OTAN suspende acordo de cooperação com Moscou

 EPA)

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen 

Enviado por Paulo F.

Da Ansa

Otan apoia Kiev e quebra acordo com a RússiaFronteira com Ucrânia é palco de confrontos com separatistas

(ANSA) – O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, anunciou hoje, dia 7,  a suspensão da cooperação com Moscou e o apoio do organismo à Ucrânia em meio a uma crise política no país. Acordo diz respeito a defesa coletiva de países membros do grupo.

Ele ainda pediu  para que a Rússia retire suas tropas da fronteira com a Ucrânia. “A Rússia continua desestabilizando a Ucrânia” e “apoiando os separatistas”, disse, durante coletiva de imprensa realizada em Kiev. Rasmussen disse estar “muito preocupado” com a possibilidade de que tropas russas usem “uma força de paz como desculpa para fazer guerra”.  

O governo de Moscou negou nesta quarta-feira, dia 6, que esteja concentrando tropas na fronteira com a Ucrânia. A emissora norte-americana CNN publicou, citando um alto funcionário da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que a Rússia enviou cerca de 20 mil oficiais à região.(ANSA)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. Nenhuma novidade. Sem

    Nenhuma novidade. Sem inimigo, a OTAN morre em paz provocando a bancarrota das empresas que fabricam os armamentos comprados pela organização militar. A Rússia tem que ser o inimigo, caso contrário os “senhores da guerra” ocidentais ficarão sem dinheiro, coitadinhos…

    • Exato

      Exato, e por isso eu acho que a Russia não invadirá a Ucrania..

      A OTAN precisa, implora  que a Russia seja a Russia…mas Putin será dramaticamente paciente.

    • Mas a França não está

      Mas a França não está fabricando os navios de guerra porta helicópteros encomendados pela Rússia ? E ao que parece, vai continuar fabricando.

      E por falar nisso, que foi feito da indústrai bélica da URSS ? Até nós aqui estamos construindo submarino nuclear .

  2. Melhor fazer a guerra de uma

    Melhor fazer a guerra de uma vez, afinal parece que só depois de tomarem uma ferrada pra valer, vão parar com as provocações.

  3.  
    Como um jogo de xadrez,

     

    Como um jogo de xadrez, cada movimento russo é muito bem pensado.

    Após o golpe na Ucrania com apoio da UE e do grande Satã (USA), os russos deixaram o barco correr e logo anexaram  a CRIMÉIA.

    O conflito continua … UE e o grande Satã impõe sanções, achando que a Russia iria se por em posição de circunflexo …

    Não, a Russia continua deixar o barco correr … e mais regiões da Ucrania começam a se rebelar contra o Golpe …

    No afã de ganhar a opinião pública, após a derrubada de um avião comercial, o grande Satã e a UE correram e apontaram o dedo para a Russia … novamente a Russia deixou o barco correr … depois de muitas acusações falsas, baseadas em mentiras … mostrou dados dando outra versão para o ocorrido.

    Logo em seguida o grande Satã, ao se ver pego na mentira, mudou o discurso, dizendo que o avião foi derrubado por engano pelos rebeldes, mas não mostram prova nenhuma.

    Na verdade esta mudança de discurso do grande Satã apontando “engano” foi pensado para preparar a opinião mundial, caso a versão russa se comprove e mostre que talvez foram os ucranianos que derrubaram o avião por engano, uma fatalidade. Caso fosse os rebeldes, seria um crime.

    Após várias sanções, os russos revidam com sanções economicas, que vão prejudicar empresas da UE e do grande Satã.

    O grande Satã, dá mais este passo. O que certamente vai gerar um novo lance russo:

    –  talvez aumente agora realmente aumentem o efetivo na fronteira, declarando que a Otan do grande Satã esteja planejando uma invasão via Ucrania,;

    – proiba a utilização do seu espaço aereo por voos comerciais, gerando mais prejuízos às companhias da UE e do grande Satã.

    – corte o fornecimento de gás a UE bem no momento em que se aproxima o inverno no hemisfério Norte. Mais prejuízos a empresas da UE, sócia do grande Satã.

     

     

     

    • Acho que não

      Sua analise é ótima até a parte da OTAN, daí pra frente eu discordo.

      Na minha opinião a Russia não entra na Ucrania, até aqui a culpa a Putin foi  forjada e no intimo  os integrantes da UE sabem disso, e se o EUA foprçar muito a UE racha…e já começou a trincar, A Australia relutou aplicar essas ultimas sanções, a Nova Zeandia não aplicou (e será agraciada pela Russia), a Finlandia já quer compensação da UE, a França recusa-se cancelar os contratos do Minstral. Austria construirá o South Stream com a Russia…Tá rachando…E com  uma culpa real de Putin não haverá essa divisão.

      Quanto a OTAN também não passa de  ladainha,  se encherem muito a Russia deixa o tratado de misseis balisticos e pronto…a OTAN vai baixar a cabeça no dia seguinte.

      Sinceramente, a Europa tem se mostrado super fraca em geopolitica, e a Russia vai dra um baile.

       

  4. É plausível se avaliar os

    É plausível se avaliar os métodos políticos cabíveis, pois a diplomacia regional não é uma questão dos modelos dos EUA nem da OTAN.

    Por que a ONU não chama à mesa de negociações os presidentes da Russia e Ucrania?

    Dedução: Secretário Geral da ONU, Ban kI-moom, está submisso á Casa Branca.

  5. Cinismo

     A Russia tem uma diplomacia extremamente paciente. Dar satisfação do que ocorre em suas fronteiras é absolutamente desnecessário, diante do que ocorre na Ucrania com uma organizaçõe política formada por nazistas, ortodoxos conservadores e anarquistas libertinos. Já que essa mumia chamada otan existe, por que não ressucitar o pacto de Varsóvia?

  6. Retorno

    Será o retorno do Pacto de Varsóvia? Com certeza, Putin, que de bobo não tem nada, já tem uma carta na manga e logo anunciará. Prevejo que os EUA e alguns países submissos da europa estarão em grandes apuros daqui a alguns anos pela sua postura divisora e arrogante. Novas alianças estão se formando e os EUA reféns da indústria bélica parou no tempo apostando em suas soluções unilaterais.

  7. Estou mais interessada no

    Estou mais interessada no boicote aos produtos primários, assim sobra mais oportunidades ao Brasil.  Que a nossa diplomacia saiba aproveitar as oportunidades que irão se apresentar.  E assim o grande satã segue dando tiro no pé com sua política externa anti Rússia. 

    • MRE

      Espero que a diplomacia brasileira, tradicionalmente quieta, seja mais atuante e à altura da posição que o Brasil está conquistando. Gostei da postura diante do genocídio realizado por Israel. Que nos posicionemos à frente, expondo o ponto de vista brasileiro de forma equilibrada e justa, calando a boca de muito país que nos julga “irrelevantes”.

  8.  
     
    Querem ser putas do Tio

     

     

    Querem ser putas do Tio Sam? Pois paguem!

      ● — A Rússia está proibindo, por 12 meses, todas as importações de carne de boi, de porco, frutas e legumes, carne de frango, pescado, queijos e laticínios em geral, da União Europeia, dos EUA, da Austrália, do Canadá e do Reino da Noruega, para a Rússia. ● — A Rússia também fechou o espaço aéreo para linhas europeias e norte-americanas que sobrevoem [seu] espaço aéreo para o leste da Ásia, a saber, a Região do Pacífico Asiático, e está considerando mudar os pontos chamados de entrada e saída do espaço aéreo russo, para voos europeus, agendados e charter. Além disso, a Rússia está preparada para modificar as regras de uso das rotas transiberianas e interromperá conversações com autoridades aéreas dos EUA sobre o uso das rotas transiberianas. Finalmente, a começar nesse inverno, podemos revogar direitos adicionais concedidos por autoridades aéreas russas além de acordos prévios.EUA e União Europeia vs export/import RússiaÉ desenvolvimento interessante e importante, que exige análise muito mais sutil que o cálculo estreito do quanto pode custar aos EUA ou à União Europeia. Em vez de tentar cálculo desse tipo, destacarei os seguintes elementos: Primeiro, é resposta tipicamente russa. Há uma regra básica que todas as crianças russas aprendem na escola, em brigas de rua, no exército e por toda parte: nunca ameace e nunca prometa; aja. Diferente dos políticos ocidentais que passaram meses ameaçando sanções, os russos limitaram-se a dizer vagamente que se reservavam o direito de responder. Então, BANG! Aí está embargo amplo e de grande alcance, o qual, diferente das sanções ocidentais, terá forte impacto no ocidente, mas ainda maior na própria Rússia (mais sobre isso, adiante). Essa tática de “palavras zero & só ação” é concebida para maximizar a contenção de atos hostis: uma vez que os russos nunca anunciaram antes o que poderiam fazer como retaliação, só Deus sabe o que podem fazer agora, na sequência! 🙂 Segundo, as sanções escolheram a dedo os próprios alvos. Os europeus têm agido como prostitutas sem cérebro nem autorrespeito em todo esse assunto; sempre se opuseram às sanções, desde o primeiro momento, mas não tiveram coragem de fazer-saber ao Tio Sam. Por isso, acabaram tendo de render-se total e vergonhosamente. A mensagem dos russos é simples: “Querem ser putas do Tio Sam? Pois paguem o preço!” Esse embargo ferirá especialmente o sul da Europa (Espanha, França, Itália, Grécia) cuja produção agrícola sofrerá muito. São também os países mais fracos na União Europeia. Ao atingi-los, a Rússia está maximizando a inevitável fricção dentro da União Europeia em torno das sanções contra a Rússia. Terceiro, não é só que as empresas de aviação da União Europeia sofrerão com custos mais altos e tempos de voo mais longos nas importantíssimas rotas da Europa à Ásia: as empresas de aviação asiáticas nada sofrerão, o que assegura às segundas dupla vantagem competitiva. Que tal esse arranjo, para castigar um dos lados e recompensar o outro? A União Europeia criou problemas para uma empresa aérea russa (Dobrolet), por causa de seus voos para a Crimeia, e por isso toda a comunidade das empresas aéreas da União Europeia pagará o preço de tremenda desvantagem em relação às suas contrapartes asiáticas.
    Vai desfazer nossa amizade no Facebook?Quarto, a Rússia usou essas sanções para fazer uma coisa vital para a economia russa. Explico-me: depois do colapso da URSS, a agricultura russa permaneceu em completo desarranjo, e Yeltsin só fez piorar tudo. Os agricultores russos simplesmente não podiam competir contra avançadas empresas de agroindústria, que se beneficiam de grande economia de escala, de pesquisa química e biológica de alta (e caríssima) tecnologia, que controlam toda a cadeia de produção (quase sempre coligadas em imensas empresas holdings) e têm alta capacidade para marketing e qualidade. O setor agrícola russo precisava muito, precisava desesperadamente, de barreiras e tarifas que o protejam contra as gigantes capitalistas ocidentais; mas, em vez disso, a Rússia só fez ordenar-se voluntariamente pelos padrões da OMC; até se tornou membro. Agora, a Rússia está usando esse embargo total para dar à agricultura russa um tempo crucialmente necessário para investir e alcançar fatia muito maior do mercado russo. Não esqueçam que os produtos russos são LIVRES DE ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS; [20/5/2014, “Rússia prendeu o demônio Monsanto de volta na garrafa”, F. William Engdahl, Global Research, Canadá (em inglês)] que usam muito menos conservantes, antibióticos, corantes, intensificadores de sabor e pesticidas. E, dado que são produção local, não exigem que se usem técnicas desse tipo de refrigeração/preservação que, como todos sabem, fazem todos os produtos ficar com gosto de caixa de papelão. Em outras palavras, os produtos agrícolas russos têm muito melhor sabor e qualidade – o que, como se sabe, não basta para fazer um campeão de mercado. Esse embargo servirá como impulso poderoso para investir, desenvolver, e alcançar melhores fatias de mercado. Quinto, há 100 países que não votaram com os EUA na questão da Crimeia. Os russos já anunciaram que esses são os países com os quais a Rússia comerciará para obter produtos que não se possam produzir indigenamente. Boa recompensa a quem se levanta contra o Tio Sam. Sexto, é pouquinho, mas é doce: vocês perceberam que as sanções da União Europeia foram impostas só por três meses e “para posterior revisão”? Ao impor embargo por 12 meses, a Rússia também envia mensagem bem clara: “E agora?! Quem vocês acham que se beneficiará da confusão que vocês armaram?”. Sétimo, é absolutamente errado calcular que o país X da UE exportava Y milhões de dólares à Rússia, e daí concluir que o embargo russo custará Y milhões de dólares ao país X da UE. Por que está errado? Porque a não venda desse produto criará um excedente que afetará adversamente a demanda ou, se a produção cair, afetará os custos de produção (economias de escala). Na direção inversa, para um hipotético país não-UE Z, um contrato com a Rússia pode significar dinheiro suficiente para investir, modernizar-se e tornar-se mais competitivo, não só na Rússia, mas nos mercados mundiais, inclusive na UE.
    Sanções!Oitavo, os países bálticos desempenharam papel particularmente daninho em todo o caso da Ucrânia, e agora algumas de suas indústrias mais lucrativas (por exemplo, de pescado), que eram 90% dependentes da Rússia, terão de fechar. Aqueles países já estão em terrível confusão, mas agora a coisa piorará muito. Mais uma vez, a mensagem bem simples: “Querem ser putas do Tio Sam? Pois paguem!” Nono, e esse é tópico realmente importante: o que está acontecendo é que a Rússia vai gradualmente se separando das economias ocidentais. O ocidente rompeu alguns laços financeiros, militares e aeroespaciais; a Rússia rompeu os laços monetários, agrícolas e industriais. Não esqueçam nem por um instante que o mercado EUA/UE é mercado em processo de naufrágio, afetado por profundos problemas sistêmicos e questões sociais gigantescas. Em certo sentido, a comparação perfeita ainda é o Titanic, com a orquestra tocando enquanto o navio afundava. A Rússia é como um passageiro que, naquele momento, recebeu a notícia de que as autoridades do Titanic não o consideravam bem-vindo a bordo e o desembarcariam no próximo porto. Quer dizer… Mas… Que diabo de ameaça é essa?! Décimo e último, mas de modo algum menos importante, essa guerra comercial, combinada à russofobia histérica do ocidente, está oferecendo a Putin a melhor campanha de Relações Públicas com que o Kremlin poderia sonhar. A propaganda na Rússia só tem de dizer à população a mais absoluta verdade: Os russos fizemos tudo certo; fizemos tudo conforme o manual deles; fizemos todo o possível para desescalar essa crise; e, em troca, a única coisa que pedimos foi que, por favor, façam parar o genocídio do nosso povo na Novorrússia… E o que fez o Ocidente? Como respondeu? Com uma campanha insana de ódio, com sanções contra nós e com apoio total aos nazistas genocidas em Kiev.Relógio – por Josetxo EzcurraAlém disso, como quem acompanha atenta e cuidadosamente a imprensa-empresa russa, posso dizer a vocês que o que está acontecendo hoje parece muito com coisa já conhecida. Parafraseando Clausewitz, pode-se dizer que o que estamos vendo hoje é “uma continuação da IIª Guerra Mundial, mas por outros meios”. Em outras palavras, uma luta a ser combatida até o fim, entre dois regimes, duas civilizações que não podem conviver no mesmo planeta e que estão atadas uma à outra, em luta de vida e morte. Nessas circunstâncias, o apoio do povo russo ao presidente Putin só fará aumentar ainda mais. Em outras palavras: em movimento que os judocas conhecem bem, Putin usou a fúria da campanha ocidental anti-Rússia e anti-Putin, mas contra o ocidente e a favor da Rússia e de Putin: a Rússia beneficiar-se-á de tudo isso, economicamente e politicamente. Longe de ser ameaçada por algum tipo de “Maidan nacionalista” no próximo inverno, o regime de Putin será fortalecido pelo modo como gerenciou a crise (os índices de aprovação popular de Putin estão ainda mais altos que antes). Sim, claro, os EUA já mostraram que têm vasto conjunto de capacidades para ferir a Rússia, sobretudo mediante um sistema de cortes e tribunais de justiça (nos EUA e na UE) que é tão subserviente ao estado profundo dos EUA, quanto as cortes e os tribunais da Coreia do Norte são subservientes ao “Amado Líder” deles, em Piongueangue. E a perda total do mercado ucraniano (de importações e de exportações) também ferirá a Rússia. Temporariamente. No longo prazo, toda essa situação é imensamente proveitosa para a Rússia. Entrementes, Maidan está novamente em fogo, Andriy Parubiy renunciou, e os Ukies não param de bombardear hospitais e igrejas na Novorrússia. Sem novidades, pois.Liberdade de movimento na União EuropeiaQuanto à Europa, amanheceu furiosamente bombardeada e em choque. Francamente, nessa manhã, minha feia capacidade para sentir prazer ante a desgraça de alguns parece não ter limites. Que aquelas arrogantes não entidades do tipo de Van Rompuy, Catherine Ashton, Angela Merkel ou José Manuel Barroso se afoguem na tempestade de merda que a estupidez deles, a falta de vergonha, de coragem, de espinha dorsal dessa gente, criou. Nos EUA, Jen Psaki parece viver sob a impressão de que a região de Astrakhan mudou-se durante a noite para afronteira da Ucrânia, enquanto o Ministério de Defesa da Rússia anuncia que: (…) abrirá contas especiais nas redes sociais e redes abertas de distribuição de vídeos e filmes, para conseguir fazer chegar ao Departamento de Estado dos EUA e ao Pentágono informação prestável, não errada, sobre as ações do exército russo. Será que, tudo isso posto, os líderes da UE conseguirão entender que puseram seu dinheiro no cavalo errado?   The Saker  

     

  9. Paciência……………

    O urso tem que ter paciência, e não fazer o jogo que a OTAN que que ela faça!

    Na realidade, o que estão fazendo é exatamente isto, forçando a Russia entrar na Ucrânia, e usar a desculpa de defenderem os ucrânianos, quando na verdade ela quer, além de ter posto um fantoche no governo, é fomentar uma guerra.

    Guerra esta que irá encher os cofres das industria de armamentos, que bemsabemos em que mãos estão, e com ist,o  desviar a atenção dos problemas na palestina!

    Problemas estes, criados por eles mesmos tempos atrás, quando dividiram covardemente àquela região e a deram aos judeus, fazendo com que fosse um posto militar avançado, para melhor conrolar os recursos daquela região.

    É melhor não pagarem pra ver, pois jogar bomba em palestino com estilingue, é uma coisa, outra coisa é uma potência nuclear, defendendo suas posições geopoliticas!!!!

     

  10. PUTAS DO TIO SAM……………

    Nilton, foi certeiro em sua análise e agradecemos compartilhar conosco, como também ao GGN por possibilitar que tenhamos acesso.

    Quanto ao título – “QUEREM SER PUTAS DO TIO SAM”, não haveria título mais apropriado, e o estenderia aos nossos americanófilos, que tão bem têem defendido os ataques genocidas à Palestina, inclusive com armamentos fornecidos por eles! 

  11. Explicando

     ” Acordo de defesa coletiva do grupo ”  O que no “diplomatês” OTAN significa ?

       Mais “diplomatês”: A Federação Russa esta suspensa do acordo de defesa coletiva (colletive defense ), referente a clausula 5 do Tratado de Washington,  reformada em 2002, após os ataques de 11/09, no qual todas as nações OTAN + Russia, compartilhariam informações e operações anti- /contra – terrorismo. OU SEJA, UM NADA, mas ótimo papo para os comunicadores sociais, vulgo “jornalistas”.

        NATO e Federação Russa, possuem outros protocolos/acordos, bem mais sensiveis, tais como: 1. Proteção das Republicas Bálticas; 2. Navegação do Baltico e trafego militar russo no Skagerrak (estreito da Dinamarca); 3. Delimitação da permanencia de navios de potencias OTAN, no Mar Negro, sem que estes navios pertençam a paises litoraneos a este MAR ( Tratado de Montreaux);  4.Tratado “Open Skyes” de vigilancia reciproca (Russia/Nato/USA); 5. IRBMs ( intermediarie ballistic missiles), estacionados em Kaliningrado (litoral da Polonia, mas enclave da Fed.Russa), e os acessos russos liberados a Kalinigrado ( antiga Koeningsberg). 

         Existem varios outros protocolos de segurança reciproca, entre a NATO/Fed.Russa, em todas as areas de interesse militar: espaço (satélites), sigint (inteligência de sinais), elint (inteligência eletronica), regime de rotas de voo e interrogação – as normas dão um bom livro – tipo: um caça NATO ou Russo, ao aproximar-se de uma aeronave da outra parte, em espaço aereo internacional, ou mesmo nos limites internos/externos de um espaço aereo nacional ( 2 milhas = 3.600 mts x 2 = 7.200 mts, ou “area de interrogação”), deve vir: de bombordo (pela esquerda), em ascenção, sem radar ligado em modo-tiro (apenas busca), ficar paralelo ao intruso, contata-lo na aproximação em canal de resgate (ele pode estar em dificuldades ou desorientado), e conduzi-lo para fora do espaço aereo.

        

      

  12. http://www.planobrazil.com/ex

    http://www.planobrazil.com/exercito-ucraniano-sangra-no-leste/

     

    7 de agosto de 2014 at 0:33

     

    Exército Ucraniano Sangra no Leste

    Posted by

     

    Autor: César Antônio Ferreira (“Ilya Ehrenburg”)

    Ignorada pela mídia, e quando retratada, apenas com informações afeitas ao discurso do atual governo ucraniano, sediado em Kiev, a guerra civil do leste da Ucrânia, todavia, segue o seu curso. E como tal produz combates, enfrentamentos e mortes. Dois relatórios foram divulgados, um de cada parte dos contendores. O relatório sobre as baixas sofridas pelo Governo da Ucrânia, também chamado como “Governo de Kiev”, é da responsabilidade do Ministério da Administração Interna. O documento é assinado pelo Ministro da Administração Interna: Arsen Avakov, e pelo responsável chefe pelas Operações Antiterroristas (OAT – em português, ATO em inglês), V. Gritsak. O período de tempo do relatório governamental compreende as datas entre 09.07.2014 e 15.07.2014 e a divulgação, ou vazamento não intencional segundo outras fontes, se deu em 15.07.2014. O relatório faz uma contabilidade sobre as perdas das tropas governamentais e aponta o dano sofrido por uma “milícia”, termo cuja tradução não deixa claro se é referente as forças federalistas, que lutam contra o Governo da Ucrânia sediado em Kiev, ou se é referente a forças não regulares agregadas às tropas do Governo da Ucrânia.

    Já o relatório divulgado pelos “Governos das Repúblicas Populares de Lugansk e Donetsk”, não versa sobre as próprias perdas, mas sim naquelas impostas ao inimigo. A divulgação deste relatório foi recente, e o seu conhecimento, ou melhor, a repercussão deste, deu-se através de um cientista político russo, acadêmico, que postou os dados concernentes em uma rede social.  O acadêmico em questão é o Sr. Igor Nikolaevich Panarin.

    Relatório com a Contabilidade de Perdas e danos, realizado pelo Ministério da Administração Interna (Ucrânia):

    Perdas das forças do Governo da Ucrânia, totalizadas:

    Mortos em Ação: 1600.

    Ferido em ação: 4723.

    Tanques: 35.

    Veículos blindados da batalha: 96.

    Artilharia: 38.

    Aeronave: 7.

    Helicópteros: 2.

    Automóveis: 104.

    Perdas da Milícia, totalizadas:

    Mortos em Ação: 48.

    Ferido em ação: 64.

    Tanques: 2.

    Veículos blindados da batalha: 0.

    Artilharia: 5.

    Automóveis: 8.

    Baixas imposta à população civil, total:

    Mortos: 496.

    Feridos: 762.

    Relatório de baixas realizado pelo Ministério da Administração Interna da Ucrânia.
    Observar a data em cirílico: 15 de junho de 2014. Imagem: Global Research.

    As forças Federalistas divulgaram recentemente um relatório dos danos por eles infligidos nas forças do governo de Kiev. Não está computada a rendição desta segunda – feira (04.08.2014) de 702 combatentes ucranianos, tampouco a fuga para a Rússia, ocorrida no domingo (03.08.2014), onde 400 outros soldados ucranianos pediram refúgio.

    O relatório foi divulgado pela pessoa do Sr. Igor Nikolaevich Panarin, por meio de mídia social. Cientista Político, PhD em Psicologia, Doutor de Ciência Política e membro da Academia de Ciência Militar. Possui também o cargo de membro do Conselho Científico e Metodológico da Comissão Central da Federação Russa, de reitor do curso noturno da Faculdade de Relações Internacionais da Academia Diplomática do Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa, bem como também o de membro do Comitê de Especialistas sobre Assuntos da Comunidade dos Estados Independentes do Conselho da Federação. É autor de obras sobre psicologia, geopolítica e guerra de informações. Tornou-se mundialmente famoso por um equívoco acadêmico: previu que o agravamento da crise econômica de 2008 levaria a dissolução da união dos Estados Unidos da América em 2010, algo que como se sabe não aconteceu.

    O relatório segue abaixo:

    Baixas totais do Governo da Ucrânia, segundo informe das Forças Federalistas

    Perdas totalizadas das tropas do Governo central de Kiev na Bacia do Don (Donbass), durante o período compreendido entre 2 de maio de 2014 e 2 de agosto de 2014:

    Mortos e feridos em combate: 9.321

    Prisioneiros: 20

    Desertores: 6.340

    Dentre os mortos e feridos declarados se encontram membros do Pravy Sektor (Setor Direita), formados na Guarda Nacional da Ucrânia. Estes somam o número de 2.590.

    Comandantes mortos em campo

    Major General Sergei Kulchitsky:  29.05.2014. Morte acontecida próxima a Slovyansk, República Popular de Donetsk. Detinha o posto de chefe de Treinamento de Combate da Guarda Nacional da Ucrânia.

    Coronel Radievsky: 23.07.2014. Morte acontecida próxima a Lisichansk, República Popular de Lugansk, Comandante do Batalhão Chernihiv da Guarda Nacional da Ucrânia.

    Oficiais capturados em campo

    Oficial aviadora Nadezhna Savchenko: capturada em junho. Data precisa não informada. Mantida em custódia pela Federação Russa, acusada do assassinato de dois jornalistas russos.

    Mercenários mortos e/ou feridos

    Mercenários de Igor Kolomoysky (batalhões: Dnepr, Donbass, Chernihiv, Aidar, Azov): 2.150.

    Mercenários estrangeiros: 334.

    Dentre estes se destacam:

    Poloneses: ASBS Othago (empresa polonesa) – 139 agentes.

    Norte-americanos: Greystone (empresa americana) – 44 agentes; Academi (empresa americana, conhecida como Blackwater até 2009) – 125 agentes.

    Oficiais do Serviço de Segurança da Ucrânia

    Oficiais do Serviço de Segurança da Ucrânia – mortos e/ou feridos: 115.

    Situação das unidades:

    Grupo Alpha da cidade de Sumy: aniquilado.

    Grupos Alpha das cidades de Kiev, Poltava, Ternopil, Ivano-Frankivsk, Lviv, Rivne, Lutsk, Volyn, Vinnitsa, Zhitomir: pesadas baixas.

    Agentes Estrangeiros/sabotadores:

    Estrangeiros:

    Mortos: 13

    Feridos: 12

    10ª Brigada Separada das Forças Especiais do Diretório de Inteligência do Ministério de Defesa da Ucrânia, da cidade de Kiev: 10 militares mortos e/ou feridos.

    Ministério do Interior da Ucrânia: 50 membros mortos e/ou feridos.

    Unidades militares

    Unidades militares – mortos e/ou feridos:

    95ª Brigada Aeromóvel da cidade de Zhitomir: 200.

    25ª Brigada Aeromóvel da cidade de Dnepropetrovsk: 480.

    79ª Brigada Aeromóvel da cidade de Nikolaev: 480.

    24ª Brigada Mecanizada da cidade de Yavorov: 490.

    80º Regimento Aeromóvel da cidade de Lviv: 190.

    3º Regimento das Forças Especiais da cidade de Kirovograd: 70.

    8º Regimento das Forças Especiais da cidade de Khmelnitsky: 30

    93ª Brigada Mecanizada, da aldeia de Cherkasskoyeh: 190.

    72ª Brigada Mecanizada da cidade de Belaya Tserkov: 360.

    28ª Guarda Separada da Brigada Mecanizada da aldeia de Gvardeyskoyeh: 110.

    128ª Brigada de Infantaria de Montanha da cidade de Mukachevo: 100.

    Força de Defesa Territorial: 100.

    1ª Brigada de Tanques da aldeia de Goncharovskoyeh: 80.

    Destacamento de fronteira de Lugansk: 55.

    Destacamento de fronteira de Donetsk: 55.

    51ª Brigada de Aviação do Exército da Guarda Nacional da Ucrânia, da cidade de Aleksandria: 30.

    16ª Brigada de Aviação do Exército da cidade de Brody: 35.

    831ª Brigada de Aviação de Combate da cidade de Mirgorod: 40.

    114ª Brigada de Aviação Tática da cidade de Ivano-Frankovs: 5.

    299ª Brigada de Aviação de Combate da cidade de Nikolaev: 30.

    25ª Brigada de Transporte Aéreo da cidade de Melitopol: 9.

    Militares mortos na aeronave An-30 (reconhecimento), abatida em Chuguev, região de Kharkov (Kharkiv) em 6.06.2014: 5.

    Antonov An-26 da Força Aérea da Ucrânia. Foto: Internet.

     

    Equipamento do Exército da Ucrânia, Guarda Nacional da Ucrânia, Força Aérea da Ucrânia e de forças mercenárias, destruídos:

    Aeronaves

    Aeronave não classificada (30.07.2014): 011.

    An-26: 2.

    An-30: 1.

    Il-76: 2.

    Su-25: 17 (incluindo um Su-25 capturado em Lugansk na data de 7.07.2014).

    Ilyushin IL-76 abatido por Forças Pró-Russia. Foto: CNN (AP Photo/Evgeniy Maloletka)

    Su-24: 7.

    Helicópteros militares (Mi-24, Mi-17, Mi-8): 19.

    Drones (vigilância): 5.

    Carros de Combate

    T-64: 185.

    T-72: 7.

    Bulat (T-64 BM Bulat – versão modernizada do T-64): 1.

    Veículos de reconhecimento:

    “Hummers”: 5.

    Jeep: 1.

    UAZ-469: 3.

    Caminhão militar ZIL-131. Foto: internet.

     

    Veículos de transporte de infantaria – caminhões:

    GAZ – 66: 19.

    ZIL – 131: 1.

    Kamaz: 29.

    Ural: 26.

    Veículos de transporte de infantaria – blindados:

    APC: 211.

    BMD: 94.

    BMP: 103.

    Foto: LeaderPost

    Canhão AA ZU-23/2. Foto: internet.

     

    Artilharia – Artilharia AA:

    ZU – 23/2 (23mm): 2.

    Artilharia – Lança foguetes:

    Lança foguetes Grad: 8.

    Lança foguetes Uragan: 6.

    Artilharia – Howitzers:

    Howitzer autopropelido 2S3 Akatsiya: 2.

    Howitzer D-30 (2A18; 122mm): 23.

    Artilharia – Morteiros:

    Morteiro Autopropelido Nona (2S23; 120mm): 3.

    Morteiros rebocados de 122mm: 17.

    Veículos de apoio:

    Guindaste móvel: 1.

    Considerações Finais do autor:
    Dos dados relatados, percebe-se que não é uma operação de baixo vulto aquela empreendida pelo Governo da Ucrânia contra as forças Federalistas, visto o grande número de Brigadas, de várias localidades, envolvidas no conflito, bem como às perdas materiais, que são pesadas.

    É necessário entender que a informação também é uma arma, motivo pelo qual as baixas são sempre que possível, omitidas, quando não são negadas sem pudor. Forças guerrilheiras, caso das forças Federalistas, têm por costume nunca admiti-las, já as forças regulares são obrigadas a fazê-lo, mesmo que a contragosto, por ser o braço armado de um Estado, portanto, respondem perante as instituições políticas e organizacionais constitutivas deste mesmo Estado. Desta maneira vê-se obrigatória a elaboração de relatórios com perdas de material e baixas havidas no efetivo, para que haja administração devida destas, com as substituições concernentes, bem como subsídio para análise da estratégia empregada e os planos táticos dela derivados. É bem verdade que os arquivos gerados, principalmente aqueles com alto nível de detalhamento acabam por ganhar grau de sigilo, todavia, cedo, ou tarde, em geral tarde, o grau de sigilo torna-se irrelevante defronte o interesse histórico, o que leva a abertura do arquivo para consulta.

    Notas:

    1: Não se trata do voo MH-17, cuja queda se deu antes, 17.07.2014.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome