O PIB desacelera, mas a Selic aumentou

Por Roberto São Paulo/SP-2010

Economia dá sinais de desaceleração no 2º trimestre Cálculo do PIB mensal do Itaú Unibanco e indicador Serasa Experian apontam crescimento de apenas 0,1% em abril, em relação a março

Márcia De Chiara – O Estado de S.Paulo, 29 de junho de 2010 | 0h 00

……..Em março, o indicador da Serasa havia crescido 1,2% em relação a fevereiro e o do Itaú Unibanco, 0,7%. A alta de apenas 0,1% obtida pelo indicador Itaú Unibanco de abril foi a menor registrada nos últimos doze meses em relação ao mês anterior.

Na comparação anual, também houve perda de fôlego. O PIB medido pelo Itaú Unibanco cresceu 9,2% em abril de 2010 em relação ao mesmo mês de 2009, após ter subido 11,1% em março na comparação anual. No indicador da Serasa Experian, a alta anual foi de 8,8% em abril, após ter subido 10,1% em março.

IPI. “O desmonte do pacote tributário anticrise, com a volta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) integral para veículos e geladeiras, fogões e máquinas de lavar, afetou o desempenho da indústria e do consumo das famílias em abril”, observa o gerente de Indicadores de Mercado da Serasa Experian, Luiz Rabi. Pelo indicador, o PIB da indústria recuou 1,8% em abril na comparação com março e o consumo das famílias 0,1% na mesma base de comparação…..

…Aurélio Bicalho, economista do Itaú Unibanco, também atribui a perda de ritmo da atividade em abril à volta do IPI e ao fato de a Páscoa deste ano ter caído em março, o que antecipou as compras de supermercados. Depois de o PIB ter crescido 2,7% no primeiro trimestre em relação ao último de 2009, segundo o IBGE, Bicalho projeta crescimento entre 0,5% e 1% para o segundo trimestre.

Apesar de projetarem desaceleração do PIB neste trimestre, Bicalho e Rabi ponderam que em maio houve reação nos indicadores. “No mês a mês, há um movimento de zigue-zague, mas a tendência é de um ritmo menor no trimestre”, observa Rabi……

…….”Poderemos fechar junho com queda de 2% nas vendas a prazo em relação a maio e estabilidade nos negócios à vista”, prevê Emílio Alfieri, economista da ACSP.

Ele diz que pode ter havido perda de venda por causa dos dias parados nos jogos do Brasil na Copa e o calor intenso da última semana que afetou a comercialização dos itens de inverno. ……..

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100629/not_imp573479,0.php 

Comentário

Fiz essa previsão várias vezes aqui, que o crescimento do primeiro trimestre era atípico, que refletia recomposição de estoques e fim das promoções de bens com isenção de impostos. O Departamento Econômico do BC não sabia? Evidente que sim. Mas se permitiu que departamentos econômicos, aliados à velha mídia, espalhassem o terrorismo para justificar o aumento da taxa Selic.

É a mesma marmelada de sempre

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora