O protesto na frente da Rede Globo, em São Paulo

Por Marco Antonio L.

Do Portal Terra

Protesto contra Rede Globo complica trânsito em São Paulo

O grupo carregava cartazes com mensagens contra a corrupção e pedindo melhorias no transporte público

Manifestantes protestam em frente à Rede Globo em São Paulo Foto: Fernando Borges / Terra

Manifestantes protestam em frente à Rede Globo em São Paulo Foto: Fernando Borges / Terra

Um grupo de manifestantes fez um protesto na tarde desta sexta-feira em frente ao prédio da Rede Globo em São Paulo. Por volta das 17h, cerca de 30 pessoas se reuniram na avenida Doutor Chucri Zaidan, onde a emissora está localizada na capital paulista. O grupo carregava cartazes com mensagens contra a corrupção e pedindo melhorias no transporte público.

“Esse movimento é apartidário. É voluntário. Ninguém aqui é de partido nenhum. E isso vai aumentar como aumentou em outros países, você pode ter certeza. São Paulo, talvez, como centro maior, vai chamar a atenção da presidente”, disse um dos manifestantes. 

O grupo tentou marchar em direção à portaria 2 da Rede Globo, localizada na avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, mas os policiais impediram. Os manifestantes, então se concentraram na rua Evandro Carlos de Andrade. Durante o protesto, a via ficou com ocupação total, próximo à avenida Doutor Chucri Zaidan, sentido bairro. Os manifestantes se dispersaram por volta das 19h40.

O protesto se confirmou após informações que circularam nas redes sociais de que uma manifestação aconteceria em frente à Rede Globo nesta tarde. O ato, no entanto, não havia sido confirmado pelo Movimento Passe Livre (MPL), que tem organizado os protestos contra o aumento da tarifa do transporte público na capital paulista. 

Com a possibilidade de o protesto ocorrer, algumas empresas localizadas próximas ao prédio da Globo liberaram seus funcionários mais cedo. Foi o caso da multinacional HP, na qual um comunicado, assinado pelo próprio presidente da HP no Brasil, Oscar Clarke, pedia para que os funcionários deixassem o prédio “impreterivelmente” até as 15h, quando o escritório seria fechado. 

Trânsito ficou intenso na região da TV Globo
Com a iminência do protesto, o trânsito na região da avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini ficou complicado desde as 16h. O fluxo intenso também afetou a Marginal Pinheiros e a Marginal Tietê. Por volta das 19h30, a lentidão em toda a capital paulista chegou a 240 quilômetros.

Um outro protesto realizado na avenida Paulista na tarde de hoje reuniu vários manifestantes. Eles protestavam contra a Copa do Mundo e a Copa das Confederações. A manifestação se concentrou no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e de lá seguiu em direção à Rua da Consolação. Três faixas da Avenida Paulista foram interrompidas pela presença dos protestantes. O ato foi organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Os participantes do protesto levaram faixas com dizeres como “Copa pra quem?”, “Pelo direito à cidade”, “Copa é prioridade, Brasil?” e “Bilhões para Copa e migalhas para o trabalhador”. Por volta das 19h, o movimento tinha se disperçado pacificamente.

Foto: Fernando Borges / Terra


Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome