Paraná Pesquisas mostra Doria e Skaf tecnicamente empatados

Fotos: Rovena Rosa/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Levantamento do Paraná Pesquisas para o governo de São Paulo, divulgado nesta segunda (24), mostra João Doria com 27% das intenções de voto, seguido por Paulo Skaf, com 23%. Eles estão empatados no liminte da margem de erro, com 25% cada.
 
O terceiro colocado é o atual governador Márcio França, com 12%. Na lanterna está o candidato do PT, Luiz Marinho, com 5,8%. A margem de erro é de 2 pontos.
 
O Paraná Pesquisa também cruzou a votação dos candidatos ao governo com a intenção de voto para a Presidência.
 
Dos que votam em Doria, 38% disseram que vão de Bolsonaro e 20%, em Alckmin. Outros 10% vão de Fernando Haddad.
 
Entre os eleitores de Skaf, 32% votam em Bolsonaro, 11% em Haddad e 15% em Alckmin.
 
No nicho de Márcio França, 34% votam em Bolsonaro, 9% em Haddad e 16% em Alckmin.
 
Doria tem 48% de rejeição. Marinho é o mais rejeitado, com 60%. Márcio França tem 50% de rejeição. Skaf empata numericamente com Doria.
 
SENADO
 
Eduardo Suplicy lidera a disputa pelo Senado com 31%. O candidato é seguido por Mara Gabrielli, com 15%. Márcio Covas Neto tem 13%. Major Olimpio, 12%. Maurren Maggi, 10%.
 
24% dos eleitores ainda não escolheram um candidato ao Senado.
 
Acesse a pesquisa aqui.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Cuiabá – Eleições

7 comentários

    • 30 anos de pesquisas malandras

      Essa dominação totalitária que sofre São Paulo passa pelos institutos de pesquisa.

      Haddad já tem 13% no estado e Marinho (candidato do PT) só tem 6%?

      Desde a campanha de Marta Suplicy para governadora contra Mário Covas que os institutos sempre soltam pesquisas que levam o eleitorado do PT a fazer voto útil em outros candidatos para descobrir, depois da apuração, que o PT teve resultado bem melhor do que o esperado.

      Marinho, só com votos da esquerda e do PT, pode chegar ao segundo turno. E lá, o adversário ou é o rejeitado Dória ou o candidato do rejeitado Michel Temer.

      • Concordo! Precisamos evidenciar isto!

        Nas eleições para o governo de São Paulo de 2014 o candidato do PT, Alexandre Padilha, nem sequer chegou a participar de debates televisivos porque de acordo com as pesquisas ele não chegava a 5% dos votos. Na hora do voto ficou próximo a barreira dos 20%. 

        Fiz um rápido exercício de garimpagem nas pesquisas da época e vejam, um dia antes do primeiro turno das eleições de 2014, em 05 de outubro daquele ano, Alexandre Padilha tinha 13% das intenções de votos de acordo com o Datafolha e 14% de votos de acordo com o Ibope, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mis ou para menos. Após a apuração o candidato do PT somou 18,22% dos votos válidos, ou seja, acima da margem de erro. E isto que estamos falando de pesquisas na véspera da eleição, ao longo de toda a campanha, as pesquisas mostraram os indices do candidato reduzidos.

        Abaixo as três fontes, a primeira a reportagem com a pesquisa na véspera da eleição, em 04 de outubro de 2014, a segunda em a pesquisa boca de urna, nota-se aí já uma similaridade com o resultado final. E por fim os resultados daquele pleito. As fontes que pesquisei na rede de internet, caso haja interesse, estão entre parênteses logo abaixo das chamadas das pesquisas.

        Portanto, a décadas as pesquisas em São Paulo influenciam para esvaziar as campanhas petistas.

        1 – Pesquisas Datafolha e ibope nas vésperas das últimas eleições:

        (https://eleicoes.uol.com.br/2014/pesquisas-eleitorais/sao-paulo/1-turno/)

        2 – Pesquisas Ibope boca de urna para o governo de São Paulo em 2014:

        (https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-10-05/boca-de-urna-em-sp-alckmin-e-reeleito-padilha-cresce-e-empata-com-skaf.html)

        Segundo levantamento do Ibope, ainda há chance de segundo turno; Padilha surpreende e empata com Skaf no 2º lugar

        Pesquisa boca de urna divulgada neste domingo (5) mostra que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) deve se reeleger em primeiro turno para o governo de São Paulo, com 52% dos votos válidos. No entanto, como os números estão no limite da margem de erro, que é de dois pontos percentuais,  ainda há chance da eleição ir para o segundo turno. 

        A grande surpresa do levantamento foi o crescimento de Alexandre Padilha (PT) na reta final, que agora está com 20% dos votos válidos na pesquisa, empatando com Paulo Skaf (PMDB), que tem  22%. 

        Fonte: Último Segundo – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-10-05/boca-de-urna-em-sp-alckmin-e-reeleito-padilha-cresce-e-empata-com-skaf.html

         

         

         

        3 – Resultado final do pleito para o governo de São Paulo em 2014:

         

        (http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/sp/apuracao-votos.html)

         

         

        GOVERNADOR em sp

         

         

        Geraldo Alckmin. PSDB Eleito. 57,31% 12.230.807. votos.Skaf. PMDB. 21,53% 4.594.708. votos.Padilha. PT. 18,22% 3.888.584. votos.Gilberto Natalini. PV. 1,22% 260.696. votos.Maringoni. PSOL. 0,88% 187.487. votos.Laércio Benko. PHS. 0,62% 132.042. votos.Walter Ciglioni. PRTB. 0,11% 22.822. votos.Wagner Farias. PCB. 0,06% 12.958.

         

        • A manipulação também é nos votos de Bolsonaro.

          Provavelmente o Bolsonaro não passará de 30% na votação do primeiro turno, simplesmente porque a sua campanha está sofrendo uma desaceleração, não há fatos novos positivos, a facada não rendeu muito e quando ele sair do hospital perde no mínimo uns 5%.

          • Bolsomico já era!

            O único instituto de pesquisa do Brasil que não trabalha com margem de erro ou de manipulação é o DATAPRADO, do professor Hariovaldo.

            Veremos esta semana a movimentação do exército da globo para fazer acordo com Çiro, última esperança branca.

            Deve começar já neste sábado. Talvez antes se os marqueteiros do Boçalnaro deixarem o milico de cabelo pintado ou o economista précambriano falar. Mais cedo ainda se o candidato batizado no rio Jordão abrir a boca.

            Quanto mais campanha fazem mais perdem votos!

  1. Os candidatos da esquerda

    Os candidatos da esquerda precisam de uma dinâmica nova!

    Haddad tem essa dinâmica nova!

    É articulado e firme!

    LULA acertou…

    E com a “transferência” de votos deve ganhar esta eleição, que pode se tornar dramática, caso o Barroso barre os mais de 5 milhões de eleitores!

    A esquerda tirou milhões da miséria, mas não tomou para si estes “novos” cidadãos – o que é certo!

    Mas, não se reformulou para eles, o que é errado!

    O sonho dos que conseguiram sair da miséria, é ser dono de seu próprio negócio, ser professor, ser diretor em alguma empresa…

    Ninguem dessa nova turma sonha em ser sindicalista…

    Então a velharia da direita continuará dando as cartas, pois estão mais “alinhados” aos sonhos dos emergentes…

    A exceção é o LULA…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome