Pacheco decide instalar CPI do MEC

Os trabalhos da CPI, no entanto, só devem começar no final do ano, após as eleições

Jefferson Rudy/Agência Senado

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), decidiu instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ministério da Educação (MEC). A decisão foi tomada nesta terça-feira (5) durante reunião com líderes da Casa. 

O requerimento para criação do colegiado deve ser lido pelo autor, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em sessão rápida no plenário, após a ordem do dia, até o fim desta semana.

Randolfe afirmou que irá acionar o Supremo Tribunal Federal se o presidente da Casa não ler o documento até amanhã (6).

Pacheco já havia demonstrado preocupação com a criação da Comissão às vésperas das eleições, já que a tendência é que o Senado fique esvaziado durante o período eleitoral, que começa oficialmente em agosto, 

Com isso, os trabalhos da CPI só devem começar no final do ano, após o pleito previsto para outubro, seguindo a manifestação do União Brasil, PL, PSC, Podemos, PSD, Republicanos e PDT. Mas, em contrapartida, MDB, PT e Rede querem a instalação já no próximo mês. 

Durante a reunião também foram acordadas as instalações de outras CPIs. Uma delas também tem como alvo o MEC, sobre obras paradas na pasta. Também foi dado o aval para a CPI do crime organizado, para apurar a atuação de facções criminosas. 

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Corrupção no MEC

A ação acontece em meio às investigações da Polícia Federal (PF) sobre o envolvimento do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, e pastores evangélicos próximos de Jair Bolsonaro (PL), que teriam cobrado propina de prefeitos para facilitar a liberação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). 

Ribeiro e dois pastores chegaram a ser presos no último dia 22, mas um desembargador do Distrito Federal mandou soltá-los

O caso ainda ganhou novos contornos, após vir a público uma ligação de Ribeiro à sua filha, onde revelou que Bolsonaro teria alertado sobre uma possível operação da Polícia Federal (PF), que de fato ocorreu. O telefonema foi interceptado pela PF e divulgado pelo O Globo.

Leia também:

Prisão de Milton Ribeiro é lembrete a Bolsonaro: se perder nas urnas, poderá ser o próximo

Com 31 assinaturas, CPI do MEC é protocolada no Senado

CPI do MEC: Saiba quem são os senadores que assinaram o requerimento

STF decreta sigilo em inquérito sobre ligação de Bolsonaro no escândalo no MEC

Milton Ribeiro ofereceu cargo no MEC para pastor suspeito de corrupção

Bolsonaro acumula mais de 20 escândalos de corrupção. Confira a lista

Jornal GGN produzirá documentário sobre esquemas da ultradireita mundial e ameaça eleitoral. Saiba como apoiar

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Luiz alberto Melchert de Carvalho e Silva

- 2022-07-05 15:42:42

Isso é o mesmo que decidir proteger o maior entre os culpados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador