O grampinho tem futuro

Ironizado pelos adversários, chamado de “grampinho”, Antonio Carlos Magalhães Neto tem futuro. Já ouvi elogios a ele de figuras das mais díspares, do governador baiano Jacques Wagner a membros do PSDB.

Outro dia fui palestrar na Bahia e conversei com uma amiga de infância dele. Ambos moravam no mesmo condomínio. Mas, com dez anos e pouco, ACMinho fazia questão de ser o síndico nas brincadeiras.

Agora, é curioso como a mídia, após explorar exaustivamente o filho fora do casamento de Renan Calheiros, nada ter mencionado sobre o filho de ACM com uma grande dama mineira – oficialmente reconhecido por ele poucos dias antes de sua morte.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

55 comentários

  1. A mesma pergunta se aplica a
    A mesma pergunta se aplica a pouca divulgação da filha de FHC com uma jornalista. Por que se o caso do Renan foi extremamente divulgado?

    Para a Veja demonstrar que poderia liquidar quem quisesse no Brasil.

  2. Nassif,não se meta com esta
    Nassif,não se meta com esta gente !
    A diferença entre as pessoas citadas ,o Sen Renan Calheiros e o Grampinho,é esta: a imprensa na qual a família ACM,tem influencia,e arrumar encrenca com esta família,é comprar uma briga deste tamanho !

    Detesto brigas deste tamanho, Raí. Aliás, o avô, ACM, me desafiou duas vezes para duelos (presumo que verbais).

  3. Muito bom vc ter tocado no
    Muito bom vc ter tocado no assunto Nassif. Acredito que a respota para a sua “provocação” é um artigo publicado por Alberto Dines no Observatório da Imprensa. O artigo é sobre Deputado Edmar Mello, Sarney e a imprensa, ou vontade editorial como ele bem pontuou.

    Para fazer um paralelo entre ACM, Renan Calheiros e a imprensa basta mudar alguns nomes no artigo (de pessoas, cidades e estados). A estória é a mesma.

    Vale a pena ler todo o texto no site do OI.

    Do Observatório da Imprensa
    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=524JDB001

    Sobre lagartixas e dinossauros
    Por Alberto Dines em 10/2/2009

    Por que foi tão fácil liquidar a fatura com o deputado-corregedor Edmar Moreira (DEM-MG)?(…)

    A explicação para a vertiginosa velocidade padrão Primeiro Mundo está no seguinte cronograma: eleito na segunda-feira (2/2), Edmar Moreira fez as estapafúrdias declarações sobre o “vício insanável da amizade” na terça, O Globo deu chamada na primeira página da quarta-feira, no dia seguinte publicou (ainda na primeira página) a foto do castelo medieval e, na sexta-feira (6/2), o homem estava liquidado. (…)

    “Vontade editorial”

    Pergunta que não quer calar: o imortal senador José Sarney (PMBB-AP) será abatido com a mesma determinação e facilidade?

    A eleição para presidir o Senado (a terceira que ele ganha, em 14 anos) ocorreu na fatídica segunda-feira (2/2), até repercutiu no exterior (foi chamado de “dinossauro” pela mais importante revista de informações do mundo, The Economist), e no domingo (8/2) sofreu um abalo inédito: a Folha de S. Paulo, jornal onde escreve uma coluna semanal há quase duas décadas, publicou a transcrição de um grampo da Polícia Federal que flagrou o senador(…)

    A matéria da Folha provocou um certo frisson nos bastidores das redações: será que o jornalão vai, finalmente, obedecer ao que preconiza o seu manual e livrar-se de um dos colaboradores que mais comprometem a sua imagem? (…)

    Conclusão: Sarney não é Edmar Moreira. As semelhanças são apenas simbólicas. O império feudal do dinossauro maranhense não tem castelos e sem imagens espetaculares um caso desses fica difícil de explicar para o telespectador médio. A não ser quando há uma “vontade editorial” (expressão usada pelo ombudsman da Folha, Carlos Eduardo Lins da Silva).(…)

  4. A imprensa também não deu
    A imprensa também não deu cobertura sobre o filho de Fernando Henrique Cardoso com uma Jornalista da Globo. A filha de Renan Calheiros só veio à tona, em função de estar apoiando o governo Lula.

