Pesquisadores brasileiros repudiam nota técnica da Saúde que exalta cloroquina

Os profissionais exigem que a nota técnica elaborada anteriormente pelo Conitec, que trata do enfrentamento da pandemia baseando-se na ciência e na seriedade, seja utilizada como norte

Divulgação – Exército Brasileiro

Jornal GGN – Os docentes, profissionais da saúde e pesquisadores brasileiros que, junto com a população, se desdobraram no enfrentamento à pandemia de Covid-19, repudiam a nota técnica da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos da Saúde do Ministério da Saúde. Na nota técnica, com assinatura de Hélio Angotti Neto, secretário. Na nota, há a exaltação à hidroxicloroquina, como solução eficaz e barata, e apontamento de que a vacina não é efetiva, e é cara.

Os profissionais exigem que a nota técnica elaborada anteriormente pelo Conitec, que trata do enfrentamento da pandemia baseando-se na ciência e na seriedade, seja utilizada como norte pelos agentes de saúde.

Leia a carta a seguir e, ao final, a nota técnica em questão.

Nós, docentes, profissionais de saúde e pesquisadores brasileiros, vimos pelo presente documento mostrar nosso repúdio à publicação da NOTA TÉCNICA Nº 2/2022-SCTIE/MS pela Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, que trata da FUNDAMENTAÇÃO E DECISÃO ACERCA DAS DIRETRIZES TERAPÊUTICAS PARA O TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA COVID-19 (HOSPITALAR E AMBULATORIAL):

  1. Os profissionais de saúde, os pesquisadores e toda a população brasileira, que, unidos,  mantivemos nosso País funcionando mesmo nas situações mais críticas, demos o melhor de nós frente ao desafio representado pelo enfrentamento da pandemia de COVID-19. ;
  2. Contribuímos significativamente para elaborar medidas voltadas ao manejo das pessoas adoecidas, para o desenvolvimento de protocolos eficazes de tratamento, para o desenvolvimento e teste de vacinas e para o entendimento dos efeitos da COVID-19 em diferentes órgãos e sistemas.
  3. Os esforços de nossos profissionais da linha de frente e de nossos pesquisadores tornaram possível o tratamento de milhares de pessoas afetadas, bem como auxiliaram a colocar nosso País entre os centros de pesquisa do mundo que mais contribuíram para o entendimento da COVID-19 (7287 publicações indexadas na plataforma Web of Science até 22/01/2022);
  4. Neste cenário, nos sentimos perplexos quando lemos a vasta lista de estultices apresentada pela nota técnica em epígrafe. Resumidamente, a nota rejeita as normas de tratamento recomendadas por pesquisadores e médicos com experiência no tema, em favor de tratamentos não validados. Para facilitar o leitor sugerimos ir ao documento original (http://conitec.gov.br/images/Audiencias_Publicas/Nota_tecnica_n2_2022_SCTIE-MS.pdf) e observar a tabela da página 24, que, em nosso entender, é um exemplo primoroso de desinformação em saúde, ao apontar evidências conclusivas de efeitos positivos da cloroquina e negar a certeza dos benefícios das vacinas. Causa enorme preocupação o fato de que as rédeas do Ministério da Saúde estejam sob a posse da ideologia, da desinformação e, principalmente, da ignorância. O comportamento do Ministério da Saúde transgride não somente os princípios da boa Ciência, mas avança a passos largos para consolidar a prática sistemática de destruição de todo um sistema de saúde;
  5. Considerando o acima exposto, solicitamos de forma urgente que as normas de tratamento hospitalar e ambulatorial da COVID-19, elaboradas pelo grupo representativo de especialistas convocados pelo Ministério da Saúde e aprovadas pela CONITEC, sejam adotadas pelo Ministério da Saúde em benefício da Saúde do povo brasileiro.
jornalggn.com.br-pesquisadores-brasileiros-repudiam-nota-tecnica-da-saude-que-exalta-cloroquina-nota-tecnica-n2-2022-sctie-ms

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Edivaldo Dias de Oliveira

- 2022-01-23 15:11:02

Essa nota da Secretaria de Ciência e Tecnologia do MS é um documento valioso de auto incriminação, quando essa canalha for para no banco dos réus. Que não se perca.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador