Políticos favorecidos pelo orçamento secreto indicam verbas para fora de suas bases

Em esquema montado em troca de apoio ao governo Bolsonaro, aliados enviam R$ 181 milhões para regiões aleatórias

Jornal GGN – Cerca de 16 parlamentares aliados ao governo de Jair Bolsonaro indicaram verbas para Estados diferentes daqueles em que foram eleitos, usando o dinheiro do Ministério do Desenvolvimento Regional em troca de apoio político. Ao todo, R$ 181 milhões foram enviados para regiões fora de suas bases eleitorais.

Segundo documento obtido pelo jornal O Estado de S.Paulo, as indicações foram acertadas diretamente com o Palácio do Planalto e ocorreram por meio da chamada RP9, e só é possível identificar os autores por um documento que não é de conhecimento público.

Um dos políticos citados pela reportagem é o deputado federal Haroldo Cathedral (PSD-RR): embora tenha sido eleito com o compromisso de trabalhar integralmente para os seus eleitores, Cathedral usou sua cota no chamado orçamento secreto para indicar benfeitorias em Minas Gerais, alegando que a proposta se deu via “permuta” com parlamentares mineiros, sem revelar o que deu em troca.

Existe a suspeita de que a indicação de verbas extras seja usada pelos políticos como uma “emenda bumerangue” – isto é, o político teria um ganho financeiro futuro depois que o município ou estatal contemplado assinar o contrato para obra ou compra a partir da indicação dele.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome