Museu Lasar Segall abre exposição com 50 obras do artista


Da Agência Brasil

Exposição marca cem anos da presença de Lasar Segall no Brasil

Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Há cem anos o pintor modernista Lasar Segall fazia a sua primeira exposição no Brasil. Após os estudos na Alemanha, onde se inspirou nos expressionistas, e de uma passagem pela Holanda, mostrou mais de 50 obras que puderam ser vistas em São Paulo e Campinas (SP). Apesar de as obras, que já traziam os traços do modernismo, serem recebidas com algumas restrições pela crítica local, quase a metade foi vendida.

Quatro telas do pintor ainda jovem, à época com 21 anos, podem ser vistas na exposição que o Museu Lasar Segall abriu este mês. São 50 obras selecionadas entre os mais de 3 mil itens do acervo da instituição que incluem pinturas a óleo, pinturas sobre papel, esculturas, gravuras e desenhos.

A curadora da exposição, Vera d’Horta, disse que o estranhamento na primeira mostra de Segall se deve aos traços modernistas dos trabalhos. Os traços vigorosos foram chamados de “exageros” ou até “defeitos” pelos críticos desapareceram com o amadurecimento como pintor. “O próprio vocabulário da crítica denota a expectativa quanto a estética da pintura. Uma arte mais acadêmica, clássica. Enquanto a arte dele era um pouco convulsa demais para esses padrões”, disse.

Além das pinturas e gravuras, a exposição traz documentos do arquivo pessoal de Segall, como as cartas aos amigos alemães com relatos sobre a viagem ao Brasil. Depois de oito meses no país, Segall retornou à Europa. O pintor só viria definitivamente para o Brasil em 1923.

Edição: Aécio Amado

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador