Dilma cresce com rejeição a Serra

Caro Nassif,

Ainda sobre a pesquisa IBOPE, gostaria de fazer alguns breves comentários a partir de análise que fiz para um grupo de estudos que acompanha pesquisas opinião eleitoral.

1) embora concorde com sua avaliação sobre a saturação de imagem de Serra, não creio que era exatamente a isso que Coimbra se referia em seu texto, mas sim a algo até mais simples: se aparição na TV ajuda candidato porque o torna conhecido, alguém como Serra que vinha se beneficiando do chamado “recall” (fato de já ter sido candidato ao cargo) acaba não se beneficiando da exposição nas mídias. Daí que no meio das pesquisas já se soubesse antecipadamente que as propagandas de PSDB, DEM e PPS de nada ajudariam Serra, ao contrário das expectativas por parte da imprensa torcedora.

2) não concordo com Coimbra em um detalhe de seu texto, quando diz que não está havendo mudanças em relação aos votos brancos e nulos. Veja essa última do Ibope mesmo: apresenta 6% dos eleitores como adeptos dos votos brancos e nulos, contra 12% na última Ibope! Caiu à metade. Isso indica, primeiro, a confirmação do pressuposto classicamente conhecido, de que momentos polarizados de eleições tendem a fazer diminuir os votos não válidos. Segundo, provavelmente quem está conseguindo reverter esses votos é Dilma. Até porque, veja que ela cresceu 8 pontos enquanto Serra caiu 5. Dilma está sim, portanto, conseguindo conquistar eleitores que antes eram de Serra, e também que antes não pretendiam votar em algum candidato. Não é pouca coisa.

3) A medida do insucesso da estratégia de Serra está em fato que você já apontou aqui, mas que está escapando das análises: a rejeição de Serra subiu. Isso nada tem a ver com Dilma se tornar mais conhecida, ou com mais eleitores lulistas identificando a ligação Dilma-Lula. Essa conta é 100% da própria candidatura Serra.

4) merece atenção também o fato de que Dilma rompeu o teto imaginário que o PT supostamente teria no âmbito nacional, os tais 30%. Pura bobagem mítica de analista de banca de jornal, mas que sobrevivia.

Tudo somado, Nassif, é bom reparar que o erro central de esperar que Serra na TV melhorasse índices de intenção de voto está no erro mais geral de avaliação sobre as eleições deste ano. Muitos acham que Dilma ganha votos por causa da benção pessoal de Lula, um toque de midas do presidente. Como se o eleitorado fosse grande massa parva que segue cegamente a indicação do seu messias populista da vez. Bobagem, preconceito, desinformação. O eleitorado não está propenso a votar em Dilma porque a figura pessoal do Lula indicou, mas porque ela representa um projeto político, um conjunto de resultados concretos, que o povo aprovou. Não se trata da figura pessoal de Lula, mas da idéia de continuidado, do “aprovo, voto”. Afinal, não é só Lula que tem excelente aprovação (cerca de 85%), mas seu governo também (75%). E o PSDB insiste em não perceber, achando que basta poupar a figura pessoal de Lula, porque o povo ligaria é para ela e não para o projeto político. Eleitorado seria massa de manobra personalista, não aprovaria o governo em si (como fica claro na charge que você postou aqui, retirada do blog do senador Álvaro Dias). Como disse no texto que fiz, a continuar assim, pagarão caro.

Se quiserem, botei essas primeiras impressões, em versão ampliada, em:http://politicando.blog.br/?p=624

E se tiverem interesse, mediante contato pessoal posso passar também os resultados da análise mais completa que estamos fazendo sobre a conjuntura eleitoral. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora