Lava Jato quer encerrar a novela com minha morte política, diz Lula

“Vivemos um momento no Brasil em que a lógica não é mais os autos do processo. É a manchete. Quem vamos criminalizar pela manchete? Quem vamos demonizar? Acontece isso desde 2005. O PT é tido como partido que tem que ser extirpado da história política brasileira. Foram o que fizeram com o partidão na década de 1950. Querem fazer com o PT, comigo, já fizeram com a Dilma.”

Jornal GGN – O ex-presidente Lula disse à imprensa, na tarde desta quinta (15), que o ataque da Lava Jato contra sua imagem e de sua família é o desfecho da novela criada por setores derrotados nas urnas com apoio da velha mídia e de membros do Judiciário, para impedir que um projeto de governo de esquerda se mantenha no poder.

Segundo o ex-presidente, a denúncia envolvendo o triplex no Guarujá e o custeio da manutenção do acervo presidencial pela OAS mostra que a operação avança com acusações sem fundamentos.

“Descobri que tanto os meus acusadores e a imprensa brasileira estão mais enrascados e comprometidos do que eles pensam. Eles construíram uma mentira como se fosse o enredo de uma novela. Agora está acabando o prazo, já cassaram o Cunha, elegeram o Temer indiretamente com um golpe, cassaram a Dilma. Agora precisa concluir a novela. O desfecho é acabar com a vida política do Lula. Não existe outra explicação para o espetáculo de pirotecnia feito ontem”, disparou Lula.

Lula negou que tenha apartamento no Guarujá, sítio no interior paulista ou que tenha recebido vantagens indevidas da OAS. “Criaram mentiras sobre coisas que não tenho. Se não sabem o que dizem, peçam desculpas. Não continuem inventando coisas para justificar a primeira mentira. É a única coisa que eu peço. E, por favor, respeitem minha família”, disse Lula, emocionado.

Leia também:

Velha mídia distorce fala de Lula sobre Jesus: ele não falou sobre honestidade

Defesa busca punição para procuradores que chamaram Lula de maestro da corrupção

A implicação de sua esposa e filhos na Lava Jato levou o petista às lágrimas em quase todas as oportunidades em que eles foram lembrados. Lula disse que não foi nada fácil “suportar a invasão da Polícia Federal” em sua casa. “Quando eu saí, levantaram meu colchão, como se eu tivesse ouro de Moscou escondido lá, ou uma refinaria da Petrobras. (…) Depois eu tive que chamar um especialista para ver se eles tinham deixado grampo.”

Lula disse que apesar de toda a “perseguição”, ele escolheu não entrar no jogo de seus adversários ficando zangado ou abatido. Contudo, ele disse ter ficado “indignado” com o fato de procuradores da República terem despendido recursos públicos para fazer acusações que não têm provas, apenas “convicções” com contornos políticos. “Eu tenho convicção de que quem mentiu está numa enrascada”, provocou.

CONTRA-ATAQUE

A defesa do ex-presidente anunciou, nesta quinta, que apresentou denúncia contra os procuradores da Lava Jato ao Conselho Nacional do Ministério Público. Os advogados alegam que eles cometeram irregularidades ao tratar de uma investigação – organização criminosa – que está sob a tutela do Supremo Tribunal Federal. Além disso, emitiram juízo de valor, com o intuito de “enxovalhar a reputação de Lula e sua família” ao colocar o ex-presidente no topo da pirâmide da corrupção na Petrobras.

Lula aproveitou a coletiva para dizer que acredita no Ministério Público e na Polícia Federal “sérios”, que não julgam pessoas através da imprensa. Ele afirmou que vai colaborar com a investigação, apesar de discordar das arbitrariedades.

“Vou prestar quantos depoimentos forem necessários, podem me chamar. Se tem uma coisa que eles têm que aprender é que eles não estão habituados com um cidadão que a única coisa de que tem orgulho é de ter conquistado a condição de andar com a cabeça erguida nesse país”, frisou, novamente emocionado.

VERGONHA

Após dizer que se a Lava Jato encontrar provas de crimes praticados por ele, iria a pé se entregar à prisão, Lula sinalizou que o nível da denúncia apresentada pelos procuradores ontem deve ter deixado o Judiciário brasileiro envergonhado.

“Acho que hoje o procurador-geral deve estar pensativo; os ministros do Supremo, pensativos. Que o delegado-geral está pensativo. O que aconteceu? As custas de quê esse espetáculo? As custas de quê vender um produto que não têm como entregar? Desgastar minha imagem?”, indagou.

“Vivemos um momento no Brasil em que a lógica não é mais os autos do processo. É a manchete. Quem vamos criminalizar pela manchete? Quem vamos demonizar? Acontece isso desde 2005. O PT é tido como partido que tem que ser extirpado da história política brasileira. Foram o que fizeram com o partidão na década de 1950. Querem fazer com o PT, comigo, fizeram com a Dilma.”

Ao final, Lula mandou uma mensagem à militância, pedindo que os petistas levantem as cabeças e se orgulhem das transformações que promoveram nas últimas décadas. “Não pensem que estou desanimado ou sofrendo. Estou orgulhoso por saber que a perseguição a mim é por conta das coisas boas que fizemos nesse país.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora