Três vitórias de Pirro na mesma semana, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Três vitórias de Pirro na mesma semana

por Fábio de Oliveira Ribeiro

Esta semana presenciamos três vitórias de Pirro.

A primeira foi a de Michel Temer na Câmara dos Deputados. O usurpador conseguiu arquivar a nova denúncia feita pelo MPF. Mas para ficar impune ele se tornou refém das quadrilhas parlamentares que o sustentam no cargo. Temer não governa, ele é governado pelas forças estrangeiras obscuras que dominam os bastidores do parlamento brasileiro. Isto o obrigará a afundar mais e mais na infâmia.

A segunda foi a de Luis Roberto Barroso no STF.  Ele venceu Gilmar Mendes num bate-boca, mas para fazer isto teve que se rebaixar aos padrões verbais e intelectuais de seu adversário. Humilhado em público, Gilmar Mendes tem agora razão de sobra para rir de seu oponente utilizando um argumento racional incontestável: nós somos iguais.

A terceira vitória de Pirro ocorreu na Justiça. Os petroleiros conseguiram suspender o leilão a preço vil do pré-sal. A liminar foi concedida por um juiz federal de primeira instância do Amazonas.  “Com o STF com tudo”, o golpe de 2016 foi dado justamente para remover o principal obstáculo político à entrega do petróleo aos estrangeiros. Portanto, é impossível crer na manutenção desta decisão pelas instâncias superiores.

Estas três vitórias de Pirro revelam o mesmo fenômeno: o sucesso da operação estrangeira que pretendia dominar o Poder Executivo, a Câmara dos Deputados e o Poder Judiciário. O Brasil já deixou de existir como um país soberano. Não somos mais capazes de definir autonomamente uma agenda política.

Derrotados pela incursão estrangeira, deixamos de impor a CF/88 em nosso território. Há mais de um ano somos governados pelos interesses estrangeiros que fomentam a discórdia para colher os louros e os lucros da vitória. O horror, o horror… a maioria dos brasileiros ainda não percebeu que viraram porto-riquenhos e que o furacão que nos atormenta não natural como aquele que devastou Porto-Rico.

Leia também:  GGN Covid SP: Em uma semana, ocupação de leitos na capital passa de 50% para 58%

Numa de suas músicas, Chico Buarque afirma:

“Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal:

Ainda vai tornar-se um imenso Portugal!”

Além de estar enganado, ele passou a ser odiado. As três vitórias de Pirro acima mencionadas evidenciam a recolonização do nosso país pelo império neoliberal com ajuda daqueles que pregam abertamente a dependência ao norte em troca de um punhado de dólares. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Caro Fabio
    Sinto falar, mas

    Caro Fabio

    Sinto falar, mas em velocidade maior em que o leilão foi suspenso, a equipe de guerra do golpe, já desfez e a entrega , com o nome de leilão, já ocorreu.  

    Essse juíz de 1ª instância, colocou sua cabeça em prêmio. 

    Saudações

    • Publiquei o texto de manhã.

      Publiquei o texto de manhã. Quatro horas depois a liminar já tinha sido cassada. A AGU e o TRF trabalharam freneticamente para garantir os interesses petrolíferos dos gringos no Brasil. O patriotismo ao norte deles será reconhecido pela Embaixada dos EUA.

  2. O Brasil está de fato,

    O Brasil está de fato, OCUPADO.

    Estive recentemente no aerorporto internacional do Rio onde a TOTAL francesa plotou todas as paredes, como quem diz, aqui jaz o petróleo dos brasileiros.

  3. Brasil: terra de ninguém…

    Penso que o Fábio sintetizou tudo numa única frase: “O Brasil já deixou de existir como um país soberano.”

    O Brasil é apenas um espaço geográfico, predatoriamente saqueado por bandidos internos e externos.

  4. Um país continental vendido

    Um país continental vendido por um punhado de dólares. Jamais imaginei, nem nos piores pesadelos, que isso pudesse  acontecer.  É estarrecedor. A única esperança na retomada da soberania está, agora, depositada no caos. 

  5. É muito triste

    Talvez tenhamos chegado ao ponto final da história desse sonho chamado Brasil. Um sonho profético, por fim não realizado, que talvez tenha começado lá na antiga metrópole. A América Portuguesa, então um gigantesco arquipélago, com ilhas bem distantes umas das outras, vislumbrada como uma futura nação una, próspera, na vanguarda e liderança de um novo mundo. 

    Quem sabe, algum dia, daqueles genitais bardos d’Além Mar brotará um poético epitáfio à tão grande quimera. Então, para as gerações do futuro, que nunca chegou para nós, o Brasil será lembrado apenas como o mais belo e triste fado.

  6. A única esperança é o caos?

    Não!

    O caos é parte do plano.. estudem a história recente do Oriente Médio..

    A única saída possível é a revolução (fruto de um planejamento).

    Armada, eu acho difícil.. não vejo nenhum fio condutor que leve a isso..

    .. agora, um movimento cívico abrangente que desague em uma Assembleia Nacional Constituinte Revolucionária, é possível..

    .. o que poderia unir o país, fazer coxinhas e mortadelas voltarem para a Paulista, dessa vez juntos, para exigir uma constituinte?

    Eleição do Lula não é.. Bolsonaro, então, nem pensar.. talvez a eleição de quem quer que seja neste atual sistema não interesse para a grande maioria do povo..

    .. o que pode ser, então?

    Já meio cansadão em “gritar isso”: a única coisa capaz de unir o povo brasileiro é um novo sistema capaz de compartilhar o poder político com o povo..

    .. um projeto de democracia participativa..

    Porque não fizemos essa coisa tão óbvia ainda?

    Porque a exemplo da direita lixo que temos nesse país, também as esquerdas não são lá grande coisa.. os atuais “representantes do povo” sonham com a retomada do poder e a reforma do sistema..

    .. querem “salgar carne podre”.. o povo não quer isso..

    .. o povo quer uma nova maneira de se relacionar com o estado..

    .. no futuro, vamos nos arrepender amargamente por termos protelado tanto o início desse processo..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome