O erro da TelexFree: tungar brasileiros nos EUA

A maneira como as autoridades norte-americanas atuaram no caso TelexFree, desbaratando em pouco tempo a quadrilha, obrigará, mais cedo ou mais tarde, a que o Ministério Público Federal analise a atuação do Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

No mínimo, serão obrigados a dar explicações sobre a complacência em relação ao maior crime contra a economia popular já cometido no país.

Foram envolvidos mais de um milhão de consumidores, movimentados mais de R$ 2 bilhões. Houve crime contra a economia popular, contra o sistema financeiro, contra o mercado de capitais e crime de lavagem de dinheiro.

Essa enorme relação de crimes não sensibilizou nem o Ministério da Fazenda, nem a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nem a Polícia Federal.

Pirâmides são golpes de vida curta. Como a relação das vítimas precisa crescer exponencialmente, para bancar os primeiros que entram, o ganho dos golpistas depende exclusivamente do tempo em que o golpe permanece no ar.

No início do ano passado, o sistema Procon identificou o golpe em vários pontos do país. A informação foi levada ao Ministério da Justiça. Em vez de pronta atuação, o Ministro José Eduardo Cardozo mandou remeter os contratos da TelexFree para análise no Ministério da Fazenda – para conferir se se tratava ou não de uma pirâmide.

Tratava-se de clara manobra protelatória, já que a própria Secretaria de Defesa do Consumidor do MJ poderia ter feito essa avaliação, um desafio simples em função do golpe ser grotescamente primário. Para se habilitar aos ganhos, o divulgador deveria apenas publicar anúncios do serviço em sites e, obviamente, vender o sistema para outros incautos. Era do dinheiro dos novos divulgadores que se pagava parte dos antigos – um golpe clássico e antigo.

Só após enorme pressão do jornalismo online, a Secretaria de Assuntos Econômicos da Fazenda se pronunciou, atestando o óbvio: tratava-se de um sistema de pirâmide.

Para não agir, José Eduardo Cardozo alegou que tratava-se de crime de estelionato, portanto de responsabilidade das justiças estaduais. O grupo continuou atuando livremente, conseguindo inclusive uma liminar para tirar o laudo do Ministério da Fazenda do ar.

As vendas do grupo foram interrompidas graças a atuação de uma juíza de direito e uma promotora do Acre, que conseguiram impedir novas vendas.

Mas o grupo continuou ativo. E a enorme rede golpista montada – os divulgadores – pode tranquilamente migrar para outros golpes, sem serem incomodados pelas autoridades brasileiras.

Como as autoridades dos EUA defenderam seus brasileiros

O enorme azar da organização criminosa foi tentar dar o golpe em brasileiros residentes nos Estados. Lá, as vítimas encontraram autoridades responsáveis, que desbarataram a quadrilha, colocaram alguns criminosos na cadeia e estão atrás de outros – que fugiram para o Brasil.

A quadrilha foi desbaratada, nos EUA, graças à atuação da SEC (a Comissão de Valores Mobiliários) de Massachusetts, ajudada pelo FBI. As principais vítimas da TelexFree eram  as comunidades brasileiras e dominicanas.

Apenas nos EUA, SEC apurou um golpe de mais de US$ 300 milhões, especialmente junto às comunidades brasileira e dominicana, e menciona valores superiores a US$ 1 bilhão no Brasil.

Após investigação conduzida pela SEC de Massachusetts, foram indiciadas oito pessoas, quatro diretores e quatro divulgadores da TelexFree.

A responsabilidade das autoridades norte-americanas – em contraposição à omissão das brasileiras – chega ao ponto de disponibilizar o relatório em português, para se tornar mais acessível às vítimas da quadrilha.

Os crimes mobiliários nos EUA

A SEC apurou os seguintes crimes mobiliários:

 (a) conduta fraudulenta ou enganosa relacionada com a compra ou venda de valores
mobiliários, em violação da seção 10 (b) do Exchange Act de 1934 (“Exchange Act”) e Regra 10b-5;

(b) fraude na oferta ou venda de valores mobiliários, em violação da seção 17 (a) de
Securities Act de 1933 (“Securities Act”); e (

c) a oferta ou venda de títulos não registrados, emviolação da seção 5 da lei de valores mobiliários.
Todas essas condutas são tipificadas como crime no Brasil.

Nos primeiros episódios de pirâmide financeira, nos anos 90 – imensamente menos abrangente, posto que pré-Internet – pressionei a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) a atuar no caso por se tratar de venda ilegal de valores mobiliários.

Presidida na época por Costa e Silva, a CVM elaborou uma série de procedimentos para serem aplicados às pirâmides, equiparando-as à venda irregular de valores mobiliários. De fato, as pirâmides vendiam ou certificados de barras de ouro ou certificados de participação em empreendimentos agrícolas ouj pecuárias.

Quando estou a pirâmide do Boi Gordo, escrevi uma coluna de 5 de abril de 2001 cobrando os procedimentos da CVM.

No caso da TelexFree, montou-se o maior golpe da história, envolvendo mais de um milhão de pessoas. A CVM não se moveu.

As medidas preventivas nos EUA

Para impedir perdas maiores para os consumidores, assim que constatados os crimes, a SEC tomou as seguintes medidas preventivas:

“(a) proibir os rés de continuar a violar as disposições pertinentes a ação jurídica de títulos federais

(b) congelar os bens dos rés e dos rés nominais;

(c) exigir que os rés e os rés nominais repatriem todos os lucros da fraude que agora estão localizados no exterior;

(d) exigir que os rés e os rés nominais apresentem uma fisco dos fundos de investidores e outros ativos em sua posse;

(e) impedir que os rés e os rés nominais destruam documentos pertinentes; e

(f) autorizar a Comissão a realizar a descoberta acelerada”.



A SEC também propôs:

(a) uma medida cautelar permanente proibindo os
rés de novas violações das disposições pertinentes da legislação federal de valores mobiliários;


(b) a restituição pelos rés e rés nominais dos ilícitos ganhos, acrescido de juros pré-julgamento; e

(c) penalidades civis devido à natureza das violações flagrante dos rés.


O levantamento do golpe

A SEC fez um trabalho minucioso de levantamento da história e da forma de operação da quadrilha:

Segundo o relatório da SEC:


“Em 2005, Wanzeler começou a vender adaptadores telefônicos analógicos – dispositivos que ligam uma linha telefônico tradicional com uma rede digital ou o serviço de VoIP.  A maioria dos clientes dele eram no Brasil, e Wanzeler usou o nome “Brazilian Help” nos Estados Unidos e “Disk A Vontade Telefonia” (Português para “Chamada ilimitado”) no Brasil.  

A empresa baseou-se principalmente em propagandas de televisão e rádio no Brasil para atrair clientes, porque a tentativa de usar o modelo de marketing multi-nível do WorldxChange não foi bem sucedida.  A mensalidade era de$49,90 dólares.  Em 2007, Wanzeler incorporou Brazilian Help em Massachusetts.  Merrill ajudou
Wanzeler, mas nunca possuiu um título ou participação acionária na “Brazilian Help”.

Não foi necessário parecer do Ministério da Fazenda para identificar o golpe:

“A TelexFree cobrava $50 dólares para um investidor se tornar um “membro” ou
”parceiro”.  Por si só, uma associação era sem sentido.  A única maneira para um investidor ganhar
dinheiro era se tornar um “promotor” que colocasse anúncios na internet, recrutasse novos membros,e/ou vendesse o serviço VoIP”.

Em seguida, levantou todos os tipos de pacotes vendidos aos divulgadores.

O programa “AdCentral” custa $339 dólares (taxa de  adesão de $50 dólares mais taxa de contrato de $289 dólares) para um contrato de 52 semanas.  Promotores no programa AdCentral
receberam dez pacotes de um meses de serviço da VoIP “99TelexFree” e eram obrigados a colocar um
anúncio na internet por dia.  A cada semana que os promotores do AdCentral colocassem o número
necessário de anúncios, eles receberiam um pacote adicional do VoIP.  

Sob o “Team Builder Plan”, os promotores do AdCentral Family que
recrutassem dez membros para o AdCentral Family, no qual cada um vendesse cinco pacotes VoIP
(para si ou para outros), eram prometidos 2% do faturamento da rede do TelexFree no mês seguinte, até um máximo de $39.600         de dólares.




O grande volume de anúncios praticamente idênticos para o serviço VoIP do
TelexFree tornou-os em grande parte sem sentido, especialmente porque quem usasse “TelexFree”
como um termo de pesquisa na internet seria levado para o site da própria empresa.    

No início de abrilde 2014, um site, Adpost.com, continha mais de 33.000 anúncios paraTelexFree, enquanto outro,
ClassifiedsGiant.com, continha mais de 25.000 anúncios postados desde apenas dia 1 de fevereiro de
2014.




As mentiras preparatórias

Várias das mentiras contadas pela TelexFree já tinham sido desvendadas pelo trabalho solitário de blogueiros brasileiros.

Como a foto de Merril na frente de um enorme edifício apresentado como a sede da empresa nos EUA. A empresa tinha apenas um pequeno escritório alugado no edifício, compartilhando com outras 28 empresas.

Na análise das transações de cartão de crédito, de agosto de 2012 a março de 2014, apenas US$ 1,3 milhão corresponderam a contratos de venda de VoIP. Cerca de US$ 302 milhões vieram de pagamentos de 48 mil promotores AdCentral e 202 mil
AdCentral Family.

Para esses promotores, a TelexFree prometeu pagamentos de US$ 1,1 bilhão.  

Qual o motivo para tanto desleixo das autoridades brasileiras?

Não é um motivo, são dois: as vítimas eram excessivamente pobres; e a quadrilha excessivamente rica. Por isso mesmo, a quadrilha resolveu fugir para o local mais seguro, com a garantia de que não será incomodada: o Brasil.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

38 comentários

  1. O trabalho de José Eduardo

    O trabalho de José Eduardo Cardoso pode ser tudo menos de um ministro da Justiça.

    Tal Ministério, pela sua importância e momento de ações afirmativas na sociedade, não pode ficar restrito, como aparente, à questões de repressão ao crime.

    Com José Eduardo Cardoso, sugiro a mudança no nome do ministério que passaria de  Ministério da Justiça para

    Ministério da Omissão e da  Repressão – MOR.

  2. Pois é…  Se os caras do

    Pois é…  Se os caras do Telexfree fossem petistas estariam cumprindo pena em regime fechado-fechadíssimo a mando de JB com direito a tortura psicológica e manchetes diárias em todos os jornais e telejornais. Ha, ha, ha…

     

    No Brasil a Justiça é cega… completamente cega em se tratando de alguns réus. 

    • Pois é, os ‘caras’ da Telex

      Pois é, os ‘caras’ da Telex provavelmente não são petistas (são só oportunistas como tais), mas conforme se lê no ‘post’ do Nassif, eles são estranhamente tolerados por um petista do alto escalão. Alguém quer mais que isto? Mais um ‘malfeito’ na conta do PT. 

  3. Eu gostaria de saber o

    Eu gostaria de saber o seguinte:

    Foi escrito um texto sobre o distanciamento do PT das ruas, seu “aburguesamento”, o surgimento de uma nova demanda que não encontra representantes.

    Pois bem, até que ponto a questão significa IDEOLOGIA e não COMPETÊNCIA.?

    Esse caso da Telexfree é um exemplo do distanciamento das ruas ou da péssima escolha que fizeram de um quadro para uma posição chave?

     

  4. RESPONSABILZAR o Ministro José Eduardo Cardozo

    De acordo com essa análise e cometário do valoroso LUIS NASSIFI, nós pequenos divulgaores e vítimas da Telexfree, podemos então pedir ao Ministerio Publico Federal que responssabileze o Ministro José Eduardo Cardozo a pagar nossos prejuizos?

    Aguardamos a resposta NASSIFI.

    Grande abraço

  5. telexfree=nisher

    Tem alguns amigos que migraram da telexfree para a nisher, disseram que se trata da mesma coisa. Inclusive o local das reuniões ocorre no mesmo local onde era a telexfree.

    O esquema é o mesmo com a única diferença de ter sido criado alguns produtos no qual o cliente é obrigado a comprar 1 por mês. Porém 99% do dinheiro vem dos planos que vc compra e das propagandas que vc tem q fazer diariamente. Daqui a alguns meses vamos ouvir as mesmas histórias da telexfree! Aguardem!!

     

     

  6. Nassif foi uma voz quase
    Nassif foi uma voz quase isolada nessa denúncia e sofreu na mão dessa gente. Não canso de parabenizá-lo

  7. Um golaço do Nassif, que

    Um golaço do Nassif, que produziu conteúdo próprio, deixou a mídia comendo poeira, enfrentou corajosamente uma horda de “investidores” irados, denunciou as omissões das autoridades federais. Meus parabéns também às autoridades do Acre, que não fugiram à luta. Que a blogosfera possa cada vez mais produzir conteúdo independente e tomar a dianteira da pauta.

     

  8. Telexfree

    O Ministro Cardoso é o retrato dessa administração fraca, incompetente, cheia de vícios e corrupção. Parabéns as autoridades acreanas, terra do piramideiro “San Rodrigues” o maior divulgador mundial dessa Telexfraude.

  9. Outros golpes sairão ilesos?

    Nassif,

    Você é um herói pela maneira corajosa como conduziu este assunto, desde que tomou conhecimento.

    Por favor, use sua credibilidade reforçada para cobrar providências sobre os casos BBOM, MultiClick e Priples, que desviaram milhões também e renasceram com outros nomes.

    Como não passaram pelos Estados Unidos, dificilmente seus autores serão pegos por lá.

    A BBOM se adequou com o dinheiro desviado e agora desfila como se nada tivesse acontecido, mas milhares de pessoas ficaram a ver navios no processo, sem receberem os produtos e o dinheiro que supostamente teriam direito, por terem acreditado na promessa ilusória de dinheiro fácil, difundida na origem do golpe..

    Atualmente, a maioria desses golpistas encabeça a Luvre, Paymony e outras porcarias semelhantes.

    Por favor, aproveite o momento para forçar a imprensa “séria” (será?) a comprar essa briga com você.

    Os blogueiros que tentavam alertar a população foram ameaçados.

  10. os da telex free se bandiaram

    os da telex free se bandiaram para uma  tal de one thor…que venda alguns produtos. Acho que deve ser outra embrulhada!!!

  11. Nassif, há uma diferença

    Nassif, há uma diferença crucial neste modelo Telexfree e BBOM das demais piramides.

    Essas duas últimas são um tipo 2.0, muito mais letal.

    Enquanto que as piramides normais o objetivo é aumentar o número de “clientes”, nessas, não, o objetivo não é só aumentar o número de clientes, mas fazer com que os atuais reinvistam o dinheiro na própria piramide. Por isso que é muito mais perigosa e tem o poder de durar e arrecadar mais.

  12. Esperando outra

      A primeira que eu lembro, já estava no “mercado”, foi no final dos anos 80, um “papel” batizado de “PoupeOuro” que era vendido como uma forma de dolarização de um investimento em certificados de ouro, cheguei a vender algumas “gramas” ( o cliente pediu – não adianta desaconselhar, ele compra de outro), lembro que quando estourou, a corretora/caucionadora, não tinha nem mesmo 1,250 Kg, e os contratos vendidos somavam mais de 300 Kg.

       E meu filho, independente da leniência do MJustiça, CVM, Procons, etc.., vejo a necessidade de uma maior educação financeira básica, milagres não existem.

       Veja bem, está acontecendo agora: Recentemente fui analisar duas empresas de consórcio, não adidas a bancos ou montadoras, independentes e registradas regularmente no BACEN, que de acordo com a autoridade monetária fiscalizadora, estão operando em estrita normalidade – balanços, demonstrações financeiras, etc.. – apenas possuem um problema: não entregam bens, nãp possuem caixa nos grupos.

        Não vou dizer o nome das empresas, mas basta uma busca nos sites de reclamação, nos Procons estaduais, e até em algumas delegacias de São Paulo/MG/RS/PE/RJ, que o nome das empresas é revelado.

        Procon intima, vc. não vai ou manda um advogado, não faz acordo, vai para o judiciario, o BACEN aceita a reclamação e autua – não dá em nada, só fiscalização das normas; com a Policia, o possivel 171 é jogado nas costas do representante comercial ou do vendedor ( ” nós não sabiamos de nada do que ele fazia, até o demitimos por justa causa ” e estamos o processando, vc. cliente não leu o contrato, acreditou na promessa – vai receber seu dinheiro de volta, com os descontos previstos em lei, se sobrar dinheiro).

  13. Nassif, o curioso é o

    Nassif, o curioso é o silência da grande mídia sobre o golpe da Telexfree e, mais ainda, a inoperância e negligência do ministro Cardozo. Por bem menos oposicionistas pedem impeachment, CPI, esclarecimentos. Nesse caso, o absoluto silência.

    Mas é compreensível o silência de uma oposição que representa a nata do crime de colarinho branco tupiniquim. Ver a CVM transformada em uma SEC é tudo que esses oposicionistas – sempre prontos a comparações com os EUA – não querem.

    Negligência também do PT e da presidenta Dilma, que insiste em manter essa escória em seus ministérios. O governo Lula tinha bem menos vagabundos em posições ministeriais.

  14. Nassif,
    Me estranha muito

    Nassif,

    Me estranha muito ainda existirem novas empresas que se baseiam neste formato e continuarem a arrecadar dinheiro com a inclusão de pessoas, gostaria de saber porque uma empresa chamada gloose ainda não está neste meio, esta empresa é segura? Porque são as mesmas pessoas que trabalharam colocando gente nesta tal de Telexfree, Bbom, ganharam uma grande monta de dinheiro e hoje estão chamando mais gente para esta nova empresa? Estas pessoas continuarão fazendo isto a vida toda?

    Pude acompanhar todo o processo, você foi uma pessoa muito criticada no início, não aceitei entrar nestas empresas, apesar dos convites e insistências de amigos que arrecadaram pequenas fortunas, mas sempre achei uma forma agressiva e errada de se ganhar dinheiro, tirando até de quem não tem!

    Parabéns pela matéria.

  15. CVM defendendo

    CVM defendendo consumidor?

     

    É piada?!

     

    Fora esse caso, não há cobertura da ação ou falta de ação da CVM em nome do consumidor e dos minoritários.

     

    Aquilo lá é uma capitania.

  16. Como é bom viver em um país

    Como é bom viver em um país onde o sistema penal, justiça e polícia funcionam.  Se fosse aqui, além de estarem livres, leves e soltos ainda estariam rindo da cara dos trouxas que foram lesados.   O próprio Nassif corrobora minha tese, o ministro da injustiça, digo, justiça nada fez.  Podem esperar outros crimes de igual semelhança virão, aqui o crime compensa.  

  17. Tem uma tal de Ajuda Mútua

    Tem uma tal de Ajuda Mútua que está faturando alto na internet.

    E aquela “imagem do mundo” que pertence aos bancos?

    Sou favorável que qualquer instituição de conceitos de valor, que não seja o extrato do respectivo objeto, tenha banida a sua interface.

    O dinheiro se torna o golpe mais drastico ainda contra economia, cuja consociabilidade lógica com a produção não se encherga, todavia os banqueiros são capazes, cada um por sua conta, de enquadrar o valor de modo satisfatório em classes de fenômenos que decretam explicitamente a dívida das situações da produção. O registro oficial de conceitos de valor universal detectaria as diferenças teóricas que apareceriam para verificação física em um sistema de observação real da moeda; mas resulta em dinheiro do modo indistiguível dos economistas: em resultados idênticos aos déficits públicos; e assim por diante…

    No capitalismo é isso ai, somos sempre substituidos por outra situação de se conectar a resultados fora da imagem do mundo.

  18. Parabéns Nassif por mais uma

    Parabéns Nassif por mais uma luta quase solitária contra um gigante. 

    A negligência da Justiça Brasileira e desse ministro que aí está criou monstros que não vejo como eliminá-los, a não ser que se puna duramente os golpistas que são os donos das empresas e os chamados “líderes”.  O fenômeno Telexfree se espalhou brutalmente e há hoje dezenas de empresas com o mesmo modelo de golpe. As mais famosas no momento são Luvre e Paymony, que por “coincidência” atraíram os mesmos “líderes” da falecida Telexfree. Esses divulgadores que estão ficando milionários têm que ser investigados. São sempre os mesmos, os mesmos discursos há cada golpe. Posso citar alguns deles cujos vídeos estão amplamente divulgados na internet:

    Marcus França: Se intitula Presidente. Faturou muito na Telexfree e hoje criou o golpe de moedas virtuais Paymony.

    Paulo Ricardo Figueiró: Talvez seja o maior golpista desse modelo de pirâmide. Esteve em vários golpes antes da Telexfree (TelexExtreme, Dreams&Gold, My Travel and Cash) e depois de faturar muito na Telexfree passou por BBOM, Wings (esta já sendo investigada) e hoje está na Luvre. Suas palestras são sempre as mesmas. Usa sempre o mesmo discurso, só muda a empresa.

    Sandro Rocha: “Ator” que interpretou muito bem o papel de um policial corrupto em Tropa de Elite 2 (coincidência?). Este já faturou alto na Telexfree junto com o Presidente Marcus França e Fernando Augusto (outro golpista) e abandonou a empresas quando a justiça do Acre a bloqueou para se juntar ao golpe Multiclick. Faturou muito atá a empresa ser fechada. Depois passou rapidamente pela Polishop e imagino que saiu pois a empresa não deve querer propaganda negativa. Quando a Telexfree Internacional foi liberada para os brasileiros daqui ele voltou pedindo desculpas pela forma como saiu e agora com o fim do golpe já está na Luvre.

    Fernando Augusto: Esse também já passou por um monte de pirâmides faturando muito dinheiro e ostentando na internet seus carrões, mansões etc. Passou por Telexfree, WCM777, Telexfree Internacional e hoje está na Luvre.

    Estes são alguns golpistas que têm algum destaque nas empresas e bastante vídeos pelo youtube. Há muitos outros que deveriam ser investigados e punidos, se for o caso, antes que mais incautos caiam no golpe.

  19. Cardoso, Maria do Rosário,

    Cardoso, Maria do Rosário, Aldo Rebelo, Edson Lobão formam um espelho que reflete com perfeição a incompetência da pessoa que as colocou lá = Dilma Rousseff. 

    Tou na torcida de que o Lula tenha o bom senso de entrar no jogo, nem que seja faltando 05 minutos pro fim do segundo tempo da prorrogação. Mais 4 anos de Dilma mantendo esse padrão de qualidade pra escolher ministro o país não vai resistir – e aí o poder vai de mão beijado pros tucanos. 

  20. There’s no such a thing as a

    There’s no such a thing as a FREE lunch.

    Essa é uma velha expressão. 

    Mas a mais nova que encontrei é que, pelo que parece, esse suposto almoço grátis nao vem em quentinhas, mas sim em uma TelexFria.

     

  21. Esse Eduardo é um Zé Bundão.

    Esse Eduardo é um Zé Bundão. Não serve para nada. Talvez para participar de solenidades. A justiça brasileira é lenta, recursiva, cheia de furos. Provar culpa aqui no Brasil é tarefa de Sísifo. Bom, eles agora poderiam mudar o nome para Telex Jailed.

  22. TELEXFREE

    Ha uns 02 anos atrás minha irmã associou -se  ao um TAL DE MISTER COLIBRI lá em minas com o mesmo  MODO DE OPERAÇÃO DO TELEXFREE, ONDE DIZIA ELA TINHA MUITAS PESSOAS INSTRUIDAS,( ELA É ADVOGADA) ENVOLVIDAS APLICANDO SEU DINHEIRO. ADIVINHEM O QUE ACONTECEU? TOMARAM O MAIOR CANO E NINGUÉM DA NOTICIAS DO COLIBRI !!!!!

  23. Mas em todo caso, chapéu de

    Mas em todo caso, chapéu de trouxa é marreta.

    Quem manda não acreditarem que progressão geométrica e aritimética só funciona nas disseminassões de pragas e pestes?

    Só existe o esperto porque existe o ganancioso trouxa.

  24. TELEXFREE

    Ha uns 02 anos atrás minha irmã associou -se  ao um TAL DE MISTER COLIBRI lá em minas com o mesmo  MODO DE OPERAÇÃO DO TELEXFREE, ONDE DIZIA ELA TINHA MUITAS PESSOAS INSTRUIDAS,( ELA É ADVOGADA) ENVOLVIDAS APLICANDO SEU DINHEIRO. ADIVINHEM O QUE ACONTECEU? TOMARAM O MAIOR CANO E NINGUÉM DA NOTICIAS DO COLIBRI !!!!!

  25. E a proliferação de pirâmides continua impune!!!

    Não bastasse a omissão do Ministério da Justiça e da CVM no caso da Telexfree tais órgãos parecem não ter nenhum interesse ou capacidade de fechar as trocentas pirâmides que os “líderes” desse esquema mencionado abriram depois do seu bloqueio pela corajosa Juíza do Acre.

    É inacreditável a incompetência desse Ministro!

    Até quando ele vai tolerar essa criminalidade agindo à luz do dia, agora sob novos nomes e esquemas?

    E, principalmente, onde estão as medidas no âmbito CRIMINAL para colocar essas quadrilhas atrás das grades????

     

  26. Quem disse que no Brasil ela

    Quem disse que no Brasil ela parou de atuar? Continua firme e forte só que com mais discrição. 

  27. Excelente desabafo!

    Excelente o desabafo do Nassif. Concordo com tudo que você falou sobre o desleixo dos órgãos competentes, querendo sempre jogar a batata quente na mão do outro.
    Não que a ação nos EUA tenha sido ideal, pois também demorou e ainda está longe de ter prendido a todos, mas deu várias licoes.

    Uma vergonha a atuacao da Polícia Federal, do Ministerio da Justica, e da CVM. O bloqueio aqui se deveu a esforços isolados da midia, blogueiros e a uma promotora e juíza lá no estado que o resto do país ignorantemente se esquecia que existia.

  28. Por isso que acredito em quem

    Por isso que acredito em quem acredita na boa aplicação da Lei. Em um caso assim, não há espaço para meditações. Apura-se o crime, verifica-se se vai haver arresto, bloqueio, ou prisão cautelar. E toma-se a providência o mais rápido possível, com uma boa decisão técnica, por gente com qualificação técnica superior.

    Quando começa a haver muita filosofia de gabinete, sem capacidade de decisão, ainda mais com esse montante bilionário envolvido, surge o espaço para as especulações que o povo aí está fazendo: incompetência, dólares, e tudo o mais. E quem fica desmoralizado é o direito brasileiro, que já tem todas as soluções previstas para um caso desses, mesmo sem haver reforma alguma. Estamos precisando de alguns quadros políticos com doutorado jurídico de verdade, daqueles em que não se conhece o orientador, e se conquista o posto por apresentar um bom trabalho.

  29. No Brasil, a Amway ainda é legal? Se até a Telexfree era…

    Amway India’s chairman and CEO sent to 14-day judicial custody

         William S Pinckney. (TOI Photo)

    PTI | May 27, 2014, 06.11PM IST

    KURNOOL, ANDHRA PRADESH: A Kurnool district court on Tuesday sent chairman of Amway India and CEO William S Pinckney to 14-days’ judicial custody until June 7, after he was arrested by Andhra Pradesh police in connection with a criminal case registered against the direct selling company. 

    Kurnool superintendent of police Raghurami Reddy said that Pinckney was arrested in Gurgaon on Monday and was brought to Kurnool on a warrant, responding to a complaint alleging financial irregularities in Amway’s operations. 

    “The CEO has been booked under the Prize Chits and Money Circulation Schemes (Banning) Act besides charges of cheating as well as extortion under relevant sections of the Indian Penal Code (IPC),” the police official said.  http://goo.gl/3ZDRjR

  30. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome