Porque apoio Dilma

Pela primeira vez assinei um manifesto de apoio a um candidato a presidente, no caso Dilma Rousseff.

As razões são as seguintes.

Acredito em um determinado modelo de desenvolvimento do país.

Pela linha econômica de dois candidatos – Aécio e Marina – é impossível que seja implementado em seu governo. No caso de Dilma, é possível que seja implementado, mas não é garantido devido ao estilo de gestão adotado por ela no primeiro governo.

Esse modelo passa por algumas pernas:

1. Aprofundamento da democracia social, com a criação cada vez mais ampla de canais de participação da sociedade, através de conselhos, ampliando o escopo da democracia digital, retomando os fóruns públicos de participação, sem que implique em avançar nas atribuições dos demais poderes.

2. Entender a inclusão como processo central do desenvolvimento, com suas vertentes social, regional e empresarial.

3. O entendimento do governo como uma confluência de tendências do país, procurando compor o quadro de Ministros e Secretários com a diversidade das forças sociais e econômicas existentes. Atrair para os quadros de governo as melhores lideranças de cada setor econômico e social abrindo espaço para que tragam novas ideias e experiências.

4. Para conferir caráter democrático aos programas, submetê-los a modelos de consulta interministerial e intersetorial, visando dar sinergia e visão sistêmica a cada qual.

5. Aprofundar as políticas setoriais, identificando setores prioritários e amparando com os diversos mecanismos já existentes na economia. Prioridade para setores em que haja ganhos de escala e aqueles ligados a políticas de bem estar (saúde, educação, saneamento) e poder de compra do governo (pré-sal, Defesa).

6. Políticas fiscal e cambial responsáveis, que garantam o financiamento dos programas sociais e econômicos com total transparência.

Leia também:  A soberania queima junto com a Amazônia e a venda da Petrobras, por Dilma Rousseff

7. Políticas de estímulo fiscal e creditício amarradas a regras claras e previsíveis, acabando com o voluntarismo que caracterizou a última gestão.

8. Reforma responsável no modelo de metas inflacionárias e no custo de carregamento da dívida pública, de maneira a reduzir o peso dos juros no orçamento público.

9. Radicalização da Lei de Transparência através da criação de indicadores de eficácia e de estímulo a organizações incumbidas de monitorar as ações públicas.

10. Mudanças no modelo de grupos de mídia, visando trazer equilíbrio às diversas manifestações no mercado de opiniões.

Muitas dessas políticas já estão em curso. Várias foram planejadas pela própria Dilma, enquanto Ministra e Presidente. Várias políticas públicas amadureceram nos últimos anos, oferecendo um quadro inédito de possibilidades para a montagem de programas de ação estratégicos.

Não significa que a eleição de Dilma, por si, garanta o aperfeiçoamento desse modelo.

O primeiro governo Dilma foi caracterizado por inúmeros problemas operacionais, ligados ao estilo da presidente que comprometeram o modelo:

1. Um governo com algumas (boas) ideias centrais, mas sem plano de vôo, perdido entre as pressões do curto prazo.

2. Visão tecnocrática anacrônica, trazendo de volta políticas de gabinete que se supunha extintas pelos novos tempos. Insensibilidade para temas políticos que significassem abrir as janelas do governo às pressões sociais e empresariais.

3. Estilo de tratar os Ministros que espantou do seu convívio personalidades de maior fôlego. Como agravante, a ampla complacência com a mediocrização do Ministério.

Leia também:  A soberania queima junto com a Amazônia e a venda da Petrobras, por Dilma Rousseff

4, Impaciência com a consolidação de programas de médio e longo prazo, que acabaram levando a movimentos erráticos do Banco Central e ao uso condenável do câmbio e tarifas para controlar pressões de preço de curto prazo.

Nas conversas com o Chefe da Casa Civil Aloizio Mercadante, e nas próprias declarações recentes de Dilma, há uma aceitação implícita dessas críticas. Na entrevista com Mercadante ele apresenta um conjunto de respostas às críticas, ao acenar com maior participação social, com a convocação das principais lideranças para compor o novo governo.

Ocorre que em diversas oportunidades, sob pressão dos fatos, Dilma simulava abrir-se. Mas o máximo que concedia era receber os críticos em audiências, como se fosse favor da Rainha aos súditos, encantá-los com sua prosa mineira e não resultar em nenhuma ação sistemática para atender ao reclamos.

O que seria um segundo governo Dilma, em caso de vitória? A campanha eleitoral terá sido pedagógica, um banho de política que será bem assimilado no segundo governo? Ou, ao contrário, reforçará a auto-confiança, levando-a a um governo mais centralizador e autocrático que o atual?

Esse é o dilema.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

127 comentários

    • Eu também! E não precisamos

      Eu também! E não precisamos ter vergonha ou justificar demais o voto no PT. É só lembrar o que éramos há 12 anos e como estamos hoje. Atingimos mais um dos ODM – o mais importante – redução de 50% de famintos. Isso não é pouco. Pesoas com fome não conseguem aprender, se cuidar, trabalhar. Nas próximas eleições espero que só tenhamos famintos residuais.

  1. Muitas voltas

    Dá muitas voltas, Nassif, vote porque este governo está próximo a ser ótimo. Se assim não fosse o pig não estaria escondendo tanto, falseando tantyo, mentindo tanto. Atacar governo sempre foi fácil, todo governo tem muitos erros e faz relativamente pouco. Este fez muito e para combatê-lo só a mentira. Ninguem esclarecido e assistindo o pig sacanear tanto tem dúvida que este é um excelente governo.

    Voto na Dilma porque seu governo é ótimo. Considerações se podia ser melhor são válidas, mas o pelé tambem podia ter sido melhor do que foi.

  2. Vai ter patrulha então se

    Vai ter patrulha então se prepara para o tiroteio. Vai vir chumbo grosso por aí. Mas Leonardo Boff, Fernando Moraes, Chico Buarque, Mateus Nachtergaele, Beth Carvalho e outros notáveis te farão companhia.

    • E nós também Vera, vamos pra

      E nós também Vera, vamos pra briga pelo Mouro e por Dilma-Lula, ora bolas.

      Já tô até pensando em reler aqueles velhos manuais de guerra-de-guerrilha blogueira… nem venham quente, nós vamos pra cima fervendo.

      E outra, o Mouro devia era pegar esse texto dele e mandar direto pra Dilma, tem ai uma dicas ótimas que quem acompanha o Brasil com olhos e ouvidos privilegiados a tanto tempo.

  3. Sinceramente, gostaria de ver

    Sinceramente, gostaria de ver o Lula de alguma forma mais envolvido no próximo mandato. Acho que muitos dos problemas poderiam ter sido minimizados se a tremenda experiência política do Lula tivesse sido melhor aproveitada no primeiro mandato.

     

  4. Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar

    Se Dilma se fechar em sua “torre”, o PT saira arrasado das eleições de 2018. Acho que Lula devera estar particularmente atento a isso. Em regra geral, acho que a presidente mais acertou que errou, mas ha muito a ser feito.

  5. mas……

    Nassif :

    Aprofundamento da democracia social, com a criação cada vez mais ampla de canais de participação da sociedade, através de conselhos, ampliando o escopo da democracia digital, retomando os fóruns públicos de participação, sem que implique em avançar nas atribuições dos demais poderes.

    segundo alguns malucos isso é bolivarianismo puro, um perigo para a democracia (deles).

    • Francy, quem sou para dizer

      Francy, quem sou para dizer que não existem homens da gradenza de Jesus, Maomé, Paulo ou Saladino?

       

    • Tem razão. Se ela não mudar o

      Tem razão. Se ela não mudar o PT chegará em 2018 destroçado. Nessas eleiçõs ja vai eleger pouquíssimos governadores…

      • Executivo?

        Vai eleger poucos governadores porque abriu mao das cabeças de chapa em troca de mais deputados e senadores?

        Com um PT “fragilizado” (mesmo que Lula volte e nao seja Haddad, o candidato), quem seriam seus concorrentes?

        Marina 3.0? José Serra? Aécio?

        Onde estão os governadores da região Sul e do RJ que poderiam elevar-se a nivel nacional? DF (Arruda) não conta, Sarney e os Jereissati também não, assim como os irmãos Gomes (CE)

        A mídia golpista e os vira-casadas do PSDB aderindo em massa a “salvadora da pátria” Marina nao vão conseguir, pela 4 vez, ter um candidato competitivo? Essas são as questões quando Dilma ganhar.

  6. concordo, mas não há muito

    concordo, mas não há muito dilema, n minha opinião.

    a tendencia é ela aprofundar o que fez e melhorar o que deixou de fazer, como ela diz.

    o segundo mandato de dilma será melhor

    que o primeiro porque talvez ela aprofunde

    a participação social que já vinha tentando aprofundar neste mandato.

    na verdade, essa participação continuou

    quase identica ao do governo lula,

    no ministério com gilberto carvalho,

    um representante legítimo desde o lula dos movimentos sociais e congeneres,

    pois na questão central que era e é a inclusão social, por exemplo,

    a política foi até mais aprofundada, com inclusão de mais gente no bolsa família.

    acho que a política contnuará estabilizada e crescerá,

    isso é o que interessa ao país, não o retrocesso.

     

    • retas paralelas se encontram no infinito …

      Lá na roça caipira com muito chão perde de vista e no passo miudinho vi um matuto fugindo rapidinho.

      Compadre te pego com a espingarda de cano torto e acerto em cheio na curva do segundo turno. Só se não tiver a curva segundo turno e tu escapas!

      E aí vamos indo tomando pingas, prosando ideias e causos atem virar noutra curva e no mesmo passo.

      joao caipira.

       Obs. so lembrancas nada mais!

      Suponhamos agora que a integral complexa de f=f(z) independe do caminho. Consideremos K um contorno fechado dentro da região D. Tomando dois pontos p K e q K, podemos construir dois caminhos distintos K1 de p a q e K2de q a p. Temos então que

       
      K1f(z) dz = −
      K2f(z) dz

      Logo

      Kf(z) dz =
      K1f(z) dz +
      K2f(z) dz = 0
        

      o que prova o Teorema Integral de Cauchy.

  7. Concordo, que num eventual

    Concordo, que num eventual segundo mandato o processo político econômico do governo deve ser remodelado,pois um possível segundo mandato da presidente será mais autônomo, não lhe pesará a maldita reeleição, existirá mais independência para agir, o PSDB com o Aécio se desmoronou, não terá a mínima influência como oposição, possivelmente implodirá, FHC já está idoso não tem forças para alavancar um partido sem propostas que possam ser consideradas fundamentais no atual processo social que surgiu com as Redes Sociais, a Mídia em si tem de se reinventar para acompanhar esta avalanche chamada internet, é por essas e outras que acredito em melhorias, caso se concretize a reeleição da Presidente Dilma.

  8. Parabéns, NassifPor seguir o

    Parabéns, Nassif

    Por seguir o novo e a interessante tendência de veículos expressarem o voto dos seus responsáveis.

    Respondendo à sua pergunta:

    O que seria um segundo governo Dilma, em caso de vitória? 

    Vai depender do povo nas ruas. Afinal a própria presidenta tem declarado inúmeras vezes e de maneira clara e precisa:

    “Precisamos de um processo que também combine as duas coisas. Não pensem que conseguiremos a reforma política só na relação entre Governo e Congresso. É algo que exige a participação dos brasileiros para coesão de forças. A luta não se foca só no parlamento, precisa de mobilização das ruas. Nossa maioria (Governista no Congresso) não cobre todos os assuntos. Pautem essa reforma”
    Dilma Roussef

  9. Assinei o manifesto também.

    Assinei o manifesto também. Todos tem  queixas, críticas e expectativas, mas também sabemos que se “o outro lado” vencer aí é que nada disso será atendido mesmo e muitodo  que foi conseguido estará em risco. Não sou ninguém, mas fico muito feliz em ter meu nome junto ao de tanta gente que foi e é positivamente marcante em minha vida. Deus me livre de uma presidenta que vai jogar o país num caos institucional em pouco tempo e comprometer NOSSO futuro.

  10. Médicos também lançam manifesto de apoio à Dilma

    Médicos lançam manifesto de apoio à candidatura de Dilma Rousseff

      

    A carta, que enumera diversos pontos que justificam o apoio dos médicos à candidata, foi divulgada na sexta-feira (12)

    15/09/2014

    Da Redação – Brasil de Fato

    Na última sexta-feira (12), um grupo de médicos das mais diversas áreas apresentou um manifesto de apoio à candidata à presidência da República, Dilma Rousseff. Mais de 350 profissionais assinam o documento que elenca diversos pontos que justificam o apoio à candidata.

    Um dos pontos positivos levantados pelos signatários diz respeito à promulgação da lei do programa “Mais Médicos”, que proporcionou, na avaliação dos mesmos, uma ampliação do acesso ao atendimento médico à população, bem como a ampliação do envolvimento dos serviços de saúde na formação de jovens médicos e o acesso ao ensino superior.

    Outro ponto de destaque foi a disposição da presidenciável em promover a Reforma Política “com o apoio ao ‘Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político’ que colheu votos de 1º a 7 de setembro em todo o país e já aponta para um novo cenário na luta dos movimentos sociais nos próximos períodos”.

    Confiram a íntegra do manifesto aqui.

    http://www.brasildefato.com.br/node/29835

  11. Também voto Dilma

    Vejo nesta campanha presidencial a Presidenta Dilma Roussef muito mais segura e expondo com muita clareza as idéias do atual e futuro governos. Essa constatação não vem através da propaganda Oficial do Horário Político, vem das entrevistas e debates que tenho assistido. A entrevista aos Jornalista de O Globo, jornal de linha oposicionista, mostra uma Dilma segura, consistente, conhecedora das questões nacionais, foi um banho nos jornalistas raivosos opositores.

    Entendo que no primeiro mandato Dilma foi jogada aos cães ferozes, não tinha todo traquejo político e carisma de Lula, faltou-lhe a “casca grossa” para suportar os ataques e trabalhar as discordâncias. No que se refere a economia, seu governo atravessou e atravessa uma das maiores crises mundiais já vistas e sem dúvida isso refletiu no Brasil.

    Fosse na 1a. eleição a Dilma que hoje se apresenta,  ganharia no 1o. turno massacrando politicamente Serra.

    Mas as razões que voto em Dilma são:

    Brasil No Mundo – Com Dilma o projeto de integração com a América Latina continuará de vento em popa, como também voos altos acontecerão com os Bricas. O Brasil tem a clareza de que não precisamos estar atrelados aos EUA umbilicalmente, como por sinal é a proposta de Aécio e como sinaliza Marina, que demonstrou na sua postura o preconceito contra nossos irmão latinos quando acusou o governo de promover a bolivarização do país.

    BC Independente – Dilma vê que com a “independência” do BC estará se criando um 4 Poder no Estado, poder ese que estará por vezes em conflito com o Executivo, concordo plenamente, e não é preciso salientar a quem interessa um BC independente, interessa como declarou Roberto Setúbal (irmão de Neca Setúbal), em entrevista ao jornal O Globo, como instrumento de combate “real” contra a inflação (aumento de juros) que só beneficiará ao financistas e banqueiros.

    Continuidade dos Programas de Inclusão Social como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida – Como também declarou Roberto Setúbal, o que o mercado financeiro deseja é que o BNDES e os Bancos Estatais pratiquem juros compatíveis com o mercado, ora caso isso ocorra quem finaciará e de onde virão os recursos para tais programas? Não virão.

    Pré-sal – A maior riqueza que possuímos, ficará ameaçada com a eleição de Aécio (petroBrax) e Marina já sinalizou através de Walter Feldman em reunião com empresários do setor ser contrário a que a Petrobrás tenha a primazia de 30% de todos os contratos firmados na área do pré-sal, também disse que é um erro obrigar a que as empresas exploradoras comprem 60%  de componentes nacionais visto que parque nacional brasileiro não tem  capacidade para tanto.

    Outras razões,criminalização da homofobia, pesquisa com células tronco.

    E uma última razão, Marina colocou a sua crença religiosa como um fator determinante nas eleições. Para mim é inadimissível que alguém seja pressionada por um pastor retrógrado, homofóbico como Malafaia e volte atrás no seu posicionamento. O que menos precisamos é de uma república evangélica, já vemos isso em outras partes do mundo e sabemos o que acontece.

    Meu Voto é DILMA!

  12. Também voto Dilma

    Vejo nesta campanha presidencial a Presidenta Dilma Roussef muito mais segura e expondo com muita clareza as idéias do atual e futuro governos. Essa constatação não vem através da propaganda Oficial do Horário Político, vem das entrevistas e debates que tenho assistido. A entrevista aos Jornalista de O Globo, jornal de linha oposicionista, mostra uma Dilma segura, consistente, conhecedora das questões nacionais, foi um banho nos jornalistas raivosos opositores.

    Entendo que no primeiro mandato Dilma foi jogada aos cães ferozes, não tinha todo traquejo político e carisma de Lula, faltou-lhe a “casca grossa” para suportar os ataques e trabalhar as discordâncias. No que se refere a economia, seu governo atravessou e atravessa uma das maiores crises mundiais já vistas e sem dúvida isso refletiu no Brasil.

    Fosse na 1a. eleição a Dilma que hoje se apresenta,  ganharia no 1o. turno massacrando politicamente Serra.

    Mas as razões que voto em Dilma são:

    Brasil No Mundo – Com Dilma o projeto de integração com a América Latina continuará de vento em popa, como também voos altos acontecerão com os Bricas. O Brasil tem a clareza de que não precisamos estar atrelados aos EUA umbilicalmente, como por sinal é a proposta de Aécio e como sinaliza Marina, que demonstrou na sua postura o preconceito contra nossos irmão latinos quando acusou o governo de promover a bolivarização do país.

    BC Independente – Dilma vê que com a “independência” do BC estará se criando um 4 Poder no Estado, poder ese que estará por vezes em conflito com o Executivo, concordo plenamente, e não é preciso salientar a quem interessa um BC independente, interessa como declarou Roberto Setúbal (irmão de Neca Setúbal), em entrevista ao jornal O Globo, como instrumento de combate “real” contra a inflação (aumento de juros) que só beneficiará ao financistas e banqueiros.

    Continuidade dos Programas de Inclusão Social como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida – Como também declarou Roberto Setúbal, o que o mercado financeiro deseja é que o BNDES e os Bancos Estatais pratiquem juros compatíveis com o mercado, ora caso isso ocorra quem finaciará e de onde virão os recursos para tais programas? Não virão.

    Pré-sal – A maior riqueza que possuímos, ficará ameaçada com a eleição de Aécio (petroBrax) e Marina já sinalizou através de Walter Feldman em reunião com empresários do setor ser contrário a que a Petrobrás tenha a primazia de 30% de todos os contratos firmados na área do pré-sal, também disse que é um erro obrigar a que as empresas exploradoras comprem 60%  de componentes nacionais visto que parque nacional brasileiro não tem  capacidade para tanto.

    Outras razões,criminalização da homofobia, pesquisa com células tronco.

    E uma última razão, Marina colocou a sua crença religiosa como um fator determinante nas eleições. Para mim é inadimissível que alguém seja pressionada por um pastor retrógrado, homofóbico como Malafaia e volte atrás no seu posicionamento. O que menos precisamos é de uma república evangélica, já vemos isso em outras partes do mundo e sabemos o que acontece.

    Meu Voto é DILMA!

  13. Acho os que erros de Dilma

    Acho os que erros de Dilma foram muito poucos, tanto que dispensariam as críticas. São erros fáceis de serem corrigidos. E – diga-se – já estão sendo sanados. Dilma é muito inteligente e saberá solucioná-los sem maiores dificuldades.

  14. Lógico que poderia ser mais rápido

    Mas com as condições políticas totalmente adversas, as coisas fluem devagar. No dia que foi divulgado que o País cresceu 1,5%, a bolsa despencou em torno de 3! O mercado está em outra…

    Nassif,  aproveitando esse espaço democrático gostaria de sugerir um texto sensacional que  achei na web. Trecho: “Naquele tempo de abutres atropelados por aeronave fantasma, ovelhas azuis lambiam as últimas gotas barrentas da Cantareira, enquanto Pinto, o pequeno, atolado em dívidas, ciscava no terreiro da fazenda em busca de grana.” O nome é Sete Narizes em:
    http://www.kbrdigital.com.br/blog/sete-narizes1/
    Muito obrigado!

  15. Lógico que poderia ser mais rápido

    Mas com as condições políticas totalmente adversas, as coisas fluem devagar. No dia que foi divulgado que o País cresceu 1,5%, a bolsa despencou em torno de 3! O mercado está em outra…

    Nassif,  aproveitando esse espaço democrático gostaria de sugerir um texto sensacional que  achei na web. Trecho: “Naquele tempo de abutres atropelados por aeronave fantasma, ovelhas azuis lambiam as últimas gotas barrentas da Cantareira, enquanto Pinto, o pequeno, atolado em dívidas, ciscava no terreiro da fazenda em busca de grana.” O nome é Sete Narizes em:
    http://www.kbrdigital.com.br/blog/sete-narizes1/
    Muito obrigado!

  16. apoio LUIZ NASSIF A DILMA

    A Dilma nao tem e nunca teve nenhum projeto nem social, nem de crescimento de nada, pois em quatro anos como Presidente nao evoluiu absolutamente nada, como voces acham que qualquer cidadão contribuinte vai confiar seus impostos em um pessoa que governa pensando tao somente em um partido politico em vez de pensar no BRASIL, qual o legado de uma pessoa que assumiu um país com necessidades de ajustes e nao fez nenhum e agora que a situaçao esta

    dificilima como que ela vai resolver, colocando defeitos em seus adversarios nao vai resolver os nossos problemas que sao muitos. Portanto eu jamais daria mais quatro anos de mandato para esta pessoa.

    • Entre a sua “abalizada”…

      Se tenho que me posicionar entre a tua “abalizada” opinião, de “especialista” desconhecido, e as opiniões do Nassif e do Bresser, pelos quais tenho profundo respeito, sobretudo pelo tirocínio intelectual, espero que sejas capaz de inferir com quem coaduno as minhas convicções.

      • Um palmo!

        Sua opinião é seu direito!

        Porém Nassif e Bresser descrevem as vantagens de Dilma em 1 linha e as desvantagens em 2 parágrafos. A distäncia que vocës 3 conseguem ver a realidade não chega à que sugeri no assunto…

    • ONU: Brasil reduz fome em 50% nos últmos 10 anos!

      ONU: “Brasil reduz miséria extrema em 75% nos últimos 10 anos”.

      Imagina se “ela tivesse um projeto social”.

  17. Acho que Dilma, tal qual

    Acho que Dilma, tal qual Lula, poderá fazer um segundo governo bem melhor que o primeiro. Ganhou mais traquejo político e certamente se despojará do viés autossuficiente típico de um perfil até então mais gerencial. 

    As condições estão dadas. Ela já partiria com  handicap extraordinário haja vista seu completo conhecimento da máquina governamental após doze anos de labuta diária. Quatro como Chefe de Governo e de Estado.

    Poderá avançar em muitas áreas e, quem sabe, até promover mudanças significativas na ordem econômica, política e social. Sonho especialmente ela comandando uma reforma política que contextualize e valorize sua práxis hoje tão desmoralizada e repudiada pela população.

  18. TEMER: DILMA NÃO PERDERIA

    TEMER: DILMA NÃO PERDERIA ELEIÇÃO “NEM SE A GENTE QUISESSE”

     

    Segundo o vice-presidente da República, candidato novamente na chapa da petista, “o Brasil está crescendo fantasticamente”; durante evento em Campinas (SP), Michel Temer (PMDB) afirmou: “nem se a gente quisesse, a gente não tem condições de perder a eleição”

     

    16 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 16:33

     

    SÃO PAULO – Os aliados da presidente Dilma Rousseff (PT) estão bem animados e com uma grande expectativa de que a presidente ganhe as eleições.

    De acordo com fala do vice-presidente da República e vice mais uma vez na chapa de Dilma Rousseff, Michel Temer (PMDB) disse nesta terça-feira (16) em Campinas (SP) que “nem se a gente quisesse, a gente não tem condições de perder a eleição”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

    E o motivo de tanta certeza é de que “o Brasil está crescendo fantasticamente”, segundo fala de Temer. “Quando eu vejo esse entusiasmo entre os frentistas e entre os diversos sindicalistas do país”, disse durante seu discurso no sindicato, completando: “Quando eu vejo esse entusiasmo, nem que a gente quisesse a gente não tem condições de perder a eleição. Nós vamos ganhar.”

     

     

     

  19. O dilema…

    Mesma discussão e mesmos argumentos e mesmas desconfianças que haviam na reeleição de Lula em dois mil e seis.

     

    A experiência histórica nos mostrou que o segundo mandato de Lula foi infinitamente melhor do que o primeiro em todos os campos, em todas as áreas e em todos os aspectos.

     

    Acontecerá o mesmo com Dilma Rousseff.

  20. Gnose.

    Nessa primeira página tem 14 posts. E 9 (nove) fotos de Marina Silva.

    Pergunto pro colega aqui do blog, o Wilson Ferreira, especialista do ramo:

    -Wilson, cê não acha que o Nassif tá exagerando nas bombas semióticas? 

  21. Nassif, também vou votar na

    Nassif, também vou votar na Dilma. Vou fazer como a grande maioria irá fazer em 5 de outubro, votar na Dilma. Vamos festejar a reeleição da Dilma em primeiro turno. Não haverá segundo turno para Presidente da República. Agora, em SP, teremos Padilha em segundo turno, ele chegará próximos dos 30%, Em MG, Pimentel será eleito em primeiro turno com 60% dos votos válidos. No RJ Lindberg fará o segundo turno com Garotinho. Nesses 3 estados que representa quase 44% de todo o eleitorado brasileiro, a Presidenta Dilma terá algo em torno de 45% dos votos. Aguardem.

  22. Parabéns, Nassif, pelo seu

    Parabéns, Nassif, pelo seu posicionamento corajoso, claro e firme. Reconhece os problemas e aponta alternativas, ou seja, faz uma crítica construtiva ao governo Dilma, reconhecendo que é a melhor alternativa, e que pode levar o país ao tão almejado desenvolvimento social. 

  23. Ato de honestidade

    Nassif.

    Pelas mesmas razões, sem deixar a contaminação ideológica tomar conta, apoio Dilma.

    • Nassif, recebi este ontem, coincidência?

      Sônia Aranha
      12 h · Editado ·
      Declaro aqui o meu voto. Meu voto é na Dilma.

      Objetivamente o que me interessa foram os resultados do Governo Dilma que, a meu ver, são os melhores que eu pude perceber, sentir e vivenciar em meus 55 anos. Há uma série de problemas a serem resolvidos, mas todos os problemas não se resolvem em poucos anos, em função da dimensão territorial e histórica de nosso país . De modo que este governo segue com o meu voto e certamente quando eleito estarei exigindo os avanços necessários.
      Fundamentalmente para mim o que importa é o pré-sal e a riqueza que nele está depositada para as próximas gerações. Me interessa que o Brasil seja soberano nesta área, que haja o fortalecimento da Petrobrás e que a interferência estrangeira fique afastada. O que está em jogo nessas eleições é isso. Com o pré-sal o Brasil não é e não será o mesmo. Seremos alvo da cobiça estrangeira da mesma forma que o Oriente Médio e no meu entendimento é fundamental termos um governante potente, com formação técnica e que possa enfrentar o desafio de garantir ao país a riqueza que lhe pertence, fortalecendo laços com outros países como fez a Dilma ao criar o BRICS.
      Penso que aqueles, como o Luis Nassif, que formam opinião pública, devem apontar o significado das consequências de um governo Marina. Sra. Marina Silva com boa ou má fé, para mim não importa, formou uma equipe de assessores com uma linha de pensamento econômico à direita, misturado com um discurso de sustentabilidade ambiental que só desfavorece aos setores mais pobres da sociedade e que não me interessam em absoluto. O discurso da não política e do não partido, a prática de um partido de aluguel, a total falta de base,pois não há militantes já que não há partido.. enfim.. toda essa baboseira, lembra e muito o discurso do Collor em sua campanha em 89. Este é um fillme que conheço seu enredo e desfecho e não estou nenhum um pouco interessada em vê-lo novamente O pior, naquela época, logo após a posse do Collor, era ver seus eleitores chorando quando souberam do confisco das gordas poupanças … eu não sabia se ria (o bem-feito do Nassif ) ou se chorava junto, tamanha dó da alienação e ingenuidade que se abateu por toda a classe média, principalmente a mais abastada.
      Aposto minhas fichas no Plebiscito Popular por uma Constituição Exclusiva e Soberana para o Sistema Político e a continuidade do Governo Dilma. 

  24. Voto em Dilma

    O processo eleitoral é projetado para impedir rupturas drásticas.

    Esta é a regra, sendo muito improvável deslocamentos políticos capazes de causar abalos sistêmicos de grande porte.

    As três campanhas de envergadura eleitoral podem dizer muitas coisas diferentes, mas os graus de liberdade para pôr em prática suas plataformas, são, em um só tempo, limitados e conduzidos por circunstâncias materiais históricas externas.

    O que diz o candidato do PSDB é diferente do que ele deseja fazer, que por sua vez, é diferente do que pode fazer. Mas um eventual e improvável mandato seu, tenderia a caminhar para uma política econômica testada e fracassada. 

    A tentativa Marina, apesar do sempre oportuno (oportunista?) discurso de “terceira via”, vai se revelando, cada vez mais, naquilo que mais importa, um contínuo do modelo neoliberal peessedebista. Com ou sem rede. 

    Os inclusivos governos Lula e Dilma, indiscutivelmente, para o “bem” e para o “mal”, guardam, com pudor que às vezes até parece excessivo, obediência à prática de examinar constantemente a correlação de forças.

    Temos avançado, a meu ver. 

    Mesmo que fosse só por exclusão – não é o caso – o meu voto seria – como será – Dilma Presidenta. 

    De forma geral, principalmente quanto à necessidade premente de realizar inclusão política urgente (e não só esperar que a inclusão social gere aquela), e menos quanto às objeções à formas de gestão (têm pouca relevância no todo), compartilho da opinião do Nassif. 

    Dilma precisa colocar na ordem do dia a descriminalização da política. Antes mesmo de outras descriminalizações. 

  25. Que coisa interessante,

    Que coisa interessante, quando li a carta de apoio de Bresser à Dilma, imediatamente lembrei do Nassif. Senti como que uma falta que agora se preenche com este seu pronunciamento. Não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro, é raro encontrar-se a figura de economistas de destaque que fujam ao plano ortodoxo e neoliberal, ou seja, ao caminho mais fácil do pensamento único, um credo aceito globalmente quase sem contestação. O modelo brasileiro, posto em prática quase que de modo empírico na última década, precisa de ser estudado em profundidade, aperfeiçoado e teorizado, juntando-se a experiências semelhantes de fuga ao modelo liberal radicalizado. Bresser é um mestre que tem essa visão de desenvolvimento com progresso social. E o Nassif também. Outros existem, que também deveiam se pronunciar. Se Dilma ganhar, o que está muito difícil devido ao gigantesco aparato midiático e de controle da informação que foi montado para barrar sua candidatura e levar à vitória alguém que arraste o Brasil de volta ao pensamento único neoliberal, com suas tragédias sociais, seria muito oportuna a criação de um prestigioso centro de estudos econômicos baseado inteiramente nessa perspectiva do desenvolvimento com visão independente e com progresso social, e até um conselho com expressão política, e nele não poderão faltar as figuras de Bresser e Nassif.

  26. Avisa que

     

    “O impacto muito maior vem da internet.

    A internet é uma mídia disruptora. Ela vai pegando todas as demais. Revistas e jornais sofreram primeiro, mas a tevê convencional é a próxima grande vítima.

    Como mostra a Netflix, a tevê vai ser uma atividade a mais dentro da Internet.

    Você vai ver sua série favorita ou o telejornal de sua preferência na hora em que quiser, em seu laptop ou em seu tablete.

    A famosa grade da Globo é insustentável na Era Digital.

    Até os eventos esportivos ao vivo vão marchando para a Internet. Neste ano, pela primeira vez, o site do US Open, um dos maiores torneios de tênis do mundo, transmitia os jogos ao vivo.

    Em breve, você não precisará de uma tevê para ver esporte ao vivo, mas apenas de wifi e um aparelho qualquer.

    Contra isso, até a Globo, com toda a sua força, é impotente.

    Em termos de JN, isso quer dizer que mesmo que fosse um telejornal esplêndido, a audiência seria declinante na Era Digital.

    Ninguém imaginava até recentemente que a tevê se transformaria numa mídia decadente, mas a Internet fez isso.”

     

    prá Dilma dar mais apoio à mídia alternativa

    Sem ela…

     

                                                                                                                             Paulo Nogueira

  27. mecanismos de avaliação interna de gestão e relatório

    Prezado Nassif,

     

    Inclusão social, com distribuição de renda (que se resume a transferência de renda) e aprofundamento da democracia social não são necessariamente propostas estruturantes mas dão continuidade a um modo de gestão que não leva em consideração de fato uma perspectiva federativa. A perspectiva da recuperação de um pacto federativo ao invés somente de um diálogo com as prefeituras era um diferencial no programa do PSB. Mesmo no caso do desenvolvimento social há necessidade de recuperar uma base de financiamento estável para o conjunto de políticas sociais que no atual estágio depende da arrecadação de receita tributária e gerenciamento do Tesouro. O modelo da contribuição social em que o debate se constituia em torno do eixo das políticas contributivas e não contributivas funcionou bem ao longo do tempo, independente do governo porque foi regulamentado e normatizado, a partir da Constituição. Nesse caso, houve nos últimos anos desmonte do modelo.  O diálogo com o setor empresarial nos níveis federal e estadual e suas entidades representativas também deve ser adotado como prática permanente em que análises de desempenho da economia sejam comparadas. E o diálogo com os sindicatos, centrais sindicais e associações profissionais precisa ser restaurado. Havia conselhos com essa função que foram desfeitos. Houve uma transformação na estratégia de gestão que anteriormente era conduzida no sentido de uma descentralização e de um planejamento estratégico participativo entre os diferentes níveis de governo. A questão das parcerias público-privadas deveria também ser debatida abertamente para que se analisasse com rigor a participação do setor privado em regime de concessão. O programa do governo ainda não é do conhecimento público mas há críticas aos programas dos outros candidatos. A crítica é mais fácil, saber o que não deve ser feito, mas faltou ao governo uma avaliação crítica de sua própria gestão em que medidas foram tomadas muito mais para prevenir  do que propor e implantar. Os diagnósticos, os índices de desenvolvimento, os rankings de resultados dos programas e projetos, segundo a região, que foram formulados pelo governo federal ainda não se tornaram públicos. Aguardo sua publicação. Houve uma série de programas que por falta de um arranjo federativo acabaram por se justapor a iniciativas locais. Falta um levantamento rigoroso de programas e projetos em desenvolvimento no território nacional e uma análise do impacto das políticas, assim como a retomada da contituição de um modelo nacional de gestão. Enfim, não é um quadro alentador.  

    Todo governo que se candidata à reeleição deveria apresentar um relatório de avaliação interna e crítica de gestão para propor mudanças. Os slogans somente estimulam a confiança e já passamos do estágio de crer para apoiar.

    Desculpem, sinceramente, gosto muito da classe artística e de seu empenho em defesa do desenvolvimento político, econômico e social mas não considero que estejam especialmente preparados para avaliar modelos, métodos e processos de gestão.

  28. “O que seria um segundo

    “O que seria um segundo governo Dilma, em caso de vitória?”:

    Saberemos na festa de aniversario da Abril.

  29. 500 anos de segregacao,

    500 anos de segregacao, discriminacao,favelizacao, nao e pouca coisa….voto e continuarei votando no PT ate acabar e enterrar de vez  esse processo vergonhoso.

  30. Pago a minha língua

    Há tempos atrás, escrevi, devido ao jeito do Blog andar, que Nassif ia votar em Marina, mas não queria declarar.

    Errei.

    Que bom.

    Parabéns pela corajem Nassif.

    Agora é hora de usar a sua competência para mostrar as faces de Marina

    Abraços

  31. Porque voto na Dilma

    Caros amigos aqui do GGN, eu já vinha com uma convicção de mas propostas do PSDB não se alinhavam com o que eu desejava e desejo para o Brasil, um país altivo, pragmático mas sem ser hipócrita e ciente de seus interesses. Eu desejava e desjo para o Brasil um desenvolvimento mais igualitário, com mais justiça social e de renda, com mais oportunidades e vejo com alegria que não estou isolado nisso.

    Vivi em minha juventude os anos 70 e como profissional da engenharia, atuando em uma área eminentemente de infraestrutura, ou seja SANEAMENTO BÁSICO, vivenciei, desde a miha graduação diversos governos e políticas sendo praticadas, desde a ditadura até o processo de democratização. E como profissional, consolidou em mim que toda vez que se dá muito poder aos ECONOMISTAS, na formulação da política, as decisões que atingem beneficamente a grande maioria da população NORMALMENTE é descartada. O saneamento, após o processo de democratização, ainda capengou nas sobras do antigo BNH, mas práticamente morreu nos governos tucanos, onde a influência dos pensadores econômicos não deixou nada tanto em estrutura de financiamento como em decisões políticas.

    Assim espelhando em minha vivência nestes mais de 30 anos de profissão, eu SEMPRE ME ARREPIO, quando vejo estes rotulados neoliberais falarem em políticas públicas que beneficiem a grande maioria da população, sempre me vem a mente uma resposta de um consultor do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), um economista é claro, que ao avaliar um empréstimo para financiar o aumento de capacidade de produção de distribuição de água, sugeriu uma ANALISE DE SENSIBILIDADE (nome bonito e pomposo), onde se avaliava a caonsequencia de um aumento de 10% na tarifa de água e se reflexo na redução do consumo, pois a população, sem aumento correspondente na renda, certamente diminuiria o consumo e por consequencia, se poderia adiar alguns anos o investimento de aumento de capacidade do sistema (ou seja se falta água, aumento o preço que vai sobrar, pois o mais pobre deixa de consumir).

    Passamos assim os anos FHC e o primeiro mandato de Lula, com minguados recursos para saneamento (ou melhor, minguados no governo Lula, com Meireles no BC e Palocci na Fazanda, já no FHC foi seca total de investimentos na área).  Agora no governo Dilma, vejo pela primeira vez um fluxo constante de recursos para a área, com muitos investimentos via OGU (palavrão paras os economistas), benficiando milhões de pessoas em comuidades menores e tamb;em fontes de financiamentos aceitáveis para as companhias de saneamento, fluxo ele que assim como oocrre no segmento do petróleo, cria uma cadeia VIRTUOSA de desdobramentos, alimentando empresas e empregos desde as consultorias e projetos até a construção civil destas obras, passando pela indústria de equipamentos e materiais (sabia que tem indústria com encomendas para os próximos 6 meses, só para entregar uma v;alvula?).

    Por estas razões muito pessoais e por outras mais voltadas ao que desejo para meus filhos e netos, não vejo como possível retomar o discurso anterior, que só levou à desgualdade e à perda de espaço da engenharia brasileira, vejo como RETROCESSO as críticas ao modelo de Partilha do Pré-sal, as críticas à participação da Petrobrás, as crítcas à exigência de conteúdo nacional (lembro da questão dos Caças da Aeronáutica, onde pelos pensadores tucanos é errado exigir a transferência de tecnologia, ou seja é errado nós ADQUIRIRMOS CONHECIMENTO??? SOMOS INCAPAZES????).

    Por estas razões, voto na DILMA, voto consciente e ciente de que muito se tem para fazer (uma das coisa que a engenharia e a experiência me ensinou, é por exemplo de excesso de órgãos fiscalizadores, não elimina erros e corrupção, pois cria excesso de burocracia que leva apenas ao ENCARECIMENTO DA CORRUPÇÃO – busca da eficiência e do melhor custo x benefício sim leva a ganhos efetivos e elimina ou minimiza a corrupção). Tenho muitas criticas, mas também sei muito bem o que NÃO DESEJO para o BRASIL.

    Obrigado amigos.

  32. Porque voto na Dilma

    Caros amigos aqui do GGN, eu já vinha com uma convicção de mas propostas do PSDB não se alinhavam com o que eu desejava e desejo para o Brasil, um país altivo, pragmático mas sem ser hipócrita e ciente de seus interesses. Eu desejava e desjo para o Brasil um desenvolvimento mais igualitário, com mais justiça social e de renda, com mais oportunidades e vejo com alegria que não estou isolado nisso.

    Vivi em minha juventude os anos 70 e como profissional da engenharia, atuando em uma área eminentemente de infraestrutura, ou seja SANEAMENTO BÁSICO, vivenciei, desde a miha graduação diversos governos e políticas sendo praticadas, desde a ditadura até o processo de democratização. E como profissional, consolidou em mim que toda vez que se dá muito poder aos ECONOMISTAS, na formulação da política, as decisões que atingem beneficamente a grande maioria da população NORMALMENTE é descartada. O saneamento, após o processo de democratização, ainda capengou nas sobras do antigo BNH, mas práticamente morreu nos governos tucanos, onde a influência dos pensadores econômicos não deixou nada tanto em estrutura de financiamento como em decisões políticas.

    Assim espelhando em minha vivência nestes mais de 30 anos de profissão, eu SEMPRE ME ARREPIO, quando vejo estes rotulados neoliberais falarem em políticas públicas que beneficiem a grande maioria da população, sempre me vem a mente uma resposta de um consultor do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), um economista é claro, que ao avaliar um empréstimo para financiar o aumento de capacidade de produção de distribuição de água, sugeriu uma ANALISE DE SENSIBILIDADE (nome bonito e pomposo), onde se avaliava a caonsequencia de um aumento de 10% na tarifa de água e se reflexo na redução do consumo, pois a população, sem aumento correspondente na renda, certamente diminuiria o consumo e por consequencia, se poderia adiar alguns anos o investimento de aumento de capacidade do sistema (ou seja se falta água, aumento o preço que vai sobrar, pois o mais pobre deixa de consumir).

    Passamos assim os anos FHC e o primeiro mandato de Lula, com minguados recursos para saneamento (ou melhor, minguados no governo Lula, com Meireles no BC e Palocci na Fazanda, já no FHC foi seca total de investimentos na área).  Agora no governo Dilma, vejo pela primeira vez um fluxo constante de recursos para a área, com muitos investimentos via OGU (palavrão paras os economistas), benficiando milhões de pessoas em comuidades menores e tamb;em fontes de financiamentos aceitáveis para as companhias de saneamento, fluxo ele que assim como oocrre no segmento do petróleo, cria uma cadeia VIRTUOSA de desdobramentos, alimentando empresas e empregos desde as consultorias e projetos até a construção civil destas obras, passando pela indústria de equipamentos e materiais (sabia que tem indústria com encomendas para os próximos 6 meses, só para entregar uma v;alvula?).

    Por estas razões muito pessoais e por outras mais voltadas ao que desejo para meus filhos e netos, não vejo como possível retomar o discurso anterior, que só levou à desgualdade e à perda de espaço da engenharia brasileira, vejo como RETROCESSO as críticas ao modelo de Partilha do Pré-sal, as críticas à participação da Petrobrás, as crítcas à exigência de conteúdo nacional (lembro da questão dos Caças da Aeronáutica, onde pelos pensadores tucanos é errado exigir a transferência de tecnologia, ou seja é errado nós ADQUIRIRMOS CONHECIMENTO??? SOMOS INCAPAZES????).

    Por estas razões, voto na DILMA, voto consciente e ciente de que muito se tem para fazer (uma das coisa que a engenharia e a experiência me ensinou, é por exemplo de excesso de órgãos fiscalizadores, não elimina erros e corrupção, pois cria excesso de burocracia que leva apenas ao ENCARECIMENTO DA CORRUPÇÃO – busca da eficiência e do melhor custo x benefício sim leva a ganhos efetivos e elimina ou minimiza a corrupção). Tenho muitas criticas, mas também sei muito bem o que NÃO DESEJO para o BRASIL.

    Obrigado amigos.

  33. Porque voto na Dilma

    Caros amigos aqui do GGN, eu já vinha com uma convicção de mas propostas do PSDB não se alinhavam com o que eu desejava e desejo para o Brasil, um país altivo, pragmático mas sem ser hipócrita e ciente de seus interesses. Eu desejava e desjo para o Brasil um desenvolvimento mais igualitário, com mais justiça social e de renda, com mais oportunidades e vejo com alegria que não estou isolado nisso.

    Vivi em minha juventude os anos 70 e como profissional da engenharia, atuando em uma área eminentemente de infraestrutura, ou seja SANEAMENTO BÁSICO, vivenciei, desde a miha graduação diversos governos e políticas sendo praticadas, desde a ditadura até o processo de democratização. E como profissional, consolidou em mim que toda vez que se dá muito poder aos ECONOMISTAS, na formulação da política, as decisões que atingem beneficamente a grande maioria da população NORMALMENTE é descartada. O saneamento, após o processo de democratização, ainda capengou nas sobras do antigo BNH, mas práticamente morreu nos governos tucanos, onde a influência dos pensadores econômicos não deixou nada tanto em estrutura de financiamento como em decisões políticas.

    Assim espelhando em minha vivência nestes mais de 30 anos de profissão, eu SEMPRE ME ARREPIO, quando vejo estes rotulados neoliberais falarem em políticas públicas que beneficiem a grande maioria da população, sempre me vem a mente uma resposta de um consultor do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), um economista é claro, que ao avaliar um empréstimo para financiar o aumento de capacidade de produção de distribuição de água, sugeriu uma ANALISE DE SENSIBILIDADE (nome bonito e pomposo), onde se avaliava a caonsequencia de um aumento de 10% na tarifa de água e se reflexo na redução do consumo, pois a população, sem aumento correspondente na renda, certamente diminuiria o consumo e por consequencia, se poderia adiar alguns anos o investimento de aumento de capacidade do sistema (ou seja se falta água, aumento o preço que vai sobrar, pois o mais pobre deixa de consumir).

    Passamos assim os anos FHC e o primeiro mandato de Lula, com minguados recursos para saneamento (ou melhor, minguados no governo Lula, com Meireles no BC e Palocci na Fazanda, já no FHC foi seca total de investimentos na área).  Agora no governo Dilma, vejo pela primeira vez um fluxo constante de recursos para a área, com muitos investimentos via OGU (palavrão paras os economistas), benficiando milhões de pessoas em comuidades menores e tamb;em fontes de financiamentos aceitáveis para as companhias de saneamento, fluxo ele que assim como oocrre no segmento do petróleo, cria uma cadeia VIRTUOSA de desdobramentos, alimentando empresas e empregos desde as consultorias e projetos até a construção civil destas obras, passando pela indústria de equipamentos e materiais (sabia que tem indústria com encomendas para os próximos 6 meses, só para entregar uma v;alvula?).

    Por estas razões muito pessoais e por outras mais voltadas ao que desejo para meus filhos e netos, não vejo como possível retomar o discurso anterior, que só levou à desgualdade e à perda de espaço da engenharia brasileira, vejo como RETROCESSO as críticas ao modelo de Partilha do Pré-sal, as críticas à participação da Petrobrás, as crítcas à exigência de conteúdo nacional (lembro da questão dos Caças da Aeronáutica, onde pelos pensadores tucanos é errado exigir a transferência de tecnologia, ou seja é errado nós ADQUIRIRMOS CONHECIMENTO??? SOMOS INCAPAZES????).

    Por estas razões, voto na DILMA, voto consciente e ciente de que muito se tem para fazer (uma das coisa que a engenharia e a experiência me ensinou, é por exemplo de excesso de órgãos fiscalizadores, não elimina erros e corrupção, pois cria excesso de burocracia que leva apenas ao ENCARECIMENTO DA CORRUPÇÃO – busca da eficiência e do melhor custo x benefício sim leva a ganhos efetivos e elimina ou minimiza a corrupção). Tenho muitas criticas, mas também sei muito bem o que NÃO DESEJO para o BRASIL.

    Obrigado amigos.

  34. APLAUSOS E SUGESTÃO

    Prezado Nassif, considero que sua atitude de divulgar publicamente seu posicionamento a favor da reeleição é um gesto merecedor de aplausos.

    Todavia, creio que, na atual conjuntura política, seria preferível tratar mais detidamente das críticas ao desempenho da presidência num momento posterior.

    Diante dos indícios divulgados atualmente, que apontam uma perspectiva sólida de sucesso da reeleição, mas recomendam uma intensificação dos esforços no sentido de garantir a realização deste objetivo tão vital, é importante priorizar as iniciativas que demonstrem, com máxima clareza, os dados de realidade capazes de evidenciar os motivos pelos quais a reeleição é a melhor opção disponível, e os graves riscos a serem afastados com a almejada vitória do governo.

    Isto não significa abandonar o espírito crítico, nem negar as convicções relativas aos aspectos da trajetória petista na presidência que devem ser criticados, mas sim agir de forma coerente, priorizando a abordagem tempestiva de cada faceta da realidade.

    O processo político sempre se desenvolve por etapas, e é importante observar a ordem cronológica de cada item, com uma visão holística do processo como um todo.

    Fiquei sinceramente feliz por ver estampada no artigo sua posição clara e destemida a favor da reeleição, mas, na minha humilde opinião, o foco excessivo numa análise crítica meio que ofusca a evidenciação dos motivos de seu apoio à causa da reeleição.

    Por estas razões, sugiro apenas que a ênfase nas críticas seja guardada para depois da festa da vitória, pois é tempo de redobrar os esforços para garantir o objetivo principal.

    Fraternais saudações, MAAR.

  35. “Revolução de Lula e Dilma não pode ser desfeita”

     

     

     

     

     

     

    “Revolução de Lula e Dilma não pode ser desfeita”, diz Leonardo Boff

     

     

    Em evento com artistas e intelectuais realizado na noite de ontem, Leonardo Boff explicou por que apoia a reeleição de Dilma e convidou a todos para uma reflexão sobre as eleições de 2014.

    Leonardo Boff foi um dos oradores do ato e abordou a importância da manutenção do atual governo para preservar os avanços conquistados nos últimos anos. “Com Lula e Dilma não houve alternância de poder, houve alternância de classe social. Os que antes estavam jogados às margens da miséria e da desesperança conseguiram se organizar. Nada foi feito como esmola, mas como devolução da dignidade daqueles que eram os mais esquecidos na história do Brasil”, afirmou.

    Ainda de acordo com Boff, os intelectuais e os responsáveis por pensar o Brasil devem abandonar a indiferença e tomar posições em momentos decisivos. “Quando conquistas estão ameaçadas e podem ser perdidas, intelectuais devem tomar partido”, disse.

    O teólogo também lançou críticas indiretas à Marina Silva, candidata que recebeu o seu apoio no primeiro turno das eleições de 2010. “Há pessoas com projetos políticos fantasiosos, lançando borboletas; mas esquecem de plantar as flores para que as borboletas venham. Lula e Dilma plantaram esse jardim para que viesse as verdadeiras borboletas e não as virtuais”.

    VEJA TAMBÉM: Por que Leonardo Boff deixou de acreditar em Marina Silva?

    Para Boff, a maneira singular com a qual o Brasil encarou a crise econômica precisa ser destacada. “O Brasil enfrentou a crise financeira melhor do que qualquer outro país. Enquanto a Europa foi engolida pelo desemprego, temos um dos menores índices de desempregados do mundo. Este é um evento de magnitude histórica que deve ser reconhecido”.

    https://www.youtube.com/watch?v=kxUGBLom7Oo#t=283

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/09/revolucao-de-lula-e-dilma-nao-pode-ser-desfeita-diz-leonardo-boff.html

     

  36. É possível. Nada é garantido.

    É possível. Nada é garantido.(..)a auto-confiança, levando-a a um governo mais centralizador e autocrático que o atual?(..)

    Respeito mas sigo a lição: nem aplaudo, nem torço o nariz. Uma no cravo, outra na ferradura. Campanha pedagógica é a da Luciana Genro. Mas vou de Dilma. “Pior”: há e vejo esquerda também com a adversária Marina. Que me perdôem os crédulos e as mais diversas igrejas. É mais no imaginário do que em concretas realizações (sem falar na falta de, ou nas incompletas) que,nesta hora,eleitoral e eleitoralista,que pode vencer quem melhor tiver sido preparada,anos e anos,neste aspecto, trasmitindo (ou em melhor atuação e representação)quem passar mais emoção e sinceridade e jogar novas esperanças. Genuflexos de vésperas, em missas circunspectos, onde só faltam chorar. Há melhores atores por aí. Dúvidas? Há na posição do texto-título. “E se você não está confuso é porque não está bem informado”.

     

  37. Quem diria, faz não muito

    Quem diria, faz não muito tempo tive a impressão de que a casa caira dada a quantidade de pessimismo no blogue. Todo mundo, quase todo mundo (porque sempre tem os Rui Aquaviva, os Diogo Costa, os Francy Lisboa, os Cafezá da vida) dava como favas contadas a eleição de Marina e hj, aliás não é de hj, o clima mudou. Mas é isso, a luta continua, o proceso é longo e vamos ganhar. Da-lhe Dilma, nossa garota!

  38. Até para ficar em cima do muro, tomar partido é correto

     

    Luis Nassif,

    Em um país em que locutores de futebol não declaram para qual equipe torcem para não perder audiência, eu considero que merece palmas um dono de blog que tem interesse comercial de audiência tomar partido em uma eleição.

    Ainda mais quando ele toma partido pela mesma candidata que eu apoio. O que nos distingue é que eu apoio a presidenta Dilma Rousseff com muito menos crítica do que você.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 16/09/2014

  39.  
    Sem qualquer traço de

     

    Sem qualquer traço de ironia, acho eu que o jornalista Nassif deveria ousar, e abraçar a carreira política. Ha um tempo  para tudo .

  40. Boa, Nassif!

    Achei muito legal você se posicionar, inclusive porque o momento é por demais crítico.

    Creio que a Dilma aprendeu com muitos de seus erros. O segundo mandato, se for bem sucedido, vai colocar definitivamente o Brasil no rumo de uma sociedade mais justa e próspera. Aí, ninguém segura mais!… 

     

  41. Aécio/Marina=elite

    Votar na Marina ou no Aécio é querer que o país retroceda, e beneficiar unica e exclusivamente a elite. Aliás, não é à toa que a Neca Setúbal ( só em dividendos do  banco Itaú, nos útlimos quatro anos, recebeu R$ 60.000.000,00) apoia a Marina, portanto, estaremos ajudando as famílias Marinho e Setúbal, para quem o povo, só serve como massa de manobra, a ficarem cada vez mais ricas. 

  42. Sou Dilma, sou PT…sem medo

    Sou Dilma, sou PT…sem medo de ser feliz!!  É isso aí, tem que se posicionar sim, principalmente agora, quando uma louca, por puro capricho e inveja, acredita que consegue ser presidente.

  43. Eu não preciso me estender

    Eu não preciso me estender muito para dizer por que voto na Dilma. Voto nela porque é uma pessoa honrada, sincera, solidária e bem intencionada e seus principais concorrentes me parecem muito distantes deste modelo.

  44. concordo

    Sim, mas eu gostaria que Dilma governasse com o PT.  Ouvisse e prestigiasse o partido.  E os demais partidos da base. E que esses partidos sentisem e agissem como quem faz parte do governo.  Para que no dia em que um senadorda oposição,  leitor da Óia, for á tribuna falar contra o governo, tenha quem o defenda.

    O partido é a continuidade. É o povo representado.

    Menos importante, porém nem tanto que seja desprezivel, é a Dilma perceber que a presença dela na inauguração do Templo avaliza a obra e a megalomania do autor.  Que o ovo mexido na tv e depois ter recebido o patrão da apresentadora no palácio avaliza o plim plim. (se ao menos fosse para receber o DARF, vá lá.) Ir na Abril? Manda o sub do sub para jogar a pá de cal!

  45. Muito bom Nassif !! Tb vou me manifestar !!

    Também vou de Dilma, mesmo sendo, e por isto mesmo, socioambientalista, e vendo vários de meus amigos marinando sem se atentar para a confusão e a fragmentação de interesses que representa a candidatura dela. Conheço ou acompanho a carreira de vários parceiros da Marina, e muitas de suas posturas vão pro caminho mais liberal. E muitos dos que podemos chamar de “verdes chics, a inteligentzia sustentável” são quase tucanos enrustidos, assim como boa parte da classe média alta, e sofrem de preconceitos com os programas sociais (bolsas, cotas etc…) nunca compreendendo que estas são políticas de resgate e reparação de uma dívida absurda do Estado e que vem mudando o Brasil. Inclusive tornando-o mais sustentável, pois sabemos bem que a pobreza exerce forte pressão na natureza.

    Poucos sabem que o PRONAF segura no mínimo 30 milhões de pessoas no campo, num tempo em que gigantes do agronegócios vem varrendo o cerrado e mais recentemente a borda da caatinga. Eles poderiam estar entupindo mais ainda nossas problemáticas capitais, onde os coxinhas se rebelam sem saber das causas. Isto pra mim é uma agenda verde.

    A sustentabilidade social, ambiental e econômica que queremos não virá em em 4 anos como promete Marina e nem em 40. Depende de combinar com os russos, germanos, chineses, colonialistas de estados unidos e de reinos desunidos. Os padrões de consumo é um problema global, mas quando nossa sociedade tiver o mínimo, aín podemos pensar numa outra agenda. E dentro do possível a Dilma e o PT vem tratando dos principais gargalos que afetam a sustentabilidade socioambiental, nas áreas de resíduos sólidos, energias alternativas e saneamento básico, por exemplo. Assim como nas políticas e programas de mobildade urbana. Tenho severas critícas à algumas grandes obras de infraestrutura, e sou solidário à diversas causas das minorias (muitas vezes ridicularizadas aqui no Blog) mas não discordo delas diante das necessidades essencias da maioria da população.

    Bora então com Dilma. E um recado pra Marina: baixa a bola, vc não possui cacife pra segurar o tranco de governar o Brasil e vai terceirizar as decisões ao liberalismo. Sua sede de poder me incomoda. Candidate-se a governadora do Acre e mostre ao Brasil realmente a que veio sua REDE.

    • Muito bom, devia virar post!

      Sensacional seu texto, parabéns! Mostra com exemplos concretos o que é o verdadeiro ambientalismo, sua interrelação com a elevação do padrão social da população e sua incompatibilidade com o capitalismo, que MariNeca não (quer) enxergar, sem deixar de expor as críticas a algumas posições do governo. 

  46. Acabei de tentar entrar no

    Acabei de tentar entrar no site muda mais para ver o programa eleitoral de ontem e me deparei com a seguinte notícia: Marina Silva entrou com uma liminar para censurar o site, que está fora do ar. Que vergonha…

    • Censura é uma ação arbitrária

      Censura é uma ação arbitrária do governo, entrar na justiça e pedir para que o judiciário decida uma demanda não é censura.

      Qual é a alegação?

  47. Projetos políticos de Aécio e de Marina são fictícios .

    Creio que exista interferências pesadas do império norte-americano neste processo eleitoral .

    Daqui a 30 ou 40 anos saberemos como foi engendrado toda esta campanha anti-petista na mídia e aparelho judiciário, como a CIA atuou na tentativa de destruição do PT e detalhes esclarecedores sobre o providencial acidente aéreo tendo Eduardo Campos como vítima .

    A poderosa máquina do Pentágono está torrando bilhões de dólares para o desmonte do BRIC´s com a destruição do projeto político iniciado no Brasil em 2003, bem como, com a tentativa de frear o renascimento da Rússia como superpotência e a tentativa de frear a influência chinesa no mundo .

    Não importa a destruição econômica e a paz social da frágil democracia no Brasil .

    Se não puderem recolocar a coleira no governo brasileiro, como existia até 2002, então que se transforme o Brasil numa nova Ucrânia .

    Com a provável derrota de Marina, eles tentarão provocar um acirramento ideológico com possíveis conflitos violentos aqui no Brasil a partir de 2015 .

    Coleira no pescoço ou conflitos sociais, se possível, até com violência armada, como acontece na Ucrânia, Síria, Venezuela etc…

  48. LAMENTÁVEL! Votar na Dilma é
    LAMENTÁVEL! Votar na Dilma é concordar com a corrupção. Votar na Dilma é ter rabo preso. Votar na Dilma é não saber o que realmente se passa no nosso país. Votar na Dilma é desistir de nosso país.

  49. Eu já sabia que o Nassif

    era Dilma. 

    Eu também sou Dilma. Sempre que  eu entro na UFABC eu me emociono, pois é coisa de primeiro mundo e sem contar que foram várias que o Governo Lula fez pelo Brasil.

  50. Parabéns

    Parabéns pela sua postura. A sua postura é típica de uma pessoa independente e honesta intelectualmente.O meu sincero respeito.

  51. Luis Nassif, Fico muito

    Luis Nassif,

     

    Fico muito feliz com o seu posicionamento crítico de apoio à candidata Dilma Rousseff. 

    E você não poderia ser diferente em sua crítica propositiva.

    A sua crítica produz novos conhecimentos e educa.

    A sua crítica contribui para a política brasileira se elevar.

    O seu apoio crítico é o reconhecimento de que trafegaremos por mares nunca dantes navegados e muito perigosos caso triunfe o aventureirismo desenfreado de Marina Silva.

    Considero você uma das figuras mais referenciais e importantes do nosso país. Falo de você para os meus alunos sempre como exemplo do que deveria ser o jornalismo do Brasil.

    Muito tenho que agradecer pela sua presença na escola onde eu trabalho, não convidado por mim, mas pelos meus pupilos queridos, junto com o Bob Fernandes  que numa noite memorável debateram a mídia brasileira. Coisa formidável.

    Um abraço Nassif!

    Você muito me inspira e inspira os meus alunos!

    Você é um educador no verdadeiro sentido da palavra, aquela de Paulo Freire.

     

     

     

     

     

     

  52. Ótima decisão, Nassif. Sou

    Ótima decisão, Nassif. Sou lulista, na eleição passada votei em Dilma porque Lula a avalisou, ele a conhecia, eu não. Ele conhecia seu trabalho, suas convicções, seu jeito de ser, eu comprei o pacote, dei meu apoio. Durante esses quatro anos tenho a observado. Ela é, sim, leal, correta, inteligente, clara nos seus propósitos, não tenta enganar o povo, tem verdadeiramente vontade de levar este País para um bom rumo. Se nestes quatro anos eu constatasse tudo ao contrário do que ela é, nem Lula me faria me faria votar nela. Voto Dilma com o coração leve e convicta de que escolhi a melhor.

  53. Projeto para o país só com a Dilma

    O projeto da Dilma já está em curso. Algumas correções de rumo e é só continuar o trabalho que está dando certo desde o governo Lula. As outras candidaturas representam retrocesso e o país não pode retroceder jamais. Aquele tempo passou. Dilma é a melhor opção com certeza.

  54. Eu realmente gostaria de ter

    Eu realmente gostaria de ter um óculos cor-de-rosa como esse. Tudo ficaria mais fácil.

    Depois de quatro anos vendo nossos vizinhos crescerem, economias que se comparam a brasileira em grau de complexidade aproveitarem o deslocamento da economia mundial em direção a países em desenvolvimento, posterior a crise de 2008, ainda acreditar na capacidade de Dilma e do PT, só com muita boa vontade.

    Recente, há poucos dias, o relatório anual da inclusão social nas américas, mostrou o Brasil despencando para o oitavo posto, ultrapassado pelo Peru. Em 2012 eramos os terceiros.

    Peru e Colombia crescendo 5% ao ano e distribuindo mais riquezas que o Brasil com seus programas similares ao BF. O Paraguay atraindo empresas brasileiras e asiáticas, com simplificado sistema tributário . Crescendo 15% em 2013, o Paraguay de seu ao luxo de estabelecer um imposto de 10% sobre a exportação de grãos, atraindo empresas para processar a soja em seu território. 

    Quem está no ramos de eletrônicos como eu se depara a cada mês com mais um fabricante nacional transferindo sua linha de produção para outro país. 

    Falam em “investimento estrangeiro”. Que tipo de investimento ? No mes passado uma empresa holandesa assumiu o controle de uma grande distribuidora de eletrônicos no Brasil, num negócio fechado há um ano, algumas dezenas de milhões de dólares investidos aqui. Mas de que vale isso ? A empresa já existia. Nada de novo se criou. Muito pelo contrário, depois de um ano estudando a cadeia produtiva e distributiva dentro da empresa, na semana seguinte a assumir o controle, os holandeses recindiram contratos de distribuição com as poucas indústrias nacionais e substituiram por chinesas.

    Quando se olha o nível de complexidade da economia brasileira, no belo trabalho feito pelo MIT, que compara a complexidade das economias de todo o mundo, vemos que o Brasil em 10 anos despencou do lugar 32 para o 56. Cada vez mais nos transformamos em exportadores de minérios e grãos e importadores de tecnologia. Fomos ultrapassados por praticamente todos os países da américa latina que estavam atrás de nós.

    Que tipo de desenvolvimentismo é esse ?

    Não que dona Dilma não seja bem intencionada, mas de boas intenções…

     

     

     

  55. Arrasou!!!

    Tenho muita coisa pra dizer sobre essa sua postura,madura,consistente,do jeito que deve ser a boa e realmente nova política,mas por hora só digo uma coisa.Arrasou turco.

    • https://www.youtube.com/watch

      https://www.youtube.com/watch?v=-VreNtOB0Og

      No comercial acima, Dilma registra como um dado assustador e dramático que 400 milhões de pessoas pobres vivem com menos de U$ 2 dólares por dia, segundo o Banco Mundial.

      No dia de hoje, o benefício da Bolsa Família, de R$ 77 mensais, equivale a uma renda pessoal de U$ 1,10 por dia para 50 milhões de pessoas. Ou seja: 12,5% dos pobres do  mundo vivem no Brasil e recebem Bolsa Família.

      No comercial, Dilma concorda que o benefício da Bolsa Família é pouco mais da metade do que os indicadores internacionais determinam para a linha da pobreza. E o que seria a metade de pobreza, se não miséria? O próprio comercial da Dilma reconhece o quanto este governo mente quando fala a respeito de pobreza no Brasil.

       

      • Renda Familiar

        Meu caro, quanta besteira você disse agora.

        Um dos critérios para que a família tenha direito ao Bolsa Família é a renda familiar. Portanto a sua matemática está totalmente equivocada, uma vez que o Bolsa Familia não é a únida renda família, mas tão somente uma complementação.

        Analise os fatos antes de criticar.

        Mas não vá fazer como a Marina e se vitimizar heim.

      • Não é isso não.

        O valor de R$ 77,00 é um complemento para pessoas que tenham renda mensal entre R$ 77,01 e R$ 154,00 e extremamente pobres (renda mensal por pessoa de até R$ 77,00).  É um complemento. Eles não dependem exclusivamente dos valores do Bolsa Família.  Além desse benefício complementar, existem ainda benefícios variáveis, que dependem das características das famílias (se tem gestantes, crianças entre 0 e 6 meses, etc. ).  Os valores são calculados para garantir que as famílias ultrapassem o limite de renda da extrema pobreza.

        Os valores recebidos pelas famílias podem variar. O Cadastro Único é um banco de dados mais amplo e que dá acesso a outros programas e políticas sociais do Governo Federal, não apenas ao Programa Bolsa Família. 

  56. Quem apoia Dilma, apoia

    Quem apoia Dilma, apoia mensalão, petrolão, pibinho, emprestimos sigilosos a Cuba e outros países, doação da petrobrás Bolivia.

    Apoia o foro de São Paulo e companheiros bolivarianos.

    2018 – Por que apoio Marina.

  57. É um alívio!
    Precipitadamente, ao enaltecer alguns tópicos do plano de Marina, o senhor percebeu o bla bla bla.
    Mas didático, reforçou a importância da democracia ao nos mostrar que o revezamento no poder é necessário para lapidar e consolidar a sociedade e suas várias faces.
    A Marina é uma coitada. Seus votos são das pessoas rancorosas, ignorantes, estupidas com sérios problemas em atinar a Justiça e uma dose de maldade. Pelo menos aqui na cidade de São Paulo.

    Dilma Rousseff passou por todos os problemas. Resolveu muitos!
    Mas aquele que deprime e adoece a sociedade não basta so o poder executivo. A corrupção!
    Os demais poderes legislativo e judiciário mais o velado da imprensa estão atolados nessa desgraça. Reforma Política Já!
    O fato concreto é que a miseria, a fome e o desemprego no país estão acabando. E essa situação depois de 40 anos, é uma novidade que promete! caso não aconteça nenhuma tragédia, e não saia do curso que a projeta.

  58. Parabéns por sua postura Nassif

    Sempre o admirei, desde os tempos que o via como comentarista na TV Cultura de SP. Graças à Internet posso acompanhar mais de perto seu trabalho e comentários, sempre sérios e de posturas firmes. Sua manifestação de apoio é um sinal de que como Jornalista (com J maiúsculo, sim), merece mais ainda meu respeito e admiração. Mesmo porque, embora tenha manifestado seu apoio, não se furtou ao direito de criticar, mas como é proprio de sua personalidade, uma crítica construtiva. Também acredito que há mudanças que necessitam ser implementadas (o que você mesmo chama de correção de rota). Porém, não vislumbro outra opção mais viável ao país, hoje.

  59. Dilma e Lula, o mito, o Mercado, o dinheiro e Marina

    Dilma e Lula, o mito, o Mercado, o dinheiro e Marina

                       Dilma é a cara de Lula. Lula é a cara do Povo

                                  Marina é a cara do Mercado. O Mercado é a cara do Dinheiro

    Nas manchetes dos grandes jornais, podemos ver, todos os dias, que a Bolsa de Valores-Mercado-Dinheiro, tem lado, o de Marina e Aécio, aumentando conforme as possibilidades destes candidatos nas eleições presidenciais.

    Por outro lado, age com uma ferocidade impressionante contra Dilma-Lula, pois lhes acusa de intervir na economia, para assegurar empregos e ganhos salariais, bem como regular preços públicos para que não aumentem e causem inflação.

    Mas, afinal, quem é o mercado??

    O mercado é a população em geral que busca emprego?? é a população que busca atendimento de saúde?? Educação?? São os pequenos empresários??

    …ou, o mercado é aquela parte da economia (com poderes para tanto) que tem como objetivo ter o maior lucro possível e, com o que sobrar cuidar das áreas que o povo em geral precisa de atendimento.

    Fiquemos com esta segunda hipótese.

    Ainda, os interesses do chamado “mercado” nunca foram os interesses do povo, para aquele, o objeto de desejo é somente o maior lucro possível, para estes, as melhores condições e qualidade de vida possíveis.

    Enquanto Lula e Dilma governaram, o povo foi vencedor, vide o pleno emprego, os ganhos gerais de salário, a redução da pobreza e o aumento do nível educacional, mas, se o mercado voltar a mandar no país, o lucro e o dinheiro para poucos, e a miséria e falta de emprego para muitos é que se tornarão presentes.   

    No caso, o mercado, todos sabem, e não há contestação alguma, apoia a oposição. Apoiava Aécio.

    Agora, apoia Marina.

    Todos podem ver, está escrito nas manchetes dos grandes jornais da mídia, todos os dias.

    Assim, a cada vez que uma pesquisa de intenção de voto para presidente mostra algum avanço de Marina, o mercado saúda tal fato com aumentos no valor das empresas com ações nas bolsas de valores, e isso é festejado na grande mídia como se fosse uma festa.

    Bolsas de valores? Isso. Mas, pergunto, que valores?

    Claro, valores monetários, em outros termos, dinheiro.

    Marina avança, o dinheiro aplaude, Marina retrocede o dinheiro se retrai.

    E a cada avanço do dinheiro, um grande retrocesso para o povo simples, que apenas quer viver e sonhar.

    Quanta diferença.

    Com Dilma e Lula, nestes 12 anos, os valores sempre foram outros…o dinheiro nunca mandou, o POVO sim.

    Basta ver que todos, artistas, intelectuais, trabalhadores, estudantes, funcionários da própria Petrobrás, acorreram prontamente, após a iniciativa de LULA, num abraço em defesa da Petrobrás…

    Num momento, surgiram de todos os lados, de todos os lugares, pessoas, as mais diversas, e se uniram com um objetivo comum… Algo incompreensível para esta mídia paga a preço de ouro…algo profundamente humano para o agir destas pessoas.

    É que, eles não sabem…Lula está consolidado no imaginário popular,  ele não precisa mover multidões, ele precisa que as multidões saibam que ele está com elas, que está novamente lutando com elas  e a favor delas, apesar do câncer, apesar do cansaço, apesar da idade, apesar dos ataques, apesar de tudo…  pois, com tudo isso, ele não desiste, ele  continua ao seu lado, sempre.

    Não há recurso aos poderes constituídos ou a mídia, que fazem ouvidos moucos,  o recurso de Lula, hoje e sempre, é ao povo, e  este,  depois que o conheceu, sempre o acolhe, o reconhece como um deles, e o abraça e protege como um de seus filhos, como um dos seus..

    É simples.

    Lula não é um mito, Lula é de carne e osso e os mitos não prescindem da forma abstrata.

    Por outro lado, é exatamente isso que o diferencia, Lula é profundamente  humano,  e as demais pessoas simples do povo, sabem disso, porque, se para os deuses é fácil, para um Homem, é preciso um esforço que só não é sobre humano porque LULA consegue, apesar de tudo, realizar seus intentos em prol de cada um e da sociedade como um todo.

    Assim, para nós,  brasileiros, a mensagem “sim nós podemos”, é real.

    E este, é  o maior fator…. o POVO, o povo simples, que vê  e se vê em Lula..e,agora em Dilma. 

    Ta aí a impotência da mídia,  eles não podem destruir o LULA, ele se tornou imenso, ele se tornou nação…e caminha em direção a Dilma, ao encontro do seu Povo ..

    ………

    Mas, não há descanso.

    E quando Marina avança, e o dinheiro avança, a Petrobrás sofre.

    Por óbvio sofre, porque também a corrupção sempre tem um nome – nome este que ninguém desconhece – e atende pelo nome de dinheiro, e em seu nome se praticam as maiores atrocidades e, quando se dedica a atacar um país, quem sofre são suas maiores riquezas, que no Brasil atendem pelo nome PETRÓLEO e bancos públicos (CEF, Banco do Brasil e BNDES).

    Para quem já viu destruídos dois de seus maiores patrimônios nacionais, como os brasileiros já viram a Vale do Rio Doce e todas as siderúrgicas e a destruição da malha ferroviária, tal quadro é aterrorizante, pois, perfeitamente possível.

    Nesses casos, ao final, é o povo que fica despojado de suas riquezas, do necessário para a educação de seus filhos, para a saúde de seus cidadãos, para o emprego de seus jovens e adultos…

    Isso é o dinheiro…isso é o mercado…e é o que acontece quando ele toma o poder.

    No Brasil, o Mercado tem nome e sobrenome é Marina Silva.

    Mas, no Brasil, o POVO também tem nome… e sobrenome…Dilma e Lula…

     

     

  60. Nassif, vem cá !
    O Serra sabe

    Nassif, vem cá !

    O Serra sabe disso ?

    Ele não vai gostar da sua traição.

    Cuidado !

    Você melhor do quem ninguém conhece o Serra.

    Mas de qualquer forma, seja bem vindo.

    Junte-se aos bons !

    Antes tarde do que nunca.

    E acredite, o seus pegados foram todos remidos.

  61. Apoiado!

    Eu também, depois de muitos anos sem declarar meu voto abertamente em público, entrei explicitamente na campanha pela eleição de Dilma!

    Pareço até Cabo Eleitoral! Nunca foi tão necessário.  A eleição de qualquer um dos dois adversários represantaria um retrocesso insuportável. Seria o fim do Estado Social. O preconceituoso desejo de acabar com um governo que se preocupa com as classes menos favorecidas juntou na mentira, na falsificação das notícias e em outros meios muitos hipócritas e conservadores de vários matizes. Vale, vale tudo! Só não vale reconhecer que o Brasil avançou, e avançou muito!

    Apoiar Dilma é antes de tudo restabelecer a verdade dos fatos! Hoje em dia tão maltratada pelo judiciário, pela mídia e pelos hipócritas.

    Apoir Dilma é restabelecer a Justiça!

  62. Segundo mandato: melhor ou pior?

    Acredito que a primeira hipótese tem mais chances de acontecer se Dilma ganhar no segundo turno com diferença mínima de votos.

    Um esfrega na reta final será excelente para o governo Dilma aprender com seus erros. 

    Particularmente, torço para uma vitória no segundo turno de 50,0000001%

     

     

  63. Nassif,
     
    Parabéns pela sua

    Nassif,

     

    Parabéns pela sua posição corajosa e de bom senso.Você se torna um exemplo para os jornalistas sérios e independentes do país.

  64. Agora pode!

    Prezado Jornalista Luis Nassif:

    Acompanho seu trabalho independente há vários anos. Vários mesmo!

    Respeito seu trabalho e acho que, pela fidelidade em visitar seu sítio e por considerá-lo uma área de “livre pensar” (claramente fruto de seu trabalho), senti a necessidade de fazer críticas pela maneira como você e alguns colaboradores vinham abordando questões políticas e econômicas que estavam passando a sensação de que se poderia amolecer em relação a posicionamentos econômicos liberais ou neoliberais, com caráter claramente contrários a interesses legitimamente nacionais.

    Os posts muitas vezes endoçaram as críticas formuladas pelas oposições, dando-lhes “substância”, fazendo parecer que aceitar suas (delas, oposições) alternativas não seria um mal em sí.

    Na verdade o que gostaria mesmo de dizer é que essa atitude demonstra respeito pela realidade brasileira contemporânea, pela busca que o País tem empreendido por um mundo multipolar, baseado em uma geopolítica que renegue o atual modelo de imperialismo ao qual as nações estão submetidas pelo arranjo institucional global, e por todos aqueles braileiros que já perceberam que este é o caminho, com erros e acertos do governo, no mais das vezes, inevitáveis quando se percorre um caminho novo.

    E com o agradecimento dizer que a partir desse posicionamento que você assumiu, os debates no sítio guardarão um maior grau de independência em relação a uma realidade que muitos brasileiros já conheceram e que não desejam ver de volta instalada no Brasil.

    Parabéns, não por ser Dilma, mas por ter deixado claro o seu lado e suas ressalvas!

    André

  65. porque apoio dilma

    Parabéns Nassif, vc sempre demonstrou ser uma pessoa coerente. Em compensação li agra no Brasil 247 o a apoio de  determinados artistas  e personalidades a Marina Silva. Sabem quem estava lá segundo o jornal Marcelo Rubens Paiva q teve seu pai assassinado pela ditadura militar e sua candidata recebe o apoio dos algozes do seu pai. E tem pessoas q critica o cantor de rock Roger qdo twitou sobre êle, merece a twitada.

  66. DILMA

    ACORDA NASSIF

    Sinceramente, não concordo com todas essas críticas quando estamos há 15 dias da Eleição.

    Quando dou meu voto a um candidato não pretendo que ele governe como eu pretendo.

    Caso Dilma não tivesse esse perfil ela não teria enfrentado a Ditadura, ainda mais, choraria

    a cada ataque da mídia.

    Estou com DILMA E NÂO ABRO.

  67. parabens Nassif

    Parabens Nassif. Sua linha de entendimento voincide com a sua acho voce  uma pessoa coerente e de um firme carater. Embora não o vonheça pessoalmente , conheço-o atravez da tv e deste blog que leio diàriamente. Vamos ganhar esta eleiçao talvez no  primeiro turno se Deus quizer.

  68. dilma

    compartilhos as inquietações de Nassif e a elas acrescentaria a relacionada ao uso e ocupação das terras no país, enfatizando a necessidade de um governo comprometido com os direitos dos indígenas e da fauna e da flora nativas, com a devida demarcaçào e apoio para a conservação e produção florestal sustentável das terras indígenas e das Unidades de Conservação, com minimamente o efetivo cumprimento do novo código florestal e com uma efetiva reforma agrária agroecológica que permita o assentamento de todas as famílias sem terra no País e todo o apoio para a sua produção e manutenção no campo. Acrescentaria ainda a necessidade de uma firme tomada de posição contra a privatização da água e das sementes. São bens comuns e não podem ser patenteados!

  69. o post-manifesto deve permanecer até o fim das eleições, claro.

    (Devido ao monte de comentários, tornando pouco prática a leitura deles por quem for percorrê-los, mais  de 200, se não me engano), o post-manifesto voltou (e deve permanecer sempre até o fim das eleições). É meritoso, mas há alguns pontos sobre os quais devemos reler e  reler e reler aguçando o senso crítico. Tinha feito algumas observações não laudatórias, arvorando-me a críticas, q agora são desnecessárias repeti-las. A quem interessar, está no meu arquivo, é só acessá-lo livremente, por qq pessoa.

  70. A PROSA
    A: E ai, vai votar em

    A PROSA

    A: E ai, vai votar em quem?

    B: Voto no Aécio ou na Marina, mas NUNCA no PT!!!

    A: Pq?

    B: Porque eu quero que mude!

    A: Mude o que?

    B: Que mude ueh, que acabe essa roubalheira…

    A: Roubalheira?

    B: É ueh! Vc tá mto desinformado, heim!

    A: Desinformado?

    B: Cara, basta vc ver nos jornais, na revista Veja, folha de São Paulo; vc não assiste ao jornal nacional não???

    A: Veja e JN? Ah ta… Mas tirando o que a mídia que vc acompanha chama de roubalheira, o que mais vc quer que mude?

    B: Tudo, ta tudo errado! Esse governo assistencialista! Fica sustentando vagabundo. Quem ta na miséria é pq quer e eu não tenho nada com isso. Sempre me virei. Levanto cedo, malho na minha academia, vou pra empresa do meu pai, onde trabalho há anos. Pra que assistencialismo? Eu não preciso disso, logo, ninguém precisa!

    A: Então vc acha que todo pobre (maioria dominante) é pilantra e vagabundo?

    B: Graças a esse governo ai, os aeroportos estão lotados, a rua ta cheia de carros e, o pior, daqui uns tempos não vai ter ninguém pra alugar meus apartamentos, limpar a minha casa, catar lixo na rua, enfim, pra onde vamos assim?

    A: Então a ascensão dos menos favorecidos, com a distribuição de renda e pleno emprego te incomoda?

    B: A renda já está mto bem distribuída, ou melhor, estava até a saída do FHC, esse sim foi o melhor presidente que já tivemos… Qto ao emprego, quem deve decidir sobre não é o governo, mas, sim, nós empregadores…

    A: Sabe a diferença entre Estado intervencionista e Estado Mínimo?

    B: Pra que saber isso? O que importa são os resultados, os lucros…

    A: Sabia que as maiores potências econômicas do mundo vivem sob um Estado intervencionista/expansionista?

    B: E daí?

    A: Já ouviu falar na crise de 1929 (Lei de Say)? E em John Maynard Keynes?

    B: Ke, kem???

    A: rs…

  71. A PROSA
    A: E ai, vai votar em

    A PROSA

    A: E ai, vai votar em quem?

    B: Voto no Aécio ou na Marina, mas NUNCA no PT!!!

    A: Pq?

    B: Porque eu quero que mude!

    A: Mude o que?

    B: Que mude ueh, que acabe essa roubalheira…

    A: Roubalheira?

    B: É ueh! Vc tá mto desinformado, heim!

    A: Desinformado?

    B: Cara, basta vc ver nos jornais, na revista Veja, folha de São Paulo; vc não assiste ao jornal nacional não???

    A: Veja e JN? Ah ta… Mas tirando o que a mídia que vc acompanha chama de roubalheira, o que mais vc quer que mude?

    B: Tudo, ta tudo errado! Esse governo assistencialista! Fica sustentando vagabundo. Quem ta na miséria é pq quer e eu não tenho nada com isso. Sempre me virei. Levanto cedo, malho na minha academia, vou pra empresa do meu pai, onde trabalho há anos. Pra que assistencialismo? Eu não preciso disso, logo, ninguém precisa!

    A: Então vc acha que todo pobre (maioria dominante) é pilantra e vagabundo?

    B: Graças a esse governo ai, os aeroportos estão lotados, a rua ta cheia de carros e, o pior, daqui uns tempos não vai ter ninguém pra alugar meus apartamentos, limpar a minha casa, catar lixo na rua, enfim, pra onde vamos assim?

    A: Então a ascensão dos menos favorecidos, com a distribuição de renda e pleno emprego te incomoda?

    B: A renda já está mto bem distribuída, ou melhor, estava até a saída do FHC, esse sim foi o melhor presidente que já tivemos… Qto ao emprego, quem deve decidir sobre não é o governo, mas, sim, nós empregadores…

    A: Sabe a diferença entre Estado intervencionista e Estado Mínimo?

    B: Pra que saber isso? O que importa são os resultados, os lucros…

    A: Sabia que as maiores potências econômicas do mundo vivem sob um Estado intervencionista/expansionista?

    B: E daí?

    A: Já ouviu falar na crise de 1929 (Lei de Say)? E em John Maynard Keynes?

    B: Ke, kem???

    A: rs…

  72. Dilma passa mal ao vivo no debate no SBT

    Concordo plenamente em tudo que você escreveu. Dilma não pode sair. Estão até desrrespeitando o fato dela passar mal em um debate, um absurdo isso!

  73. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome