Painel internacional

Temporada de resultados corporativos nos EUA

CNNMoney.com

O rali de primavera da bolsa de valores dos EUA perdeu ímpeto bem quando os investidores estavam prontos para enfrentar um grande obstáculo: o início do período de resultados do segundo trimestre. O limitado crescimento de 6% do índice S&P 500, ou 31 empresas, deve-se aos resultados reportados esta semana. Mas a lista inclui os grandes bancos de finanças Goldman Sachs, Bank of America, Citigroup e JPMorgan Chase, juntamente com líderes de tecnologia Google, Intel e IBM. Atualmente, espera-se que os ganhos da S&P declinem 36% no segundo trimestre ante um ano atrás, segundo as últimas estimativas da Thomson Reuters. Isso significa que, salvo algumas surpresas maciças, o S&P 500 está no caminho certo para postar seu oitavo trimestre seguido de lucros mais fracos, maior seqüência desde que a Thomson começou a monitorar os resultados, em 1998.

Clique aqui


Goldman deve voltar aos lucros no trimestre

New York Times

A maioria de Wall Street, e a América, ainda está à espera de uma recuperação econômica. Depois, há o banco Goldman Sachs. Para cima e para baixo em Wall Street, analistas e operadores estão exultantes em que o Goldman, que só recentemente devolveu o dinheiro da ajuda do governo, apresentará lucros enormes a partir da abertura dos negócios na terça-feira. Analistas predizem que o banco obteve um lucro de mais de US$ 2 bilhões no período março-junho, devido à sua valentia em toda a negociação nos mercados mundiais. Se eles estiverem certos, os rivais do banco irão novamente se perguntar exatamente como o Goldman, desde a inveja de Wall Street, pôde se recuperar tão drasticamente, apenas alguns meses após a indústria financeira da nação ter sido abalada em suas bases.

Clique aqui


A recuperação da China no segundo trimestre

A economia chinesa provavelmente se recuperou fortemente nos três meses até 30 de junho, após atingir o piso em relação ao trimestre anterior, graças à melhora da demanda interna. Os analistas esperam os dados oficiais do produto interno bruto (PIB), que serão divulgados na próxima semana. E os economistas disseram que os números da produção industrial de junho e os investimentos em imobilizado, a serem divulgados na quinta-feira, revelariam também uma melhoria contínua da atividade econômica e os investimentos no continente, apesar de leituras sobre a inflação podendo ser negativas. Depois da desaceleração em relação ao ano anterior, um crescimento de 6,1% no período de janeiro a março – alegadamente o seu mais fraco ritmo de expansão trimestral desde que os registros começaram em 1992 – o PIB da China deverá ter crescido entre 7,5% e 7,8%, de acordo com o analista do Credit Suisse Dong Tao.

Clique aqui


O pacote de estímulos nos EUA

David Oneglia estava olhando para o risco de demissões em sua firma de construção nos Estados Unidos. Então ele recebeu um contrato financiado pelo programa federal de estímulo para reparar estradas e pontes da Merritt Parkway, em Connecticut. O trabalho de US$ 67 milhões e os 80 trabalhadores que emprega permitiu a Oneglia manter sua atual folha de pagamento. E não permite expandi-la. “O trabalho que estamos recebendo é apenas para manter as pessoas que temos em nosso contingente do dia-a-dia“, disse Oneglia, presidente da Torrington, em Connecticut. “Ela não vai acrescentar nada. Mesmo com o dinheiro do pacote do presidente Barack Obama – assinado em fevereiro – começando a fluir para projetos nos EUA, seu valor está sendo questionando por alguns legisladores. A perda de emprego maior que o previsto empurrou a taxa de desemprego de junho para 9,5%, a mais alta em 26 anos, após Obama ter prometido criar ou salvar 3,5 milhões de postos de trabalho durante dois anos. Os Republicanos dizem que é a prova de que os US$ 787 bilhões da medida não estão funcionando, enquanto os Democratas discutem se uma segunda dose de gastos é necessária para sair da recessão.

Clique aqui


Eleições gerais no Japão

Financial Times

O sitiado primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, concordou, junto com os principais membros do longevo Partido Liberal Democrata (PLD), em convocar uma eleição geral para 30 de agosto, afirmou a mídia local na segunda-feira. A decisão de Aso de agendar as eleições para o próximo mês se segue a uma pesada derrota do PLD na votação para a Assembleia Municipal de Tóquio no domingo, e parece destinada a repelir possíveis desafios de colegas do partido à sua liderança.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora