Retrospectiva 2015, ou como a resiliência derrotou a eloquência

Por Fábio de Oliveira Ribeiro

Tenho visto várias pessoas criticarem Dilma Rousseff porque ela é tímida ao discursar, porque não tem uma boa estratégia de comunicação, porque é incapaz de motivar e inflamar a militância, porque se deixou intimidar pela imprensa e etc… Todos estes críticos da presidenta têm uma coisa em comum: a crença de que a política depende totalmente da eloquência, de que a habilidade de produzir discursos é o fundamento do poder.

Em razão disto, resolvi estudar a questão e reproduzo aqui uma lição antiga. Demóstenes e Cícero foram, entre gregos e romanos, os retóricos mais eficientes, audaciosos, graciosos e dramáticos. Ambos chegaram ao poder em razão de suas habilidades discursivas. Ambos caíram em desgraça e morreram porque nem só de discursos é feita a política.

“Parece, pues, haber sido un mismo genio el que formó a Demóstenes y Cicerón, y acumuló en su naturaleza muchas semejanzas, como la ambición, el amor de la liberdad cuando tomaram parte en el gobierno y la cobardía para los peligros y la guerra; con lo que mezcló también muchas cosas de las que son de fortuna; porque no creo que podrán encontrarse outros dos oradores que de obscuros y pequeños hubiesen llegado a ser grandes y poderosos, que hubiesen resistido a reyes y tiranos, que hubiesen perdido sus hijas, hubiesen sido arrojados de su patria y restituídos después com honor; que huyendo después hubieran sido alcanzados por los enemigos, y que en el mismo punto de expirar la liberdad de sus conciudadanos hubiesen ellos perdido a vida; como que si a manera del de los artistas pudiera haber certamen entre la naturaleza y la fortuna, sería muy difícil discernir si aquélla los había hecho más semejantes en las costumbres o ésta en los sucesos.” (Vidas Paralelas, Plutarco, Tomo II, Librería El Ateneo editorial, Colección Clásicos Inolvidables, Buenos Aires – Argentina, 1952, p. 530-531)

Neste exato momento, até mesmo a imprensa que atacou intensamente Dilma Rousseff passou a reconhecer que a popularidade da presidenta foi restaurada, que o Impedimento foi abortado, que a oposição não conseguiu nem derrubá-la, nem chantageá-la, tampouco obrigá-la a renunciar. Dilma enfrentou inimigos fora do governo e dentro dele. Michel Temer quis se agigantar e foi reduzido à miserável condição de um anão decorativo. Eduardo Cunha está mais perto de perder o cargo e de ganhar a prisão do que de conduzir o golpe de estado que arquitetou para conseguir se tornar impune. E até mesmo FHC começou a se enrolar no crime organizado durante seu governo.

Dilma não é uma grande oradora, verdade. Mas ela não é covarde, nem teme os perigos da guerra política. Ao contrário de Demóstenes e Cícero, nossa presidente não fugiu no auge do conflito. A virtude de Dilma é a resistência, não a eloquencia. Ao contrário dos que a criticam porque ela não é capaz de inflamar a militância com discursos arrebatadores, a presidenta provou, na prática, que é preciso muito mais do que belas palavras, frases de efeito e chistes sofisticados para fazer aquilo que João Goulart não fez e para evitar aquilo que foi feito por Getúlio Vargas.

A imprensa, por outro lado, não tem nada a comemorar. Em 2015 derrota do PIG foi avassaladora. E o elemento mais importante desta derrota não foi a oratória de Dilma Rousseff. A chave para entender a vitória da presidenta não está nos discursos dela. Ironicamente, é justamente isto que os críticos de Dilma Rousseff dentro e fora do seu campo ainda não conseguiram entender.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

42 comentários

  1. apesar da resiliencia e

    apesar da resiliencia e carater moral da nossa presidenta, o PT precisa, urgentemente, resgatar sua militancia para dar sustentação ao projeto que está modificando a nação brasileira. Força Dilma!.

  2. 0timismo

    Entendo o que o Fábio diz, porém não tenho o mesmo otimismo. A tentativa de golpe foi clara e houve uma derrota inesperada que deixou embasbacados alguns dos golpistas. Mas apesar da derrota inesperada e momentânea, a oposição juntamente com a grande parte da imprensa tradicional cartelizada apostam na hipótese da terra arrasada: se for preciso queimar riquezas, setor produtivo, reservas , em nome de um projeto político, não tenham dúvida que apelam aos aliados da justiça, mpf, tcu e outros para conseguir o que querem. 

    • Tá parecendo o Balão Mágico,

      Tá parecendo o Balão Mágico, né?

      Os repitidos erros políticos e econômicos, um increditável nucleo duro com Aluizios Olivas e Zés das Couves, o agalhinhamento perante Eduardo Cunha, Temer, pig & cia, e todas las outras cositas mas, não passaram de uma genial estratégia de resistência!

      Que se expressa através de uma comunicação social que é uma verdadeira arte da fuga!

      E eloquência pra quê, não é Lula? Não é Brizola?

       

       

      • Você fala com o ressentimento
        Você fala com o ressentimento de um verdadeiro DERROTADO sem esperança de vitória fácil e próxima. Seu sofrimento me faz rir.

        • Derrota certa é o advir do 

          Derrota certa é o advir do  otismo dos tolos.

          No mais, endosso plenamente a resposta do Ivan Pedro a sua tão mágica retrospectiva.

          Peço licença para repití-la:

          Discordo inteiramente do artigo novo

          Dilma não representa a vitória da resistência, mas do acomodamento covarde. Simples demonstrar porquê:

          Primeiro– Não foi Dilma quem venceu as forças do impeachment (estas nem foram derrotadas ainda), mas é a sociedade, os sindicatos e os intelectuais que fazem isso; claro, com uma boa ajuda fornecida por uma oposição que, até agora, não demonstrou muita competência política, embora tenham um grande senso de oportunismo e aliados em uma classe mé(r)dia ressentida. O impeachment também está sendo derrotado pelo cansaço e pala falta de propostas; mas não por algo especial que Dilma possa estar fazendo.

          Segundo — Dilma ainda não mostrou a que veio. Em plena crise da Petrobrás, enquanto o país pegava (e ainda pega fogo) ela encolheu-se ao silêncio, manteve a Maria das Graças Foster, contra a vontade desta, enquanto o desgaste da empresa e suas dificuldades se alastravam. Dilma colocou a empresa em risco!!! Além disso, não aproveitou as manifestações de Junho, quando surgiu uma oportunidade de ouro para assumir alguma espécie de protagonismo político e voltar a associar-se a movimentos sociais via conselhos ou simplesmente audiências. Mais uma vez, reduziu-se a sua imobilidade de Diva. 

          Terceiro — Não sabe escoher assessores e não sabe delegar. Manteve um incapaz como o Mercadante até a beira do precipício, porém ainda mantém outro, o Jota Cardoso, que não tem controle sobre a Polícia Federal, hoje agindo como órgão autônomo, conspirador (com o judiciário, o qual, finalmente, resolveu tomar uma injeção de hormônios masculinos), que coloca em risco a economia e as instituições. A imobilidade exasperante de Dilma e de seus minions ocorre, claro, em nome de um republicanismo incompreensível.

          Quarto — Dilma não exerce suas prerrogativas — Rodrigo Janot e o PGR já demonstraram a viva voz em que lado estão. Quando do encerramento do primeiro mandato do Janot, Dilma o reconduziu, quando tem o poder conferido constitucionalmente de nomear quem mais lhe interessar ou que seja de sua conveniênica. Não o fez, reconduziu alguém cuja inclinação partidária já está mais do que clara. O mesmo se diga quanto à PF; Dilma mantém um delegado-geral que a destesta, que detesta o PT e que não obedece ao MInistro da Justiça (a quem igualmente detesta), que não está nem aí porque não quer ou porque não pode. Não importa. Falando nisso, a PF tenta incessantemente envolver Lula em algum escândalo, em atitude de visível vendetta pessoal. Em todo este processo, que já dura mais de um ano, não houve nenhum envolvimento da Dilma nem de Cardoso para que seja dado um “basta” nesta situação, mais uma vez, em nome do republicanismo, mas que pode causar consequências imprevisíveis caso ocorra. Não nos esqueçamos: em circunstâncias de conflito, nomeia-se aliados !!! Nunca pessoas aparentemente neutras ou que venham a dar a impressão de que somos republicanos !!! É hora de defender um governo e uma proposta, não uma biografia !!!

          Quinto — Dilma teima (como sempre) em não exercer sua liderança : o fato de gente como Cunha, Temer, Gilmar, Moro e a turminha de procuradores estarem pintando e bordando, demonstra cabalmente que a presidenta não sabe ou não quer ou não quer porque não sabe ou não sabe porque não quer exercer o poder, propor opções, mostrar um norte, dar limites a atuação dos citados (e não citados) acima. Tal imobilidade arrogante nos colocou a milímetros de uma guerra civil (relaxe, neste momento estamos apenas a centímetros da mesma) de consequências absolutamente imprevisíveis para a nação. Além disso, o fato de Dilma não exercer seu protagonismo já a coloca como simples coadjuvante em todo o processo, haja vista o fato de as disputas no PMDB darem mais ibope do que qualquer coisa por ela dita. Mais uma vez: o impeachment não deixou de ocorrer por causa de Dilma, mas apesar dela. Muitos como eu, que votaram nela, não aceitam o golpe, não porque apenas seja ilegal, muito mais porque sabem que as alternativas são estarrecedoras !!! Muitos estão dispostos a ir para as ruas, não porque a Dilma foi eleita legalmente, mas porque porque a democracia é mais importante do que uma presidente incapaz (coisa dita por muitos articulistas no blog).

          Portanto, meu caro, não vejo resiliência, vejo incapacidade de agir e de tecer estratégias viáveis. Para quem apanhou tanto no pau-de-arara, Dilma tem agido como se estivesse com saudades dele.

          • Se a Dilma tivesse tido um

            Se a Dilma tivesse tido um comportamento contrário a tudo que afirmou o Ivan Pedro o que será que teria acontecido com o Brasil?

            Estaríamos em paz  com a economia bombando ou estaríamos num inferno ainda maior?

            Ivan Pedro, será que você não está subestimando a força/poder daqueles que se opõe a Dilma no governo?

  3. Uma “ajudinha” Divina (Êxodo 4:10): Quem seria Arão?
    Então disse Moisés ao SENHOR: Ah, meu Senhor! Eu não sou homem eloquente, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. (Êxodo 4. 10) Moisés não era um bom orador, não podia ser eloqüente (não podia persuadir) para convencer o povo e posteriormente o Faraó. Ele falava lentamente, com crises de gagueira que evoluía para um nervosismo, quadro normal de qualquer gago.            Deus prometeu resolver o problema de Moisés (Ex. 4.11), não com um milagre, como retirar a gagueira ou a timidez de discursar em público. Arão seria o transmissor das orientações e revelações ao povo hebreu – Então se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração.  E tu lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca, e com a dele, ensinando-vos o que haveis de fazer.  E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus (Êxodo 4. 14 – 16).            O peso da boca e da língua (gagueira e inabilidade de discursar em público) do legislador, não o desqualificava para executar o ministério (ofício) o qual fora chamado…  http://folhaassembleiana.blogspot.com.br/2014/01/por-que-moises-disse-sou-pesado-de-boca.html E, uma Coletânea para os Bons de Coração (e, de Cabeça) e Ruins em Oratória… http://biblehub.com/exodus/4-10.htm 

     

  4. ESSA MULHER TEM GARRA,TOMOU

    ESSA MULHER TEM GARRA,TOMOU CHOQUE EM TUDO QUANTO É LUGAR NA DITADURA

    E Ñ “FEZ DELAÇÃO PREMIADA”ELA ENVERGA MAS NÃO QUEBRA.CONFORME A PRÓPRIA

    DISSE NA MARCHA DAS MARGARIDAS,ALI ELA COMEÇOU A DAR A VOLTA POR CIMA,ELA

    É FOCADA,SÓ QUE É TEIMOSA E CABEÇA DURA,MAS É HONESTA,ESSA É SUA “SORTE”!!!

    (PESSOAL DA MODERAÇÃO DO BLOG,FAVOR SEREM PROFISSIONAIS,E Ñ DEIXAREM DE POSTAR

    MEUS COMENTÁRIOS,SEM MOTIVO NENHUM,CONFORME ANTERIORES POSTADOS POR MIM)

  5. Também senti esta resistência

    Também senti esta resistência e como foi importante para ultrapassar todo este terremoto em 2015. Não sei até que ponto isto vem dos líderes ou é a tradução de um comportamento sincronizado de um grupo de pessoas, ou ambos. 

    Quando Lula perdeu uma eleição roubada em 1999, ele assimilou a derrota e pacificou o ambiente político, ao mesmo tempo em que se preparou, fortaleceu-se para vencer no futuro.

    Mas é uma questão interessante. Penso que os líderes, não só a Dilma, mas também o Lula, influenciaram. Mas é sempre difícil analisar, porque todos estavam também muito acuados. De qualquer forma, a própria militância / simpatizantes foi adotando uma postura surpreendentemente moderada frente ao radicalismo da oposição.

    De qualquer forma, hoje, analiso como uma postura muito sábia, seja dos líderes como da militància / simpatizantes

  6.  
    MUITO BOM :  “Dilma é a

     

    MUITO BOM :  “Dilma é a resistência, não a eloquencia.”*

    A persistência é uma ferramenta  que guarda enorme semelhança com a teimosia. Há quem afirme, serem  irmãs  mabaças. Tanto que a presidenta Dilma, costuma confundir a muitos de seus críticos. É provável, seja  por seu jeito de esgrimir com rara habilidade ambos apetrechos. Evidente que, a depender  do resultado final  do agressivo ataque do qual é vítima desde que derrotou o desocupado playboy aécio da cunha. A presidenta, espera-se, passada a marola golpista declinante, será agraciada com uma das duas ferramentas, em ouro. Quiçá, ganhe as duas, que serão destinadas a marcar sua biografia.

    A Dra. Dilma, ao que se sabe, já enfrentou desafio muito mais bruto e estúpido que o atual. Dizem, que saiu bem maior e forte, do que quando foi dependurada, ainda menina, no pau-de-arara.  Creio, não seria esse bando de mequetrefes, arrogantes e ineptos filhotes da ditadura e da casa-grande tucanos-demos, que iriam  amedrontá-la, agora que já é bi-avó.

    Orlando

    *Diz o autor: Dilma é a resistência, não a eloquencia. 

    Resistência, seria como o amálgama da persistência. Diferentemente da eloquencia que, por si só, redunda num inútil como o professor de blábláblá FH Cardoso. Que aposentado aos 37 anos por conta de inesplicaveis e oportunistas circunstâncias, virou, pra desgraça da nacionalidade brasileira, governo do país, empenhando-se para entregá-lo aos seus mentores de Washington. Ainda bem, foi enxotado a tempo.

  7. Por fim, a inabilidade dela

    Por fim, a inabilidade dela foi muito didática.

    O Brasil precisava de certas lições. Os jovens precisavam ver um outro lado pelo qual não passaram. A democracia precisava de um teste de resistência. O brasileiro precisava ver sua própria realidade. A população precisava ver com que tipo de gente um presidente  necessita lidar e como o dinheiro entra nessa pratica.

    Dilma foi uma injeção de contraste, Mesmo a politica economica desastrosa foi instrutiva,. 

    Quando em 2013 Dilma pediu reforma politica, a população achou que ela baixaria por decreto e o congresso eleito pelo povo seria magnânimo. 

    Viram como a banda toca. Dilma mostrou por a+b que se quiserem mudanças é preciso lutar muito ainda 

  8. ótimo artigo sobre a

    ótimo artigo sobre a irretocável resiliencia da presidenta dilma.

    demóstenes, não sei, mas cicero,

    pelo pouco que li sobre cesar, era meio , digamos,  bunda-mole…

    mais discurso do que atuação política…

    dilma sempre resistiu, inclusive às críticas meio prematuras a 

    ela dirigidas por todos os lados..

    espero que ela dê  a volta por cima

    e prove  que essa resiliencia é a tonica dos fortes e dos verdadeiros estadistas.

  9. Para mim Dilma vocè seguiu um

    Para mim Dilma vocè seguiu um figurino perfeito. Parabéns! Manda a turma sentar na sua cadeira 5 minutos. Ficou quietinha esperando a cambada parar de “esbravejar”. Agiu com bastante classe. Não se misturou aos tresloucados. Não é para qualquer um.

  10. Discordo inteiramente do artigo

    Dilma não representa a vitória da resistência, mas do acomodamento covarde. Simples demonstrar porquê:

    Primeiro– Não foi Dilma quem venceu as forças do impeachment (estas nem foram derrotadas ainda), mas é a sociedade, os sindicatos e os intelectuais que fazem isso; claro, com uma boa ajuda fornecida por uma oposição que, até agora, não demonstrou muita competência política, embora tenham um grande senso de oportunismo e aliados em uma classe mé(r)dia ressentida. O impeachment também está sendo derrotado pelo cansaço e pala falta de propostas; mas não por algo especial que Dilma possa estar fazendo.

    Segundo — Dilma ainda não mostrou a que veio. Em plena crise da Petrobrás, enquanto o país pegava (e ainda pega fogo) ela encolheu-se ao silêncio, manteve a Maria das Graças Foster, contra a vontade desta, enquanto o desgaste da empresa e suas dificuldades se alastravam. Dilma colocou a empresa em risco!!! Além disso, não aproveitou as manifestações de Junho, quando surgiu uma oportunidade de ouro para assumir alguma espécie de protagonismo político e voltar a associar-se a movimentos sociais via conselhos ou simplesmente audiências. Mais uma vez, reduziu-se a sua imobilidade de Diva. 

    Terceiro — Não sabe escoher assessores e não sabe delegar. Manteve um incapaz como o Mercadante até a beira do precipício, porém ainda mantém outro, o Jota Cardoso, que não tem controle sobre a Polícia Federal, hoje agindo como órgão autônomo, conspirador (com o judiciário, o qual, finalmente, resolveu tomar uma injeção de hormônios masculinos), que coloca em risco a economia e as instituições. A imobilidade exasperante de Dilma e de seus minions ocorre, claro, em nome de um republicanismo incompreensível.

    Quarto — Dilma não exerce suas prerrogativas — Rodrigo Janot e o PGR já demonstraram a viva voz em que lado estão. Quando do encerramento do primeiro mandato do Janot, Dilma o reconduziu, quando tem o poder conferido constitucionalmente de nomear quem mais lhe interessar ou que seja de sua conveniênica. Não o fez, reconduziu alguém cuja inclinação partidária já está mais do que clara. O mesmo se diga quanto à PF; Dilma mantém um delegado-geral que a destesta, que detesta o PT e que não obedece ao MInistro da Justiça (a quem igualmente detesta), que não está nem aí porque não quer ou porque não pode. Não importa. Falando nisso, a PF tenta incessantemente envolver Lula em algum escândalo, em atitude de visível vendetta pessoal. Em todo este processo, que já dura mais de um ano, não houve nenhum envolvimento da Dilma nem de Cardoso para que seja dado um “basta” nesta situação, mais uma vez, em nome do republicanismo, mas que pode causar consequências imprevisíveis caso ocorra. Não nos esqueçamos: em circunstâncias de conflito, nomeia-se aliados !!! Nunca pessoas aparentemente neutras ou que venham a dar a impressão de que somos republicanos !!! É hora de defender um governo e uma proposta, não uma biografia !!!

    Quinto — Dilma teima (como sempre) em não exercer sua liderança : o fato de gente como Cunha, Temer, Gilmar, Moro e a turminha de procuradores estarem pintando e bordando, demonstra cabalmente que a presidenta não sabe ou não quer ou não quer porque não sabe ou não sabe porque não quer exercer o poder, propor opções, mostrar um norte, dar limites a atuação dos citados (e não citados) acima. Tal imobilidade arrogante nos colocou a milímetros de uma guerra civil (relaxe, neste momento estamos apenas a centímetros da mesma) de consequências absolutamente imprevisíveis para a nação. Além disso, o fato de Dilma não exercer seu protagonismo já a coloca como simples coadjuvante em todo o processo, haja vista o fato de as disputas no PMDB darem mais ibope do que qualquer coisa por ela dita. Mais uma vez: o impeachment não deixou de ocorrer por causa de Dilma, mas apesar dela. Muitos como eu, que votaram nela, não aceitam o golpe, não porque apenas seja ilegal, muito mais porque sabem que as alternativas são estarrecedoras !!! Muitos estão dispostos a ir para as ruas, não porque a Dilma foi eleita legalmente, mas porque porque a democracia é mais importante do que uma presidente incapaz (coisa dita por muitos articulistas no blog).

    Portanto, meu caro, não vejo resiliência, vejo incapacidade de agir e de tecer estratégias viáveis. Para quem apanhou tanto no pau-de-arara, Dilma tem agido como se estivesse com saudades dele.

    • Perfeita a crítica do Ivan.

      Perfeita a crítica do Ivan. Concordo plenamente com ele. Conquanto defenda o governo, essa a triste verdade e que coloca em risco todo um projeto de Brasil mais igual, mais justo…

    • Mais um DERROTADO
      Mais um DERROTADO inconformado cujo Natal não foi feliz porque Papai-Noel usa vermelho como Dilma, tem barba branca como Lula e não lhe entregou seu muito desejado Impedimento genérico.

    • Concordo inteiramente com o comentário

      Concordo inteiramente com o comentário, a meu ver muito lúcido. Deveria subir como post… 

      De fato, ver o governo assistir a PF atuar da forma como está atuando, de maneira totalmente partidária e obviamente visando incriminar Lula, é de uma omissão inacreditável. 

      • E desde quando Dilma tem

        E desde quando Dilma tem obrigação de ficar defendendo Lula? Lula que se defenda sozinho. Ele 4em todo o tempo do mundo pra isso. Dilma já está atolada em problemas, e quase todos vieram do governo de Lula, estourando no colo de Dilma. Se ela não caiu até agora foi por méritos próprios,  e principalmente por ser integralmente honesta. Qquer outro no lugwr dela já teria caido faz tempo. 

         

    • Primeiro- Isso é justamente a

      Primeiro- Isso é justamente a resiliência, Ivan: dilma não venceu o impeachment mas suportou os golpes com galhardia. Por mais que se deseje, o presidente da república não é um superherói. Mas absolutamente todo que Dilma pode fazer para rebater o golpe – já que tentar calá-lo seria autoritarismo anti-democrático- ela está fazendo.

      Segundo – Claro que mostrou a que veio: dar liberdade às instituições, deixar vir à luz a verdadeira cara do poder no Brasil. De novo esse negócio de presidente superherói é para filmes dos EUA, na vida real o presidente da República é apenas o presidente da República, mesmo. Isso sem falar nos programas sociais como a transposição do São Francisco e outros milhares de casos de Êxito que quem só lê ou assiste ao PIG fica sem saber, mas que estão acontecendo. Quem quiser saber, que procure.

      Terceiro – Pelo contrário, encontrar assessores que topem trabalhar sem estrelismo é tarefa árdua na “era dos espetáculos”. Mas sem estrelismo não é inativo. O republicanismo é mesmo difícil de ser compreendido pelos que crêem em salvadores da pátria…

      Quarto – De novo, a ideia não é ser o “manda-chuva”, como tem sido há séculos, a ideia é conduzir a transformação de uma cultura de coronéis colonialistas numa verdadeira democracia moderna, onde não há poderosos individuais e sim o poder do povo, coletivo. Há planos de carreira nas políciais e determinações sobre escolha para promotores: respeitar esses instrumentos exigem muita coragem e força, precisa estar decidida a resistir contra impulsos egóicos de levar tudo para o pessoal, como um xerife de bangue-bangue tosco e primário.

      Quinto – Mais uma vez: Dilma escolheu Temer por republicanismo, respeito a quem era a maior força numericamente falando na República qunado se candidatou. Gilma e Mora não foram escolhidos por ela. Mas o poder em que os dois atuam – o Judiciário – é independente do dela – o Executivo. Eximir-se de tentar interferência entre poderes não é para qualquer um, só para os mais fortes. E isso Dilma tem conseguido.

      Enfim, como disse no começo, a grande tarefa de Dilma – e uma das que tem recebido maior resistência pelos setores conservadores e retrógrados da nosso país, é transformar uma republiqueta coronelista, casuista, colonialista em uma República em que o coletivo se sobreponha ao individual.  E nisso nem Lula teria sido tão bom.

    • Se você acha que é fácil

      Se você acha que é fácil resistir ao impulso de mandar e desmandar tendo recebido poderes istitucionais, experimente ser alçado a posição de mando – e nem precisa ser no estado, pode ser até numa pequena firmeca ou num condomínio – para ver só. O “vírus” do autoritarismo é forte na nossa cultura…

    • Ivan Pedro
      Achei interessante

      Ivan Pedro

      Achei interessante sua análise. Porém, coloco algumas questões: Sabemos o que se passa nos bastidores do poder? Porque será que o Zé Cardozo não caiu ainda? O que esse ministro tem de tão importante assim? O que ele sabe de Dilma, Lula e da Lava-Jato? Ninguém pode saber, não é mesmo?

      É verdade que Dilma se acovardou nos primeiros meses após a reeleição, preferiu ficar no silêncio. Foi um erro fatal, perdeu a popularidade em 05 meses!

      A oposição e a mídia aproveitou esse momento de baixa popularidade e desceu chumbo grosso em cima da Dilma, mas o que ela não esperava era com a falta de solidariedade por parte de alguns integrantes do PMDB, creio que ela ficou surpresa com isto.

      Dilma estava em campo minado, precisou se esquivar das bombas que explodiam a todo instante, todo dia era uma notícia negativa para Dilma.

      Dilma tem as prerrogativas do poder, precisa e deve assumir o protagonismo, mas acho que, devido a inabilidade de seus assessores e a deslealdade de alguns dos seus aliados, fez com que Dilma ficasse imóvel, estarrecida com os acontecimentos.

      Sou otimista, 2016 será diferente. Cunha não estará mais na Presidência da Câmara e muito menos chantageando o PT e a Dilma.

       

       

  11. CONVERSA AFIADA
    Paulo

    CONVERSA AFIADA

    Paulo Henrique Amorim

     

    A revolução que a classe média fez na PF

    PF quer que Bumlai ferre o Lula, viu, zé?    Imprimirpublicado 25/12/2015

    É ou não é uma esculhambação? (ilustração sugerida pelo Bessinha)

    O ministro zé da Justiça deu uma declaração revolucionária.

    Disse a futuros policiais federais que a recente atuação da Polícia Federal é revolucionária.

    E republicana, disse o pianista.

    Agora, com dita “revolução”, “rico também vai em cana”, disse o jênio sem voto.

    Mentira número um: tucano rico a PF do zé não põe em cana.

    Ela encana preto, pobre, p…, petista e rico que não seja tucano.

    Se for tucano, o japa nem levanta da cadeira.

    Essa PF do zé faz parte o conjunto perigosíssimo de coxinhas de classe média que faz justiça com as próprias mãos.

    Fazem parte desse clube exclusivo de salvadores da Pátria – depois de salvarem a si próprios – Grandis (revisor, mantenha distância, por favor) Procuradores, como o Dr Janot, e Juízes anti-bolivarianos, como o Ministro Gilmar (PSDB-MT).

    Essa PF do zé tem um diretor-geral que ameaçou o destemido Juiz Fausto De Sanctis para tentar impedi-lo de desfechar a Operação Satiagraha.

    (O livro “Operação Banqueiro”, de Rubens Valente, demonstra que os efeitos da Satiagraha foram provisoriamente inibidos pela ação interessada, partidária do Ministro Gilmar (PSDB -MT).)

    A PF do Zé mantém em seus postos avançados delegados que chamam Lula de “aquela anta” e fazem exercício de tiro ao alvo com o rosto da Presidenta.

    A PF do zé grampeia mictório de preso.

    Mercadeja delação premiada e vende a quem financiou a lua de mel do Aecím no Waldorf.

    A PF escarnece do Lula e vaza o depoimento do Lula para o jornal nacional, numa investigação em que não há a mais longínqua suspeita sobre o Lula.

    A PF do zé é sócio benemérito desse clube sinistro de vazadores que excretam para vazos.

    São 493 vazamentos por semana e o zé inepto não conseguiu localizar um único vazador criminoso.

    E por que o zé disse aquela inverdade, se a PF do zé consegue ser pior que do FHC?

    A do FHC, pelo menos, não fazia nada – além de detonar a candidatura da Roseana Sarney e permitir que o Cerra levasse uma surra do Lula em 2002?

    Mas, isso foi nos bons tempos do inesquecível delegado tucano Marcelo Itagiba.

    Por que o zé age assim, amigo navegante?

    Porque ele é refém da PF.

    Em tempo: saiu no Estadão:

    PF põe 18 vezes nome de Lula em interrogatório de Bumlai

    A Polícia Federal mencionou dezoito vezes o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao interrogar o empresário José Carlos Bumlai, amigo pessoal do petista desde 2002. As citações constam do terceiro depoimento prestado pelo empresário desde que foi preso há um mês pela Operação Passe Livre, um desdobramento da Lava Jato.

    (…)

    • Pois é… ” Corrupção, não ! Basta. ” …

      Pois é… ” Corrupção, não ! Basta. ”  E toda essa turma votou no Aécio Neves.

      E o Moro é capa da VEJA pela enésima vez. O mesmo Moro que nada fez quando o Yousseff afirmou que o Aécio recebia propinas de Furnas. Dá até pra entender, afinal o Moro tem prioridades e a maior é pegar o Lula, ele não tem tempo pra perder investigando o Aécio…

       

    • Discordo. A única coisa
      Discordo. A única coisa indefensável é a indecência de uma jornalista que iguala um bando de políticos procurados pela Justiça com a presidente honesta que está sendo massacrada porque não se deixa chantagear, derrubar e não pretende renunciar. Dilma e torna mais é mais defensável justamente porque resiste a imprensa e aos mafiosos tucanos que os jornalistas adoram elogiar.

      • Flavio, não só a direita!!!

        Procuramos muitas vezes buscar somente nos opositores os problemas dos governos. Fechamos os olhos para os críticos que se colocam dentro das fileiras partidárias e esperam a redenção por passes de mágica.

        Muitos questionam Dilma por não ter feito isto nem ter feito aquilo, principalmente na defesa de “companheiros” que realmente trouxeram mais problemas ao governo do que solução.

        O discurso moralista burguês que foi a tônica do PT durante muitas campanhas levou a imagem de partido imune à corrupção que muitos desses trataram de desmanchar quando ocupavam cargos executivos no governo. Nunca, nem após a conquisata do governo federal se procurou mudar a forma de gerenciar a máquina pública. Nunca durante a época em que o governo estava mais forte, tentou-se repartir o poder com a população em geral.

        Mudanças fortes em questões institucionais se faz em época que o governo está em acenso e jamais quando está em descenso. São cobradas ações contra desmandos do judiciário e da polícia federal no momento em que a popularidade do governo está em baixa, mas a retirada de elementos pró-governo da polícia federal não foi feita no governo Dilma.

        Durante os primeiros anos do governo Lula, em nome da conciliação nacional, aceitou-se ministros de inclinação liberal, como Antônio Palocci e outros que nem inclinação liberal eram, pois eram liberais a pleno, como Henrique Meirelles. Também em nenhum momento o governo Lula tentou pelo menos mostrar os desvios dos governos anteriores tão bem retratados no livro “A Privataria Tucana”.

        Ou seja, reclama-se da leniência do governo Dilma com a Polícia Federal e com o Ministério Público, mas ninguém reclamou da leniência do governo Dilma com o assalto ao patrimônio público feito pelo governo FHC. São dois pesos para uma mesma medida, em tudo o governo Dilma é responsável, tornando a nossa presidente a verdadeira Geni da política brasileira, e diga-se de passagem, se não fosse pela probides inconteste da presidente certamente o golpe teria vingado.

        O apoio que a presidente obteve é algo bem recente, quando viram que o país cairia nas mãos de um bando de assaltantes a sociedade reagiu, e diga-se de passagem a reação mais tímida foi daqueles que deveria ser mais forte, do PT. Quem teve que entrar no supremo contra o Cunha não foi o PT, mas sim o PC do B. Quem abortou a verdadeira força que poderia gerar um golpe foi a ação rápida do Ministro da Defesa Aldo Rebelo, de novo do PC do B. Poderíamos seguir por aí, mostrando que a inação que muitos atribuem ao executivo é reflexo da frágil base de apoio que o governo tem nos partidos, em especial por aquele que deveria sustentá-lo.

        Muitos esquecem que o voluntarismo é algo que um militante de base pode ter, porém um governante tem que levar em conta as consequências de cada um dos seus atos, por exemplo, a substituição de Levi não por um ministro ideal mas sim por um que mais se aproxima da linha de pensamento do governo só foi possível no momento em que as forças populares começaram a reagir.

        Vamos adiante, 2016 é um ano de eleições, e espero que surpresas positivas ocorram nestas.

  12. Então é natal…

    Olhando pelas janelas da bíblia, cristo foi morto e crucifixado…

    Todo mundo já ouviu isso…

    O interessante é que durante seu julgamento, ele assumiu uma postura digamos – RESILIENTE!

    Poderia ter evocado para sua defesa aqueles a quem curou, aqueles a quem sua palavra tocou profundamente, poderia ter chamado Lázaro, o ressucitado para depor em seu favor…

    Poderia ter um julgamento MUITO MAIS DISPUTADO DO QUE AQUELE QUE FOI..

    Ele usou uma tática sagaz e importante!

    A VERDADE É SUPERIOR A MENTIRA!

    A verdade pode evoluir por que ela parte da REALIDADE, se fundamenta na REALIDADE!

    A mentira não muda, não se altera e não evolui, por que sua base NÃO É REAL!

    Só se muda o que é REAL!

    O que é falso, não se sustenta no MUNDO REAL, NA REALIDADE!

    Se o PT for uma mentira, aquilo que o PIG, Aécio e FHC diz  – sem dúvida ele DESAPARECERÁ!

    É um jogo de fogo, que joga a oposição!

    E ela pode se queimar…

    A Verdade SEMPRE permanecerá VIVA!

  13. Dilma tem sorte..

    De que não exista uma opção um pouco melhor  a seu governo. Ela ainda está no cargo porque somos obrigados, obrigados mesmo, a defendê-la, pois não queremos o pior dos piores para esta país.  Houvesse uma alternativa menos pior e ela já estaria em casa fazendo omeletes.  Se o Temer não tivesse se envolvido com tanta ganas na conspiração, se tivesse mantido uma postura mais estadista e não escrevesse aquela carta infantil, e não embarcasse no projeto chamado de Ponte para o futuro, teria se cacifado a ser esta alternativa.  Foi  vítima da estupidez e voracidade dele  e de outros idiotas como o Moreira Franco. 

    Mas não tenham tanta alegria pois a Dilma tem a capacidade de cavar o seu próprio túmulo e ela o fará, infelizmente para todos nós.  Aquilo que o autor do post chama de resiliência eu chamo de cabeça-dura, incapacidade de ouvir, ouvir e ouvir.  Incapacidade de parar com este ativismo administrativo, correndo de um lado para outro para inaugurar pontes e pontilhões, casinhas e casões.  Parar e pensar, conversar e ouvir, montar esquemas de atuação factíveis e agir.  Quanto tempo levou para afastar o Mercadante da Casa Civil? Quanto tempo levou para tomar uma atitude diante do colapso de empresas provocado pela sanha destruidora do Moro e PF? 

    E o pior, ainda mantém no cargo um ministro da justiça que está claramente compactuando com toda esta destruição.  O Nassif, por educado e elegante, diz que este ministro não age.  Eu digo diferente.  Este ministro age e age muito Ele é a fonte dos principais males do país neste momento ao abraçar  a teoria de  que corrupção se vence desta forma, atuando para que não sobre pedra sobre pedra. É um irresponsável mantido no cargo por outra irresponsável, que somos obrigados a defender.  Triste sina!

    • Dilma VITORIOSA e os
      Dilma VITORIOSA e os DERROTADOS esperando ela se enterrar sozinha, coisa que ela não fez e não fará. Não me estranha a pobre situação em que se encontram Aécio Neves e os golpistas.

    • Foi no ponto!
      Dilma se

      Foi no ponto!

      Dilma se manteve no cargo porque parcelas importantes do povo e da sociedade se mobilizaram.

      Aqueles que desejam encontrar uma grande estadista em Dilma estão se iludindo, comparar Dilma com Demostenes e Cicero é uma total falta de noção.

      • O texto não compara Dilma a
        O texto não compara Dilma a Cícero e Demóstenes, muito pelo contrário. Se você não leu o mesmo ou não entendeu o que leu nada posso fazer por você. Uma deficiência cognitiva tão grande requer um especialista.

    • Além de resiliente, Dilma é

      Além de resiliente, Dilma é paciente. Não se deixa intimidar e por isso não toma atitudes precipitadas, que causariam maior insegurança e aumentariam a instabilidade política. 

  14. .

    Excelente texto, Fábio. Fruto da resiliência e a meu ver, pelo bem do Brasil e da democracia, uma oposição tosca. Diferente da que, pelo que leio, mais brilhante (embora tão abjeta como a de hoje) foi a oposição a GV e Jango.

  15. OBRIGADO MODERAÇÃO,POR

    OBRIGADO MODERAÇÃO,POR FINALMENTE POSTAREM UM COMENTÁRIO MEU,MESMO

    Q TARDIAMENTE( PQ SERÁ?POSTEI DUAS E POUCO DA TARDE E FINAL DA NOITE NADA AINDA)

    FAVOR VERIFICAREM O PQ ,SENDO Q MEUS COMENTÁRIOS NADA TÊM DE OFENSIVO E APENAS

    EXPRESSAM A OPINIÃO DESTE LEITOR DE VCS AQUI,VEJAM QUEM É Q Ñ ESTÁ SENDO

    UM PROFISSIONAL ISENTO AÍ,POR GENTILEZA, E OBRIGADO!!!!!!!!!!!

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome