Fachin autoriza PF a interrogar Temer, que poderá responder por escrito

temer_celular_marcos_correa_pr_2_0.jpg
 
Foto: Marcos Corrêa/PR
 
Jornal GGN – Relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, o ministro Edson Fachin autorizou o interrogatório do presidente Michel Temer. O peemedebista é investigado em inquérito baseada na delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, da JBS.
 
O pedido do interrogatório foi feito pela Procuradoria Geral da República. As perguntas poderão ser feitas por escrito e respondidas em um prazo de 24 horas depois das entregas das questões pela Polícia Federal. 
 
Fachin também determinou que o inquérito sobre o presidente fosse enviado imediatamente para Polícia Federal, em um prazo de dez dias. 

 
Nesta terça-feira (30), o magistrado também decidiu pela separação da investigação do Aécio Neves, senador pelo PSDB de Minas Gerais, do inquérito de Michel Temer. 
 
O deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), acusado de intermediar o pagamento da propina da JBS, também está no inquérito que investiga o presidente da República. 
 
Com o interrogatório, a Procuradoria pretende esclarecer o diálogo entre Joesley e Michel Temer, gravado pelo dono da JBS. Para Rodrigo Janot, procurador-geral da República, o presidente teria feito uma “confissão extrajudicial” durante a conversa, aponta “anuência” de Temer sobre o pagamento de propina para o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
 
Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora