Xadrez sobre a falsificação de documentos na Lava Jato, por Luís Nassif

O livro-bomba sobre a Lava Jato, prometido pelo doleiro espanhol Tacla Duran, começa a dar frutos.

Tacla é o doleiro cuja declaração de renda comprovou pagamentos a Rosângela Moro, ao primeiro amigo Carlos Zucolotto e a Leonardo Santos Lima.

Alguns capítulos do livro ficaram por alguns dias no site de Tacla. No livro, ele diz que a delação da Odebrecht teve vários pontos de manipulação, com a montagem de documentos, provavelmente por pressão dos procuradores, atrás de qualquer tipo de prova contra Lula.

O juiz Sérgio Moro facultou apenas aos procuradores da Lava Jato o acesso ao banco de dados especial da Odebrecht. Aparentemente, os procuradores entram lá e pinçam apenas o que interessam.

Analistas foram atrás das dicas levantadas por Tacla e quase todas se confirmaram.

Mais que isso: há indícios de que alguns dos documentos foram montados.

Evidência 1 – extrato da Innovation tem somas erradas.

Evidência 2 – os extratos com erros são diferentes de outros extratos do mesmo banco apresentados em outras delações.

Evidência 3 – os extratos originais do banco apresentam números negativos com sinal -, ao contrário do extrato montado, em que eles aparecem em vermelho.

Evidência 4 – a formatação das datas de lançamento é totalmente diferente de outros documentos do banco, que seguem o padrão americano: Mês/Dia/Ano.

Evidência 5 – a formatação nas datas de lançamento é idêntica ao da planilha PAULISTINHA, preparada por Maria Lúcia Tavares, a responsável pelos lançamentos no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht.

Evidência 6 – nos anexos da delação de Leandra A. Azevedo consta ordem de pagamento, com data de 28 de setembro de 2012, de US$ 1.000.000,00 da conta da Innovation para a Waterford Management Gourp Inc. Mas no extrato bancário supostamente montado, a transferência consta como saída de 27 de setembro de 2012, ou seja, antes da ordem de pagamento.

Agora, se coloca o juiz Sérgio Moro em situação complicada. Como pretende julgar o processo sem facultar o banco de dados da Odebrecht à defesa, para se identificar os documentos falsificados e os verdadeiros.

2017-09-19 23:26:48

102 comentários

  1. Esperemos

    Claramente o  blog tem como meta desconstruir a imgem pública do juiz de curitiba investigando supostos malfeitos do agente da justiça. Louvável o trabalho jornalístico que certamente  será alicerçado pela ética e isenção..Assim acreditamos, pois será a única maneira de  se alcançar  visiibilidade perante o grande público.

    • Acredito que a intenção do

      Acredito que a intenção do blog não é desconstruir a imagem de ninguém, mas sim procurar as verdades por trás de vários indícios de que elas mínguam. A desconstrução da imagem de alguém viria como consequência, e não como objetivo. Seria o contrário da justiça lavajatense, onde primeiro têm o objetivo (demonizar e prender Lula) e depois se lançam em frenética tentativa de empunhar provas de qualquer maneira. 

  2. Tacla Duram.

    Prezado Nassif, Vc. tem expertise financeiro suficiente para saber até onde poderá ir uma boa investigação patrocinada por Duram. Faça um pequeno sacrifício, mais um e, procure demonstrar para esse bando de “Jecas”, parlamentares da dita oposição, ou ainda a auto intitulada “Resistência” mandando contratar advogados no exterior ( o do Lula na ONU já serve), levando o Duram para cortes internacionais, tendo como base os contratos de colaboração internacional assinados com o Brasil. Seria muito bom os nossos parlamentares saberem de que, na mesma proporção da existência de experts para abrirem contas bancárias ditas secretas, também existe esperts para descobrirem essas mesmas contas. Faça um sacrifício , sei não ser fácil. Aproveita, sugira a formação um grupo de trabalho parlamentar misto para auditarem todos os processos da tal Lava Jato, verificando quanto e por onde anda todo dinheiro bloqueado e, ou pago por acusados merecedores das delações premiadas. Não custaria nada a esse grupo de trabalho, sugerir maior supervisão nas importâncias aprendidas em operações da PF, para saber a quantas anda, para onde mandam o dinheiro, quanto arrecadaram, fizeram peritagens para saberem tratar-se de dinheiro verdadeiro, tato Reais, ou moedas estrangeiras; Onde ficam depositadas as moedas estrangeiras, será que ainda confiam não haver trocas, amanhã ou depois as boas viram notas falsas. Comum no Brasil trocarem elementos de provas, quando se trata de valores. Saudações…

  3. O vermelho pode ser a

    O vermelho pode ser a impressão em pretô e branco ou colorida., mas se tiver o original vai perceber que o vermelho tende a ser um pouco mais claro.

    Quanto às outra observações,  principalmente dos comentários,  não há dúvida que o documento não tem credibilidade. 

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome