HP desenvolve o computador revolucionário “The Machine”

 
Jornal GGN – A HP está desenvolvendo o seu protótipo “The Machine”, um computador com novo tipo de memória. E o objetivo da empresa é “revolucionar a computação”, com esse componente que poderá alavancar a proposta de ter mais de um tipo de memória para o armazenamento temporário e de longo prazo.
 
Do Olhar Digital
 
 
A HP tem planos ambiciosos para um futuro não muito distante. A empresa desenvolve um novo tipo de computador, apelidado internamente com o título de “The Machine” (“A Máquina”, em tradução livre), que tem como objetivo usar um novo tipo de memória, o que permitiria driblar os limites da computação moderna.
 
Segundo o arquiteto-chefe do projeto, o modelo computacional em vigência tem sido um limitador. “Um modelo presente desde o início da computação tem se refletido em tudo desde então, e isso tem nos atrasado”, afirma Kirk Bresniker, um dos chefes de uma equipe de cerca de 150 pesquisadores nos laboratórios da HP.
 
Para atingir este objetivo de “revolucionar a computação”, a HP precisa dominar um novo tipo de componente chamado memristor, expressão que mistura as palavras “memória” e “transistor”, e que poderia alavancar a proposta de ter apenas um tipo de memória para armazenamento temporário e de longo prazo.
 
Para quem já tem conhecimento de computação, a explicação a seguir parece simplória, mas é desconhecida por muita gente. Hoje, para executar um programa, além ser necessário ter os arquivos em algum tipo de disco rígido, é preciso puxar as informações para a memória RAM, que é bem mais rápida, mas não pode guardar informações de forma densa ou armazená-las depois de a energia ser cortada.
 
Segundo a HP, com o uso do memristor, é possível economizar muita energia, já que os dados não precisam ficar transitando entre um tipo de memória e o outro. Além disso, a técnica prevê capacidade de armazenamento superior aos HDs de hoje, desempenho superior à memória RAM comum e a possibilidade de armazenar informações depois da interrupção de energia.
 
A HP espera ter um protótipo funcional da sua Máquina já em 2016, segundo Bresniker, mas espera que programadores e pesquisadores tenham contato com a tecnologia muito antes para ir se familiarizando. A equipe espera lançar um sistema operacional voltado para este tipo de computador já em 2015, chamado Linux++.
 
A princípio, a meta da HP é usar sua Máquina para competir com servidores que mantém redes corporativas e serviços de internet funcionando, como Google e Facebook. Contudo, alguns elementos de seu design devem ser aplicados em computadores menores no futuro.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora