GGN Covid Especial: taxa de mortalidade desabou no mundo

Em 4 grandes economias: Estados Unidos, China, Japão e Brasil, mostrava, em meados de outubro de 2021, uma taxa 5 vezes maior que a atual.

Agência Xinhua

Seja pela vacina, seja pelas novas cepas, o fato é que a taxa de mortalidade (medida pela relação óbitos/casos) despencou no mundo.

Os gráficos abaixo foram calculados dividindo-se o número de óbitos pelo de casos e multiplicado por 100 (para facilitar a leitura). Como há uma defasagem entre os casos e os óbitos, incluí uma diferença de 14 dias entre elas.

Confira a taxa em 4 grandes economias: Estados Unidos, China, Japão e Brasil. Repare que, em meados de outubro de 2021, a taxa era mais que 5 vezes maior que a atual.

Mesmo assim, repare que a taxa brasileira é das mais elevadas.

Essa queda se revela em todos os continentes.

Num ranking dos dados de ontem, comparando a média de óbitos com a média de casos de 14 dias atrás, a lliderança é do Timor e da Nigéria, com dados expressivos.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

foo

- 2022-05-18 16:53:30

Boa análise, Nassif. Se puder inclua a taxa de ocupação hospitalar, pois este era o ponto crucial quando falávamos em "achatar a curva" da COVID. A ideia não era impedir que as pessoas ficassem doentes, mas distribuir os casos ao longo do tempo para não sobrecarregar o sistema de saúde.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador