Bolsonaro nem começou e o retrocesso no Meio Ambiente já é incalculável, diz Marina

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A ex-senadora e ex-presidenciável da Rede Marina Silva publicou uma nota em sua página oficial o Facebook criticando o anúncio feito pela equipe de Jair Bolsonaro nesta terça (30), dando conta de que os ministérios do Meio Ambiente e Agricultura serão fundidos a partir de 2019. “Estamos inaugurando o tempo trágico da proteção ambiental igual a nada. Nem bem começou o governo Bolsonaro e o retrocesso anunciado é incalculável.”

Para Marina, a decisão que afeta o meio ambiente será “um triplo desastre”. Ela explicou que “trará prejuízo a governança ambiental”, “passará aos consumidores no exterior a ideia de que todo o agronegócio brasileiro, em que pese ter aumentado sua produção por ganho de produtividade, sobrevive graças a destruição das florestas, sobretudo na Amazônia, atraindo a sanha das barreiras não tarifárias em prejuízo de todos”.

Além disso tudo, “empurrará o movimento ambientalista, a ter que voltar aos velhos tempos da pressão de fora para dentro, algo que há décadas vinha sendo superado, graças aos sucessivos avanços que se foi galgando em diferentes governos, uns mais outros menos.”

Durante a campanha, Bolsonaro havia recuado da ideia, prometendo estudar as consequências após ser avisado de que a junção das pastas comprometeria o comércio exterior. Mas, após reunião hoje pela manhã, a equipe do presidente eleito decidiu fundir as pastas e ainda criar um superministério para Paulo Guedes, somando Fazenda, Planejamento e Indústria.
 
Estamos inaugurando o tempo trágico da proteção ambiental igual a nada. Nem bem começou o governo Bolsonaro e o retrocesso anunciado é incalculável.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora