

Assine

Operação Lava Jato

Petrobras aprova acordo para voltar a negociar com a Carioca Engenharia

petrobras_tania_rego_abr_0.jpg
 
Foto: Tania Rego/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Ontem (25), a diretoria executiva da Petrobras autorizou a assinatura de um termo de compromissos com a Carioca Engenharia, com uma série de obrigações que permitirão que a companhia volte a participar de licitações da estatal. O acordo permitirá a retirada do bloqueio cautelar que estava em vigor desde dezembro de 2014.
 
A Carioca Engenharia conseguiu assinar o termo após ter fechado um acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF), além de ter adotado um conjunto de medidas, com um programa de integridade “em conformidade com a legislação anticorrupção e constituído de pontos de melhoria específicos estabelecidos pela Petrobras e sujeitos a verificação contínua”, afirmou a estatal. 

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

No governo Temer, Lava Jato encolheu e teve redução de recursos

temer_moraes_beto_barata_pr.jpg

Foto: Beto Barata/PR

Da Agência Pública

 
por Patrícia Figueiredo 
 
Checamos dados sobre orçamento e agentes envolvidos na operação de 2014 até março deste ano; números contestam afirmação do ex-ministro da Justiça Alexandre de Moraes

“Nós – pelo menos no período em que assumi o ministério – reforçamos a Lava Jato com mais delegados, mais agentes, mais peritos, mais orçamento.” – Alexandre de Moraes, durante a sabatina realizada no Senado, em 21 de fevereiro, que aprovou seu nome para assumir o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Aécio, o queridinho dos operadores da Lava Jato, por Marcelo Auler

aecio_neves_jose_cruz_abr.jpg

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Do blog de Marcelo Auler

Aécio, o queridinho dos operadores da Lava Jato

por Marcelo Auler

Em 18 de outubro de 2014, no Facebook, acima de diversas fotos do candidato à presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, rodeado de vistosas mulheres, o delegado de Polícia Federal, Igor Romário de Paulo, chefe da Delegacia Regional do Combate ao Crime Organizado (DRCOR) no Paraná, apontado pelo agente Dalmey Fernando Werlang como autor da ordem para instalar um grampo ilegal na cela que receberia o doleiro Alberto Youssef, postou em um grupo fechado:
 
“Este é o cara!”.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Obstrução, corrupção e organização criminosa: o inquérito contra Temer no STF

temer_nao_renuncia_lula_marques_agpt.jpg
 
Michel Temer em pronunciamento na tarde de ontem. Foto: Lula Marques/AGPT
 
Jornal GGN - O inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Michel Temer, o senado afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado também afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-RJ) aponta indícios de três crimes: organização criminosa, obstrução de justiça e corrupção passiva. 
 
O pedido de investigado foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e aceito por Edson Fachin, ministro do Supremo responsável pela relatoria de casos relacionados à Operação Lava Jato, com base nas informações obtidas pela delação de Joesley Batista, do grupo JBS. 

 

“Foram efetivamente apresentados alguns elementos de prova que indicam a possível prática de crimes por parte do presidente da República, Michel Miguel Elias Temer Lulia, do atual deputado federal Rodrigo Santos da Rocha Loures, do senador Aécio Neves da Cunha e de outras pessoas a eles ligados, mas não detentoras de foro por prerrogativa de função", diz o documento assinado por Rodrigo Janot, procurador-geral da República. 

Leia mais »

Imagens

Média: 5 (2 votos)

O alvo final é Lula, por Mauro Santayana

lula_curitiba_ricardo_stuckert.jpg
 
Foto: Ricardo Stuckert
 
Do blog de Mauro Santayana
 
 
por Mauro Santayana
 
Aqueles que estão soltando foguetes que nos desculpem, mas não nos colocamos entre os que comemoram, efusivamente, as últimas notícias. 
 
Moralmente e por uma questão de princípios em defesa da democracia, quem está contra os casuísmos e arbitrariedades jurídico-investigativas da Operação Lava Jato no caso de Lula, tem que se manter contra esse tipo de coisa também quando o atingido é o campo adversário.
 
Até mesmo porque parte, e faz parte da estratégia, de quem tem Leia mais »
Média: 3.6 (9 votos)

Donos do golpe iniciam a demissão de Michel Temer, por Rui Costa Pimenta

 
Foto: Beto Barata/PR
 
Donos do golpe iniciam a demissão de Michel Temer
 
por Rui Costa Pimenta
 
A gravação publicada nesta quarta-feira à noite pela TV Globo não deixa margem a dúvidas. Os donos do golpe iniciaram a demissão do homem contratado para levar adiante o impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.
 
A luta contra o golpe de Estado reduziu a pó o governo golpista. Sua popularidade tornou-se uma quantidade negativa. Suas “reformas” contribuíram para a ampliação do repúdio aos golpistas e para a revolta da população. A economia continua em queda livre com quase 14 milhões de desempregados e 9 milhões de subempregados. A greve do dia 28 e o movimento que colocou a Lava Jato em xeque completam o quadro de decomposição do governo e do regime.

Leia mais »

Média: 5 (8 votos)

Além de determinar afastamento, Fachin proíbe Aécio de deixar o país

aecio_010_-_lula_marques_agpt_0.jpg
 
Foto: Lula Marques/AGPT
 
Jornal GGN - O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), além de determinar o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) de seu mandato e de qualquer outra função pública, também proibiu o parlamentar de deixar o país e também de falar com qualquer outro investigado ou réu no processo.
 
“Os mandados de prisão de Andrea Neves da Cunha, irmã de Aécio, e dos demais, além do mandado de intimação a Aécio para informá-lo das medidas cautelares, deveriam ser feitos com "a máxima discrição e menor ostensividade", escreveu Fachin em sua decisão, também determinando que o tucano entregue seu passaporte.  Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Advogados de Lula expõem abusos da Lava Jato em Berlim, por Flávio Aguiar

berlin2.jpg

Foto: Divulgação

Da Rede Brasil Atual

 
Em seminário na Universidade Livre de Berlim, Valeska Martins, Geoffrey Robertson e John Watts mostraram, inclusive, que judiciário brasileiro ainda adota métodos herdados do período da Inquisição
 
por Flávio Aguiar

Abrindo uma ação em que alegam que o ex-presidente Lula é alvo de perseguição judicial no Brasil, ou lawfare, na expressão internacionalmente consagrada, três dos advogados do ex-presidente estiveram em Berlim, nesta segunda-feira (15) – Valeska Teixeira Zanin Martins, que representa Lula no Brasil, Geoffrey Robertson e John Watts, cujo escritório em Londres representa o ex-presidente perante o Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos em Genebra.

Leia mais »
Média: 5 (7 votos)

A falsa narrativa de que Lula culpou dona Marisa, por Milly Lacombe

lula_marisa_ricardo_stuckert.jpg

Foto: Ricardo Stuckert

Enviado por nilo filho

Do blog da Milly
 
 
por Milly Lacombe

Eu poderia ter aproveitado meu sábado para ler Irmãos Karamazov de cabo a rabo, assistir O Leopardo e Doutor Jivago na sequência, ou quem sabe ficar vendo vídeos das vitórias e dos gols do Corinthians ao longo dos anos, mas o que fiz foi rever o depoimento de Lula a Sergio Moro.

O que me moveu a executar tarefa tão estúpida não foi apenas a falta do que fazer em um sábado, mas o tsunami de emoções que me invadiu depois que vi a capa da Veja e a propaganda de dia das mães das lojas Marisa, que cruzam fronteiras morais que jamais deveriam ser cruzadas em um mundo minimamente decente e humanizado.

Leia mais »
Média: 4.4 (21 votos)

Judiciário vai pagar caro por atração pelos holofotes da mídia, diz Rogério Favreto

rogerio_favreto_guilherme_santos_sul_21.jpg

Foto: Guilherme Santos/Sul 21

Do Sul 21

‘O Judiciário vai pagar muito caro por esse momento de atração pelos holofotes da mídia’

Marco Weissheimer 

No dia 22 de setembro de 2016, a Corte Especial do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve, por 13 votos a um, o arquivamento de uma representação contra o juiz federal Sérgio Moro encaminhada por um grupo de advogados contra o magistrado que conduz os processos da Operação Lava Jato. Na avaliação desses advogados, Moro teria cometido ilegalidades ao violar o sigilo de gravações de conversas telefônicas envolvendo a então presidenta Dilma Rousseff e vazar essas conversas para meios de comunicação. Além disso, questionaram a realização de interceptações telefônicas sem autorização judicial. Na ocasião, o relator do processo, desembargador Rômulo Pizzolatti, rejeitou o pedido alegando que a Lava Jato constituía “um caso inédito no Direito brasileiro, com situações que escapam ao regramento genérico destinado aos casos comuns”.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

O desmonte da engenharia nacional, por Francis Bogossian

ponte_rio_niteroi_arthur_boppre_wikimedia.jpg

Foto: Arthur Boppré/Wikimedia Commons

Do Clube da Engenharia

Desmonte da engenharia nacional

por Francis Bogossian

O combate à corrupção é essencial e deve ser mantido, mas preservando ao máximo as empresas como um todo
 
Francis Bogossian
Jornal O Globo - 12/05/17 - Opinião
 
A engenharia nacional está sendo desmontada. A situação do país é extremamente preocupante! Não me lembro de uma época tão atribulada quanto esta.
 
Não há investimentos e nem perspectivas para o setor de obras públicas, a curto prazo. O déficit dos governos federal, estaduais e municipais é monumental. Há dívidas do setor público para com as entidades privadas.
 
A crise que assola o Brasil exige que se busque um consenso em torno de soluções, tendo por base o interesse nacional. Não existe nação forte sem empresas nacionais fortes.
Leia mais »
Média: 3 (4 votos)

Xadrez dos autos de delação de dona Candinha Mexericos

gif_lava_jato.gif

Autos da Delação de Candinha Mexericos na ação promovida no ano de graça de 2027 pela Procuradoria Geral da República contra Persigo Janota, Egrégio Mouro e os ex-procuradores da Lava Rápido por crime de lesa-pátria.

Dona Candinha foi interrogada de acordo com os métodos desenvolvidos pela Lava Rápido em 2017, a partir do relevante depoimento de Crônica Moura, esposa do marqueteiro de Dilma -- "´Dilma não confia em ninguém e acha todo mundo burro´, diz delatora”" (https://goo.gl/L0srs1) – que definiu um novo padrão de delação, aprimorando em muito a adaptação dos ritos judiciais às pautas da imprensa da época.

Naquele momento, redefiniu-se toda a jurisprudência e os inquéritos ganharam, finalmente, a área nobre de onde nunca deveriam ter saído: as páginas de celebridades e de fofocas dos jornais.

Leia mais »

Média: 4.7 (44 votos)

Lula não se valeu da morte de Marisa para lhe fazer imputações, por Janio de Freitas


lula_depoimento_ricardo_stuckert.jpg
 
Foto: Ricardo Stuckert
 
Jornal GGN - Em sua coluna de hoje (14) na Folha de S. Paulo, o jornalista Janio de Freitas refuta a tese, defendida pela imprensa, de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se valeu da morte de Marisa para lhe fazer imputações.
 
Janio conta um caso de sua experiência pessoal sobre a personalidade de Marisa, que seriam coerentes com a iniciativa de negociações por um apartamento, bem como a insistência contra a recusa de Lula pelo imóvel. 
 
“Com Marisa ainda saudável, os mesmos que apontam a exploração de sua morte publicaram, como vazamentos e entrevistas, esta informação agora relegada: a compra e pagamento por Marisa, em uma cooperativa de bancários, de cotas de um futuro imóvel”, ressalta Janio.
Leia mais »

Média: 4.5 (17 votos)

Fachin prepara inquérito sobre delações da Odebrecht que citam Judiciário

fachin_senado_federal.jpg
 
Foto: Senado Federal
 
Jornal GGN - É destaque na coluna Painel da edição de hoje (14) da Folha de S. Paulo que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) mantém sob sigilo delações da Odebrecht que citam integrantes do Poder Judiciário. 
 
Entre os 25 pedidos de inquérito da Procuradoria-Geral da República que ainda não foram divulgados por Fachin, estão informações de delatores sobre nomes da Justiça e também seus parentes.
 
Segundo a Folha, os inquéritos já causam “insegurança” no Tribunal de Contas da União (TCU) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Leia mais »

Média: 4.3 (10 votos)

Investigados na Lava Jato, parlamentares não acreditam que serão cassados

congresso_nacional_brasileiro.jpg
 
Foto: Lucas Barreto Rodrigues
 
Jornal GGN -  Senadores e deputados investigados pela Operação Lava Jato não acreditam que terão seus mandatos cassados e a maior parte deles afirma que pretende se reeleger em 2018.
 
De acordo com levantamento realizado pela Folha de S. Paulo, 21 congressistas veem abusos na atuação do juiz Sergio Moro e 24 afirmam que há problemas na atuação do Ministério Público Federal. 
 
No total, 84 parlamentares são investigados com base em pedidos realizado por Rodrigo Janot, procurador-geral da República. 

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)