  5. O filho do Renan teve
    O filho do Renan teve destaque porque era suatentado com dinheiro SUSPEITO, aliás suspeitíssimo, quem pagava as contas era uma empreiteira, mas isso a ética petista não vê.

    é bobagem essa politização da ética. Nunca foi comprovado que havia dinheiro da empreiteira. O que não torna Renan mais santo. Por essa ótica o caso FHC é muito mais sério.

  6. ACM e Roberto Marinho eram
    ACM e Roberto Marinho eram grandes amigos, acho que suas famílias ainda o são pelo visto. Basta ver o documentário Além do Cidadão Kane.

  7. Nassif,

    Vc acha que as novas
    Nassif,

    Vc acha que as novas liderancas do Democratas (ACM neto e outros) sao uma especie de renovacao no partido ou eles sao a copia rejuvenescida dos velhos coroneis?

    Como muitos comentaristas estao falando em etica. Ou na falta dela. Eu, como bom mineiro, suspeito de todos aqueles que ingressam na politica pra nos ajudar.
    E sempre bom lembrar o que diz uma famosa moda de viola (o Nassif nao deve gostar muito ja que nao tem moda de viola no trivial):

    “Eta espinheira danada que o pobre atravessa pra sobrevive …….
    Vive das belas promessas da gente importante que tem ao redor
    De que quando sair o fulano e entrar o ciclano sera bem melhor
    Mas passa ano e vem ano e o tal do fulano ainda e pior ….
    Porque Deus e maior”

    Cópia menor, né? O neto jamais será o avô, Rodrigo Maia jamais será César e Paulinho Bornhausen jamais será Jorge. E o Brasil jamais será o mesmo.

  8. Deixa de ser louco LN, uma
    Deixa de ser louco LN, uma coisa nada tem haver com outra. A imprensa atropelou Renan não por causa do filho fora do casamento, mas por causa das pensões pagas por empreiteiras, boi laranja, etc…

    Louco foi o Renan, não eu.

  9. A família ACM não tem
    A família ACM não tem demonstrado ter muita influência nem mesmo na Bahia, e já há algum tempo. Com relação ao inventário do político baiano_ com a curiosa estimativa de 450 milhões de dólares, para quem só ocupou cargos públicos por toda a vida_ até o ex-genro demonstra ter mais influência que o restante dos parentes. Ali funciona a máxima ” rei morto, rei posto”. Talvez Luís Eduardo_ por sua habilidade política e pelo momento_ tivesse decolado, mas ACM Neto não herdou nem a diplomacia do tio, nem a energia do avô( mal canalizada, é verdade, mas havia carisma ali). Ele é simplesmente parte de uma tentativa ilusória do PFL_ não esperem que eu me refira a esse tipo de gente como ‘ democratas”_ de ” rejuvenescer” o partido com herdeiros de uma dinastia de adeptos do poder a todo custo, como ACM, Jorge Bornhausen e César Maia. Curiosamente, no partido, os herdeiros biológicos sucedem os líderes, em uma clara demonstração do comportamento feudal da legenda. O PFL ainda incomodará algum tempo graças a sua estrutura em todo o país, que acaba fazendo com que eleja vários parlamentares. Mas é nítida sua decadência. Há tempos é apenas um satélite do PSDB, mas agora até seus representantes congressuais já começam a ser insuficientes. Assim, qual o futuro de um partido desses? Se os tucanos não levarem as eleições de 2010, é bem possível que se veja ( sem trocadilho) uma incorporação da dissidência do PDS ( ex-Arena). E, em uma época em que vivemos uma política de resultados, quando a simples propaganda e a mídia já não influenciam tanto, a sigla de FHC não deveria ser tão otimista como está.Ah! Que cabeça a minha, quase não falei do ” grampinho”. Viram só?

  10. Nassif: quem está politizando
    Nassif: quem está politizando a ética é você. Você sabe muito bem- e finge ignorar- que quem levantou o problema do filho de Renan Calheiros foi ‘a gestante’ e não a imprensa.A imprensa só noticiou. O filho de Renan Calheiros se tornou notícia por causa do suposto dinheiro da suposta empreiteira e não por ser um filho fora do casamento.E desafio você a mostrar uma única matéria de jornal onde o enfoque tenha sido qualquer intriga a respeito do flho fora do casamento e não o suposto envolvimento da empreiteira em seu sustento.

    Prezado, você acha que notícia brota em árvore? Analisa-se uma publicação pelo uso que ela faz das notícias que chegam até ela. Óbvio. O suposto dinheiro da empreiteira que não era suposta nunca foi comprovado. Deu-se o destaque porque interessava politicamente à revista. Quanto a esse “a imprensa só noticiou”, concordo. Jamais acusei a revista de ter participado da concepção do bebê.

  11. Olá,
    “Nunca foi comprovado
    Olá,
    “Nunca foi comprovado que havia dinheiro da empreiteira”. A firma só era usada como despiste do pagamento da pensão? E no entanto o senador renunciou por isso. A expressão “mulher de César” ainda faz sentido?
    Particularmente não me diz respeito o que estes senhores (todos) fazem em sua privacidade, mas quando eles “passam recibo” dos escândalos que protagonizam (no caso, renunciam) não dá para defendê-los. Mas é claro que alguns sempre poderão fazê-lo.
    [ ]´s

    Foi comprovado que o lobista em questão era amigo dele muito antes de servir a empreiteira. Em nenhum momento comprovou-se que era dinheiro da empreiteira. O senador renunciou por causa de um tiroteio sem tamanho, misturando informações corretas (como o caso da renda fajuta com os bois), com informações falsas. Ou você acha que só informações fundamentadas derrubam políticos? Ou você acha que a imprensa, especialmente a Ve,a tem escrúpulos com o uso de informações? Ou você acha que só culpados não conseguem resistir à exposição semanal de sua vida para milhões de pessoas?

  12. Credo!
    Mas, a Bahia precisa
    Credo!
    Mas, a Bahia precisa dum herdeiro do ACM.
    Herdeiro prá manter uma escumalha nadando em dindin público.
    Terra de coroné é assim mesmo, os filhotes aprendem cedo.
    Sejam de que tamanho forem.
    O acesso à grana e prestígio federal lhes dão estatura.

  13. No caso do Renan a moça
    No caso do Renan a moça estava brigando judicialmente, era do interesse dela e de seu advogado dar publicidade. A Veja surfou na oportunidade, tentando colar o escândalo ao governo Lula e mostrar força.

    Nos casos ACM e FHC as mulheres não quiseram trazer a história a público. lembro que a caros Amigos deu na capa e não conseguiu um depoimento da ex-amante de FHC. Assim, a imprensa não ficou indo atrás para explorar. Eu acho isso bom, a vida amorosa dos políticos não me interessa.

    Isso, isso, a Veja sempre teve o maior respeito pela vida íntima dos personagens públicos. Especialmente de seus adversários.

  14. Acho que o mineiro, na
    Acho que o mineiro, na verdade é o mais malandro de todos. Essa de fazer-se de falso ingênuo, é sensacional. Todo sabemos que o Nassif não acha nem um pouco curioso a mídia não dar o filho do ACM. E ele ficaria surpreso se o fizesse. Agora, o tal grampinho fazia parte dos três garotos implacáveis da CPI do mensalão, junto com o Eduardo Pães e o Rodrigo Maia. O Pães está mostrando amadurecimento, se o grampinho for pelo mesmo caminho, ótimo para ele. Acho que quem não tem jeito mesmo é o pimpolho do Cesar Maia

  15. Ah, sim! Muito futuro. Deve
    Ah, sim! Muito futuro. Deve ser o maior político brasileiro da nova geração!
    Afinal, num era ele o cara que daria porrada no Lula? Aliás, ele num chegou a falar isso na Câmara?

    Hehehehehehe… Todo baixinho é invocado.

  16. Se a partilha do butim do ACM
    Se a partilha do butim do ACM já está dando o maior barraco, imagine com a entrada desse novo filho em cena.
    Quanto ao comentário do Aderbal, procure saber quem sustenta o filho do FHC até hoje.
    Agora uma coisa que me intriga: esses caras todos, políticos, boleiros, cantores, vivem caindo no conto da barriga. Será que ainda não descobriram que existe um troço chamado camisinha?

    Tenho a impressão que o barraco começou por causa dos novos personagens em cena.

  17. Nassif,

    Daria para elaborar
    Nassif,

    Daria para elaborar um pouco mais sobre os elogios? Por tudo que sei o rapaz não tem carisma, é péssimo orador, em 2 mandatos como deputado não apresentou nenhum projeto relevante. Herdou um eleitorado fiel ao avô, de quem também herdou o estilo bravateiro. Não é tão apagado quanto o filho do Cesar Maia ou o sobrinho do Bornhausen, mas isso se deve à exposição que a propriedade da repetidora da Globo lhe dá na Bahia.
    Conforme matéria da Folha de ontem, conseguiu entre 2002 e 2008 amealhar mais de 1,6 milhões de patrimônio, único feito dele como parlamentar.

  18. Mas tambem… Com esse PT que
    Mas tambem… Com esse PT que está aí qualquer um, parece-me, leva vantagem. É um pessoal cansado, parece que ja desistiu do poder. Faz tudo errado, alianças erradas, conchavos errados, etc. etc. Ainda se salvava o Lula mas, ultimamente, não sei de onde ele tirou esse pensamento (pensamento? pesadelo) de que Serra é confiável. Quanto ao governador baiano não deu nem para saida. Está cansado e o Estado dominado. O Gedel manda, desmanda e tripudia. Esse grampinho foi lavado e ensaboado pelas urnas e agora aparece com poderes. Incrivel! Esse cansaço do PT dá uma agonia! Alguem tem que ter uma explicação. Eles têm voto, apoio, torcida, etc. e deixa escorrer o poder pelas mãos e, pior, para entregá-lo a quem de pior existe na politica brasileira. É o fim. Estou cansado de apoiar esse pessoal. Mas, mesmo assim, continuo apostando e esperando que eles criem juizo.

  19. Estava sendo irônico. Creio
    Estava sendo irônico. Creio que a personagem em questão é lastimável, indigna de menção. Sua observação sobre meu comentário me irritou sobremaneira. Talvez porque eu seja baixinho.

    Pero cumplidor….

  20. Se o grampinho tem futuro,
    Se o grampinho tem futuro, coitado do futuro do Brasil.
    A Bahia, como ele no poder, continuará sendo a Bahia, da miséria e da malemolência.
    E chamá-lo de baixinho é caridade, ele é quase um anão.

  21. Grampinho tem, de fato,
    Grampinho tem, de fato, futuro. Em entrevista ao “Valor”, mostrou-se um político esforçado e que estudou, com profundidade, processo legislativo e o regimento da Câmara. Também revelou seu arrependimento pelo episódio da surra que daria em Lula. E creio que não foi por sua diminuta compleição física. Aliás, considero playmobil um apelido mais simpático, mesmo porque ele não pode ser responsabilizado por qualquer ato ilícito que seu avô possa ter cometido.
    Ainda que o ideário liberal , como um todo, esteja sendo, no momento, objeto de amplas reavaliações, não me parece que um estatismo generalizado, que contemple quaisquer gastos de quaisquer maneiras, possa ser a solução.
    Nesse contexto, uma força política liberal, revitalizada pelos valores do equilíbrio social e da sustentabilidade ambiental, não apenas é necessária ao bom contraditório democrático, como poderia ter em ACM Neto uma de suas lideranças.

  22. Não se pode esquecer que no
    Não se pode esquecer que no caso do Renan foi a jornalista (mãe da menina), que colocou lenha na fogueira, sendo que a denúncia não dizia respeito apenas ao fato do senador ter uma filha, mas porque o caso envolvia grana com origem suspeita.
    Quanto aos demais casos citados, com exceção do Lula, nenhuma mãe veio em público fazer nenhuma denúncia, não deram entrevistas em programas de televisão, nem apareceram em festas, revistas, falando a respeito do assunto, não agiram com intenção de virar “celebridade”. É provável que por tais motivos os casos não tenham virado assunto nacional.
    Normalmente o fato só vira um escândalo, quando a própria pessoa envolvida (no caso a mãe), torna a questão pública.

    Veja explorou ad nausean a relação homossexual de duas cantoras famosas (uma delas mãe de uma coleguinha de minha filha), explorou doenças aviltantes, como a de Cazuza, explorou as circunstâncias da morte de artistas, como Elis, seus blogs disparam acusações das mais estapafúrdias contra os adversários da revista, de homossexualismo a acusações de achaque. De repente, vira modelo a ser seguido?

  23. Gostaria, Nassif, que tivesse
    Gostaria, Nassif, que tivesse publicado meu comentário. Não sei pq até agora não foi mas, enfim.

    Sobre a sua frase:
    “Tenho a impressão que o barraco começou por causa dos novos personagens em cena.”

    É de uma falta de informação sem tamanho ou então, de uma maldade ou de um ressentimento que a mim não interessa.
    Esse “novo” herdeiro que vc insiste em ironizar mas, não sei o pq não o faz publicamente, em uma reportagem, não faz parte do espólio do ACM. Tudo já havia sido dividido entre os filhos “legítimos” há muito tempo. Ele não teve direito a nada e não está participando de barraco ou briga familiar alguma.
    Acho que, pelo menos em respeito aos pais, que ainda estão vivos, deve se informar melhor antes de escrever coisas que não sabe.
    E, reafirmo que se quer continuar comparando ao caso do renan Calheiros, não hesite, escreva. Faça o trabalho jornalístico que acha que a Veja não fez. Se bem que essa revista escreveu uma reportagem muito maldosa e maliciosa sobre o espólio do ACM e cita esse filho fora do casamento.

    1. Não vetei nada ainda seu. 2. O barraco foi da família ACM, não do herdeiro. Sua leitura é de uma falta de discernimento sem tamanho. 3. Conheço a família e a respeito muito. 4. O caso é público há pelos menos 20 anos.

  24. De um limão, com algum
    De um limão, com algum engenho e uma dose de esforço, faz-se uma limonada.
    ACM, que tinha engenho de sobra, dispensou o esforço.
    Apanhou logo uma lima.
    Nem levou em conta o risco de ser alcançado por uma flechada do proprietário da fruteira.

  25. Não sei pq mas qdo vi a
    Não sei pq mas qdo vi a jornalista, hoje pela manhã, falando no Bom Dia Brasil lembrei da história dela com o ex-presidente.

    E agora toda essa discussão aqui no blog. Coincidência!!!

  26. “A Globo (que é uma empresa
    “A Globo (que é uma empresa com interesses públicos, concessões etc) bancou por 14 anos a mãe. Se isso não for conflito de interesses, o que seria?”

    Não duvido do interesse político da emissora em abafar o caso, mas até pouco tempo lembro de reportagens delas, como correspondente da GloboNews na Espanha. Sempre me pareceu uma profissional competente. Acho no mínimo temerário dizer que deve seu emprego apenas ao filho que tem com o ex-presidente Fernando Henrique.

    E o muito pouco que sei do comportamento dela, a respeito desse episódio, sempre me pareceu decente, mesmo quando a Caros Amigos tenta entrevistá-la e ela demonstra mágoa (“Olha, (…) eu não vou falar nada sobre essa história. Eu não sou uma pessoa pública. Se vocês têm algo para perguntar, não é para mim. Perguntem para a pessoa pública”).

    Deixando de lado as diferenças no tratamento de casos semelhantes, não sei por que ela e seu filho deveriam ser expostos ao voyeurismo público.

    E não deve mesmo.

  27. Piki:
    O código civil de
    Piki:
    O código civil de 11/1/2003 baniu a definição de filho “ilegítimo”, por ser discriminatória. A legislação não prevê diferença nos direitos dos filhos, sejam frutos de matrimônio ou não.

    Maria Lucia:
    De quem você está falando? Se for da Lurian saiba que:
    – O Lula era viuvo quando a teve;
    – Assumiu a paternidade desde seu nascimento;
    – Pagou seu sustento desde o nascimento.
    – Mantém vínculo afetivo com ela até hoje.

    Foi explorada exaustivamente pela mídia nas eleições de 1989, quando ainda era uma adolescente, por pura canalhice do Collor e da Globo. A mãe recebeu um apartamento em SBC para dar um depoimento no programa do Collor de que o Lula havia pedido a ela para que abortasse.
    A própria menina ficou tão indignada, que rompeu com a mãe e quis dar um depoimento no programa político do pai.
    Lula, com dignidade rara, impediu essa exposição.

    Quanto a esse assunto sobre filhos fora do casamento, o que diferencia os HOMENS dos CANALHAS é essa palavrinha: DIGNIDADE.

  28. Uma coisa é certa: ele vai
    Uma coisa é certa: ele vai grampear todo mundo no congresso. Pois como mostra muito bem a fábula do escorpião que pegou carona no sapo prá atravessar o rio: esta na sua natureza!

  29. Nassif,
    Estou convencido que
    Nassif,
    Estou convencido que a tentativa de cassação foi mais uma farsa da IMPRENSA e dos senadores da SITUAÇÃO e da oposição. Afirmo isto porque decidi acompanhar de perto este caso.
    Minha motiviação começou quando, Na TV senado, vi Renan dirigir-se aos senadores e perguntar: De quê me acusam? Um silêncio geral e constrangedor foi a resposta do plenário. Muito estranho aquela mudez, dada a usual veemência verbal daqueles senadores frente aos holofotes. Meu deus, parecia-me clara a resposta: corrupção com empreiteira. Logo a empreitera teria que ser investigada como corruptora. Calar era prudente, para todos, inclusives os autonomeados éticos.
    Por esforço próprio consegui e li o relatória da PF sobre os bens do Renan, que a Globo inventou serem forjados; mas não eram. Também li e guardei o voto escrito do Sen Dornelles distribuído por ele para a mídia que não o publicou; exceto o blog Conversa Afiada.
    Para conseguir o relatótio da PF, movido por minha ingenuidade, escrevi a 6 jornalistas; nenhum conhecia o documento e nem mostraram interesse no assunto. Alguns desses jornalistas eram pródigos em críticas a Renan. O relator Sen Casagrande gentilmente atendeu meu pedido.
    Das 30 perguntas do relatório, chamado Laudo de Exame Contábil, saliento duas com suas respectivas repostas, por se tratarem de argumentos amplamente divulgado pela imprensa, inclusive com ironias sobre o preço do gado negociado.
    São autênticas, válidas ou legítimas as notas fiscais apresentadas?
    Resposta. As notas fiscais do Produtor encaminhadas a exame são autênticas materialmente.
    É possível afirmar, com certeza, que os valores das vendas efetuadas refletem a média praticada no mercado de compras e venda de gado no Estado e região em que foram vendidos, ou se poderia caracterirar-se algum tipo de superfaturamento?
    Resposta. Sim. Os valores das vendas constantes das NFPs refletem a média praticada no mercado no estado de Alagoas, conforme descrito no ítem iii.3.
    Para quem estiver interessado no relatório sugiro pedirem ao Sen Casagrande, não percam tempo com jornalistas.
    Para finalizar, sei que não faltará alguém para me julgar um apoiador do Renan. A única coisa que posso dizer é que leiam os documentos que mencionei. Fora disto afirmo que nunca compraria um carro usado dele, como também nunca votei nele, até porque estou geograficamente a muitos quilômetros de sua base eleitoral.
    Um abraço
    Claudio

  30. Nassif:
    Realmente ele é o
    Nassif:
    Realmente ele é o neto que o grampão queria!
    Têm uma história ou denúncia que surgiu aqui em Salvador há mais ou menos 6 anos atrás, quando era Prefeito o Sr Antonio Imbassahí, então no PFL, sempre o mesmo partido, que dizia que houvera uma abertura de uma empresa composta toda ela só pelos netos do Grampão, para exploração de estacionamento de um terreno público localizado na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), por ocasião da realização do Festival de Verão de Salvador, que como todo sabem, é realizado pela Rede Bahia, de propriedade da Famiglia e retransmissora da Globo. Se não estou enganado, essa reportagem foi feita pelo jornalista Marconi de Souza, então do Jornal Atarde, que à época vivia em oposição ferrenha ao Governo de Grampão, que fez de tudo para levá-lo a falência, inclusive cortando do mesmo, quase todas as verbas publicitárias do Governo e da Prefeitura de Salvador, durante o seu Reinado.
    Segundo dizem também, o Grampinho adquiriu um apto de Cobertura no endereço de maior valor por metro quadrado de Salvador, no corredor da Vitória, pela bagatela 4.500.000,00 ou seja 20% do valor do castelo. Só queria ver era a folha, estadão, veja e cia investigando essa história assim como falam da aquisição da Fazenda pelo Lulinha.

  31. Ah, a respeito da primeira
    Ah, a respeito da primeira frase do post, gostaria de lembrar uma coisa: em política, não tem o valor o futuro que se possa ter diante do passado que se tenha tido.

  32. O pessoal se animou com esta
    O pessoal se animou com esta conversa.
    mas vc deu uma cutucada boa, né?
    mas, fala a verdade: ver este moço como liderança de qualquer coisa, dá uma tristeza. e ele é o novo corregedor… aí é de chorar…

    agora, comparar o que a imprensa (não) fez no governo FHC e (não) faz no governo demo-tucano paulista (aliás, com toda a turma da UDN) com tudo aquilo que ela tem (des)feito no governo Lula, é risível.

    E tem gente que não percebe a diferença… E depois reclamam do Brasil… querem se mudar… apoiam os cansados…

  33. “De pé, a madame chegou”
    “De pé, a madame chegou”

    Como a embaixatriz Lúcia Flecha de Lima
    se tornou imperatriz no governo de Brasília

    embaixatriz Lúcia Flecha de Lima teve de aprender a conviver com a inveja desde cedo. Nos anos 60, era considerada uma das mulheres mais bonitas de Brasília. Suas pernas eram tão famosas quanto as de Hebe Camargo. Nos anos 70, às formas exuberantes e ao sorriso encantador acrescentou-se o traquejo social.

    Quando sua beleza encontrou o outono, Lúcia passou a atrair inveja por sua amizade com a princesa Diana e a ex-primeira-dama americana Hillary Clinton, celebridades que conheceu quando o marido, Paulo Tarso Flecha de Lima, serviu em Londres e em Washington. Agora, aos 65 anos, Lúcia acha que a idade lhe deu o direito de ser “um pouco matrona”. Ela não provoca mais tanto frisson entre os homens, está certo, e vai longe a época das recepções elegantérrimas (por culpa da geografia, claro, que a colocou longe do circuito Elizabeth Arden).

    Mas Lúcia ainda é capaz de causar alvoroço. Há dois anos, tornou-se secretária de Turismo do Distrito Federal.
    Joaquim Roriz faz de tudo para não bater de frente com Lúcia. Em primeiro lugar, por uma dívida pessoal. Enquanto morava em Washington, ela arregimentou doadores de remédios para um neto hemofílico do governador. Outro motivo é que Roriz tem uma certa dependência da agenda de telefones da sua subordinada.

    A agenda é o exemplo mais concreto da influência de Lúcia. Contabiliza nada mais, nada menos do que os números de 14.000 pessoas, várias delas amizades inquebrantáveis, como a do senador Antonio Carlos Magalhães. O prestígio de Lúcia e do embaixador Paulo Tarso garantiu o acesso do Distrito Federal a empréstimos internacionais. Logo que Roriz chegou ao governo, Paulo Tarso marcou-lhe uma audiência com o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Enrique Iglesias.

    “De pé, a madame chegou”, dizem os malvados quando ela se aproxima. À tarde, um garçom de jaqueta branca de botões dourados (muito parecido com Severino Cavalcanti, fazer o quê?) lhe serve pães de queijo e cappuccinos – na porcelana que a chefe trouxe de casa, of course. Na semana passada, Lúcia soube que um deputado a descreveu como “sedutora, no melhor sentido da palavra”. Ela o ignorou. “Na Câmara tem cada um que eu prefiro até dispensar o elogio”, disse a embaixatriz. Noblesse oblige.
    http://veja.abril.com.br/010605/p_108.html

  34. Putz MARIA LÚCIA..
    poderias
    Putz MARIA LÚCIA..
    poderias ter ido dormir sem essa!
    aliás, se vc tivesse dado uma busca no google, não falarias uma bobagem tão grande mulher!

  35. Caro Nassif,
    Não é digno de
    Caro Nassif,
    Não é digno de confiança um homem que calça 36.
    Tudo mais sobre o nano-deputado, nano-político, nano-neto é perfumaria.
    Abraços.

  36. Nassif, o que eu quis dizer-
    Nassif, o que eu quis dizer- e que você espertamente fingiu nao entender-é que você comparou duas coisas desiguais: a notícia sobre o filho bastardo do Renan e a não notícia sobre o filho bastardo do ACM. Não entrei e não entro no mérito da denúncia do suposto dinheiro da empreiteira.Estou dizendo é que a notícia não foi que Renan tinha um flho bastardo pura e simplesmente. A notícia é que havia uma suspeita de que uma empreiteira estava envolvida em seu sustento.Já a notícia sobre o filho bastardo do ACM,ou do FHC,como preferem outros leitores, seria sobre a própria existência deles.É uma discussão ontologica,não política.Se você se recusa a reconhecer que são duas coisas distintas, vamos falar de samba ou forró.

    É muita ontologia, Salinas. Prefiro quando você escreve sobre samba e forró.

  37. HAHAHAHA, O Malvado jamais
    HAHAHAHA, O Malvado jamais foi atacado pela mídia da Bahia…..afinal quse toda a imprensa era dele.
    Grampinho, coitado, se não fosse neto de quem é…
    Sabe por que o apelido “grampinho”?
    Quanto ao Jacques Vagner….NUNCA MAIS!!!!

  38. ACM bateu, publicamente
    ACM bateu, publicamente (gravado e letevisado) num repórter de emissora concorrente á sua, aqui na Bahia….além de ter saído no braço com o pai do Ministro Geddel. anos atrás. A Bahia toda sabe desas histórias.

  39. LH, o Grampinho Tem futuro e
    LH, o Grampinho Tem futuro e tem Castelo tambem. Só que o castelo do Grampinho Capeçudo é “transvestido” de apartamento. Estamos a dois anos livres da arrogância. Quando vejo Wagner dá uma entrevista, sinto um grande orgulho de ser baiana. Antes, ficava com vergonha de mim mesma quando assistia uma entrevista de ACM, P Souto e sua troupe: arrogancia pura!!! verdadeiros coroneis… Ufa! que bom que isso passou.

  40. Lucia, pode me dizer o que o
    Lucia, pode me dizer o que o Jacques Vagner está fazendo pela Bahia?
    Não tem jeito sai malvado, malvadinhos e o novo time não mostra a que veio.

  41. O Congresso andava vacilando
    O Congresso andava vacilando muito, mas agora isso acabou. Pelo menos na Câmara. Com o neto do finado coronel como presidente da comissão de ética (ou é corregedor?) o respeito à nossa casa de leis será restabelecido. Mas que coisa, não!? Parece teatro do absurdo.

  42. Nassif, mais atenção nos
    Nassif, mais atenção nos comentários… tá saindo cada coisa … ex:
    Marcia se excede.
    1.”LN, ACM teve alguns filhos com várias mulheres casadas. é fato.” -> Acusação sem comprovação.

    (não é patrulha, é que eu gosto do seu blog, do pessoal que contribui também… gosto da qualidade… mas tá escapando cada uma…)

  43. Esse negócio de político com
    Esse negócio de político com filho prá cá, filho prá lá, uns mais divulgados, outros menos, até dá para entender e deixar sem comentários, pois privadamente eles que se entendam.

    Já o cidadão, ainda mais o público, saber-se pai e não reconhecer o rebento é dose prá mamute albino.
    Se o Lula, Quércia, Collor, ACM, Renan e mais trocentos reconheceram, por que o ilustre hesita, inclusive agora viúvo?

  44. Eu quero mais é que um
    Eu quero mais é que um GRAMPEADOR caia na cabeça do “Grampinho”, o aprendiz de coronel. Na Bahia, não mais se cria…seu eleitorado é mínimo, nos bairros classe “Ah” ahahah… a cidade cresceu e fugiu da algibeira do coronelismo. Mas ficou MUITO FEIO para a Câmara eleger alguém que não tem “estabilidade emocional” para um cargo fundamental. Afinal…um “corregedor” que diz que vai BATER NO PRESIDENTE? DAR UMA SURRA? É ISSO QUE A CÂMARA MERECE, E DÁ AOS BRASILEIROS? É risível, e ridículo…bem ao gosto de “suas excelências”…

  45. Nassif, estranho o seu
    Nassif, estranho o seu comentário ao que enviei em 12/02 (15:26). Falei da mídia em geral, não fiz nenhuma referência à Veja. Sequer leio a revista, o que sei sobre o assunto tem como origem outros meios de comunicação. Agora, você misturar as coisas e dizer que estou sugerindo
    a Veja como modelo a ser seguido é demais.
    Até onde sei, o caso Renan foi assunto de várias programas de televisão. O que falei eu ratifico. Se expor outras opiniões , segundo seu pensamento, é ter intenção de promover a Veja, não tenho mais nada a fazer por aqui.

    boa sorte

  46. o povo assiste BB não sei das
    o povo assiste BB não sei das quantas,os Dinos voltam para tomarem conta do país, o leitinho dos bastardos sai dos 6 bi do congresso,e os inteligentes dizem que o caso é particular.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome