Correios precisa cortar gastos ou será privatizado, diz Kassab

correios.jpg
 
Jornal GGN – Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, disse que os Correios precisa realizar cortes radicais de gastos para evitar a privatização. “O governo não tem recursos e não haverá injeção de recursos nos Correios”, afirmou Kassab.
 
A empresa teve perdas de R$ 2,1 bilhões em 2015 e R$ 2 bilhões no ano passado. Em cerimônia no Palácio do Planalto, o ministro não descartou a possibilidade de privatizar a estatal, apesar de dizer que é contra esta opção. “Ou cortamos o gasto e conseguimos mais receitas com serviços adicionais, ou vamos caminhar para a privatização, no todo ou em parte dos Correios”, disse. 

 
Para o ministro, os resultados negativos da estatal foram causados por má gestão e “corrupção e loteamento”, elogiando a gestão do atual presidente dos Correios , Guilherme Campos, e atribuindo os problemas a erros cometidos pelo governo anterior.
 
Campos, que, assim como Kassab, é do PSD, foi nomeado em junho para o cargo nos Correios pelo então presidente interino Michel Temer. Alguns dias depois de assumir a presidência da estatal, reportagem do UOL mostrou que Campos estava sendo investigado pela Polícia Federal a respeito de uma suposta falsificação de assinaturas de eleitores para a criação do partido, em 2011.
 
Cortes
 
Como medidas para reduzir o prejuízo, a estatal anunciou no início deste mês que 250 agências serão fechadas, em cidades com mais de 50 mil habitantes. O objetivo é reduzir custos de manutenção e aluguel dos imóveis. 
 
Além disso, os Correios adotaram um plano de demissão voluntária (PDV) e também a revisão da universalização dos serviços postais, o que faz com que a empresa tenha presença em todos os municípios.  Cinco mil funcionários aderiram ao PDV da estatal, o que deve gerar uma economia de R$ 500 milhões anuais. 
 
Assine
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora