Idiota, és tu, Bolsonaro, por Francisco Celso Calmon

Os brasileiros que podem ficar em isolamento social estão dignificando a vida, enquanto tu, genocida, a banaliza como se fosse um simples deletar de CPF.

Manifestação a favor do governo Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios

Idiota, és tu, Bolsonaro

por Francisco Celso Calmon

Bolsonaro ataca mais uma vez, entre tantas, contra o isolamento social na pandemia, em clara aliança com o coronavirus covid-19.

Pela economia e pela politica pró pandemia ele implementa a estratégia de reduzir a população brasileira, excluindo os mais vulneráveis (idosos e pobres), como adepto do darwinismo social.

“Tem uns idiotas aí, o ‘fique em casa’. Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa. Se o campo tivesse ficado em casa, esse cara tinha morrido de fome, esse idiota tinha morrido de fome “, disse Bolsonaro recentemente.

Idiota és tu, genocida!

Não tens e nunca tiveste moral para desqualificar qualquer brasileiro do bem. Tua turma é outra, é a do torturador Brilhante Ustra, é a dos milicianos envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco, é a da família da rachadinha da ALERJ.

Tua boca é suja como a tua história, dela e de seu currículo saem substâncias excrementais.

Quem demonstrou no Exército, na Câmara e na presidência do país ser carente de inteligência foste tu, QI de ameba.

Se colocar um medidor de odores em tua boca, será constatado elevados odores satânicos, como o enxofre.

Os brasileiros que podem ficar em isolamento social estão dignificando a vida, enquanto tu, genocida, a banaliza como se fosse um simples deletar de CPF.

Se acalentasse empatia e reponsabilidade pelo povo brasileiro, estarias incentivando a todos a ficarem em casa enquanto não fossem vacinados, e taxando os muitos ricos para financiarem a vida durante o tempo mister.

Tu, além de protótipo de insano, és covarde, subalterno vil do capital, diante do qual fica de cócoras e diante do povo ficas arrogante charlatão, praticante do curandeirismo, traidor da pátria e servil dos EUA. 

És maltrapilho da moral, indigente da ética, marginal do Estado democrático de direito, cala-te no pouco tempo de que te resta.

De uma forma ou de outra sairás enxotado do planalto.

Francisco Celso Calmon, da coordenação do canal pororoca, ex-coordenador a Rede Brasil – Memória, Verdade Justiça.

Este artigo não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome