Após acusar Ramos de compra de apoio no Congresso, ministro do Turismo é demitido

Marcelo Álvaro Antônio teria acusado o ministro-chefe da Secretaria de Governo de usar a pasta como moeda de troca em apoio no Congresso

Foto: Isac Nóbrega/PR

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir, nesta quarta (09), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. As razões divulgadas pelo noticiário são divergências junto ao ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, acusando o general de usar a pasta como moeda de troca em apoio no Congresso. A exoneração não foi publicada oficialmente.

De acordo com a CNN e o Estadão, Marcelo teria enviado uma mensagem a Ramos em um grupo de WhatsApp, que participam os ministros, listando suas atuações em prol de Bolsonaro e do governo e chamando Luiz Eduardo Ramos de “traíra”.

Na mensagem, segundo o jornal, o ministro do Turismo falou em “altíssimo preço” que o governo Bolsonaro estaria pagando por “aprovações insignificantes” no Congresso, para obter apoio de parlamentares em favor de Bolsonaro.

“Não me admira o Sr Ministro Ramos ir ao PR pedir minha cabeça, a entrega do Ministério do Turismo ao Centrão para obter êxito na eleição da Câmara dos Deputados”, teria escrito Marcelo Álvaro Antônio, segundo a CNN.

Após o episódio, Jair Bolsonaro encontrou-se com o ministro, na tarde desta quarta (09), no Palácio do Planalto, para anunciar a demissão. Álvaro Antônio deve reassumir seu mandato como deputado federal pelo PSL de Minas e, segundo os jornais, o mais cotado para assumir o posto seria o presidente da Embratur, Gilson Machado.

 

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Edivaldo Dias de Oliveira

- 2020-12-09 18:18:39

Caia atirando, queremos ver aquilo no ventilador.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador