França realiza protesto contra austeridade

Por Assis Ribeiro

Realizarão na França marcha nacional contra a austeridade

Prensa Latina

Em torno de 65 organizações sociais, políticas e sindicais finalizam hoje os preparativos para uma marcha nacional que terá lugar neste domingo na capital francesa para exigir um referendo sobre os tratados europeus de austeridade.

A manifestação coroará uma primeira etapa de luta, cujo objetivo foi romper o muro do silêncio e impor um debate público sobre a adoção desses pactos, assegurou Pierre Laurent, secretário nacional do Partido Comunista Francês (PCF).

Propomos-nos dar uma reorientação ao futuro de nossos países, com uma solução à crise baseada na solidariedade e a cooperação e não nos programas de ajuste, explicou. O dirigente do PCF recordou que nestes momentos as cifras do desemprego passam os três milhões de pessoas, os planos de demissões em massa se multiplicam, e esses males, disse, são maiores nas nações submetidas há mais tempo a políticas de austeridade.

Nesta segunda-feira a Assembleia Nacional iniciará o processo de ratificação dos acordos adotados na cúpula da União Européia (UE) de março passado e complementados no encontro de 28 e 29 de junho.

Os tratados obrigam a adotar severos ajuste para manter o controle das finanças públicas, sobretudo em matéria de dívida e déficit fiscal, e impõem sanções automáticas aos que não cumprirem tais compromissos.

Os opositores a estas medidas assinalam que, além do recorte dos programas sociais e seu impacto nas famílias menos favorecidas, haverá uma perda de soberania porque será a Comissão Europeia, um organismo não eleito, a encarregada de aprovar os orçamentos nacionais.

Leia também:  Secretário dos EUA diz que Brasil precisa reduzir comércio com a China

Com tantas coisas em jogo, não é possível esconder o debate ou impedir que a população expresse sua opinião, assinalou ao respeito Eva Joly, excandidata presidencial da Europa Ecologia – Os Verdes.

Por sua vez, o copresidente do Partido de Esquerda, Jean-Luc Mélenchon, disse que a manifestação do domingo será também um ato de apoio e um estímulo para outros povos da UE, em luta contra a austeridade orçamental.

Delegações de todo o território metropolitano francês começarão a chegar desde as primeiras horas do domingo a esta capital e se congregarão na praça da Nação para participar da multitudinaria marcha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome