O Céu e o Limite!, por Alexandre Sartori Barbosa

Saudações marcianas!

O Céu e o Limite!, por Alexandre Sartori Barbosa

Saudações marcianas! Ontem fiquei intrigado com um zumbido acima da base Alfa –Mars, alienígenas?! Não desta vez. Era nosso EVTOL (Eletric Take-Off and Landing), ou seja, um super drone! Sim terráqueos, já temos isso em Marte. Não imaginava que algo poderia se sustentar na tênue atmosfera marciana. Cimon até achou graça na minha empolgação quando visualizei o grande zangão carregando equipamentos de prospecção mineral pelo céu rosado, lançando um turbilhão de poeira em nossa  janela panorâmica blindada (não se preocupem pois temos robôs autônomos lá fora para fazerem a limpeza). Uau, isso é, literalmente, coisa de outro mundo! Temos 2 EVTOL neste planeta, chegaram juntos no último pouso do Starship (o grande cargueiro interplanetário de Elon Musk). Estes veículos foram desenvolvidos pela ESA em parceria com a Airbus e lembram o seu similar na Terra, o Cityairbus. Aliás, o transporte na Terra hoje está sendo revolucionado pelos EVTOLs (até a Embraer vende muito bem o seu modelo EmbraerX). Ocorre que todos estão deixando de ter automóveis e os transportes estão ficando cada vez mais na mão de grandes operadoras como Uber, Amazon, Boring Company e Didi Chuxing. Assim, você pode abrir seu aplicativo de transporte, digitar o destino recebendo 4 opções de transporte com valores diferentes (1-Simples-Terrestre, 2-VIP Terrestre, 3-VIP Misto e 4-VIP Aéreo). O primeiro é o tradicional que você já usa em 2020, mas sem motorista (atualmente os carros e aeronaves são todos autônomos e guiados pelo 5G). No segundo você recebe carros melhores e vai um pouco mais rápido (inclusive pegando atalhos em túneis subterrâneos da Boring Company). O terceiro já é muito veloz, pois um veículo elétrico te leva a um EVTOL mais próximo que te deixa próximo ao destino, onde um carro estará te esperando para completar o trajeto. E o útlimo é o de maior estilo, um EVTOL vem até você e te deixa muito rápido no destino.  Para deslocamentos longos pode fazer conexão com um Hyperloop (uma cápsula subterrânea para 20 pessoas que pode chegar a 1200Km/h. Todos são abastecidos em centrais de energia solar (limpa e barata) e higienizados regularmente por robôs autônomos. Mas voar na Terra é fácil, aqui em marte a atmosfera tem cerca de 6 mbar de pressão de ar (menos de 1% da pressão do nível do mar na Terra). Por isso a Airbus fez modificações em seu drone terrestre, inspirando-se na primeira aeronave a ter vôo controlado em outro planeta, o Ingenuity. Este foi desenvolvido pela Nasa no JPL, integrado ao rover Perseverance e enviado a cratera Jezero, pouso realizado em fevereiro de 2021. O helicóptero pesava 1,8 kg, tendo dois conjuntos de hélices de 1,2 metros de diâmetro, em rotor girando a 2400 rpm (10X mais que um helicóptero comum). Depois de uma carga elétrica inicial pelo rover, ele passou a gerar sua própria energia elétrica através de um painel solar localizado acima de suas hélices de contra-rotação dupla. Durante seus 76 dias de exploração, ele elucidou várias lacunas quanto  ao clima e a geologia de Marte e buscou (sem sucesso) por sinais de vida microbiana fóssil. A Nasa e a Boeing desenvolveram, na sequência, o projeto de uma aeronave cargueiro para a nossa base, porém o projeto passou por várias falhas até ser repassado para a Airbus no final de 2023, a qual conseguiu adaptar o seu EVTOL em tempo hábil para o lançamento em 2024 (caso contrário só chegaria aqui no ano que vem). Eles são muito úteis pois podem rapidamente verificar sítios de mineração, detectados por satélites, para selecionar os que têm melhores condições de exploração.  Também podem iniciar de antemão uma pequena estrutura de suporte aos equipamentos mais pesados (como painéis solares, sistema de comunicação e instalação de câmeras). Fiquei louco para dar uma volta, mas por enquanto não tem sistema de suporte a vida em seu interior, então melhor ficar por aqui em meu confinamento. Até a próxima, fiquem em casa e lavem sempre as mãos!

*Detalhes sobre as tecnologias? Siga-me no tweeter @AlexandreSart13

**Após uma implosão acidental, ocorrida no Brasil em 2013, foi catapultado através do horizonte de eventos para uma base marciana em 2025. Escreve de lá quinzenalmente para o GGN.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora