O neofeudalismo dos sugadores de sangue, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Empresários convencionais ainda não perceberam que boa parte de seus ganhos de produtividade vão para os donos das big techs

O neofeudalismo dos sugadores de sangue

por Fábio de Oliveira Ribeiro

Os empresários convencionais, grandes e pequenos, ainda não perceberam que se tornaram vassalos dos donos das Big Techs. Os ganhos de produtividade deles sempre serão pequenos, porque uma parcela dos lucros das empresas continuará a ser abocanhado pelo Facebook, Amazon, etc.

As empresas esmagam os trabalhadores como se aqueles que produzem a riqueza fossem seus inimigos. Enquanto isso as Big Techs, que atuam como se fossem Vampiros e Chupacabras, sugam a energia econômica e empresarial dos empresários sendo tratadas como se fossem “parceiras”.

Não só isso. Em razão das características do capitalismo de vigilância, os segredos empresariais que no passado faziam a diferença para cada empresa acabam se tornando patrimônio virtual à disposição das Big Techs.

Subrepticiamente roubados pelos Vampiros e Chupacabras virtuais, que conseguem estender suas presas de maneira onipresente sem respeitar fronteiras, os empresários reclamam dos pequenos furtos cometidos pelos empregados. Eles perderam a noção de que segredo empresarial é capital.

O que as Big Techs chamam de modernização, nós podemos chamar de regressão feudal induzida pelo uso intensivo de tecnologias e plataformas controladas apenas pelos magnatas dos dados que não podem ser nem vigiados, nem controlados, nem regulados, nem tributados.

Enquanto sonham em ganhar mais dinheiro virando parceiros dos sangue-sugas virtuais, os empresários não percebem que se tornam servos da gleba. Assim que entram no sistema eles perdem a autonomia, os segredos e a liberdade de escapar da estrutura de poder que passam a sustentar.

A situação dos profissionais liberais (advogados, médicos, dentistas, arquitetos, jornalistas, engenheiros, etc) não é muito melhor. Eles produzem de graça em seus computadores e telefones os dados que alimentam as “máquinas de aprender” que em breve irá torná-los obsoletos.

Todavia, esses profissionais altamente educados (mendigos em potencial) admiram e aplaudem os donos das Big Techs como se eles fossem estrelas de cinema ou gênios comparáveis à Michelangelo, Leonardo da Vinci e Botticheli. Quando essa ilusão for desfeita será tarde demais.

Fábio de Oliveira Ribeiro, 22/11/1964, advogado desde 1990. Inimigo do fascismo e do fundamentalismo religioso. Defensor das causas perdidas. Estudioso incansável de tudo aquilo que nos transforma em seres realmente humanos.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pedro de Alcântara

- 2022-05-04 13:20:53

“A PILHAGEM SUBSTITUIU A PRODUÇÃO COMO PRINCIPAL FONTE DE RIQUEZA” Blog do Paul Craig Roberts, Looting Has Replaced Production As The Main Source Of Wealth; 2017. Gostei muito do seu currículo. Penso que estamos muito precisados de gente com sangue nas veias. Mencionei esse título de um artigo do Paul Craig Roberts com intuito de sugerir que saiamos dessa pasmaceira mental em que estamos atolados. Estamos na hora de uma sacudidela geral nas ideias feitas.

José Carvalho

- 2022-05-01 14:32:10

A palavra "fantasia"resume bem todas essas coisas. Muitos trocam o trabalho e o esforço, para encontrar uma fórmula mágica de atingir mais ganhos. Querem achar atalhos ao invés de percorrer um caminho que possibilite conhecer mais profundamente a própria criação. O avanço das tecnologias, impulsionados pela exploração da "Inteligência Artificial", vai permitir filtros cada vez mais eficientes dos dados processados. Isso cria possibilidades para que outros recebam conteúdos que queiram analisar e aperfeiçoar. O uso indiscriminado dessas mídias sociais, pelo seu alcance massivo, tem aspectos de outras ordens que não apenas comercial. Um bom exemplo, é o que acontece com as operadoras de telefonia, que se copiam e acabam anulando qualquer concorrência. Com o desejo de subir de forma rápida, o caminho digital é visto como uma larga avenida, até mesmo por causa da monetização que em certos casos gera receita. Trocar os recursos humanos, substituindo-os por essas tecnologias se tornando escravos delas, provavelmente tenha suas consequências. Como referido no artigo acima, o segredo empresarial sendo um capital; sem ele não existem diferenças e tudo corre o risco de ficar igual.

emerson57

- 2022-05-01 08:41:05

Os reis nem o trabalho de reinar querem mais. Terceirizaram para os gestores de fundos. Esses administradores destroem o planeta e compram os representantes do povo para seus propósitos. Matam e morrem para permanecer no posto. Enquanto isso o povo marcha unido para o matadouro....

José de Almeida Bispo

- 2022-05-01 08:36:50

Depois de muita confusão, Otávio tomou o poder em Roma; e estabeleceu a Pax Romana, uma ditadura. A princípio, pareceu a ordem e a segurança; mas logo cansou e virou pesadelo. Esse "Mundo maravilhoso administrado por máquinas de admirável graça" - a dos algoritmos é um um pesadelo maior.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador