Caos humanitário na Bahia sofre nova escalada, com mais três mortes; agora são 24 óbitos

Polícia Rodoviária Federal fecha dez estradas prejudicadas pelas chuvas, e governo de Alagoas envia tropa de auxílio

Alagamentos são comuns entre o rastro deixado pela enxurrada na Bahia – Camila Souza/GOVBA

do Brasil de Fato

Caos humanitário na Bahia sofre nova escalada, com mais três mortes; agora são 24 óbitos

Cristiane Sampaio – Brasil de Fato | Fortaleza (CE)

A calamidade que castiga a população baiana por conta das fortes chuvas sofreu nova escalada. Agora são 24 mortos e 141 municípios atingidos, dos quais 132 continuam em situação de emergência. Também aumentou o número de feridos, de 358 para 434, e a quantidade de pessoas afetadas: de 471.786, o número subiu para 629.398.

Foram três mortes confirmadas nesta quarta-feira (29), sendo duas de um casal que teve o carro arrastado pelas chuvas em São Félix do Coribe e a outra de um homem que vivia em Ubaitaba e foi atropelado por um motorista que teve a visibilidade prejudicada pela tempestade.

::Saiba como ajudar as mais de 471 mil pessoas afetadas pelas enchentes na Bahia::

Ao todo, 13 municípios já registraram óbitos. São eles: Amargosa (2), Itaberaba (2), Itamaraju (4), Jucuruçu (3), Macarani (1), Prado (2), Ruy Barbosa (1), Itapetinga (1), Ilhéus (2), Aurelino Leal (1), Itabuna (2), São Félix do Coribe (2) e Ubaitaba (1).

Os novos dados, contabilizados na tarde desta quarta (29) pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), dão conta ainda de 37.324 desabrigados e 53.934 desalojados.

As estatísticas resultam do cenário caótico em que se encontra o estado, que vem registrando tempestades desde o começo deste mês, principalmente no Extremo Sul.

Na manhã desta quarta, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fechou dez estradas prejudicadas pelas chuvas, com destaque para a BR-101, a mais afetada, com cerca de cinco pontos interditados.

Segundo dados da Secretaria de Infraestrutura do Governo da Bahia (Seinfra), há mais de 40 pontos rodoviários atingidos desde que começaram as chuvas no estado.

::Gilmar Mendes defende responsabilização de agentes públicos por omissão em casos de enxurradas::


Inundações deixaram município de Itamaraju em cenário de alagamento, com pertences dos moradores jogados para fora das casas / Mateus Pereira/Governo Bahia/AFP

Força-tarefa

O combate ao caos humanitário gerado pelas enchentes conta com auxílio de outros estados do país. Nesta quarta (29), o governo de Alagoas despachou para o estado vizinho um grupo de quatro militares do Corpo de Bombeiros que deverá ajudar no transporte de comida, remédios e profissionais de saúde, bem como no deslocamento de agentes dos bombeiros e da Defesa Civil da Bahia que estejam atuando na contenção da crise.

A ideia é que a aeronave também atenda ocorrências de resgate em caso de necessidade. A equipe deve operar nas cidades de Feira de Santana, Itabuna e Ilhéus, que estão entre as localidades afetadas.

O socorro disponibilizado pelo governo alagoano é parte de um conjunto de outras ações adotadas por estados que enviaram ajuda à Bahia após a piora do quadro de chuvas. Governos do Maranhão, de Goiás e São Paulo, por exemplo, destinaram homens do Corpo de Bombeiros.

Mais de 15 estados anunciaram o envio de ajuda. No sábado (25), por exemplo, o Ceará deslocou 25 bombeiros, seis viaturas e uma aeronave para o território baiano. A ideia é que a tropa fique no local por tempo indeterminado.

Edição: Vinícius Segalla

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador