“The Man In The High Castle”: os nazistas ganharam a guerra?, por Wilson Ferreira

Em uma realidade alternativa, Hitler e o príncipe Hiroito ganharam a II Guerra Mundial, invadiram os EUA e dividiram o país em dois estados totalitários controlados pela Alemanha e Japão. Mas grupos de resistência possuem um filme documentário de origem misteriosa que mostra a História tal qual conhecemos: a vitória dos Aliados, o Dia D e a derrota do Japão na guerra do Pacífico. Qual será a verdadeira realidade? A dos EUA divididos? A do filme documentário? E se as imagens históricas da II Guerra Mundial que conhecemos forem estratégias de propaganda que, na verdade, ocultam que todos nós vivemos em uma outra realidade alternativa? Esse é o jogo gnóstico proposto pelo piloto da série televisiva “The Man In The High Castle”, baseada no premiado livro homônimo de 1962 do escritor de ficção científica Philip K. Dick. Assista nesse post o piloto da série.

Título: The Man in The High Castle (2015, série de TV)

Diretor: David Semell

Plot: Em uma realidade histórica alternativa, as potências que formavam o Eixo (Alemanha e Japão) ganharam a II Guerra Mundial em 1945. Com a derrota dos Aliados, os EUA foram divididos em três partes: um Estado fantoche do Japão chamado Estados do Pacífico da América (incluindo o Oeste dos EUA e Montanhas Rochosas), um Estado fantoche nazista na metade oriental dos EUA e uma zona neutra que age como um intermediário entre as duas áreas chamado de Rocky Mountain States. A série inicia em 1962, focando os grupos de resistência ao regime que tentam sobreviver ao distópico Estado totalitário.

Por que está “Em Observação”? – Duas informações sobre a produção da série já bastam para chamar a atenção do olhar gnóstico desse blog: a série é baseada no livro homônimo do escritor de ficção científica Philip K. Dick (conhecido pelos estranhos sci fi sobre a natureza maleável da realidade e da percepção – sobre o escritor clique aqui) e o produtor executivo é Ridley Scott, diretor de uma outra adaptação no cinema de outra obra de K. Dick, o clássico Blade Runner – O Caçador de Androides de 1982.

O piloto da série produzida pela Amazon Studios foi lançado em 15 de janeiro e novos episódios da primeira temporada já foram prometidos pela empresa, sendo liberados ao longo desse ano.

Com um tom sombrio e bem estilizado, a narrativa do piloto da série se passa em 1962. Os motivos da derrota dos Aliados e a invasão dos EUA pelos japoneses e nazistas são apenas sugeridos nesse primeiro episódio: fala-se em bombas nucleares que teriam sido desenvolvidas na frente pelas forças do Eixo e flashs rápidos de invasões aéreas nos EUA. No livro de K. Dick a derrota dos EUA teria sido devida a política isolacionista durante a II Guerra e a incapacidade dos governos em reverter a Grande Depressão econômica.

Também no episódio piloto acompanhamos o início de uma crise diplomática entre Japão e Alemanha que poderá conduzir a uma III Guerra Mundial: Hitler está doente e incapacitado de governar. Inicia-se uma luta interna de poder entre Goebbels e Himmler, cuja meta principal é se livrarem do Japão através de uma solução nuclear.

Mas o grande mistério que certamente será o fio condutor da série são as cópias de um rolo de filme que os pequenos grupos de resistência tentam levar para a “Zona Neutra”. O filme chama-se “O Gafanhoto Torna-se Pesado”, numa clara alusão que K. Dick faz de uma passagem do livro bíblico do Eclesiastes: “Como também quando temerem o que é alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua casa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça” (Eclesiastes 12:5).

O espectador perceberá que o misterioso filme é um documentário com imagens que mostram cenas históricas que todos nós conhecemos sobre a vitória dos aliados na II Guerra: o Dia D e a invasão da Normandia, a vitória dos EUA contra o Japão na guerra do Pacífico, a invasão das forças aliadas Alemanha e destruição dos prédios nazistas etc.

Com isso, a série oferece um desafio para o espectador: Se as forças do Eixo ganharam a guerra naquele mundo alternativo, de que realidade refere-se aquelas imagens do filme documental? O que é realidade e ficção? Será que as imagens que conhecemos dos livros de História e dos filmes documentários que vimos na TV e no Cinema não passariam de estratégias de propaganda para esconder uma estranha realidade? Quem é o “Homem do Alto Castelo” que supostamente produziu o filme?

Ou o filme “O Gafanhoto Torna-se Pesado” é um aviso de que tudo aquilo não passa de uma realidade alternativa do qual os protagonistas devem fugir? No episódio, um dos membros da resistência referem-se o rolo de filmes como “a saída”.

>>>>>>>>>>Leia mais>>>>>

Leia também:  8 filmes para entender a ditadura militar no Chile, por Bárbara Vida

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. O problema dessas séries

    O problema dessas séries americanas é que os produtores vão esticando cada vez mais a trama pra ganhar $$$, até que a coisa fique totalmente sem sentido, a audiência desabe e a série seja encerrada.

     

  2. Distopias

    Li o livro, uma pequena obra prima , talvez o PKD  em sua melhor hora.

    Outra obra que faz a hipótese de uma vitoria nazi (esta na Europa) é Fatherland, de Robert Harris.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Fatherland

    Esse foi igualmente transposto para a tela com Rutger Hauer, como Xavier March, e  Miranda Richardson no papel Charlotte Maguire.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome