Após registrar queda nas pesquisas, Russomanno muda discurso e diz que apoia vacina chinesa

Segundo DataFolha, candidato à Prefeitura de São Paulo recuou de 27% para 20% nas intenções de voto

Celso Russomanno (Republicanos) | Foto: Câmara dos Deputados

Jornal GGN – Após o candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) recuar de 27% para 20% nas intenções de voto, segundo a pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 22, o político decidiu afastar seu discurso das opiniões de Jair Bolsonaro (sem partido), que vem apoiando sua campanha.

Em uma clara contradição, agora, Russomanno afirma que, caso seja eleito, fará convênio com o Instituto Butantan para a compra da vacina chinesa, produzida no Brasil em parceria com a farmacêutica Sinovac, contra Covid-19.

A declaração foi dada nesta sexta-feira, 23, após o DataFolha mostrar que a rejeição do candidato do Republicanos também disparou de 29% para 38%. Agora, a posição do político descola do discurso de Bolsonaro, rejeitado por 46% dos paulistas.

Em uma guerra travada contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que apoia a vacina chinesa, Bolsonaro chegou afirmar que não compraria o imunizante nem se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dar a autorização.

Mas, nesta manhã, o candidato apoiado por Bolsonaro decidiu mudar de posicionamento. “Não sou contra a vacina. Disse que se aprovada pela Anvisa, faria uma campanha imensa de conscientização, mas não obrigaria as pessoas. Sou favorável ao que a ciência determina”, afirmou.

Já em entrevista à Veja, Russomanno ainda disse que não concorda totalmente com Bolsonaro. “Eu concordo com Bolsonaro em algumas coisas; em outras tenho opinião própria. Quem vai governar São Paulo é o Celso Russomanno”, pontuou.

Com informações de O Globo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora