Bolsonaro disse que exame de Covid-19 poderia levá-lo a impeachment, diz jornal

Na manhã de hoje, o presidente afirmou que já está nas mãos do ministro Ricardo Lewandowski os exames do novo coronavírus, que ainda não foram divulgados

Foto Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro entregará os seus exames de Covid-19. A medida foi uma determinação da Justiça Federal de São Paulo e do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3). Na manhã de hoje, o presidente afirmou que já está nas mãos do ministro Ricardo Lewandowski os exames do novo coronavírus. O resultado, se Bolsonaro se contagiou ou não, ainda não foi divulgado.

O caso estava tramitando na Justiça, e as duas primeiras instâncias já haviam determinado a entrega pelo mandatários dos exames de saúde. Mas o governo Bolsonaro recorreu e o ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou que Bolsonaro não precisava divulgar os resultados. Assim, o jornal O Estado de S.Paulo, que entrou com a ação na Justiça, recorreu na última instância, o Supremo.

O relator, ministro Ricardo Lewandowski, solicitou um posicionamento da Advocacia-Geral da União (AGU), que somente na noite desta terça (12), respondeu que iria encaminhar ao gabinete de Lewandowski os exames feitos por Jair Bolsonaro para detectar se foi ou não contagiado pelo novo coronavírus.

Ao contrário do que fizeram outras lideranças políticas do Brasil e do mundo, que por transparência pública divulgavam seus exames nas redes sociais para acesso popular, o presidente do Brasil Jair Bolsonaro somente afirmou que não tinha sido contagiado, mas negou, a todo custo, divulgar os exames.

O jogo de Jair Bolsonaro com a imprensa e a população brasileira seguiu e o mandatário chegou a soltar ironias, em algumas coletivas de imprensa, sobre o coronavírus, além de chamar de “gripezinha” e de insistivamente negar apresentar seus exammes, alegando se tratar de documentos pessoais, o que alimentou as suspeitas de que o mandatário chegou a ser infectado.

Outra informação divulgada nesta quarta (13) aqueceu os rumores sobre o resultado. A polêmica reunião em que Bolsonaro reuniu ministros, em que houve a troca de palavrões, a possível ameaça do mandatário para a troca do comando da Polícia Federal, críticas à China, chamando o coronavírus de “comunavírus, teve ainda a menção sobre o resultado deste teste.

Na ocasião, Bolsonaro teria dito que a divulgação deste exame de Covid-19 poderia eventualmente levar a um processo de impeachment. A informação também foi divulgada pelo Estadão, com base em relatos de fontes que acompanharam a exibição da gravação, na manhã desta terça-feira (12). De acordo com tais fontes, Bolsonaro se referiu aos exames como “porcaria” que poderia levar a um processo de impeachment.

 

O GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro.

Luis Nassif e a equipe do GGN recontam a história de um cidadão acima de qualquer suspeita

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora