No apagar das luzes do governo Temer, Ibama cancela multa de Bolsonaro

 
Jornal GGN – Jair Bolsonaro teve uma multa de R$ 10 mil do Ibama cancelada, com ajuda da Advocacia Geral da União ainda sob Michel Temer, segundo confirmou a Folha na quarta-feira (10). A AGU argumentou junto à Superintendência do Ibama no Rio que Bolsonaro, flagrado em área que não deveria ter presença humana em Angra dos Reis, em 2012, não teve direito à ampla defesa. O parecer fez o processo voltar à estaca zero.
 
“No ato que fundamentou o recuo, o procurador federal Felipe Fossi Machado, da AGU, afirmou que as decisões da primeira e da segunda instância do Ibama ‘não analisam os argumentos das peças defensivas [de Bolsonaro] e não fundamentam os respectivos indeferimentos'”, afirma a Folha.
 
Bolsonaro foi avisado do cancelamento no dia 4 de janeiro. Desde que foi eleito presidente, o capitão da reserva vem criticando o Ibama e citando o próprio processo como exemplo de supostos excessos cometidos pelos fiscais ambientais.
 
Apesar da decisão, Bolsonaro não está livre de punição, pois o crime ambiental no qual foi denunciado leva 12 anos para prescrever, ou seja, apenas em 2024.
 
O ex-deputado federal foi flagrado, em janeiro de 2012, uma quarta-feira em que deveria estar no gabinete, navegando em um bote inflável dentro da Estação Ecológica de Tamoios, categoria protegida de presença humana.
 
Abordado por um agente, ele se recusou a fornecer documentos de identidade e ainda ligou para o então ministro da Pesca do governo Dilma Rousseff para tentar escapar da autuação. Não conseguiu.
 
Quando o processo iniciou, a defesa de Bolsonaro ainda sustentou que ele estava em uma agenda parlamentar na data em que o processo foi notificado – que não é a mesma data do flagra feito pelo fiscal.
 
O hoje ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, saiu em defesa do chefe. “Ele não foi multado por pescar. Ele foi multado porque estava com uma vara de pesca. O fiscal presumiu que ele estava pescando. Então, veja bem, o exemplo que você deu já mostra como a questão ideológica permeia a atuação estatal nesses casos.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rui Ribeiro

- 2019-01-11 10:27:40

Quando eu era pequenino lá em Barbacena...

Certod dia, encontrei o Sr. Valdemir, de manhã bem cedo, com uma foice nas costas, indo na direção do campo. Perguntei a ele:

- Está indo trabalhar, seu Waldemir?

Ele respondeu:

- Não, tô indo prá festa.

Schin na rapaziada!

AMORAIZA

- 2019-01-10 17:52:11

A vara fake
 

Xovê se eu entendi.

O cara foi multado porque estava de barco, aparentemente pescando, numa área onde a presença humana era proibida.

Ele alegou em sua defesa que não estava ali nem no dia e nem na hora da multa.

Então, das duas uma: ou o lugar é fake ou o bolsonaro da foto é fake.

Existe ainda a hipótese divina: Ele estava lá, mas estava no seu gabinete cumprindo agenda parlamentar.

Ele é onipresente ou pode ter um gêmeo.

O que que o  chiveta do ministro da Dilma tinha que estar sacaneando o cabra?

Mesmo assim fica difícil explicar.

Ele estava lá , na foto.

Não estava lá de fato

O lugar existe na foto e de fato.

As hipóteses

Ele não se identificou para a autoridade local - porque não estava lá ou estava lá mas não era ele.

Ele não se identificou para a autoridade local - porque não era ele mas estava lá.

Ele telefonou para o ministro da Dilma, mas não era ele, porque ele não estava lá, ele estava no gabinete

A autoridade local não viu nada e se viu não era ele.

Bom, a lógica do discurso do coiso é a lógica do seu próprio modo de ser.

O cabra é cínico, mentiroso e confuso.

Ou não é ele.

Tinha que cancelar a multa mesmo.

Multa, que multa?

 

Nabantino Gonçalves

- 2019-01-10 16:35:27

Não era pescaria

O Bozo só estava ali para dar banho em minhoca para Robalo. 

Rui Ribeiro

- 2019-01-10 16:23:44

Todos são iguais perante a lei mas há uns mais iguais que outros

Pai e filho são presos por pesca ilegal durante a piracema em Votorantim

 

https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2019/01/10/pai-e-filho-sao-presos-por-pesca-ilegal-durante-a-piracema-em-votorantim.ghtml

jVicente

- 2019-01-10 14:11:50

Vara

Se ele não estava pescando, estava fazendo o que com a vara?

jVicente

- 2019-01-10 14:08:59

Que baboseira

Ricardo Salles, saiu em defesa do chefe. "Ele não foi multado por pescar. Ele foi multado porque estava com uma vara de pesca. O fiscal presumiu que ele estava pescando. Então, veja bem, o exemplo que você deu já mostra como a questão ideológica permeia a atuação estatal nesses casos."

Maria Luisa

- 2019-01-10 13:25:54

TNC

Ta bom, santa. Mas se fosse o Lula, o filho do Lula, o irmão do Lula, o compadre do Lula, o amigo do amigo do Lula... Teria tido uma multa em dobro e ainda faria a primeira de todos os jornais mostrando como Lula é corrupto e não respeita as leis de seu Pais. 

jcordeiro

- 2019-01-10 12:41:16

Intriga dos Kummunistas

Nassif: certo o ministro. O caso do daBala é de mera "presunção". A começar pelo governo. O fiscal (que deve estar lascado, à esta altura) presumiu que viu o Hôme num barco. Presumiu que havia junto uma varinha de pescar. Presumiu que a área onde ele estava é reserva marinha. Com estas tres presunções deduziu que o Messias estaria pescando. E como bom Kummunista lascou-lhe uma multa, como manda a Lei. Porém o zeloso operador do MeioAmbiente disse que ele, seu chefe, não estaria pesacando. Apenas usava o local para treinar "andar sobre as águas", como descrito na Bíblia. E escolheu uma reserva para fugir do olhar bisbilhoteiro dos zelotes repórteres, ávidos pro crucificá-lo no madeiro. Os Perdigueiros do Judiciário endossarão a tese jurídica e os VerdeSauvas (variedade da AttaLeavigataCaesernarium, cujos soldados têm cabeça brilhante e lisa), cumprindo a Constituição, farão um reunião na PraiaVermelha para referendar a questão. Se necessário, os Safados do Congresso editarão (a toque de caixa) um Leizeca. E como é criminal, beneficia o bandido reatroativamente.

Tanto bateboca para um caso que já está resolvido...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador