Repetidos reforços de vacina não são estratégia viável contra novas variantes, diz OMS

“É improvável que uma estratégia de vacinação baseada em doses repetidas de reforço da composição original da vacina seja apropriada ou sustentável”

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertam que a repetição de doses de reforço das vacinas originais contra o Covid não é uma estratégia viável contra variantes emergentes e pedem novas vacinas que protejam melhor contra a transmissão. A notícia é do The Guardian, jornal inglês.

“É improvável que uma estratégia de vacinação baseada em doses repetidas de reforço da composição original da vacina seja apropriada ou sustentável”, disse o Grupo Técnico Consultivo da OMS sobre Composição da Vacina Covid-19 (TAG-Co-VAC) em comunicado publicado na terça-feira.

O grupo de especialistas, que trabalha para avaliar o desempenho das vacinas, pediu o desenvolvimento de novas vacinas que não apenas protejam as pessoas que contraem a Covid contra adoecimento grave, mas também impeçam melhor as pessoas de pegar o vírus, para lidar com variantes emergentes do Covid, como o Ômicron.

“As vacinas Covid-19 que têm alto impacto na prevenção de infecção e transmissão, além da prevenção de doenças graves e morte, são necessárias e devem ser desenvolvidas”, disse o grupo consultivo.

Com isso, haveria uma diminuição na transmissão comunitária e baixaria a necessidade de medidas sociais e de saúde pública rigorosas e de amplo alcance.

O grupo também sugeriu que os desenvolvedores deveriam se esforçar para criar vacinas que “provocam respostas imunes amplas, fortes e duradouras, a fim de reduzir a necessidade de doses de reforço sucessivas”.

À medida que o vírus evolui e até que novas vacinas estejam disponíveis, “a composição das vacinas atuais contra o Covid-19 pode precisar ser atualizada”, disse o grupo.

Segundo a OMS, 331 vacinas candidatas estão sendo trabalhadas em todo o mundo. A agência de saúde da ONU até agora deu seu selo de aprovação a versões de oito vacinas diferentes.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador